• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - Decepção você Bruno

[Casa Bruno – Bruno]

- Vai para o seu quarto Danilo, e não sai de lá, até eu te chamar. Eu não te falei Bruno para de mexer com essas merdas, para, olha isso!

- Não to usando pai.

- Ta o que? Traficando é? Isso dá cadeia seu imprestável, sabe disso. Me fala e se a polícia te pega em? Me fala.

- Iria entregar para um amigo, só isso, foi só dessa vez! Acredita em mim?

- Como? Me fala? Como acreditar em você, sendo que me prometeu que não iria mais se envolver com o Renato. E agora está lá coçando a bunda na cara dele. Me fala para quem iria entregar isso em Bruno?

- Um amigo ai, dos rolê.

- Amigo dos rolê! Ah eu mereço, amigo dos rolê. Fala quem garoto.

- Cara da faculdade pai!

- É a última chance Bruno, entra com essas merdas nessa casa de novo e coloco você para a rua, vai morar na rua, mas com droga aqui dentro de casa não, nunca mais.

Nossa ele falou tanto, mas tanto, que minha cabeça estava doendo. Tomei um banho e nem jantei, fui para o meu quarto, fiquei assistindo uma serie na Netflix.

Foram uns dois episódios de uns 50 minutos cada. Torei os fones e fui no banheiro, escovei os dentes e passando pela sala, meu pai estava dormindo no sofá, com a TV ligada.

Logo que entrei no meu quarto quase morri de susto, galera o Artur estava de pé ao lado de fora da janela, com a pouca luz não dava pra ver direito, dei um pulo, batendo meu braço na porta, ele começou a rir.

Fechei a porta, enquanto ele entra;

- Desgraçado, filho de uma puta (...). – Falava enquanto batia nele com uns murros.

- Para viado, rsrsrs. Tú é muito mole, rsrs. – Ele falava rindo.

Artur já estava rindo alto demais, coloquei o travesseiro na cara dele;

- Aiaiii. – Artur Respira fundo. - Porque está só de cueca?

- Porque estou na minha casa no meu quarto.

- Estava batento uma é?

- Não. Ta fazendo o que aqui? Como conseguiu entrar?

- A Manuela mora aqui, no fundo, é a casa dela, agora que fui perceber.

- Tu pulou o muro? – Falo sentando na cadeira na sua frente.

- Sim, a Camila me falou mano, e ai?

- Não está querendo sua parada de volta né?

- Porque? – Ele pergunta com a sobrancelha erguida.

- Nada só fumei enquanto meu pai estava acabando comigo. Que acha Artur?

- Foi mal Bruno, foi mal mesmo. – Ele diz.

- Relaxa, eu que dei mole dessa vez. Vou te pagar fica de boa.

- Não precisa, só que vou ficar mais uns dias sem beck né.

- Depois troco ideia com o Renato...

Estava falando e ouvi meu pai abrir a porta do meu irmão, era ele indo deitar, e eu não havia trancado a porta;

- Esconde. – Falo para o Artur.

Acreditam que o desgraçado enfia debaixo da coberta, pulei na cama, chutando o calçado dele para debaixo da cama, e deito, meu pai abre a porta logo na hora.

Artur estava encolhido na cama, debaixo da coberta, com o quarto escuro eu deitei e ele ficou bem perto, tipo encaixado em mim, meu pai entra no quarto, e eu começo a soar;

- Dormi com a TV ligada de novo. – Fala ele com a porta aberta.

Eu de olhos abertos, como se estivesse quase pegando no sono, ele se aproxima da cama, e eu tremendo de medo;

- Já falei para não dormir com essa janela aberta Bruno, cadê o cadeado dela em? – Pergunta ele fechando.

- Na mesa ai do lado.

Mano eu estava soando, de coberta, com o Artur me encoxando. Assim que ele fechou a janela todo o quarto ficou escuro, meu pai trancou a janela, kkkk’. E saiu;

- O que falei essa noite, foi para o seu bem meu filho, você tem um irmão, tem que pensar nele.

- Tabom pai.

Ele saiu fechando a porta, esperei escutar ele entrar no banheiro e tirei a coberta;

- Filho da puta, ta loco, ficou passando a mão na minha bunda Artur.

- Ah mais a Camila tem sorte demais, pena que ela não tem uma rola para te comer né.

Apontei o dedo para ele, enquanto trancava a porta;

- Vou nessa, e valeu de novo mano.

- Vai para onde?

- Embora, abre ai.

- Rsrs, a chave dessa janela está no quarto do meu irmão, vai lá, e meu pai acordado ainda, ele tem insônia.

- Como eu vou embora agora?

- Vai dormir nessa cadeira aqui se quiser, ou enfrenta o velho.

- Porra mano! Eu que estou na cama, você que se fode.

- Artur sai dai desgraçado. – Fui para cima dele e puxei ele jogando ele no chão.

O viado caiu e puxou tudo com ele, coberta travesseiro, lençol, nossa que RAIVA;

- Ou eu fico nessa cama. Ou você vai dormir sem coberta e ainda comigo abanando você para sentir mais frio.

- Cara a Camila tem razão, tu é o diabo. Fica ai, mas nada de encostar em mim viado.

Deitamos, e o ventilador não estava forte o bastante para ele. Artur tirou a camisa, depois a calça;

- Vai tirar a cueca também é? – Pergunto.

- Se você quiser eu tiro.

- Você fumou o que cara?

- Nada, só tomei uma cerveja mais cedo.

- Brincadeira comigo, sério, não mereço isso não. – Falo virando pro lado.

- Vai ficar com essa bundinha virada para mim é? – Fala ele todo feliz.

Me virei para o seu lado, colocando um travesseiro em nosso meio.

Foi uma das noites que menos dormi, e pior. Uma das vezes que acordei durante o sono vi o Artur excitado, tipo em ponto de pedra. A segunda vez foi eu, que estava dormindo perto dele, foi a coisa mais estranha, pois acordei com o calor do corpo dele, me afastei, coloquei um travesseiro entre a gente e tentei dormir novamente.


9 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia