• @rgpatrickoficial

PARADIGMA - Capitulo 23

- Ai meu Deus. – Nicolas diz baixo.

- Não vão falar nada? – Gabriel pergunta.

- Falar o que Gabriel? – Questiono.

- Desculpas talvez... Calma aí, desde quando estão se pegando.

- Não é da sua conta! – Nicolas diz passando por ele.

- Se não me contar vou falar de vocês para todo mundo.

- Está me ameaçando de novo garoto? – Nicolas parte para cima dele.

Eu o seguro, pois ele havia bebido;

- Você quem pediu.

Nicolas cuspe nos pés de Gabriel, falando;

- Eu tenho nojo de você! Ter inveja tudo bem, agora falar isso na nossa cara!

- Eu não estou com inveja de vocês. Só mentiram para mim, e eu quero saber o porquê? Falei que amava, os dois, você Emanuel e você Nicolas, e só me descartaram, o Nicolas ainda usou, você não teve a chance Emanuel.

- Vou te explicar de uma forma, mais didática Gabriel. – Falo com a mão próximo a boca, e a outra segurando o Nico. – Não somos sua prioridade, e respeito é negar seu pedido. Vamos Nicolas.

- Vai.... Pode ir, espero que sejam muito felizes juntos, bando de incubado.

- Só não quebrei ele porque estava por perto. – Nicolas fala arrumando a camisa que segurei.

- Relaxa vai.

Nós voltamos, pegamos mais duas cervejas, e Pamela pede o carregador de Nicolas emprestado, ele vai até o carro, e me chama.

Claro que era para dar uns amassos, mais tranquilos, sem ninguém por perto, e rapaz!

Peguei ele de jeito no banco de trás, beijava seu pescoço, e mordia bua boca, com a mão dentro de sua calça, ele com dificuldade para respirar;

- Mano, não dá.

- Que foi?

- Vamos para minha casa, estou só lá.

- Beleza.

Ele leva o carregador, e então retorna, eu evitei despedir do pessoal, alguns já estavam bêbados mesmo.

Acho que já perceberam o quanto eu curto uma sacanagem não é verdade... Pois bem, o Nicolas estava pilotando e eu excitado massageando por cima da bermuda, ele olha duas vezes, e então eu pego sua mão colocando por cima da bermuda.

Melhor coisa é ter alguém colocando a mão dentro da sua cueca, caralho! Ele tirou meu cassete e ficou massageando, e pilotando com uma das mãos. Eu coloco os braços atrás da cabeça e fico curtindo. Tive que me segurar par não gozar com a cena e a adrenalina.

Na casa dele, mal esperamos entrar, seguimos para seu quarto, e ele trancou a porta.

Eu tirei a camisa e peguei Nicolas de jeito, beijando sua boca, pegando forte em sua bunda e massageando, deixando ele nu ali na minha frente só para mim, enquanto sua língua dançava em minha boca.

Caímos na cama, com ele sobre mim, e aos poucos descendo minha bermuda e cueca, ele retorna, mordiscando minha coxa, e brincando com a língua. Até me chupar, serio na boa, eu passaria a noite inteira, com ele com essa boca em mim.

Seguro seus cabelos e gesticulando com sua cabeça em movimentos circulares, forçando contra meu membro, e o fazendo engasgar comigo.

Mano me sento beijando sua boca molhada, e o virando na cama, massageando seu membro.

Confesso não ser o melhor em chupar um cara, mas eu tento me superar, pelo menos fazer Nicolas gemer alto eu consigo, ele coloca o travesseiro no rosto, para abafar o som, e eu seguro suas mãos, deixando ele contorcer de prazer.

Vou subindo em sua barriga, mordendo seu peitoral, chegando em seu pescoço, e passando a língua, até sua orelha, Nicolas gemia e se arrepiava todo, se contorcendo de desejo.

Viro ele, deitando de lado, no caso atrás dele, e passo meu braço, deixando ele deitado corpo a corpo.

Beijando sua boca, e mordiscando sua orelha, ao mesmo tempo forçando em sua entrada, ele gemendo lentamente, e coloco minha mão próxima ele chupa um dos meus dedos, cara que tesão da hora.

Vou introduzindo, aos poucos, até ele sentir tudo, eu fico pouco quieto, para ele se acostumar. Até Nicolas levantar pouco a perna e fazer movimento com o quadril, encaixando perfeitamente, eu até solto um respiro próximo ao seu ouvido.

Eu abro um sorriso e ele questiona;

- Que foi?

- Fazendo assim eu maltrato demais você, rsrs. – Respondo rindo e beijando sua boca

Com início dos movimentos, bem lentamente, fazendo gostoso, sentindo ele por inteiro, o calor do seu corpo me fazendo soar.

Continuando nessa posição era gozar rápido na certa, porem para tentar segurar pouco mais, eu fico de joelhos, colocando ele de frango assado, que é o nosso ponto fraco.

Seguro sua nuca, e começo um movimento bem mais rápido, fazendo as estocadas ficarem cada vez mais e mais alta, ele gemendo gostoso enquanto tenta beijar em minha boca.

Praticamente deito sob ele, segurando com as mãos por baixo do seu corpo sua bunda, e fodendo mais e mais forte, fazendo ele quase rasgar minhas costas com suas mãos, que desciam até minha bunda e puxavam meu cabelo.

É inevitável gozar transando assim, galera eu acho que nunca gozei tão gostoso, enfiando o mais e mais fundo que eu consegui, ele até tentando sair de mim;

- Ai, caralho... Calma ai Emanuel.

Serio o tesão era tanto que eu segurava ele, mesmo pedindo para soltar, eu olho e solto sua mão, ele olha para baixo rindo;

- Gozei sem nem precisar me tocar.

- Acho que consegui, engravidei você. – Falo beijando sua boca.

- Nossa, olha, minhas pernas estão tremendo. – Nicolas fala passando a mão no suor.

Eu deito do lado dele, todo mole;

- Vou tomar um banho.

- Vai lá, vou esperar um pouco, ufa.

Entrei no banheiro, colocando em uma agua morna, e então escuto o Nicolas chamando;

- Ei mano! – Ele fala entrando no banheiro.

- Que foi?

- Escuta o áudio da Pamela.

Ele fala apertando o play. “Amigo o Gabriel está gritando para todo mundo aqui que pegou vocês juntos..., Mas Jorge colocou ele para fora, relaxa ninguém acreditou Emanuel, mas ele não tem jeito viu, tem que dar um fora nesse garoto amigo”.

- Quando eu ver esse cara, vou acertar a cara dele Emanuel, porra não sai do pé.

- Relaxa Nicolas, só de estarmos juntos já é a pior coisa para ele.

Nicolas ergue uma das sobrancelhas e rindo questiona;

- Estamos juntos?

- Nem vem com essa seu viado. – Falo jogando agua nele.

Nicolas entra comigo no banho, me acompanhando naquela agua perfeita.

#Eduardo

Três dias depois, Inauguração Oficial da Shaluna, o Jorge não me deixava em paz, o Nicolas correndo o dia todo com ele, Pamela também estava junto.

Como eu iria correr essa noite, fiquei desde madrugada trabalhando na moto, até porque teria que entregar mais do que o normal.

O Emanuel Iria pegar o carro do Jorge e levaríamos a moto essa tarde para a Shaluna.

Isso foi por volta das cinco da tarde, ele chegou com o Theo, e estacionou para facilitar;

- Tio chegamos... vamos rápido como quer ganhar a corrida se está dormindo. – Ele fala, mas escuto o pai dele sussurrando em seu ouvido.

- Vem me ajudar ué, você só está aí dentro. – Falo tirando a moto.

- Leva a caixa de ferramentas mano, e a cera também. – Ele fala ajudando.

- Filho pega aquela chave no chão para o Tio Edu.

Colocamos a moto, eu fechei a oficina, e seguimos para a Shaluna;

- Vai deixar o carro lá Emanuel?

- Sim, Nicolas está lá, ele dá uma carona para a gente... Pamela está toda estressada.

- Aí logo hoje.

- Sim, algumas coisas não estão saindo como ela pensou! Jorge alugou uma sala e a tia dela está enrolando para entregar os lanches, e tu conhece o Jorge.

- Aí mano, nem me fala... E Romulo?

- Já está por lá.

Depois de alguns assuntos, questiono o meu irmão;

- Ontem o Gabriel fez um show lá depois que foram embora. Você não dormiu em casa, estava com o Nicolas?

- Sim... Gabriel é um pau no cu Eduardo! Enquanto alguém não quebrar os dentes dele, não toma jeito.

- E você em, já falou do Nicolas para... – Falo gesticulando com a cabeça.

Para Theo, ele olha e faz que não com a cabeça, Emanuel fica pouco em silencio e fala;

- Filho que acha do Nicolas?

- O Nico?

- Sim.

- Eu gosto dele... É o único que ganha do meu tio no PlayStation.

- É claro, você e ele contra mim, não é justo.

- Eu sou uma criança tio.

- Mesmo assim.

- Eduardo calma aí... Theo a Clarissa da sua sala tem duas mães, não é ela?

- Sim.

- E o que você acha em?

- Eu não acho nada, a vida é delas ué.

Emanuel chega a errar a marcha do carro;

- Ei cuidado a moto lá atrás. – Falo.

- Foi mal... Que legal filho falar assim.

Emanuel meio que engasga para continuar falando e eu então falo;

- Theo já pensou se seu pai estivesse namorando com o Nicolas, que você acha.

Ele fica calado, pensando, com a mão na boca, Emanuel até pálido;

- Eu acho o mesmo.

- Mesmo o que filho?

- Que dá Clarissa.... Não tem problema, se o senhor gosta dele, e ele gosta do senhor pronto.

Emanuel ergue pouco a cabeça, um nó na garganta é perceptível, ele segura o choro, disfarçando. Eu abraço o Theo falando;

- Esse é meu sobrinho.

- Porque? Estão namorando? – Ele pergunta.

- Mais ou menos filho. – Emanuel tenta dizer algo, junto a um carinho na cabeça do filho.

Eu agradeço, mesmo de coração ver uma cena assim, de uma pai e filho. Eu me emocionei junto a eles;

- Quero que minha filha, seja igual você.... Inteligente, humilde e muito esperto, você é muito especial viu. – Falo beijando sua testa.

Quando chegamos, colocamos ela na garagem, fechando e lacrando tudo, eu ainda ajudei a conferir a pista, antes de irmos embora, o Nicolas estava até sem camisa, o quanto havia trabalhado aqui.


6 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia