• @rgpatrickoficial

PARADIGMA - Capitulo 6

O pequeno vem correndo gritando e abraça a Rebeca, todos ficamos desconcertados;

- Vamos filho, pega suas coisas, vamos. – Ela fala saindo.

- Vem Theo, vou te ajudar com sua mala. – Edu fala ajudando.

Eu pego uma agua com minha mãe falando ainda na minha cabeça;

- (...) Mãe a culpa não é minha. A senhora sabe, se eu ficar com o Gabriel e o Nicolas souber ele pega também, parece que me ama. To cansado disso.

- Você já falou com ele? Porque depois do sétimo ano, vocês só brigam.

- Eu vou dar uma volta! – Falo indo no meu quarto pegando meu capacete.

#Eduardo

Queria eu que esse dia chegasse ao sim.

Cheguei na oficina e o Ricardo tinha chegado de viagem, mas pegou um capacete, e iria saindo de novo;

- Ricardo o Emanuel vai vir aqui falar contigo mano. – Falo quando encontro ele de fora.

- Não demoro Eduardo, vou só no banco, e escuta fala para ele deixar a Hornet, vou trocar o escapamento que ele pediu.

- Beleza.

Entrei olhando os serviços do dia, e foi o Ricardo sair e sumir de vista o Emanuel aponta com sua moto, como de costume ele chega na oficina já entrando para dentro.

- Iria te ligar, Ricardo acabou de sair.

- Bom demais, preciso falar contigo sobre aquela parada da Oficina.

- Que foi? – Pergunto ligando o computador atrás do balcão.

- Você vai correr na Shaluna!

- Como assim?

- Consegui um carro e patrocinador!

- Calma ai, ta falando o que Emanuel?

- Santiago me ofereceu um carro, e parceria na Autotec.

- E o Nicolas, Emanuel?

- Nicolas está fora, ele não vai correr, saiu da oficina, e a corrida é daqui a poucos dias.

- E se ele correr?

- O Dodger do Nicolas não bate um Mustang 1967!

- Porra, ele te conseguiu um Mustang?

- Mano uma corrida e pronto, compramos o cão guia da mãe, e com você correndo na moto, pode comprar a oficina de boa cara.

- Ainda não sei se é uma boa ideia cara!

- Relaxa mano já pensei em tudo. Essa tarde irei fazer uns testes na pista, e você vai e dá uma volta com a Hornet, Beleza.

- Beleza.

- Vou deixar a moto aqui, e ir encontrar o Jorge, dar ideia nele.

- Vai lá.

#Emanuel

Pessoal eu liguei para Jorge e ele estava em uma loja perto da oficina, que facilitaria ir andando.

Era na verdade uma tabacaria, eu cheguei e entrei pedindo para falar com ele;

- E aí mano, beleza. Jorge está? – Pergunto ao balconista.

- JORGE. – Ele grita.

O filho da mãe aparece ao lado direito me assustando;

- Diz ai meu querido?

- Preciso falar contigo.

- Entra ai. – Ele fala saindo.

Era um corredor com as paredes de cimento, seguimos até o final, onde um rapaz estava contando umas caixas de cigarros;

- Cara você tem negócios na cidade inteira? – Pergunto chegando na porta do lugar.

- Fala logo o que quer “moço”?

- Não vou correr na próxima corrida.

- O que? Já estou vendendo aposta Emanuel, ta maluco? – Ele fala se levantando.

- Não vou correr na moto, meu irmão vai!

- Eduardo?

- Sim, ué. Olha vou correr com o Santiago, que fique entre nós beleza.

- Ta falando sério? Fiquei sabendo que ele iria contratar um piloto, mas não sabia ser você.

- Sim, pode mudar as apostas.

- Pode crê Emanuel. Escuta, acho que é a última corrida do ano, policia ta foda mano.

- Cara então dobra esse valor ai, to precisando de grana.

- Relaxa, vai ter o seu.

- Vou nessa então, falou mano. – Falo despedindo.

Liguei para a Pamela confirmando ela estar no escritório, para ir vê-la.

Cheguei e ela estava falando no telefone, pouco atarefada;

- Oi. – Falo baixo beijando sua testa.

- Oi. – Ela responde se levantando. – Calma ai.

Ela sai pelo corredor com uns papeis, eu me sentei, e ela já retorna;

- Estão em reunião, uma correria... Cadê a moto Emanuel? – Ela pergunta sentando atrás da mesa.

- Na oficina, Eduardo vai trocar escapamento, e fazer uma revisão, ele vai correr nela. – Eu termino de falar e ela que estava separando uns papeis olha.

- Porque ele vai correr?

- Eduardo sempre quis, vamos treinar um pouco hoje e vou preparar ele para a Shaluna. Jorge disse ser a última desse ano.

Pamela passa a mão arrumando o cabelo atrás da orelha e fala;

- Não me diga que você vai...

- Vou correr para o Santiago.

- No carro do Nicolas?

- Não, ele está fora. Preparam um carro para mim.

- Quando você vai para com essa paranoia em Nicolas em Emanuel? – Ela já muda o tom de voz.

- Eu não fiz nada, ele quem começou. Só vou pagar com a mesma moeda.

- Que leva você pensar que vai ganhar? Nicolas nunca perdeu.

- Para tudo tem a primeira vez.

- Ta, eu não falo mais nada, você não escuta ninguém, é teimoso demais.

- Pamela olha eu...

- Chega Emanuel.... Tem outra coisa que precisa saber, mas tem que me prometer manter segredo até mesmo do seu irmão?

- Que aconteceu?

- Me promete?

- Eu prometo Pamela. – Fiquei receoso da forma que ela se alterou novamente.

Ficou desconfortável, mãos frias e soadas. Pamela sai de trás da mesa e senta do meu lado, fala em um tom baixo, porem preocupada;

- Gabriel me disse que vai pedir demissão.

- Porque?

- Olha eu acho, não tenho certeza, mas acho que ele e Nicolas estão ficando. Ouvi os dois discutindo aqui.

- Mas o que uma coisa tem a ver com a outra?

- Ele não falou muito, mas acho que Gabriel está apaixonado e o Nicolas não quer nada. Ele comentou estar sofrendo.

- Pamela você está dizendo que Nicolas Barone é gay?

- Estou dizendo que eu acho Emanuel.

- Você está bem? – Pergunto sem entender.

- Sim, porque? Não está acreditando né?

- Não, nem um pouco. Mais fácil o Gabriel estar apaixonado por mim.

Ela revira os olhos, ficou brava com o comentário;

- Só achei estranho, foi o que achei. Posso estar errada, mesmo assim, fique em silencio em Emanuel.

- Relaxa. – Falo me levantando. – Vou nessa dar uma olhada no carro.

- Vai mesmo insistir nisso?

- Sim.

- Tem algo que eu possa fazer para que você não corra?

- Ganhe de Nicolas.

- Ele nem vai correr.

- É o que todos estão dizendo. – Pamela fala voltando a mesa.

O telefone toca e ela atende, eu gesticulo dizendo tchau com a mão e ela pisca para mim.

Pessoal nesse dia, fui com Eduardo para a Shaluna, somente nós dois, fizemos milhares de voltas, testando tempo, e desempenho da Hornet;

- Não tem como perder, eu não sei de outra que faz esse tempo aqui na região. – Falo mostrando a tabela para ele.

Eduardo tira o capacete, postando a moto no tripé;

- Vou trocar essa relação, é uma por corrida porra. Olhar os pneus, acho que é isso.

- Beleza. Falou com o Ricardo?

- Sim, ele está sabendo que vou correr para ele.

- E a oficina?

- Vamos falar depois da corrida, acho que ele está querendo ver meu desempenho na pista.

- Você está bom, bom quanto eu. – Falo batendo em suas costas. – Vamos nessa?

- Sim.

#Nicolas

Estes dias o Eduardo foi a minha casa, nós estávamos jogando quando ele pede uma opinião;

- Mano, tem uma coisa me tirando o sono, posso confiar? – Ele fala antes de começarmos outra partida.

- Diz ai. – Falo levantando e pegando a cerveja.

- Não tenho certeza, mas acho que estou curtindo a Pamela.

Cara eu olhei para ele, com os olhos arregalados;

- Como assim? Vocês estão ficando?

- Não, está maluco! Não paro de pensar nela cara do céu. Coisa mais estranha.

- E a Juliana?

- Estamos transando, mas sei lá Nicolas, a Pamela é tão perfeitinha.

- Mano do céu! Tira ela da cabeça. Seu irmão é fascinado naquela mina.

- Emanuel e Pamela só transam, eles não tem nada, ela mesmo fala que não quer nada, com ele e ninguém.

- Como assim Eduardo? Não namoram? Os dois só ficam juntos, e ela não dá bola para ninguém.

- Emanuel só come ela, e faz um tempo que eles não ficam.

- Acho que está afim dela, por conhecer ela desde criança não?

- Sim, pode ser, só sei que tenho que tirar ela da cabeça cara.

- A única coisa que quero saber é quem vai correr! Mano o Jorge está ganhando dinheiro em cima de um piloto misterioso. Tenho certeza que esse cara vai correr com o Santiago, tenho certeza.

- É eu não sei de nada mano.

- Foda cara. E você então vai correr?

- Sim, Emanuel vai deixar eu pegar a Hornet na pista. Jorge está curtindo a ideia, aumenta as apostas e os corredores né.

- Sim, mano e consegue logo a grana para sua mãe.

- Sim, vamos conseguir a grana nesse dia.

Voltamos a jogar normalmente, mas depois ainda ele tocou no assunto da Pamela, sério pessoal, nunca vi o Eduardo daquele jeito, estava realmente diferente, acho que essa é a palavra.

#Eduardo

Quatro dias, quatro dias treinando e trabalhando ao máximo na Hornet, o Emanuel também correu com seu carro, mas ele fez poucos testes, e realmente estava pilotando uma “fera”.

Nesta correria eu vi o Nicolas somente naquele dia, e vocês devem estar se perguntando o porque eu não falei do meu irmão para ele. Bem não iria colocar mais fogo nessa fogueira, e ter o Nicolas fora da corrida, vocês sabem garante que meu irmão ganha, e como ele aparentemente não iria correr, estava somente curioso, para mim bastava.

Mas vocês não têm ideia do tamanho da merda desta noite, a última Shaluna do ano de 2019.

O Jorge se superou nesse dia, a organização e quantidade de pessoas estava fora do comum.

Ricardo me apoiou em cem por cento, junto ao Romulo, chegamos cedo, pois iria conferir a pista para o Jorge, e os meninos lustrando a Hornet. Meu irmão chegaria mais tarde.

Pessoal, fui junto a um cara conferindo a pista, se estava limpa e tirar tudo que pudesse atrapalhar, ao lado o pessoal iluminando o local, com pequenas fogueiras, colocadas estrategicamente.

Seguimos andando indo, e voltando, enquanto o pessoal estava chegando aos poucos, eu não conhecia o cara, mas estávamos trocando ideia;

- Tem show na cidade, é um excelente dia, a polícia vai estar toda ocupada.

- Show da prefeitura?

- Sim, gratuito, aí já viu né, estão todos lá.

- É Jorge não é burro não.

Voltamos e confirmamos para os seguranças o estado da pista.

Eu estava com esse “maluco”, conversando com os seguranças quando escuto o barulho do Dodger Charge do Nicolas, cheguei a gaguejar olhando ao redor.

Era ele galera, chegando no meio da galera, e colocando o carro dele na fila com os outros corredores, eu fiquei sem ar na hora.

Me aproximei rápido, enquanto ele descia do carro;

- Valeu galera.... Pode marcar aí, 19. – Ele fala para o fiscal da pista, escrever o número no carro para competir. – Mano não está pensando em correr certo? – Pergunto chegando nele.

- É claro que vou correr, e vou correr sozinho, sem oficina, sem ninguém. – Ele diz todo confiante batendo em meu peito.

Como eu vi o carro do Emanuel, e sabia como estava turbinado, falei com o Nicolas;

- Mano seu carro não está preparado para essa corrida não.

- Relaxa Edu, fiz umas alterações.... Chega ai. – Ele fala me puxando para o canto mais distantes das pessoas. – Debaixo daquele capo tem um turbo duplo, ele aumenta o fluxo da injeção de ar, e com isso o motor funciona mais rápido e com maior compressão. Viu não preciso do Santiago para ganhar não irmão.

- Nicolas! Mano acho que não é uma boa ideia.

- Calma mano, e tem dois nitros para emergência, mas segredo, para qualquer emergência, eu adaptei ele todo, é outro carro por dentro. Testei ele e cheguei a inacreditáveis 9 segundos.

- Puta que pariu.

- É mano, tem um mostro ali.... Agora cadê esse novo corredor em? – Nicolas fala voltando olhando os carros.

Eu peguei o celular até tremendo, tentei por tudo falar com o Emanuel e nada, só consegui falar com a Pamela;

- Oi Edu.

- Onde você está? Está com meu irmão?

- Não, estou na Shaluna.... Aqui, olha para cima. – Ela diz.

Na pequena arquibancada ela fazendo sinal de tchau;

- Valeu.

- Olha ele chegando lá. – Pamela fala apontando.

Nicolas estava parado ao lado do seu carro, falando com o Jorge, e meu irmão chega no Mustang, o carro estava brilhando, lindo, perfeito, mas agora eu sabia que não corria quanto o do Nicolas, não com todas essas alterações.

Emanuel chega parando do lado, ele até então não sabia de Nicolas, o encara em segundos abre um sorriso, se aproxima de Jorge e entrega a grana.

- Eduardo vamos, se trocar mano, você é o próximo. – Fala o Romulo chegando.

- Já vou.


8 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia