• @rgpatrickoficial

Vivendo no Escuro - Convenço Ele

Coloquei meu carro para dentro, e fui para o quarto com o Bruno, tirei a camisa e short e deitei, beijando o Bruno ele comenta;

- Conversei muito com meu pai essa semana.

- Sim.

- Acho que vou para São Paulo!

Parei de beijar ele, sentei na cama, até assustado;

- Ta falando sério?

- Sim, eu economizei muito, e estou estudando para o concurso que te falei.

- Sim, Ah lembrei que é para exercer na capital. Bruno que foda cara, rsrs, bom demais.

- Sim, podemos ficar mais um com outro.

- Sei não viu. – Falo rindo.

- Não curte ficar comigo?

- Sim, pra caralho, mas não sei se casar agora seria uma boa.

- Aff, Não to falando em casar, sei lá, a gente curte as mesmas coisas, sexo, comer, sexo, beber, sexo... rsrsrs.

- Podemos tentar se for assim, rsrs.

Deitei sobre ele, beijando seu pescoço segurando suas mãos, ele curte umas mãos bobas pelo corpo.

Tirei sua cueca, e fui mordendo sua barriga magra, e ele comenta;

- Não estava cansado? Dormindo no sofá.

- O Tesão me deixa acordado, rsrs.

Comecei a chupar Bruno, mordendo sua coxa, e massageando seu abdômen, e peitoral, enquanto tentava engolir ele por inteiro, o que tirava uns gemidos gostosos dele.

Virei ele, que ficou com aquela bunda dura para mim, cara eu cuspi e mordi muito ela, subindo pelas suas costas tirando calafrios dele e encaixo bem gostoso sarrando e provocando ele, com mordidas na nuca e atrás da orelha, deixando ele bem relaxado.

Como estava bem lubrificado, Bruno se virou de lado, comigo ainda sobre ele, comecei a forçar a penetração e estava meio inconfortável para ele;

- Quer que tire?

- Sim.

Ele se virou ficando de frango assado, sozinho colocou meu cassete pra dentro, cara entrou fácil, devagar, porem mais fácil, beijando ele e focando o pensamento pra não gozar, porque, ele mordendo os lábios me deixava louco.

Eu não sei se era quente como o Bruno, mas porra de bunda gostosa do caralho, rsrs. Ele colocou as mãos em minha bunda me conduzindo, era minha deixa para os belos movimentos de vai e vem, com suas mãos controlando a força.

Sabe aquele momento que você coloca tudo, até o fundo, ele chega a se mexer bruscamente, haha, adoro, tirar uns gritos assim.

- Fica de quatro. – Pedi a ele.

Segurava em sua cintura, que encaixara perfeitamente em mim, Bruno relaxava e ficava de boa, tinha uns gemidos muito massa, amava foder com ele, bem próximo ao meu ouvido. Já se masturbando ele gozou primeiro que eu, foi ver ele gemendo forte e “mordendo” meu pau, que logo gozei, tipo muito dentro dele.

Então, ele não abriria a oficina no sábado, somente o Paulo que iria, acostumado a acordar cedo, ele ficou na cama, escovei os dentes e fui até a cozinha, o Danilo estava terminando de fazer café;

- Bom dia. – Falo pegando um copo.

- Bom dia Artur. – O garoto responde bocejando.

Coloco agua, perguntando;

- Seu pai já saiu Danilo?

- Sim, ligaram para ele, parece que tem um casal esperando ele na oficina, algo com mangueira de combustível.

- Entendi.

Fui no quarto, peguei minha carteira e fui comprar umas coisas, na esquina da casa deles tinha um mercado, peguei uns pães e mortadela, bolachas, essas besteiras. Ao voltar ele tinha acabado o café, sentamos juntos;

- Como foi a festa ontem? – Pergunto.

- Boa, não tinha comida como festa de criança, mas foi boa. A sua eu ouvi que foi ótima também, rsrs.

- Ta zoando que ouviu a gente? – Pergunto rindo.

- Sim.

- Que paia mano, rsrs. Foi mal, não era a intenção.

- Relaxa, já passei esse tipo de constrangimento com meu irmão também. Aliás o Gustavo tem ciúmes de você Artur, acredita. – Fala o Danilo rindo.

- Fala para ele não se preocupar, não vai acontecer anda, até porque eu pego um bom tempo na cadeia.

- Com certeza.

Bruno chega, já intrometendo;

- Bom dia.

- Bom dia. – Respondemos rindo.

- Tão falando do que? – Questiona ele, arrumando o cabelo.

- Se eu pegaria o Danilo.

Ele se virou me olhando bravo, e o Danilo pergunta;

- Pegaria? – Ele perguntou sacaneando.

- Cala a boca moleque, ta me tirando? Vai dar uma de fura olho agora. – Bruno ficou grilado, todo ciumento.

- Acho que pegaria Danilo, tu é bonito, novinho, bem delicia! – Falei piscando para ele.

- Camila fica na sua. – Fala Bruno dando um tapa na cabeça dele.

Danilo gargalhava, com a situação;

- Artur, que de vocês é o Ativo e o passivo? – Pergunta o pequeno.

Eu ri com a pergunta, mas rachei do Bruno, ele engasgou com agua o idiota;

- Que pergunta é essa Danilo, respeita. – Ele disse ainda entre tosses.

- Mano, tipo a gente dá certo, porque não temos preferência, é mais difícil de um para o outro, mas estamos acostumando sabe, somos versáteis um com o outro, mas conheço casais que são ativo e passivo, por se sentir melhor sabe. Porque a pergunta.

- Nossa vou tomar um banho depois dessa. – Fala o Bruno saindo.

- Gustavo é só passivo, e não tem curiosidade em tentar ativo, e eu tenho curiosidade sabe. – Fala o pequeno Danilo.

- Entendi, cara, conversa com ele, sério mesmo, diz que tem curiosidade em saber como é, e como casal mano, tem que um satisfazer o outro...

- Valeu Artur.

- Serio que você é o Ativo?

- Sim porque?

- Não, eu que julguei que você era passivo, mas foi mal.

- Não de boa.

- Ei que tal sair com a gente essa noite? Eu, você, Gustavo e Bruno? – Pergunto me levantando.

- NÃO. – Grita o Bruno do quarto dele.

- Porque não? – Gritei de volta.

- Artur, você só arruma confusão nessa cidade, Danilo não vai.

- A gente sai, por volta de dez e meia, eu te aviso. – Falei baixo para Danilo.

- E ele?

- Relaxa, convenço ele.

- Beleza.

7 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia