• @richardsongaarcia

Sempre o Melhor Amigo - Segunda Temporada - Capitulo 6


#Luan


Eu estava no escritório quando saíram algumas viaturas;

- O que foi? Perguntei ao Thiago que saia para atender a ocorrência.

- Três baleados na praça cívica, pegue suas coisas, possíveis Óbitos.

Peguei minha arma e minha maleta, entrei na viatura e fui em direção ao local que era bem perto, chegando ao local já sem vitimas tinha muitos curiosos, e cheguei depois do resgate, olhando em volta, vejo o meu carro, pensei JEAN, nem terminei de falar meu celular chama;

- Onde estão? Logo perguntei.

- Luan indo pro hospital... Vitor disse chorando eu me apavorei na hora.

-  Thiago foi o Jean. Disse eu entrando na viatura e saindo para o hospital.

- Fecha toda área eu não quero nem mosquito voando aqui. Thiago deu a ordem vindo no carro atrás.

Cheguei no hospital Vitor estava com tanto sangue que eu me desesperei;

- O Jean, Luan tem que ajudar ele cara. Ele estava em chock, eu entrei na emergência e Thiago veio correndo o local só via policiais.

- Cadê as vitimas do tiroteio? Perguntava pra todo mundo.

- Um deles veio a óbito, os outros estão em cirurgia.

- Onde está? Eu perguntava como louco, a enfermeira me levou ate o corpo, e subiu o lençol eu respirei quando vi que não era o Jean, mas sabia quem havia feito isso, o garoto morto foi o que recebeu a ameaça no show da noite passada.

- Thiago fecha a cidade, ninguém entra ninguém sai, sem que se apresente documentação. Falei pra ele que logo deu a ordem, fui até a sala de cirurgia como não poderia entrar a enfermeira chefe se aproximou me barrando.

- Desculpe não pode passar.

- Pelo amor de Deus, meu irmão está la dentro, preciso saber como está?

- Como ele é? Mostrei meu papel de parede do celular  que era eu e ele é nossa mãe.

- Espere um pouco. Minha mãe gritava no corredor logo veio correndo eu a abracei;

- Cadê meu filho, Luan cadê seu irmão? Por favor meu Deus ele não.

- Mãe calma ele esta na sala de cirurgia... A enfermeira logo retornou;

- O seu irmão teve foi baleado no peito, a bala está alojada no pulmão esquerdo, esta sendo retirada agora, mas a cirurgia é delicada, ainda não tem como eu informar nada. Minha mãe só chorava, depois de 3 horas esperando, o médio se aproxima;

- Boa Noite, são a família do Jean Ribeiro?

- Sim, Doutor.

- Retiramos a bala ele está na UTI, para recuperação se tudo ocorrer bem, queira Deus no fim da semana ele vai para um quarto normal.

- Posso ver ele doutor? Perguntou minha mãe.

- Desculpe ainda não posso liberar a entrada da senhora, aguarde aqui por uns minutos.

Fui até o Vitor e Caio me abraçou ele tremia olhei e sua família estava lá, Larrisa me abraçou chorando e dona Marta nos deu apoio.

- Cuida dela pra mim cara. Eu estava muito mal com tudo isso, ele respondeu fazendo que sim com a cabeça, eu levei Vitor para pegar o carro e se trocar em casa;

- Vou investigar cada grão de areia daquela praça, mas eu encontro quem fez isso cara. Falei saindo com Thiago, voltamos ao local.

Toda a praça estava fechada havia alguns policiais fazendo a segurança enquanto eu fui até onde eles estavam sentados olhei pro meu carro que estava com Vitor e na direção possível que o cara veio, as testemunhas disseram que ele estava de capacete quer dizer tinha uma moto, no paralelepípedo havia terra, como se alguém veio e não colocou o tripé da moto e sim se apoio com o pé, peguei a terra do local, fiz uma moldura do formato do apoio tinha uma pegada, consegui a marca do pneu da moto, fui andando ate o centro novamente borrifando um liquido que apresenta pólvora, indicando disparo, quando percebi que foi bem em cima deles tipo uns 4 metros, meu coração doeu, e isso tudo com milhares de fotos de tudo. Thiago chegou me perguntando;

- E ai Luan encontrou algo?

- Uma pegada, vestígios de terra e vou ao necrotério pegar as balas do corpo.

- As do hospital estão aqui, inclusive a que atingiu seu irmão. Saímos e liberei a praça, quando entrei no carro olhei as câmeras;

- Thiago assim que puder pega estas imagens daquelas câmeras.

- Tranquilo.

Fui ao necrotério peguei as balas, quando sai a mãe do garoto estava em uma situação de calamidade do lado de fora;

- Por favor, encontre quem fez isso com meu filho. Ela disse se ajoelhando aos meus pés.

- Dou a minha palavra a senhora, que o culpado será preso e irá pagar pelo que fez.

- Meu irmão estava com o filho da senhora agora esta em uma cama de hospital entre a vida e a morte, já é uma questão pessoal pra mim. Ela me abraçou eu peguei o endereço dela e fui pro laboratório, fiz todos os procedimentos, e Thiago enviou as imagens das câmeras, que logo nos deu a placa da moto;

- Luan temos a placa.

- Beleza vamos nessa. Peguei meu distintivo e no pátio Thiago formou uma força tarefa para não deixar o suspeito fugir, seria cercado o quarteirão, em minutos estávamos la, eles invadiram e Thiago vem ao lado de fora e me chama;

- Essa é a moto.

- Vou levar ela também, preciso da arma mano pra pegar esse filho da mãe.

Entramos e ele estava sentado na cama, um policial falou pro Thiago;

- Comandante vamos levar esse inseto?

- Não, o Sargento Ribeiro vai conversar com ele. Entrei e não era o cara do show, mas cheguei dando um murro na cara dele que estava sentado caiu no chão, depois o subi e joguei contra um guarda-roupas que havia no local, os policiais olharam assustados, peguei ele no armário e joguei do outro lado do quarto que caiu no chão sangrando e desacordado;

- Soldado Alves acorda ele. Ordenou Thiago para um policial, que jogou agua nele que acordou assustado, sentou olhou pra mim branco, porque eu não falei nada só bati nele;

- Me da sua arma. Falei pro policial que estava com uma escopeta, ou 12, como queiram e para quem conhece sabe que é uma arma grande e assustadora, um tiro explode a cabeça de uma pessoa, apontei na cara dele e perguntei;

- Quem atirou?

- Rodrigo senhor. Ele com dificuldade disse olhei pro Thiago mandou pegar ele e colocar na viatura iriamos na casa desse Rodrigo, mas também me disse que fez uma varredura e não encontrou a arma, entramos nos carros e da mesma forma na casa desse Rodrigo, mas não estava lá, os policiais encontraram a arma que foi usada, e eu encontrei respingos de sangue na moto.

- Luan já tem todas as provas para incriminar o cara que pegamos, então?

- Thiago agradeço de coração cada coisa que fez até agora, mas eu vou achar esse Rodrigo vou colocar ele na cadeia nem que seja a ultima coisa que eu faça da minha vida.


#Caio


Nesta altura do campeonato o que eu poderia fazer era ficar com Luan, dar apoio à sua mãe e a ele, no dia seguinte ao ocorrido ele já tinha pego um dos suspeitos, o Vitor estava dando a força à sua tia, mesmo assim Vitor estava com um semblante de "assustado", eu sempre que podia ia ao hospital dar uma força a eles, a noite daquele dia Luan me liga;

- Ei tá onde?

- Em casa, tudo bem?

- Posso ir ai?

- Que pergunta Luan, claro por favor! Assim que chegou, sem falar nada me abraçou e começou a chorar, eu assustei na hora;

- Ei tudo bem?

- O juiz aceitou as provas que consegui e está descartada a possibilidade de pegar Rodrigo.

- Luan você sabe o que fazer, aproveita Thiago e pege esse cara.

Deitamos no sofá e ele pegou no sono abraçado comigo, eu liguei para uma lanchonete próximo minha casa e logo entregaram, chamei ele que comeu e tomou um banho,

- Acho que já sei Oque vou fazer.

Luan sempre me fez extremamente feliz, era só ficar perto dele qualquer pessoa caia na risada, vê-lo dessa forma me deixava apreensivo, despolis que ele terminou o banho eu estava na sacada, fui até o quarto e ele estava deitado com um boné aba reta.

- Onde arrumou esse boné?

- Ali no canto.

- Que cara é essa?

- Estou pensando. Quando ele terminou de falar seu rádio chamou.

- Atenção todas as unidades, se mobilizam na praça cívica. Sem entender liguei a TV no canal local e estava acontecendo aquela noite uma manifestação no centro da cidade, uma manifestação para que a polícia pegue os culpados pelo crime ocorrido,

- Não entende o porque, sendo que a investigação está percorrendo. Luan questionou se preparando, despediu e saiu.


#Luan


Meu celular chamou assim que cheguei no estacionamento;

- Luan o outro rapaz que foi operado entrou em óbito. Disse Thiago.

- Meu Deus, e a Manifestação?

- Mano na boa, a gente conversa assim que chegar no DP.

Eu sabia que a notícia não era boa, assim que cheguei Na Delegacia e no meio do batalhão saindo para contenção da manifestação fui a Thiago que me jogou um monte de papéis na mesa.

- Luan o nosso suspeito Rodrigo é filho de um empresário da cidade o irmão do prefeito, você sabe qual foi a ordem! Recebemos a ordem para fechar a investigação com o detido.

- E você o que acha? Perguntei já suando de raiva.

- Encaminhei a ordem ao superintendente do governos espero autorização para fazer a apreensão, ele está em casa tranquilo enquanto a outra família enterra seu filho.

- Agradeço! Pelo Jean te agradeço.

Fui no hospital ver minha mãe e Vitor, Jean já estava acordado e no dia seguinte iria ir para um quarto normal, eu dormi lá com ele aquela noite.

Na madrugada umas 06:00 da manhã Thiago me liga;

- Luan conseguindo mandato estou preparando tudo, estou te esperando. Sem falar nada desliguei e sai, chegamos e nos preparamos;

- Vai ser um gosto preencher essa papelada.

Chegamos no local, o primeiro comando entrou eu pedi para que sejam acionados os jornalistas, e fiz a invasão junto a Thiago Rodrigo estava em seu quarto dormindo, acordei ele com um chute, ele se levantou e seus pais entraram no quarto,

- Tira a mão do meu filho, você não tem provas contra ele.

- Tenho o suficiente para ums 25 anos de prisão. Rodrigo Borba Filho você está sendo preso pelo homicídio de Mikael Nunes Ferreira e de João Gabriel Dias, pela tentativa de homicídio de Jean Ribeiro. Ao sair ele foi escoltado até a viatura e retirado do local,

- Pensei que daria uma lição nele? Perguntou Thiago.

- E vou, ja tratei de sua transferência para capital onde não tem a família pra proteger e o outro vai ficar e sofrer por aqui mesmo, agora sim caso encerrado.

Pessoal história avançada na faixa de 15 dias e já estávamos voltando às rotinas, Jean em casa se recuperando, Vitor próximo a ir embora, Caio tirando forças deponde nem tinha para Luan.

Eu estava na casa de Caio e o pessoal do futebol ligou para irmos jogar, arrumamos e saímos bem rápido e chegadona Thiago estava no vestiário comprimentou de longue quando meu celular chama, era Vitor;

- Tá onde?

- Futebol, porque?

- Beleza vou ir ai com Jean, ele precisa sair um pouco.

Começamos a jogar e dentre 15 minutos eles estavam lá gritando, o Vitor como sempre animação pulava e gritava e brigava de longue Jean rachando de rir sentado quieto, ao fim da partida fomos pro vestiário e alguns enchendo Jean;

- Eai cara vamos tomar uma ali no bar da esquina? Disse Caio.

- Só se for com a sua irmã. Todos racharam de rir, e saindo de lá fomos uma turma para casa da mãe do Caio como sempre nosso local de encontro depois do futebol, Eu, Caio, Jean, Thiago é mais uns 7 da galera foram algumas meninas amigas e ficantes é claro só a zoação na piscina.


#Vitor


Eu estava na piscina conversando com Jean que estava próximo e Luan falando com Caio, quando vejo uma garota muito gostosa é linda vindo, cumprimentou e estava com os meninos eu fiquei vidrado nela, mas Jean mandou eu ficar de boa,

- Mano onde é o banheiro? Perguntei a Luan.

- Na primeira porta a direita.

Passei pela cozinha e entrei no banheiro do nada me deparei com um cara lá dentro, fiquei sem graça;

- Foi mal mano. Logo falei.

- De boa, se não importar fica a vontade. Disse ele indo em direção a pia se lavar.

- Que isso cara? Perguntou ele se apontando pra minha mala, que não estava duro mas sim meio bala.

- Foi uma gata ali na piscina. Disse eu dando uma pegada.

- Ah pensei que foi por minha causa. Disse ele fechando o short e saindo, eu lembrei que o vi ele com Luan durante as investigações, tecnicamente eu não prestei toda a atenção dele dessa forma, sai do banheiro com a pulga atrás da orelha, falei com Luan e me lembrou que era o Thiago e também vizinho de Caio.

Durante o decorrer da noite a maioria das pessoas se dispersaram,

- O que acham de um Narguilé? Disse Thiago em meio nós que estávamos ao redor da piscina.

- O que é isso? Perguntei, e todos riram.

- Cala a boca Vitor. Falou Luan rindo.

- Vamos vou te apresentar. Falou Thiago me chamando para ir com ele, eu o segui seguindo ele até o jardim, como era vizinho deles, era só passar por alguns arbustos Thiago a minha frente e eu logo atrás estava pouco escuro mas a lua iluminava com pouca luz, de repente ele parou virou para trás com uma mão na minha cintura e outra na minha nuca... Um beijo quente e forte, ele me segurava forte e seu cassete rossava em minha coxa. Quando terminou com um biquinho e nos lábios mordendo os lábios falou;

- Eu sabia que você me queria.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia