• @rgpatrickoficial

Pecado do Interior - Capítulo 5



#Gabriel


Jorge tem minha idade, Abadia o criou até os onze anos, depois disso ele morou com o pai até então, Jorge tinha visitas anuais para ver sua mãe.

Subimos e ele veio me contando sobre tudo como foi está longe da Abadia, e ansiedade em voltar.

Entrei no quarto deixei minhas malas fui ao banheiro ele ficou no computador, há ele é fascinado em eletrônicos fica quase 24 horas conectado, quando sai ele estava com uma página do Facebook aberta era sua linha do tempo, pessoal tinha 578 Notificações, eu fiquei louco;

- Ei o que é isso?

- Jorge quantos amigos tem no Facebook?

- O Limite, 5,000 mil.

Eu o fiz provar não acreditei.

- E Seguidores?

- Tenho 880 mil seguidores no Instagram!

- Como assim?

Jorge tinha um canal no Youtube, mas era mais "conhecido" no Instagram, mostrou os vídeos e tal.

Estávamos sentados na varanda do meu quarto, quando percebi que a piscina havia acabado de ser limpa;

- E aí, será que agora consegue atravessar a piscina e voltar ou sou melhor que você nisso também? - Pergunto tirando uma com a cara dele.

- Quantos seguidores no Instagram você tem mesmo?

Mostro o dedo do meio pra ele.

- Viado! - Digo me levantando.

Entrei no banheiro e coloquei uma das sungas que tinha, e descemos;

- Gabriel que acha de fazer uma live no Insta?

- Na hora, me marca aí em, rsrs. - Falo com a toalha nas costas.

- Meninos querem comer algo? - Abadia pergunta descendo as escadas.

- Obrigado mãe! - Disse ele sempre educado.

- Eu não vou gostar da ideia de dividir a sua mãe com você não Jorge rsrs.

- Agora é minha vez! rsrs.

- Pessoal seguimos para a piscina, e ele então começou a transmitir a live.

- E ai, galera!

Eu entrei na água enquanto ele comentava algo com o pessoal, e então Jorge se aproxima da piscina, ele ficou de costas e eu dentro d´água;

- Pessoa hoje vou apresentar a vocês, um cara foda que conheço desde de moleque.

- Chega ai Gabriel!

Saio da piscina e vou até ele.

- Vou deixar o @GabrielBorges aqui para depois conferirem.

- Mais agora iremos fazer um pequeno desafio, que nada mais rápido.

- Depois conversamos de o porquê eu estar no Rio de Janeiro.... Preparado?

- Sempre!

Ele colocou o celular em um lugar onde ficava visível, e então seguimos para a outra borda da piscina, contamos até 3 e pulamos. Fui o mais rápido possível, e ganhei, ele pediu revanche e eu perdi.

Então foi a melhor de 3, galera eu o ganhei ficou todo sem graça. Jorge saiu da piscina e despediu do pessoal, e tals, e eu só no meu celular acompanhando o "movimento".

Depois ele pula na água fazendo o pulo, "Bola de canhão", e começamos uma guerra de água, até eu ouvir;

- Atrapalho?

Paramos olhando pra ele.

- E aí está afim de entrar?

Adrian não parava de encarrar o Jorge olhava ele com raiva.

Jorge saiu da piscina passou a toalha no corpo e cumprimentou ele.

Gabriel vou lá dentro pegar meu carregador!

- Vai lá.

Fiquei olhando-o entrar quando vejo Adrian está no seu quintal, fui atrás dele;

- Que foi isso agora?

- Não disse nada!

- Então porque essa cara?

- E porque está falando assim comigo?

- Nada.

- Aquele é o filho da Abadia, praticamente um irmão para mim Adrian.

- Não disse nada, e outra não me deve satisfação não, Gabriel.

Fiquei puto com a palhaçada dele.

- Realmente não te devo mesmo não.

- Pode deixar que não vou mais atrapalhar você com seu amiguinho não.

Ele falou com um tom meio alto.

Deixei Adrian falando sozinho.

Durante a noite, fiquei mais interdito com o Jorge, e também desfiz minhas malas, estranhamente meus pais estavam em casa, e jantamos em família, o que acontece como o Natal, uma vez no ano.

Eu subi cedo para meu quarto, tentei dormir, mas nada de pegar no sono. Por volta de meia noite desço até a cozinha e Jorge está conversando com a Abadia;

- Não dormiu ainda? Tem aula amanhã. - Abadia comenta.

- Estou sem sono.

- E vocês?

Falo abrindo a geladeira e pegando um leite.

- O garotão aqui está com medo da aula amanhã. - Abadia fala.

- Ei relaxa, cuido de você lá Jorge.

- Vai cuidar mesmo Gabriel? - Abadia pergunta.

- É claro, vou ficar de olho, qualquer coisa eu te conto, nada de meninas, e conversar na sala de aula. rsrs.

Ele ficou sem graça.

- Depois dessa vou até dormir.

- Boa Noite para vocês.

- Boa Noite.

Acordei cedo no outro dia, me arrumei e desci para tomar café, somente minha mãe estava em casa, meu pai estava no trabalho, tomamos café rápido, pois estar ansioso, para aula, e ver o Adrian, sério não entendi ele.

Minha mãe deixou eu e Jorge no PH, pessoal foi descer do carro, vejo os meninos na rodinha conversando, seguimos até eles, Lucas e Jefferson, que cumprimentaram Jorge tranquilamente conversamos falando da viagem e tals, Bruna e Juliana chegaram, Bruna se aproxima cumprimenta os meninos toda alegre, trocando olhares com o Jorge.

- Você tem dono, tira o olho do garoto! - Falo abraçando-a.

- Você também tira o olho dele. - Eu falo zoando.

- Eu vi primeiro. - Rimos e ela me deu um selinho.

Ao olhar Adrian chega, ele desce do carro se aproxima da turma, e cumprimenta todos, todo mundo, e me ignora, com a Bruna abraçada em mim ele a cumprimenta e me ignora. Todos olharam sem entender, ele então entra, claro que questionaram, mas nem eu soube responder, um silencio se instalou, só foi quebrado quando ouvimos uns gritos de cinco garotas próximos a nós.

- AAAAAAH' JORGE ANTONIO?

Elas gritaram e pularam nele era como ter uma celebridade próxima, todos ficaram sem entender.

- Aí não acredito!

- Tira uma foto com a gente!

- Vimos sua postagem então decidimos vir para te ver.

Foram vários elogios e tals, o todo mundo olhava para ver quem era;

- Jorge isso está virando bagunça é mais seguro entrarmos.

Falei pegando em seu braço, ele riu concordou eu e os meninos o auxiliaram, dentro da sala ele explicou tudo, então ganhou mais admiradores, galera o dia no colégio foi demais, somente Adrian que estava de cara fechada para o meu lado, decidi ir à casa dele quando sair do colégio, com esperança de estar mais tranquilo.

Jorge não jogava bola, mais tinha que participar do treino como pontuação na matéria de Educação Física.

Na hora de ir embora eu estava do lado de fora esperando Jorge que tinha ido na sala da coordenação, e Bruna estava comigo, estávamos falando dele, quando vem Juliana correndo;

- Gabriel Corre, o Jorge está brigando.

Não a deixei terminar de falar fui correndo o mais rápido que podia.

Quando cheguei tinha um monte de gente junto, eu praticamente pulei no meio;

- Está de brincadeira com a minha cara?

- Falo ao ver o Jefferson "armado” ...

- Eu vou quebrar sua cara. - Ele fala ameaçando o Jorge.

- Seu namorado chegou para ajudar né, pode vir os dois se quiser!

Ele estava alterado.

Jorge partiu para cima dele, eu aí nada sem entender, tentei segurar ele;

- Deixa vir deixa. - Jefferson ficava atiçando-o.

Eu virei segurando o Jorge, para saímos de lá;

- Me ajuda Bruna. - Falo para ela que pega a mochila dele.

O Lucas chega para ajudar e se aproxima de mim, questionando, quando escuto;

- Ah já vai contar para mamãe dele Gabriel?

Opa esqueci ela deve estar ocupada limpando a privada da sua família.

O Jorge pulou três metros de altura com isso, digamos que eu fui mais alto, o sangue subiu na cabeça, meio que empurrei o Jorge para cima do Lucas;

- SEGURA ELE. - Falo indo para cima do Jefferson. Empurrei ele com força questiona. - Repete se for homem, repete?

- Empregadinha sim, porque? - Ele fala cuspindo em minha cara, mas desvio e pega na camisa.

Eu aí nada não sabia o que tinha acontecido, mas sabia que ele passou dos limites.

Dei um soco em sua cara próximo ao nariz, ele se virou o sangue caiu, mas ele revidou com rapidez, só senti uma pancada no rosto minha cabeça quase deslocando, ele me socou, os seguranças chegaram eu estava possesso de raiva.

Pessoal isso aconteceu em segundos, foi muito rápido. Fomos encaminhados a Direção, e eu estava com um pequeno sangramento na altura do olho próximo sobrancelha, o Jefferson estava estranho, camisa cheia de sangue e com a boca cortada, e nariz saindo sangue, na sala do diretor me responsabilizei por tudo, e fomos encaminhados ao hospital, pedi que fosse onde meus pais trabalhavam.

Doutora Magda, favor comparecer na Emergência, Doutora Magda Favor comparecer a emergência. - Dizia o anuncio no hospital.

Minha mãe vem no corredor até então tranquila, dentro do quarto consigo ver ela, ao ver o diretor da minha escola ela começa a correr, entra no quarto muito rápida;

- Doutora ele se envolveu em... - Dizia o diretor.

- Você cale a boca, para fora, quem o deixou entrar?

- SEGURANÇA! Acompanhe esse senhor até a sala de espera. - Ela fala com muita raiva e preocupação.

- Mãe não foi nada. - Falo.

- Como cortou Gabriel?

- Você bateu a cabeça?

Prepare a sala de Tomografia.

- Eu me envolvi em uma briga. - Falo cabisbaixo.

Ela colocou o estetoscópio envolta do pescoço e respira fundo;

- Depois conversamos sobre isso, agora o que está se sentindo?

Depois disso ela me tratou como qualquer paciente. Não foi nada, eu recebi uns pontos, e estava liberado. Ah e minha mãe fez pedir desculpas para o diretor.

Cheguei em casa o Jorge já estava com aquela cara que tinha levado um "esporro" de sua mãe. A Abadia me abraça, conversei e expliquei estar tudo bem.

Jorge contou que aquilo tudo, foi por uma garota que o Jefferson está afim pegou o número dele, tipo trocaram contatos, e o louco foi para cima. Para completar tinha vídeos da briga na internet, nossa foi uma merda que só.

Fiquei no meu quarto, pois a medicação que recebi me deixou sonolento, e peguei no sono, acordo minutos depois com a Abadia me chamando;

- Gabriel? Gabriel... Filho.

- Oi!

- Tem visita querido.

- Visita Abadia? - Pergunto protegendo os olhos da claridade.

- Oi! - Fala o Adrian saindo de trás dela.

Ela saiu descendo;

- Eu fiquei sabendo o que ouve, como está se sentindo?

- Vaso ruim não quebra. - Falo tirando um sorriso tímido dele.

- Me desculpe por ontem!

- Esquece.

- Jorge veio falar comigo no PH hoje, fui um idiota.

- Foi mesmo!

- Então estou desculpado?

- Depende.

Adrian se inclina e me dá um selinho;

- Minha mãe pediu para tomar esse remédio! - Jorge fala na porta do quarto, vendo-nos se beijar.

Fiquei pálido, em choque, as únicas palavras que sairão foram;

- Jorge Não é.... - Tentei dizer sem graça, e gaguejando.

Ele ficou pouco sem graça, assim como Adrian que se afastou;

- Ei, tudo bem! Fiquem tranquilos, me desculpe. - Ele fala entrando.

Jorge se sentou na cadeira do logo atrás, o Adrian se virou, ficando sentado na cama, meio que "virado" para ambos. Jorge então comenta;

- Gabriel por hoje, Valeu.

- Não tem esse de agradecer não, somos irmão ou não?

- Claro que somos!

- Ele precisava daquilo, Jefferson estava passando dos limites já havia uns dias.

- Queria eu dar umas na cara daquele cara, rsrs.

- Mas eu só não entendi o porquê? - Adrian questiona a gente.

- Primeiro: ele é louco, e segundo, o Jorge somente pegou o telefone da Anabela, o Jefferson surtou.

- Ele acha que a garota está afim dele, e só fica dando fora, o Jefferson é louco. - Adrian fala

41 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia