• @rgpatrickoficial

PARADIGMA - Capitulo 21

#Emanuel

Acho que devem ao menos imaginar a situação que eu cheguei em casa, para completar pego uma chuva no caminho, cara o planeta estava conspirando contra mim.

Eu chegue em casa encharcado de agua, fui tomar um banho, para não pegar um resfriado, como minha mãe estava em casa, aproveitei e chorei o que tinha no banho, assim não precisava ficar dando explicações.

Eu sai, me troquei, colocando um moletom velho que tenho e uso bastante, e vou para a sala, onde ela estava;

- Fazendo o que mãe? – Digo sentando do seu lado.

- Estava falando com sua tia. Tudo bem? Acabou pegando essa chuva toda né?

- Sim.

- Já vou fazer janta para a gente.

- Tudo bem! – Falo deitando no colo dela.

- Que foi em Emanuel? – Minha mãe fala fazendo carinho em meu cabelo.

- Rebeca ligou.... As vagas foram preenchidas, ela vai continuar esperando, mas agora as chances de ela mudar com o Theo são muito poucas.

- Aí graças a Deus, estava de coração apertado imaginando morar longe do meu neto.

- Nem me fale.

- Mas isso é uma notícia boa, porque está triste? – Ela fala me fazendo levantar.

Dona Helena é foda pessoal, ela leva a mão diretamente em meus olhos;

- Estava chorando Emanuel?

- Não, acabei de tomar banho.

- Seus olhos estão inchados. – Eu fico calado e ela continua. – Não precisa mentir para mim Emanuel, que aconteceu?

- A vida mãe... a vida é isso que aconteceu!

- E essa “Vida” tem nome? Como ela chama?

Eu pensei em ficar na minha, mas onde eu estava, não cabia a mim continuar mentindo;

- Não é ela é Ele. – Falo voltando a deitar.

Ela fica quieta, com mãos em minhas mechas de cabelo;

- Eu conheço?

- O Nicolas.

A infeliz me solta um sorriso alto, e fala;

- Haha’ eu sabia, falei para a Pamela mês passado, nessa sala! Esses dois ainda vão acabar juntos, brigando desse jeito.

- Ele e deu o fora hoje!

- Por isso está triste?

- Acho que sim.

- Não podemos controlar as pessoas, e muito menos mandar no que pensam e sentem. Sabe que eu vou dizer para seguir em frente, que tem muitas... muitos outros no mundo. Mas meu filho, faz o que o seu coração manda, as vezes é melhor agir com emoção do que com razão.

- Nunca gostei de ninguém igual curto ele mãe, é muito estranho, parece até errado.

- Gostar de garotos, ou garotas, não te faz, errado, muito menos estranho, amar te faz um ser humano, e meu filho o que faz da sua vida não se deve arrepender, e sim apreender.

O Eduardo chega em casa, correndo, ele estava até ofegante, começou a chamar minha mãe, lá do portão;

- MÃE!

- Oi.

- Mãe.

- Fala menino. – Chegamos a levantar de susto.

- Emanuel! Mãe, não vai acreditar... – Ele fala vindo em nossa direção. – A Pamela está gravida de uma menina.... Eu vou ser pai de uma menina.

Ele fala abraçando a gente, nossa meu irmão estava muito feliz, serio mesmo, a gente se emocionou com ele todo bobo, contando para todo mundo, enviando nos grupos, fazendo planos. Eduardo tinha crescido.

#Gabriel

Fui no escritório onde a Pamela trabalha levar uns documentos, logo pela manhã, por volta das nove horas;

- Oi Gabriel.

- Bom dia!

- Ué estes documentos são do Dr. Rodrigo.... Está trabalhando com ele novamente?

- Sim, parece que ninguém consegue fazer o que eu faço.

- Quando começou?

- Hoje! Amiga te contar o babado, as coisas estão pegando fogo na casa dos Barone.

- Que foi?

- Nicolas pegou o pai traindo a mãe acredita?

- Não brinca.

- Ele ameaçou o pai contar para ela, se não ele mesmo faria.

- E o que o Rodrigo fez?

- Ele contou ué, não tinha para onde correr. Ela está tirando as coisas dele da casa, eu vou sair aqui e procurar um apartamento para ele ficar até resolver a vida.

- Gente a Luana sempre me pareceu uma mulher tão calma, e serena.

- As aparências enganam amiga. Ai mas posso contar uma coisa Pamela, mudando de assunto... – Falo sentando na sua frente, enquanto ela estava conferindo os documentos. – Aceitei mesmo para ficar perto do Nicolas de novo! Quando eu sai, acabamos nos afastamos.

Ela me olha estranho e deixa as folhas;

- Gabriel você não tirou essa ideia de Nicolas da cabeça ainda?

- Não.... Aí porque a agressão?

- Escuta, sai dessa, Nicolas está gostando de outra pessoa.

- Como sabe?

- Ele me falou.

- Está falando isso para eu pular fora é?

- Sim.

- Amiga, quem dessa cidade pode competir comigo?

- Não vai pensando assim não tá Gabriel.

- Pamela, se for o Eduardo e Emanuel eu saio fora, eles sim. Se bem que o Eduardo vai ser pai, então sobra o irmão gostoso dele.

Quando eu falo ela, me olha nos olhos fazendo que sim com a cabeça.

- Emanuel? Gay? Conta outra.

- Então não acredita.

- Só vendo Pamela, só eu vendo ele... E ainda mais com Nicolas, aqueles dois parecem cão e gato.

- Você que está dizendo amigo.

#Nicolas

Meu pai estava me crucificando, minha mãe Luana, havia o colocado para fora de casa, e hoje iria ter a votação no plenário da câmara da cidade, todos na cidade estavam comentando de um boicote, então a segurança foi reforçada, mal sabia eles do que iria acontecer.

Logo pela manhã, fui até Jonas, ele estava no escritório, e eu precisava falar com ele.

Quando chego o Gabriel está sentado com Pamela;

- Bom dia... Oi! – Falo pegando em sua mão e cumprimentando ela.

- Bom dia amigo, tudo bem? – Pergunta Pamela.

- Sim, estou... Escuta Gabriel, estes não são documentos do meu pai?

- Sim, voltei a trabalhar com ele.... Legal né?

- Ah, sim! Sim. Pamela Jonas chegou?

- Sim, está na sala dele, quer que eu avise?

- Por favor.

Ela pega o telefone, e o avisa, mas ele vem até a recepção, me buscar;

- Oi, bom dia.... Bom dia meninos. – Ele pega em minha mão. —Vamos.

- Sim.

Entrei na sala de Jonas, e ele se senta na mesa;

- Só um minuto Nicolas, tenho que responder minha mãe aqui.

- Tranquilo.

Enquanto isso, enviei mensagens no grupo, onde o pessoal estava se preparando;

- Pronto, e aí como está?

- Bem, e você?

- Sim, então o que devo sua visita? – Ele fala vindo do meu lado.

- Vim falar sobre a gente Jonas.

- Sim.

- Eu preciso de um tempo.

Ele muda a feição do rosto e pega em minha mão.

- Tudo bem, mas você tem certeza? Está bem Nicolas?

- Estou, só preciso de um tempo para colocar as ideias no lugar.

- Tudo bem, o tempo que quiser..., mas só para desencargo de consciência. Eu te fiz algo?

- De forma nenhuma. Não sei se sabe, mas si de um relacionamento muito conturbado a pouco.

- Tudo bem, mas fique sabendo que estarei aqui, esperando por você. – Ele fala me puxando para um abraço.

Eu ainda caio na perdição de beijar sua boca, um selinho;

- Preciso ir.

- Vai lá. – Ele fala abrindo a porta.

Quando sai a Pamela questiona sobre a Shaluna e meu celular chama bem na hora;

- Fala Edu.

- Estou passando no.... To vendo você. – Ele fala entrando. – Pensei que já estivesse em casa. – Edu fala me cumprimentando.

- Vim falar com o Jonas... Emanuel! – Falo pegando em sua mão.

- Para onde vocês vão? – Gabriel pergunta levantando.

- Para a Câmara dos deputados, logo, logo, vão começar a votação. – Eu respondo.

- Até você vai amiga? – Gabriel fala com Pamela, que estava desligando o PC.

- Sim, claro, já até pedi para sair mais cedo.

- Estão de carro? – Pergunto os meninos.

- De moto. – Emanuel fala mostrando as chaves.

- Levo eles, se estiver de boa. – Falo referindo a Pamela e Edu.

- De boa, nos vemos lá então. – Ele fala saindo.

- Vamos? – Pamela diz saindo.

Pessoal não fazem ideia do que conseguimos fazer, confirmado tinham 207 pessoas no grupo, a maioria com seu veículo. O plano era ir todo mundo para a Câmara e mostrar nossa força, uma forma de protesto de nossa parte.

Mas foi fora do normal, eu cheguei cedo e não consegui para o carro perto, a um quarteirão de distância da câmara, havia carros em toda a rua, estacionados e no meio da rua, uma multidão de pessoas seguindo e ficando de frente a câmara;

- Vamos ter que ir andando. – Falo parando o carro.

- “Simbora”. – Edu confirma.

Alguns carros tocando música alta, outros buzinando. Quando eu desço e olho para trás as motos cortando os carros e se aproximando, fiquei assustado;

- Isso aqui está fora de controle Nicolas. – Pamela comenta.

- Mano do céu, olha isso, é sem fim, até o começo da avenida. – Edu fala subindo em um banco a frente.

Havia uma barricada de policiais à frente da câmara, mas chegava a todo momento reforço.

Para mim seria isso, chegaríamos e depois entrar para pressionar eles, mas o Jorge me arruma um caminhão de som, quando viramos a esquina de frente a câmara ele estava lá em cima, com alguns donos de oficinas, até o Emanuel junto com ele;

- E ai Nicolas!

- Fala Irmão.... Que foda está isso aqui em?

- Prazer Nicolas...

- Cara você é o melhor no asfalto!

- Valeu irmão. – Eu repetindo isso a cada passo.

- Chegou mais um campeão e representante da nossa turma, Nicolas Barone! Palmas aí galera.... Sobe aí Nicolas. – Jorge grita lá de cima.

Eu então subi, ele falou algumas coisas e eu olhando até onde tinha gente naquele lugar, serio, estava com medo;

- Nicolas dá uma palavra para a galera ai! – Jorge me entrega o microfone.

- Galera eu não sou bom em palavras, mas é o seguinte, esse encontro é um protesto a favor do projeto 1924 da câmara de deputados aqui de Ribeirão Preto! Permitindo e legalizando as corridas de rua, nesse caso Rachas! Jorge apresentou o local com todas as normas, solicitadas e consta também no projeto! Estamos aqui para cobrar os políticos que elegemos. Queremos uma manifestação pacifica, mostrar a eles que nosso amor não fere e não ataca ninguém de forma alguma! Obrigado galera. – Entrego o microfone para o Jorge. – Vou entrar, quero ver de perto, e vou te atualizando fechado.

- Tranquilo, vai lá mano.

Eu e Pamela descemos para entrar na câmara, como acadêmicos em Direito e por já assistir algumas audiências, tínhamos autorização para passar pela barricada.

Entramos e eles já tinham começado, estavam discursando;

- É visível e audível o público lá fora, nunca na história dessa cidade ouve uma comoção desde as manifestações do governo de 2013. A questão aqui divide as pessoas, legalizar um esporte, se é que posso chamar assim! Perigoso e que coloca a vida das pessoas em risco, mas o laudo dos responsáveis consta todos os requisitos, eu não vejo contra para votar contra o projeto, então senhor meu voto é. Sim.

E assim estava a votação, eu atualizando o Jorge a cada voto, de nomes e tudo mais.


5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia