• @rgpatrickoficial

PARADIGMA - Capitulo 18

#Eduardo

As turmas de Direito na faculdade estavam em um dia de palestras, e os outros períodos e salas também poderiam assistir.

Eu e meu irmão, estávamos sentados bem atrás do auditório, mais para não precisar ir a aula, mas na verdade queria conversar com o Emanuel.

- Emanuel não sente vontade e saudade de ficar com a Mirela de novo não mano?

Ele me olha estranho e questiona;

- Está sabendo de alguma coisa?

- Não.

Ele então mostra o celular, onde tinha conversas recentes com ela;

- Estão ficando?

- Ainda não, é complicado.

- Você sente saudades, mas sabe que é errado. – Falo pensando alto.

Ele olha estranho e questiona;

- Não está falando da Juliana né Eduardo?

- Estou pensando nela desde a festa.

- Está maluco, e a Pamela?

- Está diferente saca.

- Como diferente?

- Eu não sei Emanuel, estamos conversando pouco, e não transamos desde a semana passada.

- Serio?

- Ela falou alguma coisa para você? Sempre conversam sobre tudo?

- Mano, não, mas depois troco ideia com ela. E você nada de Juliana.

- Só estava pensando, relaxa.

- Nem isso beleza.

- Fechado.

Como de lei, no fim das palestras, reunimos no bar junto com a galera.

Eu e Pamela, Gabriel, Romulo e meu irmão. Estávamos sentados, a Pamela comendo e nos bebendo.

O Nicolas se aproxima com um cara, eles cumprimentando todos;

- E ai galera! – Ele fala de pé.

- E aí cara. Senta aí. – Falo puxando uma cadeira para ele.

- Não, vamos jogar sinuca... – Nicolas diz apontando para o lado.

- Ei, você era o palestrante certo? Jonas? – Pamela pergunta.

- Sim, gostou? – O cara diz sorrindo para ela.

- Muito, Direito institucional é minha grande paixão!

- Parece que não somente sua. – O cara diz segurando o Nicolas pelos ombros.

- Senta aí Jonas. – Gabriel insiste.

- Não valeu, vou ensinar esse carinha a jogar.

- Nicolas E Jorge? – Pergunto.

- Ah sim, o Jonas conseguiu uma fiança e ele saiu hoje...

- Foi uma denúncia anônima, mas parece que o Jorge já desconfia de alguém. A questão é que, não tinham provas concretas contra ele, e o delegado ajudou, agora ele responde em liberdade, no máximo umas cestas básicas.

- Valeu cara.

- Parabéns. – Pamela diz sorrindo.

- Valeu... E prazer conhecer vocês.

Eles saem e ficam próximo a nossa mesa, jogando sinuca ao lado;

- Gente que delicia é aquela? Amiga me fala onde o Nicolas arrumou que vou atrás. – Gabriel comenta com ela.

- É novato no escritório, de Minas Gerais, uma gracinha ele né.

- Gracinha? – Pergunto olhando para ela.

Pamela faz uma careta e Gabriel comenta;

- Gracinha sou eu, olha aquela boca, ai dá até um calor.

- Para seu idiota. – Ela fala jogando um guardanapo em Gabriel.

Eu estava conversando com o Romulo, quando a Pamela se levanta e vai no banheiro.

Nos terminamos a cerveja, e pagamos a conta, e fiquei aguardando ela;

- Vai lá mano, deve ter acontecido algo. – Emanuel comenta.

Eu não poderia entrar no banheiro feminino, mas falei com uma colega da minha sala, e ela entra comigo;

- Amor... Pamela está bem? – Pergunto de frente o reservado. – Obrigado. – Agradeço a garota que sai.

Aparentemente vomitando, ela responde que sim. Pamela sai, lava o rosto na pia e fala;

- Precisamos conversar. – Ela diz se limpando.

- O que foi?

- Eu estou gravida Eduardo!

Escorado na parede eu estava escorado na parede eu fiquei;

- Está falando sério?

- Sim.

- Tem certeza?

- Sim.

- Quando?

- Fiz o teste de farmácia hoje. Deu positivo.

- Meu Deus! – Falo abraçando ela.

Eu não sabia o que falar, só apoiei Pamela nesse momento.

#Emanuel

Recusei a correr para Santiago, e fui abrir a boca de correr para o Jorge, ele então aproveitou toda sua raiva pelo cara e o denunciou. Jorge fez o possível para pegar a confiança de Nicolas na corrida, para garantir os melhores com ele.

E por falar em Nicolas, ele estava seguindo em frente! E isso estava mexendo e muito comigo.

Na oficina meu irmão estava pegando muitos serviços, e eu ajudava ele depois de sair da prefeitura, houve dias essa semana que saímos nove da noite, com o apoio do Jorge ele pegou muitos novos serviços.

Bem um dia destes ao chegar em casa, a moto de Rebeca estava estacionada na rua, eu entro e o Theo brincando no meu quarto, e escuto a conversa das duas;

- Minha filha, já lhe disse o que penso, vai ter que falar com ele. – Diz minha mãe.

Eu entro no quarto beijando meu filho, e vou até a sala;

- Oi! – Digo olhando para Rebeca.

- Oi... Pode sentar aí Emanuel.

- Vou terminar o jantar. – Minha mãe diz saindo.

- Que aconteceu? – Sento deixando o celular e carteira de lado.

- Emanuel eu passei no concurso público, aquele para que eu estava estudando.

- Certo.

- Ele é Santa Catarina. Estou aguardando eles me chamarem.

- E terá que se mudar?

- Sim.

- Mas e o Theo?

- Ele vai comigo.

- Rebeca, não pode mudar com nosso filho assim.

- Emanuel, eu vou ganhar muito melhor, ele vai continuar estudando e pode ir visitar ele quando quiser.

- Rebeca é meu filho também, não pode mudar assim com ele.

- Na verdade eu posso, a guarda do Theo é minha Emanuel.

- Veio jogar isso na minha cara?

- Não, como pai, eu vim contar para você, que estou aguardando eles me ligarem. Você tem direito em saber de tudo que acontece com ele.

- Eu não vou deixar Rebeca.

- Emanuel, não vou abrir mão do meu filho.

- Pai coloca aquele jogo de corrida igual da “Shabuna” para mim. – Theo vem pedindo.

- É Shaluna, e não Shabula, eu já te falei.... Vem vou colocar para você. – Digo seguindo com ele.

- Filho a mamãe já vai, pego você amanhã cedo em.

- Ta mãe.

Eu coloco o jogo que ele pediu e fico no quarto, jogando com o Theo, cara não acredito nisso!

- A janta está pronta, vocês dois larguem esse videogame e vem comer. – Minha mãe diz na porta do quarto.

Bem fui com ele para a cozinha, e meu irmão chega, todo preocupado, troca de roupas e senta na mesa;

- Vai esperar eu perguntar ou vai falar logo em Eduardo? – Minha mãe fala.

Ele todo retraído, deixa os talheres e encosta na cadeira;

- Acho que a Pamela está gravida!

Cara eu arregalei os olhos nessa hora;

- Você acha ou ela está?

- Ela falou mano, acho que está sim.

- Filho ela fez exame de sangue?

- Não mãe, vai fazer amanhã.

- Eu não vou falar na cabeça de vocês.... Não adianta! Conversa com o Emanuel, para saber o que ele está passando agora.... Para saber onde entrou! – Ela fala toda brava.

Poxa, contar sobre Theo para Eduardo, foi pior que quando eu soube, ele ficou todo “sentido”.

#Nicolas

No feriado da semana seguinte, eu estava comemorando ter conseguido a minha parte na boate, e chamei meus amigos para comemorar, ofereci um camarote para eles, sim até Emanuel, eu não sabia se ele iria aparecer, mas o convite estava feito.

Como estava conhecendo o Jonas, deixei o convite da noite estendido também para ele.

Nesse dia, eu fui mais cedo para a Boate, mas tinha preferido ir no horário de sempre.

A duas esquina do local, eu estava em um semáforo aguardando e vejo o meu pai sair de dentro de um hotel, como tinha carros dos meus dois lados, estava bem protegido.

Ele abre a porta para uma garota, e depois entra, antes de sair eles se beijam, mano que raiva. Eu cheguei a pegar o celular para ligar a minha mãe, mas me segurei.

Cheguei na boate, e pedi logo uma tequila, isso o bar nem estava aberto.

Eu liguei para ele e meu pai, não fez questão de me atender. Para aproveitar minha noite, decidi conversar com ele no dia seguinte.

Pois as pessoas estavam chegando, o show do DJ, na noite estava quase começando, e ela prometia, eu não podia bloquear o acesso, então, vejo a Juliana entrar.

Só me certifiquei de avisar, Edu e Pamela quando chegaram.

Gabriel e Romulo com Vanessa também, eu acompanhei eles até o camarote, e o segurança me chama;

- Nicolas, tem um rapaz, Jonas aqui querendo falar contigo.

- Já vou.

Desço até correndo, chegando ele me olha sorrindo;

- Você veio! – Falo abraçando ele.

- Eu estava em casa, sem nada para fazer, e não posso negar um pedido para beber.

- Rsrs, aqui sua identificação, passa seu nome com as meninas.

- Certo.

- Jonas fica no bar, o Camarote 3 é nosso, meus amigos estão por lá, vou terminar aqui e já entro beleza.

- Sim, claro!

Ele entra e eu confiro a lista dos VIPs, ela já estava terminando, somente assim para eu entrar!

E lá estava ele, o Emanuel... Ele veio, e veio acompanhado de Mirela.

Quando vejo os dois vindo de mãos dadas, como o casal mais feliz da noite, eu ainda pensei em não encarar eles, mas me fiz de forte;

- Boa Noite! – Ele fala.

- Boa noite, Emanuel. Beleza? E aí Mirela, Joia? – Falo pegando em sua mão, e beijando a Mirela no rosto.

- Tudo sim Nicolas, nossa está muito lindo essa noite.

- Haha, é especial.... Aqui pronto só falarem os nomes para a moça do caixa.

Falo liberando as entradas. Não iria me rebaixar, ou ser indiferente com ele, e sim superior, de todas as formas.

Antes de subir ao camarote, eu fui até o Backstage conferir se estava tudo certo para o DJ da noite. Conversando com ele, vejo o camarote, e Jonas sozinho bebendo.

Em minutos já estava de volta ao salão, o show começando e chego com os meninos, bebendo, dançando e de canto, sozinho, Emanuel e Mirela, como casal mais apaixonado que existe;

- Aí Jonas, sério melhor pessoa, haha.

- Gabriel de papo com Jonas.

Eu me aproximo, e ele passa o braço em mim, falando no ouvido;

- Pronto? Vai nos fazer companhia agora?

- Sinto sua respiração na conversa.

- Quer a minha companhia?

- Vim por sua causa.

Quando Jonas fala me deixa pouco sem graça, eu abro um sorriso e ele beija meu rosto.

- Vocês formal um casal bonito! - Eduardo fala.

Eu estava com o copo do Jonas, cheguei a engolir "seco". Ele me olha com vergonha, com a Pamela do meu lado, ela diz no meu ouvido;

- Que encenação é aquela? Pior que novela mexicana. Tudo bem por você?

- Sim, não vou ficar sofrendo amiga, as vezes as pessoas têm que aprender a dar valor.

- Você está certo... E Jonas! Parabéns ele é um fofo amigo.

- Não temos nada Pamela, é um amigo.

- Não é o que ele vê Nícolas.

Eu olho para ele que estava de papo com o Eduardo, Jonas me olha e abre um sorriso. O DJ que estava tocando era conhecido na cidade, e lá embaixo estava muito apertado, então ficamos bebendo por lá mesmo, eu e Pamela dançando as vezes, e os meninos conversando.

Durante o show, eu fui na recepção duas vezes, ajudar as meninas, no fim do primeiro show, o Jonas desce do camarote, ele na verdade me chamou para conversar, seguimos para um canto pouco mais tranquilo;

- E rápido. Relaxa.

- Ele fala se encontrando na parede.

- Tranquilo.

- Eu te achei um cara muito foda! Sei que não nos conhecemos muito, mas o pouco já é o suficiente, para...

- Para?

Ele se aproxima e me beija, bem lentamente, com uma das mãos em minha cintura. Sinto sua língua doce e lábios leves;

- Jonas, é que...

- Falo me afastando de seu rosto.

- Desculpe Nícolas, eu não quis ser invasivo e...

Enquanto ele falava vejo o Emanuel olhando a gente do bar. - Ei tudo bem!

- Falo e ele me abraça.

Sinto então o seu cheiro, de perfume importado. Nesse momento dois seguranças passam correndo, e então o ponto no meu ouvido, diz;

- Briga setor B. Estes setores, são locais onde dividimos os seguranças;

- Tenho que ir Jonas.

- Beleza.

Eu sigo olhando a confusão, mas os seguranças estavam trazendo uma mulher, um cara e o Gabriel. Levaram todos para fora, cada segurança acompanhando um para pagar sua conta e depois fora da boate;

- Alguém me fala que aconteceu?

- Pergunto meu colega.

- Parece que seu amigo ficou com aquele cara e aquele cara é casado com aquela moça.

- Está falando sério?

Ainda estavam na baixaria, quando a polícia chegou, o oficial chegou em mim;

- Nícolas vai querer registrar o B.O?

- Não, pode deixar, não foi nada.

- Como não foi nada, esse cafajeste.... - Cara a mulher começou a gritar, fazendo um barraco.

- Senhora, se não forem registrar ocorrência eu não posso fazer nada.

- Não pode seu policial?

- Não!

- Então eu faço. - Ela fala indo para cima do Gabriel.

Outra confusão, foi quase meia hora, para fazer ela soltar o cabelo dele.

Gente eu fiz o que pude, mas Gabriel pisou na bola dessa, e feio. Como sempre não e mesmo?

- Quer saber, vamos todo mundo descer para a delegacia, talvez, lá vocês acalmam os ânimos! – Diz o policial algemando a mulher.

Depois Gabriel e o cara, colocaram todos no carro e saíram;

- Quer que eu ajude? – Jonas pergunta chegando do meu lado.

- Ajudar em que?

- Na delegacia, seu amigo pode precisar.

- Haha! Não mesmo, fica aqui de boa. Gabriel também consegue se cuidar.

Eu entrei, e aproveitei o restante da minha noite, na maior tranquilidade, afinal de contas, ele quem procurou.


6 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia