• @rgpatrickoficial

Preso em Você - Capitulo Final

Estávamos fazendo tudo em segredo de Estado, para o Giovani não descobrir.

Ele fazia as visitas obrigatórias comigo, eu levava ele em casa e passamos os dias, para ele um passeio, para o abrigo era parte de todo o processo.

Lucas e Isabela, andando como loucos atrás dos documentos e tudo mais.... Não estava falando com ele, mas eu o via pouco mais nessa altura.

O sentimento? Não diminuiu, não mudou, continuava o mesmo, com a mesma intensidade...

Havia noites que eu perdia o sono, queria bater na sua casa para beijar ele, sentir seu corpo.

Em outro queria passar frente seu trabalho para só olhar ele, mesmo que de longe.

Até chegar em um dos dias mais loucos da minha vida.

Estava na oficina com meu pai, tudo normal, até ele receber um telefonema, ficou sério e voltou ao carro que estava trabalhando;

- João Paulo.

- Oi.

- Vou te contar uma coisa e quero que isso fique entre mim e você.

- Que foi? – Já fico tenso, pois não mentimos para minha mãe.

- Isabela ligou.... Tem outra família que abriu processo com o Giovani.

- Serio? – Digo sem acreditar.

- Sim, mas não conta para sua mãe, ela anda tão ansiosa com tudo isso.

- Pai, temos que fazer alguma coisa.

- Não tem o que fazer.

- Pai, eu estudei tudo, eles vão ouvir a criança, mas levam muito em consideração a família, a estrutura... E Giovani nem sabe que somos nós.

- Então cabe a você contar a ele meu filho.

Fico de cabeça baixa, pensando e digo;

- Vou hoje à noite e converso com ele.

Ele volta para o trabalho, deita no carrinho e entra debaixo do carro, eu fico ali, apoiado olhando para fora, vendo motos e carros passar;

- Pai.

- Fala.

- No começo para você e minha mãe foi difícil?

- Se foi difícil? Foi a mulher mais difícil que eu encontrei, mas eu amava ela meu filho.

- É eu me lembro de quando se conheceram...

- Porque a pergunta?

- O senhor errou muito com ela?

Ele solta um barulho com a boca, depois um sorriso dizendo;

- Sim, e eu sofri, e pior, fiz ela sofrer também..., Mas não desisti.

- É eu sei...

- Eu erraria tudo de novo, sofreria tudo de novo para estar com ela meu filho.

- Pai eu estou sofrendo por alguém.

- Huuum. Resolveu falar sobre.... Olha você foi mais forte que eu imaginava. – Ele sai debaixo do veículo.

- Não tem como falar com o senhor e minha mãe, sabem de tudo.

- Então quem é a sortuda?

- Tem um porem.

- Está gravida?

- PAI.

- Rsrs, não resisti.... Sua mãe ainda anda me fazendo perguntas sobre aquele dia.

- Minha mãe precisa de um psicólogo isso sim.

- Que te aflige João Paulo?

- Parece que falar isso, estou meio que medindo o quanto o senhor e ela me amam.... Eu não sei muito bem como dizer...

- João, depois de saber que está mesmo voltando a estudar nada me surpreende mais.

- A pessoa com quem eu estou passando noites acordado, que eu penso o dia todo sem cessar um minuto, é o Lucas, pai.... – Ele respira fundo, fundo mesmo, espero uma palavra dele, mas então coloco tudo para fora. – Não sei o que fazer, não sei como fazer.... Estou perdido, e ficar longe dele pai, dói. Dói muito, não sei até onde irei conseguir aguentar.

Ele coloca as chaves que estavam na mão de lado, e me abraça, tão apertado, tão quente, tão cheio de amor.

Eu comecei a chorar, sento segurado por ele.

- Escuta aqui. Você não faz ideia da sorte que tem, não passa nem na sua cabeça, talvez no seu coração. Se você errou, pede desculpas, perdão, ajoelha se preciso, mas vai e concerta o que você fez meu filho. Hoje eu conheço ele, e posso dizer, é um cara foda.

- Eu vou fazer isso. – Limpo meu rosto.

- Vai toma um banho, antes de falar com ele, fala com o Giovani, depois meu filho, resolve sua vida, vai atrás do que te faz bem, e não deixa nunca mais escapar.

- Sim, senhor. – Respiro fundo, saindo.

Foram alguns passos meios trêmulos, até a porta, e ele me chama;

- João Paulo!

- Oi?

- Não faz ideia de como eu e sua mãe somos orgulhosos de você meu filho.

- Eu te amo pai.

- Também te amo filho.

Tomei o banho mais rápido da minha vida, peguei o carro e sai de casa. Fui no caminho pensando o que falar com o Lucas, e como falar, mas já estava tão feliz de poder ver ele, a ideia de estar perto, já me fazia bem.

E então o susto!

Cheguei no abrigo, como de costume já subindo e indo para os quartos.

Quando abro a porta, e vejo a cama do Giovani sem nada, somente o colhão, vou me aproximando, e seus brinquedos, cadernos, todos os pertences dele, não havia nada ali.

- João? Que faz aqui essas horas? - Isabela aparece na porta.

- Cadê o Giovani?

- Ele foi aceito João... O processo passou! Ele foi adotado!

- Como assim? Se nós estávamos na frente?

- Amigo, a Margarida... A nova família, a decisão é do Juiz.

- O que eu vou falar para meus pais... Mas como assim, sem.... – Meu celular chama na hora.

Juro que não iria atender, mas era o Lucas, meses que ele não me ligava;

- O... Oi! Oi. – Falo com dificuldades.

- João, onde está?

- Levaram o Giovani, Lucas... O juiz...

- Fiquei sabendo, onde está João?

- No abrigo.... Mano eu não despedi dele. – Minha cabeça estava explodindo, meus olhos já lacrimejando.

- João, calma, vai para casa, estou saindo do trabalho e te encontro lá... João, a gente vai dar um jeito nisso.

- Tá... – Me levanto meio perdido. – Eu vou embora, o Lucas vai me ajudar... Cadê a Margarida? Apoio na porta olhando Isabela.

- Ela entrou de férias amigo... Calma, vem comigo, toma uma agua, tem que se acalmar.

Porra mano!

Tomei um copo de agua com açúcar, e depois peguei meu carro, eu estava tremendo tanto, mas tanto, que não sei como, eu cheguei na minha casa, juro, que não sei explicar.

Vi a moto do Lucas estacionada na porta de casa e deixei o carro aberto mesmo.

Entrei e meu pai vem da oficina, todo preocupado;

- Como está?

- Pai... levaram ele...

- Calma, entra, o Lucas está aí.

Entrei em casa, minha mãe na cozinha, e eu acompanhado do meu pai;

- Cadê o Lucas? – Olho ao redor.

- No seu quarto filho. – Minha mãe aponta.

O filho da puta, da desgraça, infeliz, estava sentado, pleno, e fino na minha cama. E mexendo no meu vídeo game o Giovani;

- SURPRESA. – O Pequeno grita comigo.

Eu apoiei na porta com as pernas moles, fui só caindo e sentei no chão, sem acreditar no que havia acabado de passar;

- A gente te pegou. – Ele vem correndo e pulando em mim.

Eu estava chorando já, a essa altura, peguei esse menino e abracei com tanta força;

- Você sabia? – Seguro seu rosto.

- Todo mundo sabia, fazia parte da surpresa. – Ele estava rindo para as paredes.

- Mano, vai pra p...

- Olha a boca. – Lucas aponta para Giovani, que cai na risada.

Eu me levanto, já bravo com todo mundo, para ajudar, chega o Vitor, Natalia, junto com a Isabela, todo mundo rindo de mim;

- Era tudo mentira? Não vão comprar casa? – Olho meus pais.

- Não.

- Eu pensei que estava mentindo para o Giovani e ele que estava me passando a perna. – Falo com ele no colo.

- Agora vou ser seu irmão. – Ele passa os bracinhos no meu pescoço.

Abraço ele, que somente nesse momento fica emotivo, e diz;

- Obrigado. – Diz bem baixo no meu ouvido.

- Eu que agradeço, te amo. – Falo também em seu ouvido. Ele se afasta e a dúvida que não quer se calar. – Como fizeram isso tão rápido?

Todo mundo, até Giovani apontaram para o Lucas.

Coloquei pequeno no chão, e meu pai fala com todo mundo;

- Vamos deixar esses dois conversarem.

Lucas estava no sofá nesse momento, peguei em sua mão, e levei até meu quarto, assim como todos ele estava emotivo.

Fechei a porta sentado na sua frente, me acomodando e segurando sua mão;

- Porque? – É a única coisa que sai da minha boca.

- Porque? Porque nunca conheci ninguém como você, porque você é especial, e me fez me sentir como a melhor pessoa do mundo. Porque João, não é somente eu que me sinto assim, olha lá fora tudo que você conseguiu. Tem ideia que mudou a vida de pessoas, com seu jeito?

Eu engolia seco, de cabeça baixa;

- Eu fui um merda com você né?

- Não fala assim...

- Mas eu fui Lucas. Me perdoa cara, de coração, é tudo novo para mim. Isso de amar, de...

- Oi? – Ele sobe meu rosto.

- De amar, eu te amo Lucas. – Consegui nesse momento ver sua alma através de seus olhos. – Eu fui um merda, errei, e fiz você sofrer. Peço desculpas por isso, sou homem o bastante para assumir isso. E se eu algum dia fazer isso novamente por favor, por favor, não vire as costas, isso dói demais.

- Eu que tenho que pedir perdão João... Achei que você saberia como "fazer" as coisas, quando me esqueci que para "nós", nada é fácil, e nunca vai ser, ir contra a manada é dolorido, mas gratificante...

- Tudo bem, chega de falar, não aguento mais de... – Beijo aquela boca, que parece me saciar de vontade.

Deve ser como usar uma droga viciante. Foi o beijo, o momento mais importante de toda a minha vida;

- Vem comigo, tenho que te apresentar umas pessoas. – Levanto com ele.

Abri a porta do quarto, e todo mundo caladinho na sala, olhando de lado, desconfiados, meio que disfarçando;

- Mae, pai! Vitor, Natalia, Isa e meu irmão Giovani, quero que conheçam meu namorado, o Lucas. Lucas essas são as pessoas mais importantes na minha vida, todas estão nessa sala.

- Oi gente. – Ele diz vermelho.

- Viu mãe, não está gravido. – Digo fazendo ela voltar com o olhar de desconfiança.

E sorriso de todos, assim mesmo como o seu agora. 🤗😬

#######################################

QUE JP E LUCAS TENHAM TOCADO VOCÊ ASSIM COMO MEXEU COMIGO, A LEVASA DA HISTORIA, O ENREDO RAPIDO E FACIL DE LER, A VELHA AMIZADE QUE SE TRANSFORMA ALGO MAIS... OS DESAFIOS QUE SEMPRE VÃO ESTAR POR LÁ, E CLARO O AMOR! PURO E SIMPLES COMO DEVE SER.🏳️‍🌈

OBRA DEDICADA AOS LEITORES E AMANTES DAS PALAVRAS, ASSIM COMO OS ESCRITORES QUE TRANSMITEM ESSES SENTIMENTOS EM LINHAS, PARAGRAFOS, E PAGINAS.

O MEU OBRIGADO POR TER CHEGADO ATÉ AQUI!

R. G. PATRICK ❤️

19 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia