• @rgpatrickoficial

One Choice - Capitulo 12

Entrei no carro e alguns assuntos e não teve como, acabei contando da briga, ele deu uns conselho, em minutos estávamos em frente a minha casa;

- Valeu Iago.

- É Davi eu queria te falar uma coisa.

- Sim, fala.

- Fiquei sem jeito quando me contou sua sexualidade, pois eu também sou gay, e tipo, é mais difícil pra mim, do que é pra você eu acho.

- De boa, não é fácil pra ninguém.

- Só não contei antes por não saber sua reação, gosto muito de ser seu amigo cara.

- Eu também, bom tenho que ir cara.

Cumprimentei ele e sai do carro, fechei a porta me abaixei e disse;

- Valeu a carona, obrigado.

- Ei Davi.

- Sim.

- Leandro tem muita sorte.

- Obrigado.

Sorriso sem graça, cara de paisagem agradeci e ele saiu no carro, "eu acabara de ser cantado pelo meu amigo de faculdade", entrei e fui para meu quarto, ligar mais para o Leandro, foram umas 30 ligações, até ele atender;

- Oi Davi.

- Estou te ligando e não atendeu minhas ligações.

- Estava na rua, sabe que não atendo telefone na rua.

- Me desculpe pelo o que disse, não queria te magoar.

- Mas magoou Davi.

- Estou pedindo desculpas Leandro.

- Vou deitar agora, a gente se fala depois.

- Boa Noite, te amo.

- Tchau.

Ele desligou o telefone desse jeito, com um "tchau". Como uma simples palavra machuca tanto, nossa como eu queria ligar de novo e xingar ele, ou terminar tudo, mas meu coração nunca deixaria eu fazer tal atitude. Eu amo o Leandro ele é tudo pra mim, não posso controlar, só amo ele e pronto, sabe quando você não pensa em mais ninguém, só naquela pessoa o dia todo? Pois então, assim que me sinto.


#Derek


Dia normal de sol quente, estava de frente minha antiga casa, quando Leandro chega. Eu estava em pé com as mãos na cintura olhando os operários entrando, ele desceu do carro com o jaleco da faculdade de lado, e a bolsa nas costas;

- Já vendeu?

- Acho que sim, estão quebrando algo lá dentro.

- Tudo bem?

- Sim.

Respondi entrando novamente e ele vindo comigo, me sentei no sofá respirando e ele deixou a mochila e apertou o botão da secretária, havia 3 recados do Davi;

- Que foi?

- Ontem tivemos uma briga.

- Porque?

- Nada, besteira.

- Leandro 3 ligações não é besteira.

- Ele tem um ciúmes doido de você Derek, não Entendo, ele não confia em mim.

- Davi tem ciúmes de mim? Mas é claro ate eu ficaria com ciúmes.

- Como?

- Leandro olha pra mim.

- To falando sério Derek.

- Cara ele tem mente de hetero ainda, pois se eu fosse ele iria ter ciúmes, mas vou falar com ele pra você.

- Não precisa.

- Não estou pedindo, vou falar com ele.

- Que seja, mas não vai atrás dele sem me falar, vou tomar um banho.

- Vai lá pedi algo pra gente comer.

- Comida Japonesa?

- Haha' não.

- Que ótimo.

Gritou subindo as escadas, fui na cozinha e estava pouco quente tirei a camisa e preparei a mesa a campainha chamou, deixei por lá mesmo fui abrir, era o Davi, imaginem aqueles olhos azuis me vendo sem camisa, chupando o dedo sujo de comida.

- Só Podia. Leandro está?

- Tomando banho.

- Aqui fora está calor, mas da pra perceber que aí dentro também.

- Ah a camisa? Tirei pra você.

- Vai me chamar pra entrar ou vamos ficar aqui?

- Pensei que estava curtindo ficar me olhando.

- Cara para de ser irritante.

- Curto ver você grilado.

- Não precisa falar nada da pra perceber, é só existir.

Disse ele entrando, com a mão fiz sinal pra ele se sentar,

- Olha, ele está lá em cima, e bravo com você ainda.

- Cara mas...

- Me escuta, não sou idiota e respeito o Leandro, gosto de você porque faz ele bem, agora desconfiar da gente Davi, Acha que se eu fosse afim dele iria ter chance? Não...

- Você não tem moral alguma pra me dar sermão Derek...

- Ele vai descer e você vai pedir desculpa, chega com essa de fazer o príncipe perfeito Cara, se não quem vai rodar é você.

- Derek!

Quando ele falou Leandro aparece no fim da escada,

- Davi?

Davi calou sem falar nada se recompôs e subiu as escadas. Eu almocei e quando estava lavando a louça eles descem, aparentemente tudo bem;

- Então, tudo bem com o casal?

- Derek, você é sempre inconveniente assim?

- Só quando estou perto de você.

- Parem vocês dois.

Falou Leandro se sentando, e pra me ajudar, Davi dá com a língua nos dentes;

- Já contou a Leandro como foi sua manhã Derek?

- Viado! Já está sabendo né?

- O que?

- Derek foi na empresa hoje.

- Fazer  o que Derek?

- Fui acertar uma divida.

- O que você fez?

- Quebrou o nariz do Lucas, e uma grande parte da nova sala dele.

- Ficou maluco?

- Ah Leandro, ele mereceu, nem vem com essa. Te falar sua mãe ligou, tem um jantar amanhã na casa do diretor do hospital.

- Tudo bem.

Leandro ficou uma arara com o que eu havia feito, mas o Lucas mereceu, afinal de contas a bicha pobre se vendeu.

#Leandro


A tarde retornei para a faculdade, com a quantidade de matérias não havia amigos e tudo mais, pois era muitas pessoas e as classes quase não se encontravam, por serem especializações diferentes. Sete e trinta e cinco, estava indo para minha aula de Microbiologia, entrei no laboratório, todos estavam com duplas nas mesas, havia um rapaz de costas e touca, me sentei ao seu lado coloquei a mochila, e ele se virou. Amo meu curso.

Ele tinha o olho castanho, um sorriso muito lindo, foi o que consegui ver. Sua mão se estendeu;

- Victor Le Blanc.

- Leandro, Leandro Rezende.

- Filho da doutora Débora Rezende?

- Sim, conhece minha mão?

- Ela trabalha no mesmo hospital que meu pai!

- Que ótimo ele é medico lá?

- Sim, o diretor.

- Hum.

Só o que consegui dizer, o professor entrou e começou a aula, estávamos analisando algumas amostras e no microscópio, para isso usávamos alguns líquidos para o tecido ficar visível, em uma aplicação desse líquido o Victor o derruba na bancada, onde eu estava com o braço, o jaleco se molhou no antebraço, e ele veio com a mão com a luva mesmo acabou se sujando também, o professor nos limpou de acordo com o procedimento do laboratório, não era nada grave, mas tínhamos que fazer a limpeza;

- Vão para o vestiário, e tomam um banho, descartem esse jaleco.

- Professor o líquido não é contagioso ou corrosivo.

Perguntou o Victor,

- Mas os tecidos que estão trabalhando é de origem duvidosa.

Assim que saímos da sala, ele se desculpou;

- Foi mal, te tirar no meio da aula.

- Não de boa, acontece.

Assim que entramos no vestiário, coloquei minha mochila de lado, tirei a camisa e me aproximei da pia, só ouvi o Victor;

- Sabe onde deixam os sabonete?

Cara quando olhei para trás assustei, ele estava pelado, tinha um corpo muito bonito, não era um tanquinho definido, mas dava para ver as divisões, braços com músculos, e pernas pouco grosas, branco, e tinha tatuagens no ombro e na barriga em baixo do lado esquerdo. Seu

- Tem na minha mochila no bolso pequeno.

- Não vai tomar banho?

- Não, vou somente lavar aqui mesmo, não foi tão agravante.

- Você que sabe.

Me lavei e as vezes dava uma breve olhada no espelho, logo me despedi e sai daquele banheiro, cheguei em casa aquela noite com a cabeça doendo.


#Davi


- Ainda sem trabalho.

- Pena não conheço nenhum lugar que esteja precisando. E na sua casa?

- Marcela está cuidado de tudo, mas é apertado pra ela.

- Senhores, silencio por favor.

Estávamos de cabeça baixa conversando enquanto o professor transmitia uma campanha por slide. No intervalo estávamos na tradicional mesinha comendo até que caiu no assunto de relacionamentos;

- E Leandro?

- Já estamos de boa.

- Vai ver ele hoje?

- Não, tem um jantar e tudo mais, e você, esta saindo com alguém?

- Estou conhecendo um cara.

- Hum, e esta gostando dele?

- Sim, ele é pouco safado sabe, as vezes penso que na cabeça dele é só sexo.

- Parece até que sei de quem está falando.

Ele ficou com vergonha então não questionei mais só mudamos de assunto, pouco antes de voltar pra sala, liguei para o Leandro;

- Já saíram?

- Não, estão me esperando, acabei enrolando aqui.

- Parece estar nervoso?

- Não tranqüilo.

- Derek vai com vocês?

- SIM, acha que vou perder comida de graça?

Gritou ele ao fundo, como se estivesse nos ouvindo;

- Está no viva voz Leandro?

- Sim, é que estou me arrumando aqui.

- Hum, todo bem, beijo a gente se fala, te amo.

- Também tem amo, tchau.

- Ai que fofinho.

- Vai se foder Iago.


#Leandro


- Parece até que vai casar Leandro, anda logo.

- To indo Derek.

Minha mãe já estava do lado de fora me aguardando, entramos e saímos, a casa do cara era muito bonita, quando chegamos havia outros carros no local, era um jantar para mais pessoas, antes de descer do carro, minha mãe se vira pra gente e diz;

- Se me passarem vergonha eu passo o carro em cima de vocês.

- Sim senhora.

Disse Derek sorrindo. Entramos e havia algumas pessoas na sala de estar, fomos cumprimentando todos, até chegar no tal diretor, minha mãe cumprimentou ele, quando me viu ele se virou e chamou seu filho;

- Meu filho também cursa Medicina na sua faculdade filho. Victor, venha aqui por favor!

Ele veio estava com uma taça de champanhe na mão, quando me viu abriu um sorriso;

- Leandro, como vai?

- Ótimo e você rapaz!

- Um vejo que já se conhecem, por favor doutora deixe eles a vontade, quero te apresentar uma pessoa.

- Sou Derek.

- Prazer Victor Le Blanc.

- Hum, Derek Santana.

- Da Publicitária Santana?

- Sim.

Conversamos um pouco, logo o jantar foi servido, enquanto todos estavam se sentando, o Derek ao meu lado perguntou;

- Bem gostoso ele.

- Derek não começa.

- Que foi? Pena que está afim de você.

Quando ele disse isso, eu quase me afoguei no copo de água, tosse duas vezes, chegaram até a me olhar, fiquei pouco sem graça;

- O que você falou?

- O doutorzinho, esta afim de você.

- Ele não é gay Derek.

- Se aquele cara for hétero eu faço “moonwalker” com as mãos.

- Derek chega tabom.

- Tudo bem, quando ele dar em cima de você, não vai dizer que não avisei, agora que eu queria ele de quatro pra mim ah, isso eu queria.

Dei uma risada, novamente me olharam, minha mãe estava para me extinguir da face da terra, Derek ficou rindo da cara dela. Após o jantar ela passa pela a gente e diz;

- Vou afogar os dois na piscina La de casa.

- Desculpa.

- Podemos ir?

- Mas já, o que foi com você?

Perguntei para ele, afinal Derek querer sair de um festa mais cedo era novidade;

- Estou conhecendo uma pessoa!

- Hahaha’.

Rachei de rir dele quando disse;

- Tabom, estou pegando um carinha, mas e ai vamos?

- Sim, Leandro já me passou muita vergonha.

Fomos nos despedir e o tal diretor levou minha mãe para longe e logo vem novamente o Victor;

- Já estão indo?

- Somente eu foi um prazer Victor.

Disse Derek cumprimentando ele;

- Mas porque? Fica mais.

- Tenho que ir, mostre seu quarto para o Leandro, como estava me dizendo.

- Claro, vamos lá Leandro.

Fui acompanhando ele e Derek saindo rindo.

10 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia