• @rgpatrickoficial

Sempre o Melhor Amigo - Capitulo 7

- Desculpa! Preciso falar com você! Ele estava um pouco abatido e fechando a camisa, eu realmente me assustei. - Vou escovar os dentes. Entrei no banheiro escovei os dentes lavei o rosto passei uma água no cabelo, ele estava sentado na cama, eu sentei ao lado dele ligando o Notebook. - Percebi que não falou comigo na festa ontem. - Me desculpa nem me dei conta. - Por tudo que aconteceu desculpa por interferir dessa maneira na sua vida, eu realmente não queria. Allan dizia isso com uma voz rouca de choro, mas logo percebeu que não me afetei com sua encenação. - Cara na boa, você não tem nada a ver com minha vida, percebeu que Eu e Caio tínhamos um lance, mesmo assim isso não te interessa, outra eu sou legal com você porque te acho uma boa pessoa, tem qualidades que eu acho maneiro. Sabe e já me conhece desculpa pela sinceridade. - Nada, estou me acostumando com isso, com sua sinceridade e com seu orgulho, mas e a gente como fica? - Perai como é que é? - A gente... - Allan escuta você é bonito, inteligente , realmente te curto kra mas não rola nada entre a gente e nunca rolou. - Percebeu que estou gostando de você. - Desculpas então PARA, pois vai sofrer, eu quero esquecer isso, não está fácil pra mim, estou tentando correr de todas as formas, acho que é uma forma de meu coração se proteger pois esse aqui já apanhou pelo meu emocional e racional. Amigos? Perguntei ele com convicção. - Vou tentar! Allan respondeu meio cabisbaixo, o abracei e baguncei seu cabelo. - Na verdade vim até aqui pra te chamar até em casa, a Tia Marta viajou para capital, o que acha de um Almoço eu você, Jean e Larissa? - Já é. Troquei de roupa e passei na casa de meu irmão chegando lá eu e Larissa fomos pra cozinha e chegou mais 2 garotas amigas dela, conversei com Larissa sobre a noite passada por ter beijado ela, como sempre muito de boa ela achou natural e brincou quando quiser estou aqui, rimos muito, o dia foi resumido a piscina e varias risadas, até chegar no assunto Caio! - E o viado do seu irmão, já se ajeitou em Londres? Perguntou Jean. - Olha está um pouco difícil pra ele, pois o Inglês de lá é Britânico, e inglês do Caio é Americano, mas está morando em um apartamento na faculdade, disse que está levando a vida, mesmo assim está abatido acho que pelo falecimento do papai. Larissa respondeu. Na noite do Domingo me bateu um Tédio, sabe aquele momento que você nem se sente em vida, pois é eu mexia no celular, computador, livros e nada, quando parei no sofá de casa liguei a TV estava passando um documentário sobre Snowboard ou Ski no gelo, lembrei na hora de Caio, sempre dizia que faria uma viagem pra tal lugar, pois era fascinado em frio e tudo mais, caralho foi como se eu me afogasse em magoas, senti uma dor no coração me bateu um arrependimento de tudo, mas tinha que seguir em frente nem que seja sem "coração". Os meses foram passando e fiz de minha vida uma rotina onde ocupava minha cabeça com trabalho faculdade e academia, nos finais de semana as vezes um clube ou algo do tipo, era mês de Julho eu pedi a gerencia a contratação de uma pessoa para me auxiliar pois o serviço estava complexo em 3 semanas fui avisado que foi contratado um rapaz mais novo que eu que se encaixava, então aceitei confiando no RH. Em uma segunda-feira chego na minha sala e vejo um cara de costa sentado no computador ao lado de minha mesa, quando me aproximei vejo; - Allan? -Luan, você trabalha aqui? - Caramba, sim, mas e você? - Fui contratado. Eu dei umas risadas e então ensinei pra ele foram umas semanas até ele ficar mais tranquilo lá, com isso nosso contato foi somente aumentando. em uma sexta-feira ficamos até tarde tranquei a sala e sobrou somente eu e ele editando umas planilhas, me levantei e fui a copa tomar um café; - Vou tomar um café aceita? - Vou aceitar preciso ficar acordado, kkkkk’. Peguei 2 copos ele entrou comigo e entreguei o copo a ele encostando em sua mão, coloquei o copo na bancada e o beijei, firme ele se assustou mas cedeu, foi um beijo qualquer mais gostoso. - Porque? - Porque o que não gostou? - Sim, mas depois de todo esse tempo. - Ei cala a boca. Voltei a beija-lo. Acho que precisava me dispersar e esquecer do Caio de alguma forma depois dessa vez eu e Allan ficamos somente 2 vezes, uma vez fui a casa dele e estava fumando cigarro me ofereceu mas quase morri, ele riu e disse que tinha outra coisa, acho que era maconha não conheço muito disso mas quando puxei meu mundo girou, a cabeça era como se não existisse nada, eu não pensava parece que estava flutuando, sensação de estar pulando de paraquedas mas sem a adrenalina somente a sensação de liberdade mesmo depois experimentei o cigarro e foi como outra sensação satisfatória. Cheguei em casa tomei um banho e dormi, no dia seguinte não me lembrava de nada, acordei numa vontade de cigarro, uma vontade tão estranha que não tive fome eu queria cigarro sai no primeiro lugar e comprei e fumei insaciavelmente, pessoal eu fumei 1 maço de cigarro em 3 horas, foram 20 cigarros um atrás do outro, no momento achei normal matei aquela vontade estranha. Fui para o trabalho estava com a cabeça meio zonza não trabalhei direito, Allan perguntava se eu estava bem e eu somente confirmava, em 5 semanas estava fumando 4 maços de cigarros por dia, meu quarto estava um lixo, minha mãe me repreendia mas não adiantava eu saia de casa e era pior, pois iria atrás da maconha, não pensava, responsabilidade não existia a única coisa que eu sabia é que estava “perdido” meu coração culpava todos ao meu redor, em um dia eu não encontrei maconha na rua então resolvi beber, não tinha dinheiro, passei o cartão de credito em uma garrafa de Uísque. No trabalho eu faltava muito quando ia não conseguia ficar o dia todo, meu corpo não mudou muito somente deixei um cavanhaque e cabelo pouco grande foi quando olhei no espelho e vi minha vaidade por água abaixo, coisa que é meu pecado decidi maneirar em tudo, diminuir o cigarro em 1 maço por dia, e maconha 1 vez por semana, bebida não mais, quando comecei a diminuir meu emocional ficou mega abalado, e quem estava ali do meu lado Allan ele sempre estava na minha casa, ocupando minha cabeça deixando eu ocupado.

Sai do trampo e dei carona pra ele passei primeiro em casa e ele veio com um papo estranho! - Entrou um cara novo na minha sala, é gay dá pra perceber! - Está afim dele? - Não que isso? - Você me falando de homem Allan, há vai conta outra! - Afim sempre fui de você, mas não deixa seu passado né? - Caio está longe e não volta mais, e prefiro assim. - Então fica comigo! Eu sorri com a cabeça baixa e brinquei com ele. – Vai dar conta disso. Subi minha camisa mostrando meu abdômen. Ele fez uma cara de indiferença e me beijou, Allan tinha uma cara muito safada sem falar da sua voz aguda dá muita excitação. Parti pra cima dele pra mostrar quem manda, havia um tempo que não transava com ninguém eu transpirava tesão, o beijava muito forte mordia sua boca puxava seu cabelo, minhas mãos percorriam todo o seu corpo ele somente gemia; - Nossa você é muito gostoso. - kkkkkk' nem tirei minha roupa ainda. Terminei de falar ele puxou minha camisa, eu estava de calça jeans ele foi beijando meu peitoral passando a língua em minha barriga, abri o zíper da calça ele foi mordendo meu cassete em cima da cueca preta, eu fazia movimentos rebolando e forçando sua boca contra meu corpo, ele pegava firme na minha bunda, tirei meu cassete que estava como uma pedra abri sua boca e ficava colocando e tirando meu cassete de sua esse movimento me deixava louco de tesão eu estava quase gozando dai parei me afastei com um sorriso no canto de boca, ele se levantou eu abri seu short jeans branco, desci até sua barriga era realmente linda não malhada mas definida, abri sua cueca seu cassete não era enorme mas sabe aquele tamanho que combina com tudo, comecei a chupa-lo ele forçava contra minha cabeça, nossa estava demais aquele cheiro e gosto na boca, levantei apoiei ele na minha cama de 4 virando sua bunda pra mim passei um cuspi na sua portinha e comecei a forçar sem apoiar nele, sem encostar as mãos em suas nádegas, somente apreciava meu cassete todo depilado penetrando aquele cuzinho com poucos pelos meio que loiros, ascendi um cigarro e ele somente gemia eu senti minhas bolas encostando em seu corpo esperei um pouco e ele se mexeu forçando um movimento de vai e vem, eu subi uma perna ao seu lado na cama, a outra no chão mesmo e comecei a fuder ele com força, dava algumas estocadas e rebolava forçando mais ainda meu cassete ele gemia muito em minutos acabei o cigarro então pude fazer oque queria, deixar dei uns tapas fortes bem sua bunda branca, puxei seu cabelo e aquela cena os seus gemidos me deixaram louco em umas bombadas gozei muito dentro dele que caiu de lado e vi que tinha gozado, se levantou me beijando e fomos pro banheiro. - Nossa Luan ainda estou em transe. - kkkkkkk' eu disse que pra ficar comigo teria que dar conta do recado! - Agora sei por que Caio era louco por você! - Hum valeu, conseguiu acabar com todo o clima. Sai do banheiro vesti uma bermuda de futebol sem cueca e fui à cozinha peguei um copo de água e ascendi outro cigarro, ele veio já arrumado sentou na mesa amarrou o tênis e se aproximou me deu um selinho. - Vai a festa da Larissa na Sexta? - Não acho que não. - Hum beleza, vou nessa. - A gente se fala. Despedi dele joguei o cigarro fora peguei o copo que havia tomado água indo ao rumo da pia ele estoura na minha mão, tipo quebrou sem eu força-lo, no momento de susto eu estava colhendo os cacos e pensei, "Oque eu tinha acabado de fazer" tranzei com Allan eu estava realmente me desapegando das lembranças de Caio, fiquei feliz por estar conseguindo e triste por estar conseguindo algo dentro de mim não me respondia era meu coração que gritava o nome do Caio dentro do meu peito oque fazia ele ecoar era meu orgulho que é mais forte. 9 de Agosto de 2014 aniversário da Larissa, na manhã do mesmo dia Allan me liga confirmando minha presença eu disse que iria pensar na possibilidade, na mesma tarde saio mais cedo do trampo e decido sair e comprar umas roupas pensei em ir a festa seria bom pra mim aliás havia um tempo que não saia de casa e modéstia parte as festa daquela família era realmente impressionantes. Era umas 21:35 da noite acabei de me arrumar chegando lá tinha comprado um colar folheado a ouro pra Larissa com a Inicial de seu nome dela que amou o presente e agradeceu muito logo vi Allan e também Dona Marta, ficamos conversando na piscina até nos chamarem para os Parabéns, caramba o bolo era enorme. Depois da formalidade eu e Allan estávamos na cozinha eu fumando e ele apoiado na pia a Larissa entrou e estava a algum tempo conversando conosco, quando ouvimos uma gritaria na sala algumas luzes se ascenderam e Larissa saiu Correndo. Minhas mãos começaram a suar, minhas pernas não me sustentavam mais, subiu um frio na espinha que já rondava meu estômago, Foi Quando fixei o olhar, Era Caio ali parado na sala com sua mãe e a Larissa desesperadas, algumas pessoas gritavam e eu sem reação meu corpo não respondia. Minhas mãos começaram a suar, minhas pernas não me sustentavam mais, subiu um frio na espinha que já rondava meu estômago, Foi Quando fixei o olhar, Era Caio ali parado na sala com sua mãe e a Larissa desesperadas, algumas pessoas gritavam e eu sem reação meu corpo não respondia... Estava maravilhoso, cabelo castanho com luzes, músculos apertados em uma camisa brilhante, calça jeans colada nas pernas grosas, e o sorriso Não da pra falar ou escrever. Eu não via nada ao meu redor, Não ouvia nada, muito menos sentia até Quando seu olhar se voltou pra mim e diretamente desceu no rumo do cigarro olhou por segundos e desviou o olhar. Allan se virou e entrou novamente na cozinha, Caio comprimento a maioria das pessoas e fixou o olhar em mim se aproximando eu somente enxergava a minha frente seus olhos; - E ai Luan, quanto tempo!?

11 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia