• Richardson Garcia

Maresias - Capitulo 7

Cheguei a procurar folego quando paro. Que a gente tinha feito!

Rafael ficou sentado me olhando, e eu vou me levantando devagar;

- Se mexer muito sujo tudo. – Falo tomando cuidado.

Como eu fiz para levantar, meio que deixei a percepção que iria beijar ele, eu não voltei, mas percebi que ele esperou isso.

Tive que tomar um banho na verdade, eu estava quase no fim, quando ele aparece;

- Posso entrar? – Rafael mostra as mãos que estavam sujas.

- Chega aí.

Ele foi na pia para lavar a mão, e eu fico olhando ele, mano realmente tinha umas pernas e bunda muito gostosa.

- Ei pega aqui. – Falo mostrando o sabonete.

Pois na pia não havia. Como eu estava com a mão estendida, ele veio e de sacanagem deixo cair no chão.

Só a cara com que Rafael me olhou fiquei excitado e ereto novamente, foi instantâneo.

Ele abaixou pegou o sabonete e entra no chuveiro comigo, mas a questão aqui, assim como eu, ele também ficou receoso de beijar.

A agua corria em meu corpo e em seu rosto, um olhando nos olhos do outro, quase entrando na alma.

Ele toma iniciativa e beija devagar minha boca, sentindo seus dentes passar em meu lábio inferior. Eu vou correspondendo devagar.

Suas mãos passam em minhas costas se aproximando, eu virei Rafael pressionando ele contra a parede, mano o cara era muito puto, quando eu forço contra ele, sua perna direita sobe passando em meu corpo fazendo eu me encaixar mais ainda.

Peguei ele de jeito, beijando seu pescoço apertando sua bunda, e sentindo suas mãos em minhas costas e puxando meu cabelo, me vi em um filme pornô. Juro.

Mano chupar aquela língua, os corpos molhados estavam muito gostosos juntos, e tenho que destacar aqui, Rafael tem um toque tão delicioso da pele quente, e sedosa, que o tesão só amentava. E ele todo safado assim me instigava a fazer coisas que eu até então não havia experimentando.

Com uma das mãos começo a dedilhar ele, tentando penetrar em Rafael, fazendo ele gemer um pouco segurando meu cabelo.

Rafael se vira, e eu encaixo, sarrando nele.

Sério, a visão que eu tinha poderia gozar facilmente batendo uma para ele. Volto a dedilhar ele novamente e dessa vez ele gemia com o corpo para trás, ficando encostado no meu;

- Está gostando? – Falo em seu ouvido.

- Porra cara!

Eu me afasto, desligo o chuveiro, e passo cuspe, me lubrificando, deixando livre para Rafael ficar à vontade comigo penetrando ele.

Para ficar mais confortável, ele se abaixou ficando bem empinado, e eu posiciono começo a forçar, quando ele se afasta eu paro e fico assistindo ele próprio se pressionar contra mim.

Bem devagar e ele estava tão apertado que eu tinha me mover as vezes pois estava me incomodando em certos momentos.

A ideia de estar tirando o cabaço dele ainda não tinha entrado em minha cabeça.

Aquele gemido de quando ele sentiu que meu pau estava todo dentro dele foi quase um gozo meu. Rafa meio que começa a ficar confortável, e se empina mais e com isso fica mais gostoso para mim, desde a visão até sentir ele “mordendo” meu cassete, por não estar 100% confortável.

Vou enfiando e tirando, com as mãos para trás, deixando ele olhar que eu estava comendo ele gostoso. Então seguro sua cintura, e então pude foder com força, estralando minhas bolas na sua bunda.

Mano ele só gemia e não reclamava, me fazendo enfiar o máximo que conseguia.

Houve um momento que eu desconfiei se ele era virgem, porque Rafael estava com tanto tesão que chegou a me forçar para trás, meio que “pedindo mais”.

- Vamos para o quarto? – Ele pergunta.

- Já é.

Ele passa a toalha rápida para não molhar a casa e me entrega, eu só seco pouco do cabelo e vou seguindo aquela bunda para o meu quarto.

Mano!

Mano!

O Rafael, meu melhor amigo de infância, já sobe ficando de quatro.

Aproximo cuspindo e dando o que ele queria, enfiei com força e já fundo, fazendo ele gemer alto. Seguro em seu cabelo e cintura puxando contra mim, forçando não se mover, enquanto eu fodia com mais força do que estava no banheiro.

Rafael estava insaciável, me fazendo soar. Acho que nunca havia comido uma garota que me deixou assim, sem folego.

- Vira, fica de frango assado. – Me afasto, aproveitando para pegar um folego.

Ele deita mais acima da cama, e quando eu coloquei todo meu pau, já pensei, vou gozar rápido, rsrs.

Mano que delicia de bunda do caralho, me abaixei e ele veio me beijando e apertando minha bunda contra ele;

- Como essa bunda todo dia se quiser. – Tiro sorriso de Rafael.

- Mete vai!

Passo as mãos por baixo do seu corpo com cada mão em uma nadega, apertando e abrindo, fodendo mais fundo, ele praticamente gritava dessa vez, meio que abraçando minha cabeça.

Sentindo seu folego e gemidos próximo ao meu ouvido, e aquele calor do seu corpo, eu falo que vou gozar.

Quando sinto que estou ejaculando em Rafael, apoio nos braços para olhar para ele, que estava se masturbando! Gozamos juntos, eu latejei dentro dele.

Eu deito do lado dele e exclamo;

- Que a gente fez?

- Gozou, muito. – Rafael diz rindo.

28 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia