• @rgpatrickoficial

Sempre o Melhor Amigo - Capitulo 4

- E disso que o povo gosta. - kkkkkk' não corta o clima. Ele riu e com uns beijos quentes fui descendo até sua cueca e comecei a chupalo o seu cassete estava todo melado já comecei me engasgando, ele gemia alto, já que não tinha ninguém, logo me virou e começou a me chupar eu entrava em Transe quando ele me chupava, em um momento me virou do nada e começou a fazer um cunete, eu desconhecia àquela língua, percorria por toda minhas nadegas, ele cuspiu e me virou de frango assado, e começou a me forçar eu me contorcia ele foi lentamente, mas com muita força para eu não escapar apoiava o braço no meu pescoço, doía bastante quando senti suas bolas encostar em mim percebi que ele esperou um momento dentro de mim, (galera somente quem já senti um homem dentro de você sabe oque estou falando da sensação de estar com todo seu membro em você), era coisa de outro mundo ter aquele homem em cima de mim, com um uma mão em minha coxa e a outra forçando meu pescoço ele começou a me foder com força eu gemia de tesão e ele mordia os dentes de tesão sua respiração era ofegante, me soltava beijava e sussurrava no ouvido; - Ta me deixando louco caralho. Ele parou e eu virei apoiado nos joelhos e mãos fiquei de quatro e empinei bem olhando pra ele. -Assim é jogo baixo, Caralho tu é muito gostoso. Com um sorriso foi a deixa pra ele me penetrar novamente mas dessa vez foi com bem mais força nossos corpos estralavam quando tocados, ele suava em minhas costas, quando anúncio que iria gozar eu já tinha o feito, caiu em cima de mim e foi frenéticas penetrações até sentir seu esperma me invadir, ele deitou do meu lado com um sorriso e um ar de satisfação se instalou no quarto; - Oque foi isso? - Bom Dia! Rimos alto, o resto do nosso fim de semana foi resumido em "sexo" quase todo momento, nossos cassetes estavam doloridos a casa, o quarto, nós cheirávamos a sexo, na segunda-feira arrumamos a casa deixamos tudo como antes e eu no meu carro ele na moto partimos pra “vida real”. A semana percorreu normalmente eu falava o dia todo com Caio no Whatsapp e nos encontrávamos na Faculdade, nos fins de semana o futebol com a galera.Alguns dias depois...


#Caio


Cheguei no trabalho atrasado alguns minutos e a Marly minha secretaria já me vem com problemas; - Bom dia senhor. - Bom Dia Marly, o que temos pra hoje? - Seu pai está a caminho do Fórum e disse que queria ver o senhor lá. - Caramba porque não me ligou? - Até liguei mas não me atendeu. - Aff' deixei meu celular em casa.Disse isso saindo correndo peguei o carro do escritório cheguei no fórum estavam entrando em Audiência, com a permissão entrei. O caso era de um traficante que estava envolvido com pedofilia, por mais que acho injusto conseguimos sua libertação provisória, além do, más isso é meu trabalho ganho pra isso.Saindo de lá meu pai todo estressado; - Você vem comigo! - Mas o carro... - Caio entra no carro! - Aff'. - Chegou atrasado, gravata torta e está sem seus documentos. - Como sabe? Que não estou com minha Carteira? - Não precisa adivinhar, olha no seu bolso. - Tenho 21 anos quer que eu me comporte como? - Como um advogado que se prese, como um executivo que vai assumir o lugar de seu Pai, como um homem de Família, você não pensa em mim? Na sua mãe? Sua irmã? - Pai já falamos nisso! Já pode parar. - Você bebe, faz festas em que eu tenho que te tirar da delegacia, ainda bem que não meche com drogas! - Será que não só sabe me condenar! Falei resmungando pra ele não entender. No semáforo ele para o carro e diz. - Caio Barreto Callegaro Você esta envolvido com drogas? OLHA PRA MIM QUANDO EU FALAR COM VOCÊ. - E se estiver em? Não se preocupa comigo somente com a  seu escritório e de como as outras pessoas vão te ver.Disse isso furioso, sai do carro e fui correndo na calçada feito um louco, ele ficou um momento com o carro parado mas os outros buzinando ele estacionou mas não conseguiu me alcançar. Caralho, Porra eu sempre fui forçado contra minha vontade a conduzir a empresa num queria isso pra mim, decidi "Sumir" um pouco esfriar a cabeça estava muito estressado, queria ver Luan mas não queria ir a casa dele e meus pais me encontrarem, sem carteira e sem celular coloquei a mão no bolso tinha 3 notas de R$ 100,00. Peguei um táxi e fui pra chácara, chegando lá o portão fechado então pulei a cerca e fui até a casa dos caseiros que cuidavam do local. - Boa Tarde senhorzinho, o que faz aqui meio de semana? - Boa Tarde Seu Edson, pois é se meus pais ligarem não me viu certo! - O Senhorzinho num vai me arranjar encrenca em. - Não se preocupe, a Chave da Sede por favor. - Allan trás a chave do casarão pro pai. - Allan? - É o meu filho, não lembra dele? - Aqui Pai!Meu Deus era o Allan, lembrei dele um menino que brincávamos quando eu vinha pra chácara, mas ele tinha crescido tinha agora seus 19 anos, o cara estava maravilhoso, cabelos nos olhos, loiro, olhos esverdeados, corpo legal não malhado mais definido, uma bunda enorme fiquei hipnotizado com o cara. - Valeu, e ai cara está lembrado de mim! - Caio? Quanto tempo.Disse ele com uma voz máscula e roca. - Pois é né! - Foi bom vê-lo novamente, Desculpa tenho que ir. - Tudo bem. - Caso o senhorzinho precise de algo é só avisar. Fui andando e pensando no Luan e tomei um banho meu dia foi daqueles. Depois do banho deitei em uma espreguiçadeira e peguei no sono.


#Luan


Eu estava no trabalho quando vejo 4 ligações perdidas da dona Marta, retornei e ela não estava bem. - Boa tarde, Marta aconteceu algo? - Não sei ainda meu filho, sabe do Caio? - Não oque aconteceu? - Ele brigou com César de novo, mas dessa vez saltou do carro no meio do trânsito. - Ai Caio, desculpe mas, não Marta, vou sair do serviço logo, logo se tiver notícias me liga por favor. - Digo o mesmo meu filho. Caralho onde foi que ele se meteu dessa vez, eu estava preocupado ligava no seu celular e estava desligado, sai do serviço fui para o Mirante, passei pelo local dos Shows e nada nem sinal dele, chegando em sua casa encontro Larissa tranquila e dona Marta angustiada; - Alguma notícia? - Nada ele não liga não da sinal como sempre. - Mãe você sabe que não pode ficar muito nervosa, e outra o Caio logo chega entra por essa porta e finge que não aconteceu nada. - Eu espero isso Larissa. Vou em casa tomar um banho se precisar é só ligar em tudo bem. - Ok meu filho obrigado por tudo!Sai pouco mais despreocupado percebi que era mais uma briga com o Pai logo estará de volta, mas no fundo eu sentia um aperto no coração, por ele não ter me dado noticias, o jeito seria esperar.Já era noite deitei pensando no Caio de como minha vida teve uma reviravolta depois da festa do meu irmão... Acabei pegando no sono.


#Caio


Era tarde sol baixo eu estava na piscina bebendo uma ICE quando vejo sair da claridade aquele monumento loiro. - Boa Tarde. - Boa guri, e ai um mergulho?

- Não valeu, meus pais pediram para te convidar pra jantar conosco essa noite! - Huum tudo bem vou trocar de roupa e estou indo, me espera? - Sim claro vai lá.Sai da piscina sequei somente meu cabelo tirei a sunga coloquei um short e uma camisa. - Vamos?Na casa deles sentamos na mesa o local era humilde mas eu nunca importei e sempre gostei muito de todos eles, falamos de antigamente, demos várias risadas, eu não me lembrava mas eles e Allan tinham várias histórias de quando éramos pequenos, num certo momento sinto a mão dele em minha perna como uma confirmação, deu duas batidas sorrindo, fiquei excitado com a situação mas relevei.Após o jantar sentamos más seu pai e bebemos uma "pinga de engenho" ela é muito forte por ser destilada, foram poucas doses eu estava ruim, Allan tocava violão nos cantamos, ou melhor improvisamos, rimos muito. Já tarde da noite ficamos eu e Allan, logo disse que iria pra casa, quando levantei cai na cadeira de novo estava muito ruim. - Opa! Segura peão. - Vai se fuder e me ajuda!Me apoiei nele, chegando na casa subimos e pedi pra me deixar na cama e puxasse a porta; - Cara você precisa de um banho, fica aqui, me espera!Ele desceu a escada e eu já estava pegando no sono quando ele retorna com algo espumoso no copo. - Bebe! - Que porra é essa? - Não é porra, é somente gelo, açúcar e limão, bebe caralho vai melhorar. Desconfiado bebi foi como um tapa me recuperei rapidamente já conseguia me equilibrar. - E ai? Ta melhor! - Não. - Beleza vai tomar um banho.Me levantei ainda com ajuda ele me deixou no banheiro tirei a roupa com dificuldade e tomei um puta banho gelado, ele me esperou meio constrangido me ajudou a vestir roupa cai na cama e apaguei.No dia seguinte acordei cedo fui na cozinha procurar algo pra comer, sorte minha estava lotada, após o café dei uma ajeitada na cozinha e peguei uma vassoura e fui varrer as folhas do gramado, quando o Sr. Sérgio chega. - Ta querendo serviço? - Não, Não. - Bom dia senhorzinho. - Bom dia Sérgio, estava aqui pegando as folhas, me distrair um pouco. - Eu sei bem oque te faz relaxar, vou preparar a lancha pro senhorzinho dar umas voltas. - Obrigado! Saiu indo em direção ao guarda barcos, e Allan chega por trás e me assusta. - JÁ ESTÁ ACORDADO? - Filho da mãe quer me matar? - kkkkk' Não está satisfeito com o serviço do meu pai?Disse ele olhando pra vassoura. - Ah' Não, estava me distraindo. - ALLAN ME AJUDA AQUI.Eu e Allan corremos em direção a ele pra auxilia-lo, colocamos a lancha na água e dona Rosa chama Sérgio, eles iriam na cidade. - Allan me acompanha? - Não, Não, eu tenho medo de água e você sabe. -Ta sei, vou pegar umas coisas e te espero. - Já disse não vou. Entrei em casa peguei umas frutas, doces e claro bebidas coloquei na lancha e lá estava ele emburrado vindo no porto. - Cala a boca não diz nada. - Haha' Sobe ai.Seguimos caminho por alguns locais onde eu conhecia e ele que praticamente conhecia logicamente por morar lá, ancorei a lancha em um lugar bem afastada ótimo para se mergulhar, tirei minha camisa e short e pulei na água ele estava bebendo e logo veio atrás, ficamos um bom tempo ali acho que passaram-se horas retornei a barco peguei uma bebida e fiquei olhando ele. - Pra quem tinha medo de água você engana bem. - Não gosto mas aqui ha como não mergulhar, e qualquer coisa você está aqui, pra me ajudar. - Ou afogar. Com algumas gargalhadas ele sobe, cabelo no olho corpo bronzeado pernas grossas, ele passou bem do meu lado pegou minha bebida deu um gole e me olhando foi se aproximando e me deu um beijo, nossos corpos se atracavam em meio a nossa força, deitamos no sofá ele coloca a sua mão dentro de minha cueca e começa a beijar minha barriga, nesse momento pensei em Luan, me afastei ele assustado olhou para o lado pois achou que tinha visto alguém. - O que houve?Eu estava pálido não o responde, ele somente me fazia perguntas; - Aconteceu alguma coisa? Sou eu? Te fiz algo que não gostou? - Não Allan, só te beijei porque estava bêbado. - Ontem você estava bêbado agora não, fala o que foi? - Já disse cara, pô não enche.Peguei a direção e fomos embora com a cara fechada com o Allan não queria que ele percebe-se que eu tinha gostado do beijo, mas tinha Luan que eu gosto acima de tudo e de todos, decidi não dar chance. Chegamos à chácara fui sem dizer nada pra casa, e nem percebe que ele guardou a lancha organizou tudo depois foi embora. Pensei nem indo pro "mato" consigo esfriar a cabeça tenho dom pra problemas.


#Luan


A Chácara é claro! Lembrei da chácara mas já era noite, mesmo assim peguei o carro e sai, entre uns 20 minutos estava em frente a porteira interfonei na casa dos caseiros e uma voz rouca e sonolenta me atende, depois de me identificar vejo longe um farol de moto, entrei no carro e vejo um rapaz corpo normal estava de boné tinha uma boa aparência, era noite não vi detalhes da fisionomia, entrei cumprimentei ele disse boa noite e segui. Era 00:45 cheguei na sede da chácara e tinha somente uma luz acesa cruzei os dedos e torci para Caio estar lá dentro, ao entrar ele estava na cozinha com um copo de leite ao me ver ficou sem reação com uma cara de espanto e ao mesmo tempo feliz, eu estava tremendo de raiva por ver que ele não estava importando com sua família. - Luan!? Se aproximou me beijando e logo pausou me questionando. - Que foi? - Caio Pega suas coisas e vamos embora. - Oque? - Caio sem essa de Birra agora, VAMOS EMBORA, sua mãe está louca por sua causa. E você aqui tranquilo. - Eu não vou cara sem essa. - Ou você vai comigo ou ligo pro seus pais aqui mesmo que porra kra. Dei um grito como nunca havia falado com ele que somente abaixou a cabeça e estressado saiu pela sala entrou no carro, desliguei as luzes fechei tudo e partimos pra cidade, todo o caminho ele emburrado e eu calado deixando meu orgulho gritar dentro de mim. Chegamos na casa dele como já era tarde demoraram para nos deixar entrar eu fiquei na porta e a Dona Marta chega e o abraça forte seu pai não desceu as escadas Larissa só resmungou; - Eu disse que ele voltaria. Com um agradecimento fui embora sem trocar palavras com ele, achei melhor deixa-lo resolver com sua família, chegando na minha casa não dormi estava pensando como estava o clima na casa.


#Caio


Depois que Luan me deixou em casa percebi que minha mãe estava apavorada, me abraçava, brigava elogiava e eu olhando pro meu pai que me encarava no topo das escadas, Larissa quebrou o gelo e me chamou pra cozinha, depois de falar onde eu passei estes dias fui pro meu quarto e tentei dormir. Na manhã seguinte acordei tomei um banho e desci pra tomar café, estavam todos a mesa, em meias conversas meu pai pede nossa atenção; - Bem que tenho uma novidade, só resta saber se vão gostar, Consegui o Intercâmbio que sempre quiseram. - oque? Perguntei assustado! - Sério Papai? Larissa toda entusiasmada. - Que historia é essa que não me falou? Minha mãe perplexa com o anuncio brigou com ele pois não tinha informado a ela. - Não tem briga a Viagem está marcada pra daqui há 20 dias, é só o tempo de se organizarem, oque me diz Caio? - Ótima ideia mas quanto tempo vamos ficar fora, e é pra onde mesmo? - Você sabe 1 ano, e vai ser em... - Londres? Larissa o interrompeu já respondendo, eu fiquei em estado de choque feliz e triste tinha o Luan, e eu não queria o deixar aqui, por todo esse tempo. - Bem tenho que ir pro trabalho, amanhã vocês 2 me falem suas respostas. Sai da mesa meio em transe, fui pro meu quarto sentei na cama e fiquei pensando no que fazer da minha vida. Peguei o celular liguei pro Luan. - Oi! - E ai está bem, ou fugindo novamente? - Não seu viado, to ligando pra saber como está! - Caio Barreto, me ligando pra saber como estou fala aê oque está acontecendo? Eu estava no telefone com o Luan quando minha mãe me chama la de baixo,foi um grito muito estranho assustei e me despedi rapidamente de Luan. - Espera ai jájá te ligo. - Ok. Quando chego na escada vejo ela na porta da sala com umas malas pedindo ajuda, mas de quem era? Descendo a escada próximo ao portão vejo Allan com as mãos nos bolsos meio tímido. Allan?


10 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia