• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - Que Beijo

[Pietro]

Decidi falar com o Artur, sobre aquela noite, seria a primeira vez que tocaria no assunto, sobre o que aconteceu!

Não fui no trabalho dele, muito menos a faculdade, decidi ir na sua casa.

Bem me preparei, não sabia o que dizer ao certo, mas queria saber a opinião dele sobre o que aconteceu.

Acompanhei os status dele até postar foto de uma fila de carros, dizendo que estava indo para casa. Esperei um pouco e peguei um Uber, indo em seguida, fui até pronto para a aula, pois de lá seguiria para a FAIT.

Para entrar no condomínio o porteiro ligou, e logo foi liberado! Bem quando despedi do Uber sai um carro da garagem, era sua mãe, ela só tocou a buzina comentando;

- Ele está na cozinha Pietro. – Fala ela saindo.

Ao olhar ele estava com uma xicara grande nas mãos, com a porta aberta, me olhando chegar. Artur ainda estava com a roupa social do trabalho;

- E ai mano! – Falo cumprimentando ele.

- Entra ai! – Fala ele piscando.

Deixei a mochila ao lado direito, e Artur fala;

- Mano, vamos tomar um café? Não almocei direito hoje, to brocado. – Ele fala me conduzindo a mesa.

- Não valeu.

Cara quando sentei meu celular chamou, falei com minha mãe e o Artur se levanta;

- Vou tomar um banho, terminar ai só subir tranquilo. – Ele fala tocando em minhas costas.

Acabei demorando um pouco no celular, fiquei andando em círculos na sala, enquanto falava com ela. Estava ajudando com um problema no notebook dela, sabem como é.

Subi as escadas e entrei devagar no quarto dele, que estava com a porta aberta, ouvi o chuveiro e então chamei ele;

- Artur! – Falo olhando a bagunça do quarto.

- Entra ai, Pietro fecha a porta pra mim. – Ele se referia a do quarto.

Passei a chave e então sentei na cama, esperando ele;

- Pietro? – Artur chama perguntando se eu estava no quarto.

- Fala.

- Entra aqui, não tem nada que já não tenha visto. – Ele fala gritando galera.

Bem eu fiquei desconfortável, mas queria ver a cena. Ele dentro do box que estava com o vidro embasado por causa da agua quente, eu fiquei entre a porta e ele enxagua a cabeça e questiona;

- Diz ai, o que manda? – Artur desliga o chuveiro e pega a toalha.

E eu excitado ali já, com o pênis bem no portal da porta;

- Queria falar sobre o que aconteceu aquele dia Artur!

Falei!

Artur seca o resto do corpo e envolve na toalha;

- Fala? O que? – Ele inocentemente pergunta.

Pensei, pronto ele não lembra.

-Você não pensa sobre cara? – Questiono.

- Sim, claro, mas já passou né, estávamos bêbados, acontece Pietro.

Ele passa saindo do banheiro e indo ao grande guarda roupas.

- Ta certo, é melhor dessa vez, eu tirar isso da cabeça.

Artur coloca uma cueca por baixo da toalha e me olha, assim que eu falo;

- Você gostou? – Somente o olhar de “rabo de olho”.

Ah eu tinha que abrir a boca!

- Pior que sim. – Falo coçando a nuca e sentando na cama.

Artur ficou me olhando, a pupila dos olhos dele ficou dançando como se estivesse pensando rápido demais!

- Se ficar entra a gente, podemos fazer de novo!

Essas palavras saíram da boca dele, eu não perdi a oportunidade e perguntei;

- Você gostou?

- Sim. – Dessa vez ele vem para meu rumo.

Detalhe, ainda de cueca. Ele sentou meio que pulando na cama, bem próximo a mim;

- Então fecho, a gente curte quando quiser, e fica entre a gente, beleza? – Ele fala esticando a mão.

Peguei na mão dele e Artur puxa meu corpo me beijando. Dessa vez diferente, QUE BEIJO.

Foi a primeira vez que beijamos sem bebida ou algo do tipo. Eu senti o gosto da sua língua, dos lábios, aquela maciez. Dos lábios pequenos;

- Ficou doido, alguém pode chegar! – Falei afastando e disfarçando.

Pois se deixar aparece corações nos meus olhos.

- Que foi? – Artur fala dando uma pegada em mim.

Ele deita, subindo todo o corpo quente sobre mim, pensei to fodido, nem me preparei para sexo.

Mas como pensa nisso quando ele beijou meu pescoço, colocou a mão dentro da camiseta, eu vi estrelas com Artur beijando minha orelha, mano ele passava a língua de uma forma tão gostosa. Eu cheguei a gemer.

- Mano acho melhor não! – Falo quando ele volta a beijar minha boca.

- Ah beleza.

Artur se afasta e levanta, de pé na minha frente, ele só dá uma pegada no seu pau e estava explodindo na cueca, dei um selinho nele e coloquei a mão dentro de sua cueca;

- Ei! Ponto fraco mano, cuidado! – Fala ele com um sorriso.

Tirei seu membro da cueca e sentei na cama, o Artur deixou a cueca descer até seus pés, o seu pau apontou para mim e comecei a chupar ele.

Artur segurou minha cabeça, já me fazendo engasgar, subiu uma das pernas para cima da cama ao meu lado! E eu com uma das mãos em sua barriga bem no “caminho da felicidade”, e a outra em sua coxa sentindo seus pelos.

Punhetei ele enquanto o chupava e Artur, fica um pouco mais agressivo, ele segura no meu cabelo com força, aumentando os movimentos, e meio que rebolando, fazendo seus movimentos fortes;

- Artur vai na aula hoje? – Grita sua mãe do lado de fora.

- Sim! Estou me trocando. – Ele fala me olhando com um sorriso.

Eu não vi, e nem percebi ele gozando, só senti! Artur segurou meu queixo para o alto par não cair nada, daquele gosto forte.

Fui no banheiro e cuspi na pia, e cara chegou a me dar ânsia de vomito. Que raiva.

Ao sair ele estava se vestindo, já com a calça jeans, e eu com a sua toalha de rosto, ele rindo diz;

- Foi mal, ninguém mandou você ter uma boca gostosa dessa.

- Agradeço pelo elogio.

- Falta só me dar agora.

- Há, há, há! Temos prova hoje, agiliza ai, depois dessa vai me dar carona.

- Se esse for o preço te pego na sua casa, você vai me mamando até a FAIT.

Gente ele já estava falando em tom de brincadeira, eu apontei o dedo do meio para ele, que ainda ficou falando asneiras.


5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia