Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia

  • Richardson Garcia

Sempre o Melhor Amigo - Capitulo 3

Entrando no quarto tirei a roupa tomei um banho frio e deitei de toalha mesmo... Acabei pegando no sono, no sofá de casa;

Acordei com meu irmão me chamando; - Luan!

Abri olhos,  com o cabelo todo bagunçado e incomodado com a luz. - Fala seu viado.

Jean então todo animado me chamando pra ir jogar bola. - Mano vamos preciso que alguém jogue no meu time o Caio sumiu de novo, vamos lá quebra essa por favor. - Beleza vou pegar uma roupa. Coloquei minhas roupas em uma sacola e sai ainda com sono, quando chegamos o local era um colégio fechado campo de futebol de salão, havia umas estudantes na arquibancada, e logo fomos pro vestiário.  - Jean viu quem está ai? - É a Bruna, fiquei sabendo que ela está doidinha em você!? - Com o Luan aqui, esquece vai tirar a atenção até dos caras. - Espero que sejam os do outro time.

Falaram rindo, eu não jogava muito com eles por serem mais novos, mas era pelo meu irmão, valia tudo. Demos algumas risadas pelas conversas soltas na galera e fomos jogar, foi só entrar em quadra começaram a “Azaração” meninas assobiavam, chamavam de gato, gostoso, lindo e eu me divertia se achando, mais ainda com as novinhas. Até que em um dos lances o atacante Felipe sofre uma falta e pede pra sair, o cara foi expulso e ganhamos um pênalti pronto 1x0 dai perguntei meio gritando.  - Vamos jogar faltando o atacante? - Eu substituo o Lipe'.

Era Caio todo marrento entrou com um sorriso no rosto passou me dando um tapa na bunda e sobrou até uma piscada pra mim, em meio ao jogo sofremos mais 2 gols o time adversário era realmente bom. Já no vestiário eu Caio e Felipe esperávamos os outros no banho. - Então o que temos pra hoje? - Churrasco na casa do Caio, Boate, um barzinho?  - O churrasco é só eu falar com a patroa e ta liberada! Alguns amigos inventaram desculpas acabou até mesmo o meu irmão saindo fora, estávamos saindo do campo e encontramos as garotas do lado de fora; - Oi, Boa Noite! - Boa Noite Princesas.

Caio todo lerdo foi pro rumo delas enquanto eu estava entrando no carro, coloquei a mochila e entrei ligando o carro; - Luan, Espera! - Carona? - E ai vai fazer o que hoje? - Vou sair com a Amanda! - Á é Amanda... - Não fala assim mano, poxa... - Não relaxa? - Tranquilo tenho que ir, Falou. - Falou.  Caio se afastou do carro e quando viro a esquina o vejo passar por mim com uma das garotas na garupa, fiquei um pouco alterado, mas sabia que não tinha nada com ele e muito menos o cobrar, quando cheguei na casa de Amanda fui recebido pela minha sogra que já me disse que ela não estava bem. - Amor o que foi? - Cólica Luan, mas vai passar. - Quer comer algo? Já tomou algum remédio? - Já sim, preciso ficar sozinha. - Comeu alguma coisa? Quer que eu compre algo? - JÁ DISSE QUE ESTOU BEM.

Alterada ela responde seca, pouco já acostumado com a situação me despido e saio a mãe dela somente sussurra “TPM”, com um sorriso decidi ir pra casa me arrumar e sair pra comer algo, deixei o carro em casa minha mãe iria sair, fui andando precisava colocar as ideias no lugar ou ao menos me distrair, a alguns minutos andando vejo que já estou distante de casa e comi na lanchonete com meu amigo da faculdade que se encontrava lá. Por volta de 23:30 retorno pra casa o tempo estava perfeito a Lua maravilhosa no céu não me faltava nada naquele momento, quando ouço a moto de Caio se aproximando e passa devagar por mim sem olhar pra trás e para metros a frente. - Sábia que era você!  - A é e como reconheceu?  - Essa sua bunda gostosa e pernas grossas te condenam.

Apontei o dedo pra ele já encostando-se à moto pergunto. - Já comeu a Mina? - Não ela num liberou, mas peguei seu fone. - Está perdendo a prática em! - Não acredito que vou falar isso, mas é que não paro de pensar em uma pessoa ai.

Olhei pra baixo ele já arremete no assunto. - Sobe ai! - Sem capacete na sua garupa, não bebi hoje Caio. - LUAN SOBE NA GARUPA.

“Todo mundo quer gritar comigo hoje”  Sem pensar subi em sua garupa e ele foi me levando pra um local de eventos da cidade, o local havia suspensões concretizadas, o local muito amplo onde se via o céu bem mais nítido sem as luzes da cidade. - Deita ai vai, de olhos fechados em, não abre até eu mandar... Pronto pode abrir agora. - Mano.  - Te mostro um céu maravilhoso deste e tu fala “mano”. - Caio é impressionante, tipo não vimos dessa forma na cidade, nem sabia que havia tantas estrelas.

Ele começou a rir, estava sentado do meu lado e apoiado em um braço me observando. - Você parece uma criança, olhando pra cima como se nunca tinha visto isso antes.

Eu sentei olhando pra ele meio confuso e envergonhado ele aproxima seu rosto, fazendo eu sentir seu perfume bem forte esses segundos desejei que não acabasse nunca, minha mão suava meu coração queria sair do peito as pernas tremiam respiração ofegante, ele me encarou seus olhos brilhavam beijamos dessa vez mais apaixonante que antes, estava tarde e era perigso então decidimos ir embora ao me deixar na porta de minha casa. - Não consigo me controlar. - Me refiro a Amanda, eu não acho certo fazer o que estou fazendo. - Faça o que achar melhor, mas... De qualquer forma vou estar aqui, não quero perder sua amizade, por estupidez. - Tenho que ir trabalho amanhã cedo. - Falou.

Com o último abraço e um encontro de nossas mãos, entro em casa sabendo que não iria conseguir dormir, acho que já previa. Liguei a TV e peguei no sono ali no sofá mesmo. Na segunda feira seguinte chego no trabalho morrendo de sono passei a noite inteira pensando o que faria da minha vida, no decorrer da semana me distrai e troquei varias mensagens com Amanda, como já era fim de ano e as ferias se aproximavam as provas da faculdade me deixavam sem tempo até pra academia em um período curto de tempo perdi um pouco o contato com o Caio, conversava com ele somente por Whatsapp  e conversas rápidas. No fim da semana ligo e peço pra Amanda vir a minha casa, aproveitei que minha mãe não estava em casa, o papo não seria agradável.

Ela já chega beijando e abraçando, se desculpando por ter gritado aquele dia, quando percebeu que eu estava sério, já foi questionando; - Que cara é essa? - Precisamos conversar. - Luan sem essa o que foi?  - Amanda acho melhor a gente dar um tempo! - Você esta maluco, foi porque gritei com você? - Amanda... - Luan me fala porque isso agora? - Amanda estou estudando muito o trabalho tem a academia, e custo ter um tempo pra você. - Já disse sem essa! Olha sua cara está mentindo, vai fala pode falar! Quero saber o porque. - Não sinto o que sentia antes por você, esta diferente agora. - O que como assim? Esta apaixonado por outra garota Luan? - Não, exatamente! - Você me traiu. - Amanda, não, tenta entender, eu estou gostando de outra pessoa. Pronto Falei caralho era isso que queria porra. - Como você pode fazer isso comigo Luan eu te amo, todo esse tempo você mentiu pra mim, mentiu pra mim. - Amanda não é isso, eu não disse isso. - CALA A BOCA, EU VOU EMBORA AGORA, E NÃO VENHA NUNCA MAIS ATRÁS DE MIM. NUNCA ENTENDEU. Eu sabia que seria difícil e que doeria, mas não tanto como está sendo, decidi falar tudo e deixar bem claro para não dar esperanças a ela, não queria mais sofrimento. Eu estava me sentindo um lixo, queria morrer naquele momento com o que tinha acabado de fazer, como queria voltar no tempo...

Na sexta-feira eu estava disposto a beber muito (me acabar em uma bacia de cachaça). Acho que me punir pelo que havia feito com Amanda.

Logo cedo Caio me liga.  - Alô! - Oi!  - E ai, Bem?  - Sim, e você?  - Ótimo, quer uma notícia boa, acho que é um convite!  - Opa é sempre bom convite, notícia manda.  - O que acha de Chácara pro fim de semana, eu você as meninas seu irmão? - Chácara é sempre bom, o que foi? Seus pais estão fora? - Vão viajar.  - Sakei.  - Eu e a Larissa estaremos por lá essa tarde. Vou avisar seu irmão.

-  Mano te ligo qualquer coisa, to no trampo aqui ta corrido a gente se fala. - Então falou.  - Até.  O dia no serviço foi daquele jeito só problemas, no fim da tarde meu irmão liga perguntando se iria com eles, ouvi o Caio ao fundo pedindo pra chamar a Amanda, eu somente confirmei e disse que estaria lá a tarde mesmo.

Sai do serviço e passei em casa falei com minha mãe que passaria o final de semana com os meninos, era por volta de umas 17:00 Hrs e com as coisas prontas entrei no carro, olhei para o lado, desliguei o celular e coloquei dentro do porta luvas, queria realmente me desligar.  A chácara dos pais do Caio fica a 16 km da cidade as margens do lago, é bem rápido chegar até lá, como eu estava sozinho fui tranquilo ouvindo uma musica e ao chegar na porteira estava meio aberta pensei “já chegaram” entrei em uns 200 metros chego na sede da chácara havia um bom tempo que não ia la, o lugar era paradisíaco a casa é enorme de 2 andares, com uma piscina não grande mas perfeita uma pequena cascata, e o restante todo gramado o lago era a alguns metros mais em baixo um pouco, com coqueiros altos dando um ar de imponência.  Aproximando vejo a moto de Caio, coloco o carro na garagem e pego a mochila dou a volta e estava somente ele com aqueles limpadores de piscina sem camisa,  ouvindo musica alta, ele me olhou surpreso; - Luan mas já? Ei e cadê a Amanda?  - É ... Caio não tem mais Amanda, pensei e achei melhor terminar com ela.

- Vem aqui.

Ele me abraçou;

- Sobe e coloca suas coisas lá em cima, só escolher o quarto.  - Beleza.

- Luan, esta com o celular no bolso?

- Não esta no carro porque? Com um sorriso ele me abraça e caímos na piscina, me assustei pensei que ele iria me beijar, ou sei lá fazer qualquer coisa; - Filho da mãe. - O que foi?  - Pensei que iria me beijar, sei lá. - Não seja por isso. Nos beijamos por alguns momentos tirei minha camiseta e o short como eu estava de cueca destacou muito minha barraca ele pegava e eu sentia uns calafrios, saímos da piscina coloquei uma sunga e escolhi um quarto era até simples uma cama de casal o banheiro ficava no corredor, já o Caio ficou com a suíte com banheira e todas as frescuras.  Fui na cozinha olhar o que tínhamos e o freezer estava lotado de bebidas na geladeira um monte de comida sobre a mesa e tals, voltei pra piscina fui ajudar ele a deixar tudo organizado pra noite.

Por volta de 22:00 hrs chega meu irmão e a Larissa, já com o som ligado, o pessoal do futebol com garotas e amigos, uns 5 a 6 carros acho que tinha entre umas 20 a 30 pessoas todos me questionaram pela Amanda e eu sempre correndo do assunto.

Já avistávamos o sol saindo e só sobrou eu meu irmão o Caio, Larissa e Felipe e uma garota Camila que estava com Jean. Estávamos na piscina falando da festa até que eu decidi subir tomar banho e deitar, estava cansado;  - Espera vou subir também.

Disse Caio. - Também vou!

Felipe disse nos seguindo. Foi à deixa pra todo mundo se retirar, foi separado assim os quartos eu e Caio na suíte, Jean e Camila no que eu havia escolhido, Larissa e Felipe em outro apesar de Caio não ter gostado muito da ideia.

Ele tomou um banho quando entrei no quarto ele estava saindo do chuveiro PELADO! “Um cara branco bronzeado com as bochechas vermelhas cabelo arrepiado olhos verdes um peitoral definido barriga trincada, mãos grandes coxas grosas e todo liso seu cassete tinha uns 19 cm lisinho também”, **Sempre o Melhor Amigo**.

“Sou branco olhos pretos cabelos arrepiado e curtos, corpo malhado e todo liso, barriga muito sexy por sinal, meu cassete tem 18 cm e tenho um sorriso que muitos chamam de Lerdo”.

Fui tirando a roupa e entrando no banheiro ele somente me olhava liguei o chuveiro e passei uma água rápida no corpo pra retirar o cloro, Ele entra no banho e pergunta;

Joguei o sabonete no chão dizendo; - Pega!  - Vou pegar você.

Disse ele se aproximando me beijando fomos molhados e abraçados nos beijando até cair na cama, em meio à amassos eu por baixo ele desceu beijando meu peitoral e mordendo minha barriga até chegar a meu cassete, ele-o chupava com vontade e me punhetava ao mesmo tempo, nunca ninguém tinha feito daquele jeito comigo, eu estava louco gemia de tanto tesão, não dava pra acreditar que ele nunca havia feito aquilo, comecei a forçar como se estivesse transando com sua boca, parei por um momento se não eu gozaria em sua boca, ele riu da minha cara então foi a hora de retribuir, puxei ele e com alguns beijos desci ate seu pescoço dei umas mordidas passando a língua pelo seu peitoral mordendo sua barriga já punhetando seu cassete que estava uma pedra com a língua na base do seu cassete fui subindo ele delirando, comecei a chupar com vontade como se fosse um pirulito doce e grande, eu engasgava em certos momentos mas era tao gostoso um sabor e gosto que nunca havia sentido um cheiro de macho delicioso, subi sua perna indo ao encontro do seu cuzinho e ele se virou desconfiado mas virou, eu lambia e o mordia a bunda dele não era enorme mais era redondinha e dura deixei bem lubrificada e subi em cima dele roçando meu cassete em sua portinha, ele tentou se livra mas o mobilizei e fui forçando, meu cassete foi entrando nele lentamente pra ir se acostumando, deixei ele se acostumar gemia baixo e puxava devagar meu cabelo em suas costas grandes, comecei um vai e vem alucinante estava louco minhas mãos percorriam seu corpo seus braços suas coxas abria suas nádegas puxava seu cabelo me contorcendo eu urrava feito um urso e ele somente gemia de tesão comecei a bombar em seu cuzinho, estávamos em Êxtase naquele momento coração a mil suávamos muito, quando anunciei que iria gozar ele se arrebitou a bunda nossa foram várias jorradas de esperma, quando nos viramos ele também tinha gozado mas sem tocar no cassete, puxamos o lençol no banheiro chupei ele novamente pra compensar que estava até com as pernas bambas, depois caímos na cama isso era quase 10:00hrs da manhã. Acordei olhei pro lado Caio ainda dormia, levantei coloquei um short e fui tomar uma água quando chego no corredor alguns quartos abertos e ninguém em lugar nenhum fui na garagem só tinha meu carro e a moto do Caio, assustado liguei da casa pro meu irmão; - Jean Cadê Vocês?  - Em Itumbiara, uai.  - Onde?  - Luan a Pecuária de Itumbiara os 3 dias esqueceu?  - Ta de Caô, pro meu lado! - To não porra! - Caralho esqueci total.  - Vai vir mais o Caio? - Nem rola agora, mas beleza me liga qualquer coisa!  - Falou seu viadinho.

Olhei no relógio 14:30 hrs como estava com fome e sozinho com o Caio fui arrumar algo pra comer, subi e acordei ele pra comer, já perceberam o tanto que homens dormindo são fofos, ele acordou resmungando com um bico muito fofo que queria dormir mais, foi pro banho, em seguida eu desci estava no balcão e ele chega por trás me abraçando, e beijando sem parar; - Bom dia!  - Bom dia? Já olhou quantas horas? - Caralho já é isso tudo? - Poise, você morreu lá em cima.  - Mas depois da noite de ontem queria o que? Acabou comigo, e olha que já tracei duas minas em uma noite não fiquei assim. - Haha’ tenho que concorda.  - Opa! Espera e esse silêncio!  - O que foi? - Não ta ouvindo?  - Não porra, fala logo que foi? - Cadê todo mun, pecuária esqueceu? - NOSSA, mas e ai vamos? - Se quiser ir tranquilo não to afim.  - Hum vamos passar o fim de semana fodendo então? Vou ficar com você já que implorou tanto!  - Vai nessa! Aguenta mais uma foda?

Perguntei enquanto preparava um sanduiche, e ele do lado tomando água;

- rsrsrs’ Sim.

O papo foi esse enquanto lanchávamos.  Depois do lanche deitei em uma espreguiçadeira e cochilei, acordo com os gritos do Caio vindo de longe.  - LUAN EI ACORDA!

Quando olho ele está no lago na lancha de seus pais;  - Ta brincando comigo! - Vamos dar uma volta? Sobe ai.

Partimos do porto sem direção, nos caminhos ele falava e mostrava lugares que iria com seu pai me contando várias histórias ele falava muito, era um palhaço, passei meu dia com um cara que desconhecia, o lado romântico dele, com carinhos, segurava minha mão, passava a mão em minha bunda, me mordia, e todo o percurso com um sorriso aberto no rosto.  Na noite do sábado jantamos e arrumamos a cozinha fomos assistimos um filme de ficção chamado "As Aventuras de Pi", (é perfeito recomendo), o filme era grande umas 2:20, deitamos na madrugada. Acordei no domingo bem cedo, tomei um banho e quando entrei no quarto fico olhando aquele monumento deitado em meio as roupas de cama brancas todo sexy, ele acorda e me encara todo marrento...


3 visualizações