• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - De Volta a FAIT

[Centro/Itapeva – Artur]

Semana seguinte, como a Lara havia previsto o Bruno dormiu em casa, pela manhã tomando café antes de sair ele comenta;

- Acha que agora as coisas se acertam? Digo se tranquilizam pra você?

- Bruno não sei! Agora preciso de ajuda com administração por causa do hotel e tem os últimos semestres da faculdade, vai ser foda viu. Só espero que, quando estiver tudo se acertando minha família não venha e me dê outra rasteira.

- Se isso acontecer estou aqui cara, para o que der e vier. – Ele fala segurando minha mão.

Eu solto um sorriso e Bruno questiona;

- Que foi em?

- Eu e você, mesmo transando, continuamos os mesmos, é muito estranho.

- Como assim?

- Não parecemos um casal saka.

- E somos um casal Artur?

- Sim.

- Hum bom saber, meu casal. Rsrs. – Bruno fala se levantando e me beijando.

- Vou nessa, Pietro já chegou no hotel. – Falo pegando minhas coisas.

- Ele vai ficar la por muito tempo? – Bruno pergunta desconfiado.

- Só essa semana, para me ajudar no próximo feriado, porque está com ciúmes?

- Não só curiosidade mesmo.

- Aham sei, rsrs.

Como o Hotel ficava na rua de trás de onde estava morando, deixei o Bruno que também já estava saindo, e fui trabalhar.

Bem uma coisa rápida, no hotel, a Roseane tem curso superior em Administração, mesmo contra a vontade de minha mãe coloquei ela de gerente, pois sabia melhor do que eu gerir um negócio, afinal eu estava voltando para a faculdade e seria uma loucura. Com ela na gerencia me poupava tempo o que nesse momento era muito valioso.

Eu fiquei na recepção, como anteriormente o Pietro iria me auxiliar essa semana, até conseguirmos fazer a contratação de outro funcionário. Dessa forma eu poderia focar na faculdade.

No meu intervalo o Bruno passou no Hotel, pois iriamos na faculdade, eu dar uma olhada como estava minha situação e a dele para começar no semestre.

Fui na sala dos professores, e voltei a secretaria entregando umas frequências que restava, o Bruno estava olhando as classes, fiquei aguardando ele, sentado nas cadeiras de espera, quando escuto alguém me chamar;

- Artur, oi tudo bem? – Fala Manuela.

Ela veio me cumprimentar, educadamente correspondi;

- (...) Sim, agora termino o semestre. – Respondo me ajeitando na cadeira.

- Entendo, a Camila agora fora do País, está morando na casa de seus pais?

- Não, não.

- Que bom que está de volta Artur, fico feliz que esteja por perto. – Ela fala com trejeitos e um sorriso “lerdo’ para o meu lado.

- Legal! Está namorando o Lucas ainda?

- Não, estou solteira, e você?

- Estou namorando o Bruno. – Falei me levantando. – Tenho que ir, a gente se esbarra por ai. “Biscate”. – Falo de costas a ela.

Sai de mim, chega de problemas.

Pessoal o Bruno não se decidiu, digo o que fazer sabe da vida em relação a faculdade, disse que iria falar com o pai, rsrs.

Ele me deixou no hotel, onde trabalhei o restante da tarde;

- (...) Pensei que ele era passivo, rsrs. Nós temos um mal habito de ficar julgando as pessoas, né Artur?

- Sim, Pietro, foi o que eu disse ao Danilo, mas como sabemos não importa o que dizemos, falei a ele, que se está se sentindo bem é o que importa!

- Kaique tentou ser passivo, rsrs, ai foi muito engraçado, não rolou, mas ele disse que ainda quer tentar.

- Rsrs, coitado! Uai cara eu e o Bruno nós damos bem na cama, até demais, é muito massa... – Falei sem problemas, mas Pietro fez um movimento com a cabeça, então falei. – Foi mal, com todo respeito, curti você, mas o Bruno é diferente.

- Relaxa Artur, não quero deixar você constrangido, não tem culpa, eu que... Vamos esquecer, beleza. – Ele fala me cumprimentando.

- Sim, e valeu pela mão, que está me dando aqui, mano do céu, as vezes penso se foi certo, voltar.

- Só vai saber com o tempo Artur, e ai, voltar para as aulas em, cara vai sofrer viu.

- Nem me fale, quando peguei seus cadernos e os trabalhos, já até sabia que seria tudo aquilo.

- Se precisar de algo, só avisar, beleza.

- Valeu.

Eu tive que dar uma saída com a Roseane, para ela arrumar uma documentação do hotel, algo haver com impostos ou algo do tipo.

Em casa eu somente tomei um banho e me arrumei para a aula, não estava matriculado ainda, mas eu iria para não perder matéria. E eu já conhecia todo mundo, então, não faz mal.

Odeio, odeio com todas minhas forças quando chego em um local e todos ficam me encarando, sério, não dá. Ao estacionar o carro e seguir para a aula.

No corredor quem me conhecia, cumprimentava com “Boa Noite” e um aperto de mão, mas nada além disso, assim que eu passava começava os comentários.

E claro, ao entrar na sala o Lucas, foi o primeiro a olhar e o primeiro que eu vi também.

Cumprimentei o pessoal da sala, e o Pietro chega junto ao professor, se sentando.

[Centro/Itapeva – Bruno]

Artur assistiu somente 3 aulas nesse dia, e me avisou quando chegou em casa, eu já o aguardava, logo que ele chega, estacionando o carro desce comentando;

- Vou repensar essa história de você ter uma cópia dessa chave.

- Porque?

- Vai que eu quero trazer um amante? – Fala ele fechando o portão.

- Não, é mais de boa, que ai posso colocar fogo na casa, com vocês dois dentro.

- Ouhn que romântico, rsrs. E ai. – Artur vem me beijando.

Ele conta sobre a faculdade, enquanto vai tomar um banho;

- (...) fora isso, normal, as mesmas pessoas falsas de sempre. – Comenta Artur tirando a roupa.

Eu vou até a cozinha conferir o que tinha para comer, ajeito a bagunça que deixamos, ele vem de toalha, dá uma olhada e vai para a pia de louças;

- Pode deixar mano, eu lavo isso ai, só estou tirando o lixo. – Falo ao lado de fora da cozinha.

- Relaxa.

Voltei e ele já estava terminando, eram poucos pratos e talheres, eu de pé atrás dele olhando aquele corpo coberto pela toalha;

- Ai merda, que susto. Está fazendo o que ai parado Bruno?

- Nada só apreciando isso. – Falo aproximando e apertando sua bunda.

Ele ri se virando e me beijando;

- Quando disse que me amava a dias atrás, confesso que fiquei receoso, e com um frio na barriga, na minha cabeça, eu tinha um compromisso com seu sentimento saca.

- Sim, mas falei que não precisa se preocupar, saiu sem querer, mas fico feliz que isso fique transparente entre eu e você.

- Pensei demorar dizer isso, mas para que esperar? O que eu preciso esperar. Eu te amo Bruno.

Ele estava nos meus braços, me olhando, falou isso com aquela boca rosada;

- Rsrs, ta falando sério?

- Sim, rsrs.

- Hum, acho que já é hora de eu me mudar, que acha?

- Acho que assim, vai atrapalhar meus esquemas, rsrs.

- Viado, vai se vestir.


5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia