• @richardsongaarcia

Um Recomeço - Capitulo 8

Cumprimentamos Marcelo e Cauã já abraçando e pulando nele.

- Cauã gosta mais de você do que eu!

- Um bom saber, vou me casar com Cauã, você aceita se casar comigo?

Cauã balançou a cabeça dizendo não, eu rachei de rir.

- E por que não?

- Eu vou casar com a mulher do avião.

- Hahaha' esse é meu filho. Vêm ajuda a gente com as malas.

Entrando no elevador Marcelo Pergunta!

- Que Mulher e essa?

- A aeromoça.

- Ata.

- Cauã toma um banho que vou ligar pra sua mãe.

Falei entrando no apartamento.

- Paaiiiiiii, não quero ir embora.

- Meu filho tenho que trabalhar hoje.

- Eu fico com ele pode ir.

- Marcelo.

- E levo ele no Colégio amanhã.

- Tudo bem.

Desfiz às malas coloquei umas roupas na máquina e fui pró meu quarto peguei o notebook e estava respondendo os E-mails e comecei a escrever a retratação sobre a foto de Marcelo, fiquei quase uma hora ali reservado, esta concentrado quando Cauã vem no meu quarto.

- Pai posso fazer uma fogueira na sala?

- Pode.

- Viu Marcelo eu disse que ele iria deixar.

- NÃO Cauã de onde tirou...

Quando cheguei na sala, pessoal tinha uma barraca armada no meio da minha casa.

- Cauã vou pergunta uma vez, quem fez isso?

- Foi eu!

- Foi você? E o Marcelo não tem nada a ver com isso?

- Ele deu a ideia.

- Seu dedo duro.

Falou Marcelo saindo de dentro da barraca.

- Eu não vou ficar de castigo sozinho.

Gritou ele com Marcelo,

- Marcelo desmonta isso.

- Não a gente vai dormir aqui essa noite, e você também.

- Ata sei, se eu quiser uma dor nas costas consigo ela trabalhando ok.

- Chegou.

Cauã correu pra porta ao ouvir a campainha, e entra com pizzas.

- Você vai arrumar tudo isso.

Falei em voz baixa para Marcelo.

- Relaxa.

Marcelo me beijou no rosto,

- Me empresta seu cartão esqueci minha carteira.

- Esse acampamento ta Me saindo caro demais.

Tomei um banho fiz um suco para comermos e de tanto desistirem acabei dormindo na barraca,

- Cauã em barracas não tem Internet.

- To só jogando pai.

- Vêm dormir vem.

Dormimos Marcelo de conchinha em mim e eu em Cauã, estávamos muito cansados.

Na quarta-feira com toda rotina nos aguardando, Marcelo acordou levou Cauã para o Colégio, aproveitei e fui pra minha Grande e macia cama. Acordo com um abraço de Marcelo beijando minha nuca e depois meu pescoço, me virei ele subiu em cima de ainda me beijando.

- Ta querendo o que?

- Amor descobriu quem fez aquela publicação?

- Ainda não, tenho meus suspeitos, logo vou descobrir.

- Espero que rápido, meus país estão processos.

- Vêm cá. Que história é essa de Amor?

- Amor é um apelido carinhoso, ou a expressão de um sentimento puro.

- Eu sei a definição de amor.

- Quando vai perceber que eu te amo Thiago? Em?

- Eu saindo isso.

- Então quer outro tipo de prova?

- Não me faca entrar em outra discussão sobre meus conceitos.

- Tem que parar de pensar só em trabalho sábia! Você te um filho maravilhoso que não da um pingo de trabalho, a vida que muitos queriam e eu alguém que te ama, Thiago as pessoas no seu trabalho chegam a ter medo de você.

- O que você entende por medo, para mim é respeito, todos temos defeitos Marcelo existem coisas que não podem ser mudadas.

- Coisas do tipo ficar com você aqui no seu apartamento ou onde ninguém possa nos ver, no seu mundinho?

- Sabe que não é isso.

- Então me diga Thiago o que é? Pra mim está bem claro.

Abaixei a cabeça passando a mão no cabelo e Marcelo saiu do apartamento,

Me arrumei e fui pra revista, sabendo que tinha que enfrentar meu sentimento mais cedo ou mais tarde, e junto com eles todas consequências. Desviei o caminho e fui para o Colégio de Cauã. Pedi que o chamassem peguei na mão dele e levei para o partiu do Colégio.

- Meu filho papai vai te perguntar uma coisa e quero que seja sincero com o papai.

- Ta.

- O que você acha do papai namorar o Marcelo? Tudo bem pra você?

- Eu gosto muito, muito do Marcelo pai. Ta bom.

- É só isso? Papai vai contar pra todo mundo então, pode?

Ele balançou a cabeça fazendo sim, o beijei e fui pro trabalho.

- Bom dia Júnior, chama Kened pra mim.

- Já te aguarda na sua sala Thiago.

- Olha se Júnior ganhasse o seu salário você seria meu assistente, que agilidade em?

- Pois é.

- Aí caramba que foi?

- Thiago preciso que fique calmo, o que vou te mostrar é forte.

kened me entregou uma revista com uma foto de Marcelo deixando Cauã no Colégio, a foto foi publicada em uma revista da Cidade, estava escrito " Novo papai Cauã Monteleoni?", e todo um artigo falando das últimas fofocas envolvendo Marcelo,

- O que eu faço?

- Tem que Tomar uma atitude rápido antes que prossigam com as ameaças.

- Vou revelar pra todo mundo é o que posso fazer.

- Sim, fazendo isso você corta isso pela raiz, mas como fará isso?

- Liga pra sua amiga daquele jornal.

- Bianca?

- Sim, vou dar uma entrevista a ela.

- Tudo bem, eu Thiago vai a onde?

- Vou descobrir quem postou aquela foto do seu irmão na minha revista.

Fui até o T.I. quando entrei alguns de pernas pra com a outros comendo, ouvindo música.

- Sr. Monteleoni?

- Bom dia, preciso ver algumas imagens quem pode me ajudar? Ou estou atrapalhando?

- Comigo senhor.

Um rapaz só canto me chamou sentei em uma cadeira do seu lado.

- Preciso de imagens do dia 12 inteiro da sala de edição.

Assisti 4 horas de gravação até que descobri quem foi, um rapaz chamado Wander ex secretário da Eugenia, só me faltava ela estar por trás disso, agradeci o rapaz e desci até o andar onde o garoto ficava.

Ele estava sentado na mesa rindo à toa conversando com uma galera.

- Atrapalho?

Ele quase caiu da cadeira e todos se dispersaram, peguei nem seu braço e levei ele até a antiga sala dela, entrei tranquei a porta e joguei ele contra um móvel;

- Você vai começar a falar ou vou ter que sujar?

- Falar o que Thiago?

- Pra você é Monteleoni, e sabe muito bem do que estou falando.

- Não foi eu.

Passei a mão em um lustre que estava na mesa joguei em seu rumo mas não para acertar ele, e cheguei perto.

- Quem foi que mandou?

- Foi ela a Eugênia, ela tirou as fotos ela mandou colocar na edição.

Puta que pariu, aquela vaca!

Sai da sala e todos estavam olhando, afinal ouviram tudo, subi de escadas mesmo.

- Demiti o Wander, antigo secretário da Eugenia, e descobri o endereço daquela cobra.

- Thiago!

- Rápido Júnior.

Estou na casa do Editor Chefe da revista mais Badalada da cidade ele, Thiago Monteleoni ;

- Thiago boa tarde.

- Boa tarde.

- Thiago posso te chamar assim ou como seus funcionários chamam, Sr. Monteleoni?

- Pode ficar a vontade!

- A Fama de ser um chefe "duro" e severo não te assusta? Digo a forma que as pessoas veem você.

- De forma alguma, o termo severo e espelhando nos resultados da revista, eu somente coloco a revista para trabalhar no ritmo que ela é exigida.

- Muito bem, e isso não interfere no seu relacionamento com seu filho, quer dizer ser severo não intimida ele?

- eu não tem dei autorização para falar de Cauã.

- Desculpe, na mesma tecla de relacionamento, o que você tem a dizer sobre as notícias envolvendo o conceituado Pediatra Dr. Marcelo Liriato?

- Estamos se conhecendo, Marcelo é uma ótima Pessoa.

- Desculpe Mas Thiago você confirma os boatos?

- Não confirmo algum boato sequer, eu disse que estamos juntos.

- O Senhor e Marcelo Liriato?

- Sim(...).

A entrevista ainda teve algumas perguntas quando terminaram eles iriam saindo e Kened se aproxima para despedir.

- Essa entrevista além de alavancar a revista mais ainda, trará outro conceito de você.

- Escute...

- Já sei, nada de contar a Marcelo, ele vai ficar muito feliz com isso.

- Espero... Kened Obrigado!

Agradeci quando ele saiu;

- Clara eu to ligando para falar que a partir de amanhã vou levar e buscar Cauã no colégio!

- Eu posso fazer isso.

- Clara me escute tudo bem.

- Ta, mas não vai me contar o porque?

- Logo saberá.

Desliguei o celular e liguei para Junior.

- Junior!

- É o Thiago tudo bem?

- Sim, e com você.

- Chegue mais cedo amanhã, preciso falar com César antes que ele entre na sala dele.

- Aconteceu algo?

- Ainda não.

Eu sabia que tal entrevista iria abalar as pessoas perto de mim, infelizmente tinha que enfrentar de cara tudo isso, por mim e pelo Marcelo, nunca deixei de fazer algo na vida por medo, ao contrário se tenho medo eu enfrento, sempre foi melhor assim, em relação a minha família, mesmo sendo bastante unida mesmo sem entender eles aceitariam, afinal eu sou o “Rude” e “Invencível.”

Acordei cedo com o telefone de minha casa chamando, sabia que eram jornalistas, havia me esquecido de tirar do gancho tomei um banho daqueles sabem, que limpam a alma, para sair de casa e enfrentar os “leões” da vida. Desci de elevador pela garagem e quando sai tinha uns jornalistas na porta do prédio, na casa do meu filho também tinha jornalistas, novamente pelo estacionamento, Cauã estava atrás do sofá todo caladinho e quieto,

descemos e ele entrou no carro, estava assustado, com tudo aquilo.

- Pai o que ta acontecendo?

- Jornalistas meu filho, querem passar nos na TV.

Agora o colégio foi pouco complicado, tive que descer e levar Cauã, como tinha segurança me ajudaram. Já na revista foi complicado entrar no estacionamento.

- Ele já chegou!

- Está na sala dele Thiago.

- Licença, bom dia César.

- Bom Dia.

- Acho que te devo uma explicação?

- Não, afinal respeito você como profissional sua orientação sexual não me interessa, mas veja o lado positivo, houve um aumento de 40% nas bancas e procuras pela revista.

- Acha que devo dar uma entrevista para nossa edição?

- Não, os leitores vão ler os jornais e correr para comprar a revista, procurar algo sobre você, e melhor acessarem o site. Não sei se te dou um beijo ou mando sair da sala.

- Eu sei a resposta, com licença.

Sai da sala de césar tranquilo pela entrevista, indo para minha sala;

- Olha Junior se eu soubesse que teria essas dores de cabeça, pensaria novamente.

- Pensaria em que?

- Não leu as manchetes de hoje?

- Não.

- Você é secretario de um Editor chefe e não acompanha noticias?

- Desculpe é que...

- Se atualize.

Entrei na minha sala e Marcelo estava de jaleco e estetoscópio no pescoço bufando, ele me empurrou que eu cai no sofá, foi tão rápido que não tive reação.

- Thiago ficou maluco?

Ele veio e me beijou, meio sem jeito mas beijou;

- Não era o que você queria?

- Era, mais, e Cauã como está?

Aquela hora que Marcelo perguntou de como o Cauã estava, e não se preocupar só com ele, acho que devastou qualquer duvida que existia e minha mente, Era ele.

- Bem graças a Deus, digamos que com a benção dele eu fiz isso.

- Fico feliz por você, por ele, por nos.

Outro beijo, Marcelo faltava pular de alegria,

- Vamos jantar com Cauã hoje?

- Pode ser, mas agora a tarde vou resolver outro assunto.

- Posso saber que assunto é esse?

- Se te ligarem da delegacia vai saber.

- Thiago não vai atacar outro jornalista.

- Deixa comigo.

Nos despedimos e Junior fica na porta da minha sala.

- Então é isso?

- O que?

- Você e Marcelo?

- Sim, Junior é isso mesmo.

- O Dossiê que me pediu dele então era para investigar sua vida?

- Não.

- Mesmo depois de tudo que te falei você ainda escolheu ele?

- Não é questão de escolha Junior, você não conhece Marcelo e não pode falar da vida dele.

- Sabe que ainda gosto de você!!!

- Eu também gosto muito de você Junior mas algo entre a gente seria fora da ética do trabalho, sem contar com as regras da empresa.

- Sempre a revista não e mesmo.

- Não vamos mais falar nisso, licença.

Sai e fui para a revista onde Eugenia trabalhava, cheguei a uma secretaria e pedi para falar com ela, que logo foi me anunciar.

- Desculpe senhor ela está ocupada no momento.

Desviei da secretaria entrando na sala, Eugenia estava falando ao telefone;

- Desculpe Clauber tenho um assunto para resolver, te ligo mais tarde.

Disse ela desligando o telefone.

- Vejo que ainda está arrogante como sempre.

- Tenho que manter meus luxos, já você ainda continua por baixo.

- Veio fazer o que aqui?

- Te poupar de um serviço.

Falei jogando as fotos em sua mesa.

- Já contei o que queria desvendar para o publico. Ah e seu espião na revista foi mandado embora, já pode arrumar emprego pra ele aqui.

Sai batendo a porta e deixei ela se afogando no seu veneno. Já chegando na revista, parei na mesa de Junior;

- Junior por favor a chave da minha casa!?

- Como?

- Estou te pedindo a copia da chave da minha casa.

- Não está comigo!

- Não o que? E onde está.

- Não, é que não está comigo agora.

- Preciso dela agora.

- Está fazendo isso por causa da nossa conversa?

- Sabe que sou bem mais Superior que isso!

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia