• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - Ou isso ou a Morte

[Condomínio Mont Blanc – Bruno]

Acho que havia viciado a Camila, fui para a casa dela, e transamos na banheira do banheiro dos pais dela, pensa na adrenalina. Rsrs.

Próximo a hora do Artur chegar, descemos para arrumar algo para comer;

- Macarrão mesmo? – Pergunto olhando na geladeira.

- Sim, é mais rápido.

Ela arrumou o alho, eu cozinhando as coisas. Praticamente, eu fiz o jantar, porque ela estava “morgada”.

- Não dormi direito por causa da prova, estou morta. – Comenta ela.

- Está pronto, come e vai deitar, que eu vou para casa. – Falo entregando o seu prato.

Sentamos e jantamos, juntos, o Artur chegou em seguida, ele da garagem foi para seu quarto.

Lavei os pratos e a Camila estava no sofá. Ele desceu de cabelos molhados, short branco da seleção brasileira, e chinelas de dedo;

- Ah você está aqui! – Comenta ele entrando na cozinha.

Eu já secava as mãos, depois de lavar a louça. Ele chega nas panelas e olha dentro;

- Você cozinhou? – Pergunta Artur rindo.

- Sim, porque? – Pergunto.

- Porque, a Camila não sabe cozinhar nem agua, rsrs.

- Estou ouvindo vocês, tá. – Grita ela da sala.

Eu rindo subi, com ela. Camila se deitou, e me convenceu a dormir com ela. Depois de uns minutos e ela ter pegando no sono, eu desci para tomar uma agua.

O Artur estava à beira da piscina, deitado em uma das espreguiçadeiras. Como o tempo estava quente, eu sai e fui até ele;

- Trocou a bateria do Civic? – Pergunto puxando assunto.

- Não, nem tive tempo hoje mano, esperar meu pai voltar, to sem grana.

Deitei ao seu lado, a lua cheia estava muito foda, deixando a agua da piscina bem clara.

Então do nada o Artur comenta;

- Camila gosta de você!

- Eu também, gosto dela.

- Pode falar Bruno, sei que está com ela até tirar o cabaço, é minha irmã, eu sei como é.

Artur fala virando o rosto para mim;

- Pensei ser assim no começo, mas ela é de boa cara, não tem paranoias, como a Manuela, se é que me entende.

- Sim, sei sim. Se estiver falando a verdade, porque não contou a ela que você vende drogas? – Artur, não tinha papas na língua, falou assim do nada.

- Eu não vendo drogas, estou pagando o Renato. Trabalho com meu pai.

Respondo, me sentando;

- Como assim paga ele?

- Ano passado, eu fumava maconha, estava começando a cheirar cocaína. Mas ele não sabia e confiava em mim, éramos muito brothers! Me entregou vinte mil em mercadoria para fazer uma entrega, e eu dei perdido nas paradas! Ele iria me matar. Entrou na minha casa e apontou uma arma para a minha cara, na frente do meu pai, do meu irmão! Então meu pai disse que eu iria pagar, do meu próprio trabalho.

- Ah por isso você trampa com ele, mas Bruno, você dá deveria ter quitado, não? – Interrompe o Artur.

- Sim, trabalho com meu pai, e todo mês ele pagava o Renato. Quitamos a dívida faz 4 meses. Mas tive uma recaída neste período, agora estou terminando de pagar.

- Então você fuma um Bruno?

- Não, nadinha, desde aquele dia. E você porque fuma maconha?

Ele sorriu, deitou novamente;

- Começou depois do infarto que eu tive, aos dezoito anos, dá para acreditar?

- Infarto, que treta foi essa?

- Sim, infarto do miocárdio. Eu pesava 118 quilos e só comia merda.

- Haha, nunca você pesou tudo isso, olha pra você cara. – Falo apontando para ele.

- Bem que eu queria, comecei uma corrida para emagrecer, dieta, academia, e mudar rotina totalmente. Ou isso, ou a morte, eu poderia escolher. Eu estava em um estresse, e tanta coisa na cabeça, pressão dos meus pais, minha mãe na cabeça. No primeiro ano da faculdade o Lucas me deu um cigarro, dizia ele para relaxar! E estou relaxando até hoje. Eu to falando cara, é milagroso quando estou na brisa, rsrs.

Ele abre um sorriso, com os olhos brilhando gesticula com as mãos.


5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia