• @rgpatrickoficial

Vitor o Moreno Alto e Dotado ūüĒ•

Desta vez foi Vitor a "vítima", bem ele é um conhecido que veio em uma festa de aniversário que havia feito pro meu irmão.

Ele é da turma do "Narguilé" então só fica em um canto observando todos, acho que sabem como é.

Nesta festa eu fiquei com meus amigos mais próximos, até eles irem. Por volta de três da madrugada, estava pouco frio, então ficamos bebendo, e eu com eles nesta rodinha, onde estavam uns jogando truco, outros de pé ao redor da mesa e eu ao lado de Vítor, nós estávamos conversando com duas garotas que estavam muito ruins, rsrs.

O objetivo era pegar elas, e conseguimos.

Ficamos nos beijos, ele até tentou levar uma delas para o quarto mas não rolou, pois logo foram embora, estava praticamente amanhecendo.

Depois que saíram, eu então comecei a investir em Vitor, para talvez sair algo disso, bem ele é moreno claro, cabelo curto e alto, tipo 1,80 não sei exatamente, corpo normal, meio magro, mas com uma boca carnuda, bem atraente, e sobrancelhas marcantes.

Confesso nos dois estarmos bêbados, jogamos uma partida juntos com os meninos e quando saímos eu acabei derrubando um copo de "blue Pinga" nele, em sua calça. Se você conhece essa bebida sabe como ela é e como mancha as coisas.

Fui com ele na cozinha, passou um pano, mas nada, chamei para o meu quarto, para tirar aquela calça e colocar de molho, e pegar uma roupa minha, e quando entramos um casal queria entrar e ficarem lá, na zoação mandei eles para o outro quarto e fechei a porta a trancando;

- Se n√£o fechar entram com a gente aqui. - Falo.

Ele sorri e mostrei onde fica as roupas, Vitor escolhia um short que o sirva. Eu aproveitei e fui no meu banheiro lavei o rosto e quando voltei ele estava encostado na parede tirando a calça, ele me olha e diz;

- Est√° molhada aqui. - Mostra ele.

- Te ajudo.

Eu o aproximei e abaixei puxando, galera vi um belo de um pacote, bem apetitoso, rsrsrs.

Tirou a calça e jogou de lado, ele meio tonto disse;

- Mano acho que até minha cueca molhou. - Disse ele colocando a mão falando e olhando para baixo.

Eu ent√£o coloquei a m√£o, dei uma pegada gostosa em seu membro. Sabe sentindo tudo aquilo solto na cueca, foi autom√°tico, Vitor ficou meio bomba, seu pau acordou, ele sorriu e disse;

- Nossa que pegada gostosa, foi mal, √© que t√ī na seca mano.

Eu ri e peguei uma cueca no guarda roupa;

- N√£o parece estar na seca, rsrs. Vai querer?

Perguntei mostrando, afinal, usar cueca de outra pessoa não é tão normal quanto podem achar.

Ele fez que sim com a cabeça e começou a tirar, dessa vez me abaixei, mas ele se sentou na cama, tirou a cueca, deitou a cabeça e falou;

- Porra mano, a cama est√° rodando. - Disse ele se sentando.

- Acho melhor tomar um banho. - Falei levantando-o sem tirar os olhos daquele membro lindo.

Sabe aquele pau moreno, com a glande cobrindo toda a cabeça.

Eu estava ruim, ele também, sozinhos, eu investi, qualquer coisa estava bêbado, não é mesmo, sempre a culpa é do álcool.

Coloquei ele dentro do box, meio de cabeça baixa encostado, ele pegou o sabonete e ficou com ele na mão, eu tirei a roupa e entrei, "me concentrando".

- Vai entrar também? - Perguntou ele, passando a mão nos olhos.

- Sim, porque!

- Não sou só eu que dei PT, você também.

Eu sorri e fui pegar o sabonete, e deixei o cair, será porque né. Nunca fiz nada tão explicito, e arriscado, bem se me chamarem de louco, "Presente".

Abaixei para pegar o sabonete, e n√£o abri as pernas, mas deixei bem aparente minha bunda, e n√£o percebi, mas acho que ele viu, pelo coment√°rio;

- Nossa Lucas, que bunda gostosa em. - Ele sorriu sem graça, receoso pelo comentário.

- E mano, tarando minha bunda aí, se eu desse conta de você, te ajudava. - Falei isso pegando novamente no seu pau.

Dessa vez ele estava ficando duro, mano que tamanho, ele deu um sorriso safado de canto de boca, e tocou seu pau;

- Mas pode usar a boca.

Ao falar isso estava com o pau duro, apontado pra mim, olha já fiquei com cara bem dotado, ele tem um membro grande, me assustei, mas deve ser pela sua altura que lhe proporcionou. Me abaixei e comecei a chupar ele, Vitor se afastou por causa do chuveiro e quase gozou logo de primeira, galera, eu engoli até onde consegui, e chupei logo nas primeiras com vontade, ele se contorceu;

- Mano... - Falou ele me levantando. - Deixa eu te comer ‚Äď Vitor falou me pressionando contra a parede.

Falou próximo ao meu ouvido, corpo a corpo, sua mão na minha bunda, massageando. Eu hesitei, sim pois estava receoso em relação ao tamanho, mas cara, fazer o que né, naquela situação.

Sai sem falar, peguei uma camisinha, e comecei a colocar nele, que abriu um sorriso. Fiquei de costas para ele, mesmo ao lado do chuveiro ele deixou bem lubrificado, e começou a forçar, porra doeu demais, eu empinei para ver se ajudaria, e também rebolei devagar. Quando entrou tudo a dor não parou, bem ele fez poucos movimentos e pedi para trocar a posição.

Acho que poderia pensar antes de ter falado nisso. Fiquei de quatro no chão, agora imaginem com a bunda bem empinada, para um cara na seca de 19cm, é ele fodeu com força e fundo, porra, pensei que não pararia de entrar.

Dessa vez a dor demorou pra sair, e me acostumar, ele estava de pé, não se ajoelhou atrás de mim, e fodia com força, suas bolas batiam em mim fazendo bastante barulho, suas mãos cravadas na minha cintura, eu gemendo, bem gostoso, ele segurou meu cabelo, puxou com força e ai eu vi estrelas.

Era tão rápido que eu fiquei em êxtase, porra que delicia, mano, ele segurou por debaixo de meus braços me forçando a empinar e deixar seu pau entrar tanto que pensei que suas bolas também entrariam em mim.

Senti sua respiração perto do meu ouvido dessa vez, junto com;

- Porra, caralho, que cu gostoso mano. Toma! Sei que queria meu pau na sua bunda.

E entre outras besteiras, senti e percebi ele latejar, foi encostar no meu membro pra me tocar, foi rápido, e gozei, ele se ajoelhou e gozou sem parar, e os movimentos rápidos ainda continuou, ele parou, mas forçando bem gostoso tudo o que conseguia.

Ele desceu os pés e ficou sentado debaixo do chuveiro que estava desligado, com o pau em mim, ele ainda meio bomba eu fiz uns movimentos, tirando e colocando ele gemendo e deu um tapa bem forte em minha bunda.

Me virei e continuei, sei l√°, foi de autom√°tico, acho que por ter acostumado com o tamanho dele em mim, me empolguei.

Ele rindo enquanto eu ainda meio que cavalgando nele;

- Quer mais é?

- Você consegue? - perguntei continuando, subindo e descendo.

Seu pau já estava duro novamente, e para quem teve a oportunidade de sentir ele ficar duro dentro de você, é bem interessante.

- Esse é seu melhor? - Perguntou ele, nos meus movimentos.

Segurei atrás de sua nuca, e a outra mão em sua coxa, meio que rebolava e sarrava bem gostoso nele, porra seu pau dançava dentro de mim, e estava com um tesão da porra já. Ele colocou as mãos em minha bunda e fiquei olhando para aquele rostinho lindo. Ficamos um tempinho nessa posição, e Vitor logo se empolgou comigo, me segurou e veio de frango assado, só me deitando no chão;

- Est√° confort√°vel? - Perguntou ele, se referindo ao ch√£o.

- N√£o. Vamos pra cama.

Eu propus, ele tirou seu pau de mim, e a camisinha, eu fui colocar a mão, ele disse que não, bem achei estranho, quando cheguei e deitei, ele veio na mesma posição com outra camisinha e pincelou aquela porra em mim, eita coisa estranha e diferente. Colocou com facilidade a camisinha, e penetrou tranquilamente, se posicionou fazendo movimentos leves, eu gemendo, pois estava sentindo tudo;

- Acho que j√° est√° bem acostumado com meu pau.

- √Č deu pra perceber.

Falei entre gemidos;

- Vou te mostrar ent√£o como gosto de foder umas putas.

Bem achei muito estranho a forma que disse, mas já estávamos ali mesmo. Uma coisa difícil é eu pedir para o cara parar, mas ele quase fez isso, de frango assado Vitor fodia com tanta força, por ele ser maior que eu, e ter mais força, me assustei, mano, ele urrava de tesão. Fiquei feliz, com tesão e até medo. Eu gemia gostoso, bem gostoso mesmo, estava com desejo em mim, rsrsrs.

Ele demorou, ficava passando o rosto próximo e de um lado para o outro, mordendo meu pescoço, a orelha, e até o queixo. Eu novamente avancei, segurei em seu queixo e beijei sua boca, foi um puta beijo, mas ele parou de foder e me beijou, ele respondeu, porra que lábios grandes e gostosos de morder.

Vitor me olhou afastando rosto e deu um tapa na minha cara, dizendo;

- Nunca mais faça isso.

Ele se abaixou colocando sua cabeça ao lado da minha e fodeu com força, pensei que ele iria gozar, mas nada, bem mudamos de posição eu fiquei de bruços na cama, e ele rebolando em mim com todo aquele membro dentro.

Quando gozou nem eu havia percebido, e me levantou, beijou minha boca, sim, ele me puxou e me beijou, encostou no guarda roupas e tirou a camisinha, eu então limpei seu membro, todo, até chupei mais um pouco, ele ainda me deu um breve beijo.

Banho e dormimos, afinal estava amanhecendo. Quando acordei cedo no dia seguinte, havia gente dormindo sentado em sof√°, nossa, uma baderna. Bem houve outra foda com Vitor, que irei contar em breve, sejam pacientes kkkkkk.



56 visualiza√ß√Ķes1 coment√°rio
Assine para ser o primeiro a receber os cap√≠tulos 

Siga a gente:

¬©2015 por Arm√°rio Er√≥tico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia