• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - Conversa no Carro

[Condomínio Mont Blanc – Artur]

Joguei bola com a galera do condomínio, voltei para casa andando mesmo, pensando na noite da festa, digo, em acordar ao lado do Pietro.

Fiquei receoso pelo nosso passado, além do medo de falar sobre isso com ele.

Cheguei em casa, e a Camila estava na sala assistindo uma serie.

Subi para tomar um banho, estava fedendo de suor.

A Manuela queria trocar ideia na faculdade hoje, e eu sem saco até para estudar, mas beleza.

Coloquei uma blusa branca apertada, uma calça leve da addidas, e um tênis.

Camila estava dormindo no sofá.

Peguei o carro e direto para a FAIT. Na sala o Lucas não tinha ido, e para variar ao sentar o Pietro olha e acena para mim, com um sorriso meio sem graça gesticulo com a cabeça.

Pessoal minutos antes do intervalo o Pietro sai da sala, eu decidi enfrentar isso logo, e segui ele até o banheiro.

Fingi usar o mictório e ele sai do reservado, para lavar as mãos;

- Como foi a ressaca mano. – Questiona ele.

- Nem me fale, acho que ela dura até a próxima festa, rsrs.

Ele sorri, secando as mãos, eu de lado encostado com o quadril na pia, de braços cruzados falo;

- Escuta Pietro, naquele dia... Eu e você... Só dormimos juntos né? – Gaguejei muito, as palavras não saiam da garganta.

- Sim, porque?

- É que não me lembro muito bem da noite saca, bebi e tals. – Falo me desculpando.

- Entendi. – Ele já com outra cara.

Eu com as sobrancelhas altas, coração acelerado e mãos soando;

- Cara, o que aconteceu com a gente quando éramos crianças, aquilo não foi nada demais, e eu iria agradecer se ficasse na sua enquanto a isso, beleza?

Não tinha certeza se havia deixado ele mais sem graça do que eu estava.

- De boa, não, relaxa Artur. Fica tranquilo.

- Valeu, tinha que ter esse papo contigo.

- Tudo bem mano.

Nós estávamos tão sem graça, vermelhos, soando, muito. Um cara entra no banheiro, então saímos, e eu pensando em algo para dizer;

- Escuta. – Isso no corredor, já no intervalo. – Camila pediu para avisar que a Elisa desmarcou o filme de hoje, não vai rolar. – Falei.

- Ah tranquilo, tentei falar com ela se estava confirmado, mas não respondeu. – Fala ele mostrando as mensagens no celular.

- Eu sai de casa ela estava dormindo, pode ser isso.

- Sim, sim.

- Artur, até que enfim te achei. Oi Pietro. – Fala Manuela chegando na gente.

Acho que o proposito dela naquela noite era provocar. Manuela estava com um short preto e branco tipo tabuleiro de xadrez, um sutiã verde escuro e uma blusa preta transparente com a barriga de fora, sim bem gostosa.

Despedi de Pietro que entrou na nossa sala, e fui com ela, conversando até a gente parar no estacionamento;

- Sobre o que quer conversar comigo? – Falo encostando no meu carro.

O estacionamento era mais reservado, por ser atrás dos blocos das salas. Eu me encostei ela na minha frente;

- Sim, é que eu estava com saudades Artur, depois daquela noite, não falamos mais. – Ela fala beijando meu queixo, com uma das mãos dentro da camisa.

- Se for isso, posso dar um jeito rapidinho para você. – Falo sorrindo.

Entramos no meu carro, no banco de trás e ela no meu colo, beijando na sua boca, tirei aquele sutiã, dando umas pegadas bem fortes nos seus peitos, ela abriu minha calça que era de um tecido bem leve.

Cara ela tirou seu short e estava sem calcinha, molhadinha, daquele jeito. Realmente estava afim.

- Quer que eu pegue a camisinha? – Questiono.

- Não, só transei com você. – Fala ela me beijando.

Mano Manuela sentou se encaixando bem gostoso em mim, aquele cabelo, no meu rosto, acompanhei seus movimentos com as mãos em sua bunda grande, o carro se mexia com ela cavalgando em mim.

Me segurei um pouco para não gozar antes da hora, segurei em seu cabelo, dando uma volta com a mão, ela gemendo bem gostoso, porra, que delícia.


6 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia