• @rgpatrickoficial

Sempre o Melhor Amigo - Capitulo 6

Peguei no sono nem percebi quando Allan chegou à Manhã de quarta-feira acordei muito cedo cabeça estava doendo e pensava que o dia anterior fosse somente um sonho, olhei no celular quatro ligações de Luan, ignorei tomei um banho e fui trabalhar durante o dia todo foi bastante corrido, 2 audiências reuniões eu estava exausto era por volta de 17:00 horas e Marly chega com as correspondências deixa algumas na minha mão olhei rapidamente e as joguei na mesa abrindo a gravata percebo uma carta da “University of West London”, abri e lembrei do Intercambio sentei e fiquei lendo a carta por instantes, pensei na possibilidade de Londres mas havia minha família e o trabalho era complicado decidi falar com minha mãe sobre o assunto. #Luan


Passei a noite acordado tomei um banho para ver se melhorava, mas nada, no serviço quase dormia na mesa pedia pros novatos atender clientes, pois eu realmente não estava bem. Eu precisava falar com Caio, liguei para ele, mas não me retornava decidi quando estiver na faculdade ficar plantado na porta da sua sala até conseguir falar com ele. Meu dia não foi um dos melhores cheguei em casa meu irmão já veio logo perguntando; - Luan tem falado com Caio? - Não Jean, ele está estranho. - Geral ta falando que ele mudou, saiu no jornal que ele já assumiu o cargo de seu pai, e tem a historia do intercambio! - Intercambio? Como assim? Interrompi ele rapidamente. - Caio irá fazer intercambio em Londres, vem falar que você quase casado com ele não sabia disso. - Não ele não me falou nada. Deixei Jean na sala e fui para o quarto liguei para o Allan e ele confirmou. - Sim, viaja na Segunda-feira de manhã, não viu no Facebook? Abri o Facebook na sua linha do tempo, e tinha centenas de mensagens de apoio, de sorte, de saudade. Pensei porque ele não me disse nada? Como assim? Na faculdade não me concentrei nas aulas estava sendo complicado. #Caio


Eu e Allan mesmo com pouquíssimas palavras ainda tínhamos que conviver juntos, saímos atrasados para faculdade e o pessoal da minha turma estava planejando uma festa de despedida pois já estavam sabendo que iria para Londres, no terceiro sinal meu professor libera a gente então fui ao banheiro e Allan entra em seguida, - Já vamos? - Sim deixa somente eu me lavar. - Posso te perguntar uma coisa? -Aff’ fala cara. - Contou para o Luan que já nos beijamos? - Não, acho melhor fazer como você mesmo disse esquecer e não quero ficar falando nele pois já tenho que conviver com você. - Desculpa, é que não queria magoa-lo. - NÃO PRECISA! NOS DECEPCIONAMOS COM AS PESSOAS QUE MAIS CONFIAMOS, NÃO É MESMO CAIO? Puta que pariu disse Luan saindo de um dos box do banheiro. - Você escutou alguma coisa? - Não somente a parte que vocês já ficaram e que você finge que eu não existo. - Estamos kits, os dois já pegamos o mesmo cara. Falei isso com muita convicção o enfrentando com um olhar firme, mas estava como uma poça de água se caísse uma gota me desmancharia. Luan saio calado nem dizer nada, mas o olhar dele apesar do orgulho dava para ver a dor. Na sexta-feira ultimo dia de aula para mim recebi de meus amigos uma festinha de despedida, chegando em casa havia outra, claro nenhuma contava com a presença de Luan, eu estava próximo a mudar o rumo de minha vida, queria colocar um ponto final na historia que tinha com ele, queria o novo o desconhecido. No trabalho tudo okay depois de umas reuniões e discussões ficaram tudo acertado. Em casa eu não queria mas deixei Allan como o “homem” da casa para auxiliar Larissa e nossa mãe. Segunda-feira 06:45 horas da manhã eu estava colocando minha roupa para ir em direção ao aeroporto e por um instante parei e minha vida passou em frente aos meus olhos. No portão de embarque no aeroporto de Goiânia, abraçado com minha mãe e Larissa Allan nos olhava de longe, eu mesmo naquela situação ainda tinha esperanças com o Luan, mas no último segundo antes do embarque foi anunciado a última chamada e...

Vejo o portão de embarque, o portão onde eu entraria e provavelmente não voltaria tão cedo, que eu não voltaria como o Caio que estava embarcando... #Luan


Com tantas pessoas envolvidas na despedida de Caio, não havia como não saber que ele estava embarcando, fiquei com muita vontade de ir ao aeroporto, mais o que eu falaria? O que eu faria? E como ele reagiria? Eram tantas perguntas que me consumia por dentro, não fui trabalhar minha mãe entrou no quarto logo cedo perguntando; - Ei o que foi meu filho? O que houve? - Não é nada, somente um mal estar. - É a Amanda? Esta sentindo falta dela? Eu não há respondi deixei pensando que era pela Amanda que me comportaria daquela forma. - Meu filho, calma isso passa, dói mas é uma dor que não mata. Vou trabalhar mais qualquer coisa me liga, te amo seu gato! Liguei para o meu gerente e avisei que não iria por não estar me sentindo bem. Não parava de pensar nele o sentimento me corrompia por dentro, era uma dor sem igual, as vezes raiva as vezes paixão, saudade me confundia, como poderia ter me deixado eu terminei meu namoro por ele, mudei minha vida e ele somente decide viajar, mas por outro lado entendia ele me viu beijando outro cara, ah e tinha Allan eu achava que ele estava apaixonado por mim, mas não era hora para pensar nisso. No fim de semana pensei vou jogar uma bola para esfriar a cabeça, mas não foi assim o pessoal somente falava no Caio e o jogo não foi o mesmo sem as graças e idiotices dele, na noite do sábado meu irmão liga e me chama para uma balada fantasia que iria ocorrer na cidade, pensei em cima da hora o que vestir, então peguei a fantasia do ano de 2012 fui de policial, mas como hoje em dia meu corpo está mais definido e grande, a roupa ficou justa tipo aqueles Gogoboys, kkkkkk’, os cintos da cintura e coxa realmente ficaram sexy a pistola de brinquedo, mas as algemas eram de verdade, só não levei o cassetete, a porta da balada estava lotada, quando desci todos me olhavam fiquei com um pouco de vergonha mais conhecia quase todos, (me chamam de metido) mas não me importo, quando a galera do futebol o Jean me viu até estranharam, as garotas boquiabertas, foi uma bagunça que só, dentro da boate eu não bebi mas dancei muito e fui paquerado algumas vezes, até que vi minha Ex a Amanda com um cara eu o conhecia da cidade era um organizador de festas, ela chegou em mim estava vestida de Pocahontas, ela estava maravilhosa não sei ao certo a fantasia dele me apresentou como namorado dela, fui super educado e confiante com a auto estima lá em cima, foi só ela virar de costa pensei o que eu tinha feito, mas agora não havia como voltar atrás, fui no banheiro lavar o rosto quando topo com Allan e Larissa, ele estava de um super herói que não lembro o nome, acho que Flash, a Larissa quando me viu o olho brilhou e todos ao nosso redor começaram a rir, ela estava fantasiada de Prisioneira, me aproximei dela e todos começaram a gritar em uma rodinha a galera era de mais ou menos uns 17, dei uma pegada e a beijei ela retribuiu, eu o fiz para afugentar Amanda, não queria ficar sozinho La tinha até me esquecido do beijo de Larissa nossa era muito gostoso, não mais que do seu irmão, kkkkkk’, no meio da bagunça pediram para eleger o rei e a rainha da festa, Foi quando ouvimos; - Luan Borges Fantasiado de Policial Federal e Amanda Barreto como a sua Prisioneira. Subimos ao palco e o prêmio era 1 mês de tudo pago para gente na balada, começamos naquela noite mesmo, decidi beber e enchi a cara, a noite percorreu desse jeito nossos amigos foram aos poucos indo embora, era por volta das 04:00 hrs da manhã e eu, Jean, Larissa e Allan saímos da boate, o meu carro estava na outra esquina então eles nos acompanharam para pegar carona a casa de Larissa era somente entre algumas quadras, na esquina me para um cara de moto capacete fechado com jaqueta os 2 não dava para ver nada, gritaram voz de assalto; - Passa tudo PlayBoy, anda, anda.. - Calma ai kra. Falou Allan assustado. - Calma Porra nenhuma passa logo. Ele desceu da moto e pegou as coisas quando Jean pulou nele e Allan derrubou o cara da moto, eu fiquei sem entender assustado o Cara deu um soco no meu irmão daí eu parti para cima dele chutando e dando uns murros no seu estomago, Allan já tinha ferido o cara da moto só de derrubar a moto em cima dele eu Segurei o cara no chão e o Jean levantou o cara da moto e vejo a policia chegar, pensei como assim? A Larissa estava com o celular ela tinha acionado. - Todo mundo parado, não se meche! Gritou o policial saltando da viatura para todo mundo, e chegou mais 2 viaturas. - Mão onde eu possa ver e movimentos lentos. Quando levantamos e eles viram a situação de como estávamos, foi hilário, pois mesmo vestido de policial tudo bem que eu estava todo bêbado e sem metade da roupa, eles algemaram os bandidos e fomos todos para delegacia, eu ria de tão nervoso. Fomos encaminhados pois todos tinham os que ser ouvidos, além de tudo poderia ter sido Lesão Corporal contra os Assaltantes, é o Brasil minha gente. Me colocaram numa sala pequena com um computador e uma mesa pequena 2 cadeiras e entrou 2 policiais; - Luan Borges então pode me dizer o que aconteceu? E porque está vestido assim.. Ele não terminou de falar entra outro policial falando; - Senhor a Menina é filha do Doutor Acallegaro! - Ela é da Família Barreto? Ele perguntou já passando a mão na cabeça. - Sim Senhor. Me liberaram e quando sai da sala chega o Drª Marta mãe de Jéssica que também era Advogada; - Delegado Marco Ribeiro, minha filha é assaltada na rua com seus amigos e trazida para a delegacia não para registrar uma ocorrência e sim para ser ouvida por Agressão? Ele se desculpou e disse sobre engano e divergência de opiniões, um monte de desculpas, eu estava dormindo no banco, kkkkk’. Fomos embora e ficamos em silencio no caminho. No Domingo minha cabeça estava explodindo almocei tarde dormi um pouco e acordo com o Allan na porta do meu quarto levei um susto; - Que porra cara, quer me matar.

8 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia