• @rgpatrickoficial

Sempre o Melhor Amigo - Segunda Temporada - Capitulo 5

Caio me deu uma olhada, e Jean abraçou Vitor falando;

- É de família Manolo. Fui pro meu quarto deixei minhas coisas e voltei pois Caio iria pra casa da mãe, ele subiu na moto antes de colocar o capacete comentou;

- Olha eu sei te achar lindo, e nunca vi ninguém como você, agora esse primo seu? Luan? Sangue dessa família é poderoso. Eu ri e deu um soco em seu braço.

- Pois é ele mudou bastante...

(Pessoal olha devido à quantidade de personagem vou abrir mais uma narrativa na história “Vitor” terá suas falas em nosso conto mesmo que sejam poucas, mas quero expor pra vocês também os pontos de vista dele, qualquer coisa comentam aqui em baixo).


#Vitor


Luan estava com o seu amigo lá de fora, eu e Jean jogando um game;

- Mano quem é esse Caio?

- É um Brother nosso cara tranquilo, de boa, sempre que precisamos está ai.

- Qual é o lance com o Luan?

- Os dois são como irmãos, estão sempre juntos.

- Saquei.

- Fora as festas... Cara as festa que ele organiza ou que ele está presente é coisa de outro mundo.

- Opa isso me interessa...

- Caio é conhecido na cidade inteira, tipo nós somos, por ser pequena todos se conhecem.

- E seu irmão?

- O que tem ele?

- Perito Criminal?

- Sim, parada sinistra velho, mas top mano. Assim que terminamos de falar Luan entra na sala;

- Então o que temos pra hoje?

- Como assim? Perguntou ele!

- Vamos ficar em casa, jogando a noite toda?

- E quer ir onde rapaz?

- Não sei, vocês que mandam.

- Boliche? Perguntou Jean.

- Já é. Falei concordando.

- Beleza vou tomar um banho. Luan saiu pro seu quarto deixando a porta aberta.


#Luan


Minha mãe chegou tarde do trabalho e conversou muito com Vitor, nos iriamos no boliche pra sair da monotonia, eu estava vestindo roupa no meu quarto, tipo estava de cueca box branca;

- Onde eu acho uma toalha? Vitor disse entrando.

- Acho que tenho umas aqui na segunda gaveta. Apontei pra ele e passou atrás de mim e deu um tapa na bunda, eu peguei a toalha a enrolei e bati na altura esquerda de sua coxa, ele pulou me xingando abaixou o short  tipo abaixou de lado até a cueca deu pra ver seu volume e sua bunda branca,

- Olha o que você fez seu viado. Disse ele me mostrando um vermelho na coxa, que fiquei com os olhos brilhando. Saiu correndo do meu quarto e Jean já estava pronto chamando a gente, fomos primeiro a uma pizzaria, logo depois ao Boliche ficamos algumas horas lá, foi muito bom e divertido Vitor e Jean eram animação pura, iguais crianças em festa, na hora de ir embora demos umas voltas pela cidade e estava acontecendo um show na cidade;

- Ei quem esta cantando ai gata? Perguntou Vitor para umas garotas que estavam passando na rua.

- É o Michel Teló. Responderam elas que estavam em três garotas e um cara, acho que gay.

- Demoro, então Carona? Vitor ofereceu carona para eles tipo a uma quadra do evento, elas aceitaram olhei pra ele rindo e se apertaram lá atrás e quando entraram no carro.

- Ai meu Deus, Luan Ribeiro? Uma loira linda que estavam com eles perguntou, eu tipo fiquei sem graça ao responder.

- Sim, prazer. Quando ela foi me beijar virou o rosto e me deu um selinho, fiquei sem graça, e todos riram Vitor só deu uma piscada, bem entramos no show e no meio da bagunça fiquei conversando com as meninas que foram se dispersando, quando olhei de longe vejo Vitor tirando foto com o cara que veio conosco.

Ele se chamava Fabio e eu já tinha certeza que era gay pelo seu jeito, cheguei perto deles, meu primo fez questão de olhar de cima a baixo e passar a língua nos lábios, eu rindo e falei;

- Viu o Jean? Eu o perdi. Perguntei falando no seu ouvido.

- Estava com uns garotos mano, tipo malas sabe. Deve ser os amigos dele, eu terminei de falar Larissa chega e pega forte no meu braço.

- Luan... Ela estava branca.

- Oi gata. Disse o Vitor chegando perto dela todo com a cara lerda.

- Oi. Respondeu com um sorriso pra ele e logo retornou a mim. É o Jean, vem. Falou me puxando olhei pro Vitor.

- Eu juro que mato ele. Que  sorriu e correndo no meio da galera, tinha um cara peitando meu irmão, ele estava de boné aba reta camisa grande tipo mala, havia uma galera tipo abriram pensando que era briga eu cheguei e fui direto no Jean, fiquei na frente dele empurrei o cara que era pouco menor que eu, o empurram foi tão forte que ele caiu no chão na frente dos amigos dele, Vitor chegou e ficou do meu lado, tipo protegendo Jean;

- Vou te pegar sozinho, vai me pagar caro mano, você também Mikael. O cara ainda ameaçou meu irmão e apontou o dedo na cara de um garoto que estava do meu lado, como ele era menor que eu peguei na gola de sua camisa, e o levantei.

- Encosta a mão nele que vai ser a ultima coisa que faz na vida. Colocamos eles pra correr e passei o braço em Jean,

- Não fala nada porra, vamos embora. Vitor estava estranhamente feliz ele pulava e ria todo alegre.

- Mano que loucura, você quase brigou cara.

- Cala a boca e vem aqui. Passei a mão e o abracei fomos em direção ao carro, peguei o celular e fui agradecer Larissa, e acalma-la, quando olho cadê o Vitor.

- Cadê aquele viado? Falei pro Jean.

- Lá. Ele apontou o dedo pra uma lanchonete que estava fechando.

Galera ele estava tomando Açaí com uma moça, tipo ela estava tomando ele chegou e pediu na maior cara de pau, cheguei lá ele estava no maior papo.

- Vamos? Cheguei meio sem graça pegando no braço dele, saímos e ele todo feliz.

- Mano que top foi essa noite!

- Não sei por que essa felicidade. Disse eu indo em direção ao carro, Vitor passou a mão no meu ombro como se fosse contar um segredo e falou.

- Beijei uma gata, e ainda fiz aquele viado me chupar. Olhei pra ele.

- Nossa isso tudo essa noite?

- Fora a quase briga de seu irmão, Luan vocês tem tanta sorte, eu não saiu assim em SP, é foda mano, ISSO AQUI É UM PARAÍSO. Falou ele gritando pra todo lado.

- Entra no carro Paraíso.

Jean estava no celular lá dentro, falando dos caras que encararam ele, que tipo são barra pesada, mas eu havia colocado moral quando cheguei, mesmo assim pedi ele pra tomar cuidado. Chegamos em casa e Jean iria dormir lá como minha cama era de casal e no quarto dele tinha só uma de solteiro Jean e Thiago dormiram no meu quarto e eu no quarto do meu irmão, foi deitar logo peguei no sono.

No dia seguinte bem cedinho acordei cedo sentindo uma respiração quente no meu pescoço, subindo ate meu rosto;

- Acorda bela adormecida. Era Vitor deitado do meu lado, ele falou bem próximo minha boca.

- Que isso mano! Sai Fora.

- Luan acorda! Eu to brocado, vai preparar algo pra gente!

- Me acordou pra isso? Perguntei já bravo.

- Zuando... Vamo sai dessa cama vamos tomar café não quero comer sozinho. Levantei e para ir ao banheiro passei pela cozinha a mesa posta, louças lavadas, parei olhei pra trás ele encostado na parede me vendo andar.

- Você fez isso?

- Foi mano, ta achando que o playboy aqui não é prendado? Hahaha’.

- Cadê todo mundo?

- Sua mãe dormindo e Jean foi para o trampo.

Escovei os dentes me lavei, e estava de short preto de futebol, tomamos café e conversamos bastante, ele me contou como era a vida em SP, peguei meu laptop e uma tigela de cereal sentei no sofá, e Vitor tirou a mesa do café  e ligou a TV sentou ao meu lado;

- Luan...

- Fala! Olhei pra ele.

- Se não fosse meu primo eu te pegava cara!

- Você é gay? Perguntei sendo sarcástico.

- Não.

- Mas parece.

- Estou zuando rapaz, não sabe brincar?

- Sei não viu. Falei brincando com ele.

- E se fosse, você ficaria comigo? Vitor perguntou eu olhei meio sem graça e respondi.

- Não, até porque você não daria conta disso tudo aqui. Falei pegando no meu cassete e riu e joguei uma almofada nele e fui tomar um banho. Liguei para Caio que estava no trabalho;

- Será que tem alguém ai com saudades minhas? Perguntei pra ele que estava com uma voz cansada.

- Sim gato, nossa ontem Larissa me deu o bolo, ficou um pouco la e casa e saiu para um show.

- É eu sei, vi ela lá ontem.

- Viu, como assim? Vem falar que foi com Vitor?

- Sim e Jean.

- Fica esperto não meu gato, seu primo só de olhar sei que ele é um puto.

- Caio para, te falar quando eu sair do trampo vou na sua casa ok.

- Tudo bem te espero.


#Caio


Quando sai do trabalho, fui direto pra academia depois para casa, tomei um banho ajeitei tudo e decidi descer pra área de piscina do prédio e brincar com Homie.

Depois de alguns minutos eu vi em meio as pessoas, Jean e Vitor vindo em minha direção;

- E ai Caio, Beleza? Cumprimentei Jean.

- E ai! Falou disse o Vitor.

Fomos pro meu apartamento e quando entramos o Vitor;

- Que apê top mano, está parabéns. Falou olhando pra cima como bobo.

- Valeu cara. Conversamos sobre o show que foram na noite passada e Luan entra sem bater do nada, os meninos olharam Luan encarou sem reação;

- Não sabia que estavam aqui! Falou ele quebrando o gelo.

- Se nós ou ele estava aqui? Perguntou  Vitor sendo curioso.

- Não sabia que você Vitor e Jean estavam aqui.

- Hum você tem a chave da casa do Caio cara? Meu irmão me questionou sobre as chaves.

-  Caio deixou lá em casa quando foi lá, e vocês oque fazem aqui?

- Só dando umas voltas com Vitor, passou o dia visitando tias dai chegou em casa e decidimos vir aqui.

Ficamos conversando e jogando vídeo game, eu e Caio mega sem graça, quando o celular de Vitor chama ele sai desconfiado para atender ficou na copa todo feliz falando ao celular, de repente ele retorna falando pro Jean;

- Vamos?

- Vamos, mas já oque foi? Esta de rolo?

- Tenho uma parada daqui a pouco.

- Aiaiai’ nem chegou e já esta assim. Falei pra ele rindo.

- Então vamos que eu vou ir na praça ver umas gatas. Disse Jean me abraçando achei pouco estranho mas beleza.

- Cuidado mano, tu viu ontem no show. Falou Vitor.

- Não de boa cara. Respondeu ele.

- Você vem Luan? Vitor perguntou tipo você vai ficar aqi sozinho com Caio.

- Não volto a trabalhar logo mais, só passei aqui.

- Então falou pra vocês. Os garotos foram embora logo em seguida.

- Ele está afim de você! Falei pra ele com ciúmes.

- Isso é coisa da sua cabeça. Disse ele beijando, ele tirou a farda e deixou de lado,

- Estou preocupado com Jean, ontem os caras eram da pesada gato.

- Fica de olho nele Luan, você sabe que pode e ainda tem o Thiago ele consegue ficar em cima.

- Poise gato tenho que pensar assim.

- Escuta tenho que ir, o laboratório não pode ficar muito tempo só.

- Tudo bem, vou na minha mãe dormi lá ela está gripada, então fico como você. Luan foi embora, fui à casa de minha mãe.


#Vitor


O Julio cara que me chupou no show me ligou falando que estava só em casa e Tals, falei que iria pensar e ligava pra ele. Em São Paulo não tinha esses caras de boa como aqui, que curtem um sexo sem compromisso, os  poucos que tem são frescos demais não vale a pena, eu estava na seca, só batendo uma punheta mesmo pra satisfazer, o cara vai e me promete dar o cuzinho dele pra mim, fiquei louco, cheguei em casa e pedi minha tia o carro emprestado, liguei pra ele que me explicou onde morava;

- Tia onde fica o Banco do Brasil. Eu não sabia ela me explicou dai demorei mais cheguei ele estava na sacada com um sorriso safado que meu pau subiu na hora;

- Eai beleza! Cumprimentou ele apertando sua mão.

- Saudades?

- Sim, da sua boca principalmente. Subimos e foi só fechar a porta do quarto que peguei em sua bunda com força, ele se virou enquanto eu tirava a camisa, olhou pra minha barriga e eu fui pra cima dele caímos no sofá ele foi foi tentar me beijar;

- Eu não curto beijo falou. Falei passando a língua sobre seus lábios,

- De boa, assim fica mais safado. Me levantei peguei pelo seu cabelo e coloquei em frente à Meu short enquanto eu abria com a outra mão, ele mordeu minha cueca e passava a língua por cima do meu cassete, tirei o short e desci a cueca sentei no sofá e deixei a mostra pra ele ficar a vontade, nossa que boca era aquela, meu cassete tem uns 18, 19 cm, ele fazia uma garganta profunda que me levava a loucura, ele descia ate a base do meu cassete eu rebolava levemente para sentir cada vez mais, não consegui e gozei dentro de sua boca, acabei sujando o canto de sua boca com minha porra, abaixei passei a língua limpando e abri sua boca cuspindo dentro dela, ele engoliu e foi no banheiro se limpar e voltou com uma cara lerda;

- Tem mais alguma coisa ai pra mim?

- Ô se tem, vem aqui encapa seu brinquedo e senta nele, vem. Julio pegou uma camisinha colocou e cuspiu bastante, eu estava sentado meio que deitado ele subiu e sentou quando vi que meu cassete se encaixou na sua entrada, eu soquei de uma so vez, ele gemeu se levantando, dai eu levantei coloquei ele de quatro no sofá e coloquei meu cassete de uma vez novamente fazendo ele chorar de dor.

Depois de umas estocadas fortes ele ja gemia de prazer, eu peguei seus braços e coloquei pra trás dando tapas fortes em sua bunda, deixando ela vermelha, depois de fazer ele gemer no meu cassete, de frango assado eu metia fundo em seu cuzinho, que ate eu gemia com tanto prazer, abracei ele metendo com força ele me xingava todo dava tapas em minha bunda e me marcava com suas unhas em minhas costas, subi segurando suas pernas, uma seção frenética de estocadas que ele gemeu alto, eu segurava sua perna com uma mão e punhetava ele com a outra, gozei novamente igual louco dentro dele, Julio ainda não havia gozado então eu continuei metendo nele dei uns tapas na sua cara e gozou comigo ponhetando, sujou minha mão ele pegou e limpou meus dedos com a língua;

- E ai curtiu? Perguntei levantando ele e tirando a camisinha.

- Estou em êxtase ainda, você é um puto muito gostoso.

Tomei um banho conversamos e decidi ir embora, sai de la e passei em frente a uma praça no centro da cidade, e vi Jean, parei o carro e fui até ele. A praça tinha tipos caminhos para não pisar no gramado e ele estava no meio com 3 amigos, eu ia em sua direção mais em outra passarela tinha outro cara de capacete que também estava indo na mesma direção ele estava de blusa de frio, os garotos olhavam para mim  quando esse cara se aproximou tirou uma arma e fez 6 disparos a queima roupa todos os três caíram, inclusive Jean.

- JEAN. Gritei correndo na direção deles, algumas pessoas de longe logo chegaram, havia tanto sangue eles estavam caídos como cadáveres, eu tremia todo, uma moça chorando ligou pra emergência,  eu sentei e abracei Jean pedindo pra ele;

- Fica bem cara, respira, respira. Em minutos chegou algumas ambulâncias e a policia, eu fui com Jean pro hospital, pedi o cara da emergência ligar pro Luan.

11 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia