• @richardsongaarcia

Sempre o Melhor Amigo - Segunda Temporada - Capitulo 3

- Você tá maluco! Falei meio sem graça.

- Beleza estou-te Zuando. Eu já estava todo perdido ele me olhava com a cara de como havia falado antes, “eu sei pode falar”, a conversa se voltou para o futebol e depois de algumas horas fomos embora, chegando em casa liguei para Caio;

- Oi!

- Oi, saudades... Disse ele com um tom diferente.

- Tudo bem? Perguntei.

- Bem acho que vou ter que viajar tipo durante dois dias, acompanhar um processo de perto.

- Não gato tudo bem, tranquilo.

- Se realmente confirmar, te aviso tudo bem.

- Ok, gato.

Bem galera, Caio realmente teve que viajar, e durante a viagem dele eu recebi a confirmação do resultado do Concurso.

Minha mãe chegou cedo ao meu quarto abraçando o telefone;

- Luan, meu filho, Luan!

- Oi mãe!? Acordei muito assustado.

- É pra você. Ela quase jogou-o telefone em mim, kkkkkk.

- Alô? Disse eu disfarçando a voz.

- Luan Borges?

- Sim é ele.

- Luan meu nome é Adão e ligo referente à prova Federal que se submeteu, ligo para informar o resultado, não é de costume, mas seu caso está entre os quinze que se saíram melhores, sim você foi o nono colocado, Meus Parabéns. Tipo eu não conseguia falar só respirei ao telefone e a lágrima desceu, minha iria morrer ao meu lado.

- Luan você receberá as cartas e contratos pelo correio. Eu só concordei, quando desliguei o telefone abracei minha mãe chorando muito mesmo, estava em chock. Logo recebi os contratos e um monte de papelada, levei para Caio analisar ele leu ficou pensando e me respondeu;

- Amor é o seguinte, você terá a oportunidade de fazer os exames e treinamentos tipo Balística, instruções para interrogatórios e investigação os treinamentos tem o tempo de 300 horas aula, é como um intercâmbio, e tudo isso na Califórnia - Estados Unidos.

- Oque acha? Perguntei-o que não me parecia muito feliz com Oque tinha lido.

- Luan se seu sonho é ser um Perito, essa aqui é uma chance única, gato somente 20 do país inteiro e você é um deles, não pode deixar passar. Abracei ele é conversamos mais um pouco, fomos juntos embora, cheguei a casa e fui pro banho, Caio me esperou no quarto.


#Caio


Estava de cabeça quente do serviço pois tinha pegado um caso complicado e complexo demais para mim, e com Luan agora não sabia O que pensar se estava muito feliz ou pouco triste por ele ficar uns dias longe. À campainha de sua casa chamou como sua mãe estava na cozinha atendeu, e bateu na porta do quarto;

- Meu filho tem um amigo de vocês ai na sala. Disse ela pra mim, fui ver quem era;

- Ah é você! Falei quando vi Thiago.

- Hum bom tiver também, mas está com ciúmes do Luan como da sua irmã?

- Não brinca comigo garoto. Falei fechando a mão, com raiva.

- Já chega os dois, parecem crianças, fala Thiago você aqui essas horas, tudo bem? Luan chegou todo charmoso e de conversinha pra cima dele, fui pegar as chaves do meu apartamento e eles começam a gritar na sala, pensei comigo, ”por favor, tudo menos que ele vai viajar também”.

- Caio, Thiago foi aprovado também! Luan veio me contar, estava bem animado.

- Poise alguém teria que ser o vigésimo não é? Ele falou sorrindo e a mãe de Luan veio e também entrou na conversa eles estavam super animado, fui à cozinha tomar uma água e fui embora sem me despedir, eu morava mais ou menos uns 2 km de Luan em minutos estava em casa, ele me ligou durante todo o caminho, eu estava de cabeça quente não atendi tomei um banho e liguei pra ele.

- Oi!

- Caio... Você foi embora sem se despedir.

- Desculpe não queria atrapalhar vocês.

- Não tá gostando nadinha dessa história de viagem não é mesmo?

- Não, é se eu pudesse iria com você, mas não posso, e pra piorar tem o exibido que vai junto, quer mais alguma coisa?

- Quero confiança Caio!

- Luan em você eu cofio, mas não confio nele.

- É a mesma raiva que eu tenho quando vejo Leonardo.

- Desculpe!

- Estamos brigando igual aqueles casalzinhos virgens sabia.

- Virgem?

- É. Conversamos sobre tudo sabe durante uma hora, e pegamos no sono juntos.

No dia seguinte acordei bem cedo, fui para a academia que estava vazia, tinha a recepcionista e o Personal treinando sozinho, iria malhar perna e ele também estava no mesmo treinamento, se propôs a revelar comigo, um ajudando o outro, e durante os exercícios havias poucas conversas;

- E as garotas Caio? Namorando?

- Não, eu estou meio apaixonado sabe como é!

- Sei digamos pouco chato, ficar apegado uma pessoa e ter que confiar e sofrer com escolhas difíceis.

- O que disse?

- Não concorda?

- Ahan. Ele tinha uns comentários estranhos e quando iria me auxiliar suas mãos eram quentes me deixavam pouco sem graça, aliás, ele tinha o corpo perfeito.

- Chuveiro?

- Já é, tenho que ir pro escritório. Tomamos uma ducha, os chuveiros eram separados por vidros embaçados, não dava pra ver a não ser que olhasse diretamente pro Box ao seu lado, eu não tenho vergonha e sou pouco safado, às vezes eu faço tão natural que nem percebo, sai do Box pelado me sequei e me vesti tranquilamente na sua frente e ele se aproximou e olhando no meu olho disse;

- Seu corpo está cada dia mais perfeito sabia!

- Valeu...

- Posso te perguntar uma coisa?

- Sim!

- Já sentiu algo por algum cara antes? Ou agora? Ele estava se secando com o pau a mostra, estava olhando no fundo dos meus olhos que se eu mentir ele saberia.

- Sim já comi uns vizinhos na época do colegial, por quê?

- Não, Nada... Eu também. Ele falou rindo, eu logo me despedi e sai.

No caminho do trabalho fui pensando, caramba tem gays em todo lugar, ou é só comigo? Ou talvez os heterossexuais estejam curiosos demais? No trabalho normalmente até Luan me ligar;

- Eai beleza?

- Sim, que voz é essa. Perguntei.

- Gato recebi as passagens.

- Mas já, e para quando são?

- Segunda-feira embarcamos! Brasília, Rio e depois Estados Unidos.

- Caramba Luan, como eu vou cozinhar nesse tempo? Perguntei com a voz rouca, ele não responder só chorou do outro lado me xingando.

- Viado olha como me deixou!

Eu ri e tive que desligar, pois a secretaria entrou e eu tinha trabalho, despedi dele e tive que trabalhar até tarde aquele dia, sai já era 19h00min da noite, fui pra casa com a cabeça cheia, quando cheguei à porta do meu apartamento eu percebi que estava destrancada, fechei o olho e pedi “que não seja Leonardo, por favor,”, foi até engraçado. Era Luan cozinhando eu entrei e ele gritou lá de dentro;

- Espera! Não mexa! Estava entrando na cozinha.

- Tabom.

- Pronto, Tharaaam! Gritou ele me mostrando o prato feito.

- Vai trocar de roupa tomar um banho que vou te ensinar a fazer um igual a este. Disse ele me conduzindo de costas até meu quarto.

- Anão Luan, quero sexo não quero cozinhar.

- Pra ganhar um tem que fazer o outro.

Tomei um banho, fui à cozinha de toalha e ajudei-o um pouco com as panelas.

- Se alguém perguntar, você estava de avental, só deixei porque você é muito gostoso de toalha. Ele me Zuando, eu rachava de rir de Luan, sempre quando estávamos juntos era só alegria, ele era um tremendo palhaço.

- Está pronto! Falei o chamando que estava lavando a louça.

- Espero que esteja bom, se não nada de sexo.

- Ou não me falou nada sobre isso, eu te processo tá ligado.

- Ai ai ai vai vestir roupa logo, vai, leva essa bundinha gostosa pro quarto.

- Não fala assim comigo. Gritei de longe.

Durante o jantar eu me sentei e olhei pra ele fiquei pouco emocionado;

- Quando estou com você, não existe mais nada ao meu redor, problemas, pessoas, serviço nada sabe você não tem ideia o quanto me faz bem.

- Te amo!

Trocamos algumas carícias jantamos, depois de escovar os dentes fui pra sala, estava passando um filme de comédia romântico chamado “Amizade Colorida”, assistimos juntos até pegarmos no sono.


#Luan


Na manhã seguinte, acordei pouco mais cedo que Caio, preparei e levei seu café na cama, quando o acordei ele olhou primeiramente assustado, mas logo abriu um sorriso;

- Posso me acostumar com isso sabia. Disse ele enquanto nos beijávamos. Mas voltou seu semblante e falou. É hoje não é?

- Sim, daqui umas horas.

- Não sei como vou fazer sem seu café forte e doce toda manhã.

- Para tabom. Falei abraçando ele, trocamos carícias durante um tempo com mais conversar ficamos ali durante uns 40 minutos, me despedi dele com um último beijo, lento, doce e romântico.

Em casa eu já sentia sua falta enquanto arrumava os últimos ajustes para viagem, minha mãe e meu irmão Jean me aguardavam, com tudo pronto fomos para o Aeroporto, lá encontrei Thiago que assim como eu estava meio que em lagrimas se despedindo de sua família;

- Meu filho vai ser por pouco tempo, e lembre-se está indo realizar um sonho. Foi às palavras de minha mãe que estava certa, eu sonhava com aquele momento, é com a oportunidade que eu tinha era única;

- Cuida dela Jean, te amo cara!

Pronto saiu de minha boça as últimas palavras se despedindo, mesmo sabendo que não seria para sempre... Vi-me ali dentro do avião com a cabeça apoiada entremeio a janela assistindo minha vida passar diante dos meus olhos e esperava que fosse revigorante, para mim, para o Caio e também a minha família...

No voo dava para distinguir quem estava ao mesmo propósito que eu e Thiago, depois de horas de viagens desembarcamos no aeroporto e depois de toda a burocracia da Alfândega, havia tipo uns policiais nos aguardando, entramos em dois micro-ônibus tinha uns 17 brasileiros, mais um longo percurso decorrido e até o momento nenhuma palavra, quando paramos Thiago me cutucou;

- Mano te prepara!

Aquilo não era o treinamento do BOPE, mas também não ficamos em hotel tudo bonitinho, com um discurso inicial o comandante nos informou que iríamos ser treinados como os Forenses americanos, primeiro teste de 3 dias de sobrevivência, levariam nosso corpo ao extremo e assim foi feito, de escaladas a corridas e travessias de rios entre outros, passado o terceiro dia, fomos para uma estação tipo de Balística, depois laboratórios de física, química, biologia e até zoologia, após uma semana sem dormir e comer direito fomos encaminhados para tipo repúblicas, onde eu fiquei foram eu Thiago é mais 5 caras ficaríamos ali por um mês. Na república era mais tranquilo depois de todos os treinamentos eu já estava pronto e com sede para ir pra “rua”. Assim que pude falei com minha mãe contando tudo, falei com Caio nossa como era bom ouvir a voz dele de criança sem pai, todo mimado, falei que deixaria meu facebook atualizado para ele me “acompanhar”.

Fomos separados de acordo com nossas destinações, a minha seria investigação eu iria no local do crime e também parte no laboratório, já os outros somente no laboratório como cientistas malucos, kkkkkkkk’. No Instituto de Criminalística fui apresentado a Clara, era uma Forense que me treinaria em campo, no caso na rua. Logo de cara ela já me entrega um colete falando;

- Estou finalizando um caso, não posso te colocar nele, mas pode acompanhar. Falou ela entrando no carro de polícia e fazendo sinal para outros carros.

Ao chegar no local era tipo aqueles hotéis de dois andares chegamos em silêncio, coloquei um comunicador o distintivo e quando sai do carro o outro policial falou para Clara;

- Vai deixar o novato sem arma?

- Entrega uma pra ele. Acho que ela não gostava de mim, o cara me entregou uma sub metralhadora, olhei assim tipo estavam todos calados como seguia o treinamento eles invadiram e pegaram o suspeito quando Clara desceu e me viu com aquela arma daquele tamanho com cara de “policial”, ela puxou com uma mão;

- Que idiota te entregou isso? Não vai fazer merda novato. Eu achava que ela era homem, muito bruta e mandona, depois disso fomos pra delegacia ela preencheu uma papelada e depois fomos pro Instituto lá ela me colocou pra preencher mais um livro. Cheguei morto em casa, Thiago chegou logo em seguida;

- Mano To morto cara, preenchi papel o dia inteiro, ficou com quem?

- Clara!

- Puta merda eles falaram muito mal dela, tá fudido.

- Nem fala... Contei pra ele sobre tudo e conversamos muito. Antes de dormir eu postei uma foto, claro né que eu tirei uma foto com toda aquela pose e aquela arma, kkkkkkkk’.

As semanas seguintes foram assim toda correria, Clara está indo com minha cara, eu estava pouco “longe” de Caio, é bem próximo a Thiago até demais. Na quarta semana recebemos as passagens para Las Vegas, para darmos a finalização no treinamento, lá foi perfeito desde a chegada, os alojamentos tudo, ficamos próximos a avenida mais famosa avenida da cidade a “The Strip” no primeiro dia estava livre então claro, fomos pra bagunça, eu e Thiago fomos a um pequeno cassino, e lá havia shows todos os dias, chegamos lá era umas quatro da tarde entre as bagunças me deram uma bebida verde florescente, acho que tomei umas três doses do líquido, que foi como fogo, Thiago estava louco eu nem se fala, conversamos com umas garotas elegantes e tudo mais, lembro que no fim da noite só eu consegui levar a garota pro local onde estávamos, foi aí que eu dei a maior mancada, eu estava tão louco que contei pra ela que era gay, que gostava de um cara no Brasil, contei o porquê estava lá, eu desenhei minha vida pra ela que curtiu, o problema foi que Thiago estava Com a gente também, eu não estava bêbado mas pouco ruim, chegamos a tirar fotos com minhas armas.

Ela dormiu no sofá enquanto conversamos tipo do nada, tentei me levantar e fui pro banheiro tentei urinar e acabei me sujando, tive que tomar um banho, foi difícil mas consegui, sai do banheiro de toalha e fui pro quarto estava frio pra caralho depois daquele banho, Thiago veio no corredor olhou dentro do quarto dele e me falou entrando no quarto;

- Tem lugar pra mim ai? Tem uns folgados no meu quarto.

- Mano só se for no sofá.

- Luan olha o tamanho dessa cama. Disse ele pulando nela.

- Vaza.

- Porque mentiu pra mim? Não sou seu brother?

- Menti o Que cara? Falei vestindo roupa.

- Que curti caras também? Pelo menos foi Oque disse na sala pra garota. Eu estava pouco alterado mas sabia da seriedade do que havia falado.

- Você tá maluco, pior que eu!

Thiago se levantou tirou a camisa que estava, ficando somente de calça Jeans caindo na altura da bunda dele o cabelo bagunçado e tinha uma cara de lerdo, ele se aproximou tipo que iria me encarar;

- Eu sei que tu gosta disso! Thiago falou colocando minha mão sobre seu cassete duro em cima do jeans.

- Cara eu posso até curtir, mas não o seu! Falei me virando e saindo, ele me puxou pelo braço bem forte;

- Qual é Luan, ninguém precisa saber.

- Mano na boa, eu vou saber! Tu é gato, é muito top, mas não rola beleza? Falei fazendo sinal para que ele saia do quarto. Fechei a porta falando baixo “- porque isso só acontece comigo?”, deitei na cama e tipo no dia seguinte teria que acordar muito cedo então eu dormi poucas horas. Acordei como um zumbi nossa a cara estava horrível, iria passar o dia na rua e tinha que ficar mais ligado, foi complicado cheguei à noite e  só  queria minha cama;

- Foi mal por ontem! Falou Thiago na porta do meu quarto!

- Tranquilo, só não faça de novo beleza se não eu não resisto!!! Falei Zuando ele que saiu sorrindo.

Eu falava com Caio quase todos os dias, ele dizia que estava bem más caramba dava pra ouvir sua saudade no tom da voz, minha mãe da mesma forma, eu não transmitia porque se não eles se preocupariam.


#Caio


Falta de Luan era pouco eu estava louco sabe, mas estava me esforçando pois sabia que estava sendo bom para experiências pessoais, já eu só trabalho e casa, não saia pra academia, balada ou Algo do tipo, estava estudando nas horas vagas e trabalhando até tarde.

Em uma sexta-feira eu estava na sala e ouvi risadas no corredor do lado de fora, me levantei olhei pelo olho mágico da porta era Jean irmão de Luan, estava tirando fotos ali bem em frente à porta do meu apartamento;

- Mas que porra é essa aqui? Abri a porta perguntando bravo.

- Pô mano foi mal, eai gata vamos embora sujou aqui. Jean falou abraçando Larissa e indo em direção ao elevador.

- Tenho Vodka! Falei fechando a porta.

- Já é maluco. Falou ele me abraçando entraram e eu peguei um pote de “Nutela” estávamos nos acabando nela;

- Caio tem um Lual hoje a tarde e você vai! Falou Jean.

- Faz isso não mano, estou trabalhando..

- Cara eu tenho umas tretas nessa festa e você tem que ir pra me ajudar. Disse ele se referindo a garotas.

- Vocês são nojentos sabia, ouvi falar esses dias na rua que nossas famílias é a que mais arrasa coração nessa cidade, com os três mais lindos e eu é claro. Larissa disse dando uma voltinha, Jean pegou na bunda dela falando;

- Só não pego você porque...

- Porque eu te mato? Perguntei e Larissa começou a rir.

- Não pô, porque considero pra caralho vocês dois.

Pessoal Jean com certeza era o mais lindo de nós, era o tipo tal carinha fofa, só a cara mesmo, ele pegava só as top da cidade eu e Luan não ficávamos muito atrás, Jean era a parte perfeita de Luan multiplicada.

Eles me convenceram a sair e foi até bom lá encontrei vários convencidos e aproveitei pra exibir meu corpo para os invejosos, pra completar até o DJ era meu amigo, fiquei lá em cima, tirei até foto, kkkkkk’.

Bem depois de tanta bagunça fomos embora deixamos Jean que dormia no carro com Larissa e decidi ficar na minha mãe essa noite, no dia seguinte acordei peguei uma xícara de café e fui pro jardim sentei nas escadas e fiquei lá pensando no nada, esse nada que para mim tem nome e sobrenome...


0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia