• @rgpatrickoficial

Love is Love FIM

#Caio


- Que foi que demoraram tanto?

- Encontrei Thiago.

- Ele está bem?

- Sim quer que vamos jantar com eles hoje.

- Por mim tudo bem. Vou tomar um banho.

Luan foi dar água e comida para Nina e sai do banho de toalha, estava pouco quente, fui a cozinha beber um copo de água, e encostado no balcão ele se aproxima me beijando;

- Boca gelada.

- rsrs'.

Sorriso entre o beijo e palavras soltas, Luan se apaixonava por isso, corpo molhado, cabelo molhado era seu ponto fraco;

- Veio até a cozinha para eu ver você assim todo gostoso né?

- Eu não imagina.

Falei descendo sua mão pelo meu abdômen e por dentro da toalha, fazendo ele pegar no meu cassete,

- Minha vez.

Disse ele beijando e mordendo meus mamilos, sua língua passando pela minha barriga e os limitados pelos do tal "caminho da felicidade", foi curto pra ele, sua boca conduzida por sua língua passando em volta da base do meu cassete era demais, eu apoiado na bancada segurando firme e ele de joelhos me chupando. Luan já sabia do jeito que eu gostava, ele engolia até onde conseguia a tirava sua boca me punhetando, me deixando pronto pra gozar, meu cassete em ponto de bala. Abaixei para ele se levantar, beijando ele e tirando sua roupa, virei ele colocando contra a bancada, e beijando suas costas e mordendo, ele empinou sua bunda, e eu pincelando meu cassete bem devagar na entradinha do seu cuzinho, fazendo ele piscar de tesão e gemer baixinho, como meu cassete estava babando deixei a entradinha dele bem molhada, fui introduzindo ele olhando meu cassete invadir aquela bunda bronzeada e grande, seus pés revirando e torcendo a ponta dos dedos, fiz bem devagar pois seu cuzinho estava como um forno de tão quente, tirei lentamente e coloquei de novo, passando a mão em suas pernas, até as costas, indo até seu cabelo, e voltando segurando sua cintura. Nessa altura ele já rebolava e eu dando leves tapas, fazendo ele gemer, e tirar sorrisos irônicos, subi uma de suas pernas na bancada deixando sua bunda mais alta, e segurei metendo mais e mais forte, foram algumas estocadas e gozei muito dentro de sua bunda;

- Vem, devagar... Vamos assim até o banheiro.

Com o cassete ainda em sua bunda fomos devagar até debaixo do chuveiro, liguei o chuveiro virando e beijando ele na boca, aquele beijo mais que perfeito ainda com gosto de sexo.

#Thiago

- Pra que essas coisas?

- Luan e Caio viram jantar conosco.

- Sério?

- Sim porque?

- Amor eu recusei o Pedido de Cauã, disse que iríamos ficar só nos dois hoje.

- Marcelo desculpa, eu não sabia...

- Tudo bem, vou ligar e chamar eles...

- Chame Jade e Heitor.

- Mateus e Pedro também?

- Sim.

- Eu estava brincando.

- Rsrsrs' Amor, já vai ligar, melhor, vou pedir um jantar completo então.

- Vou tomar um banho então.

O que era para ser um jantar simples acabou sendo uma bela resenha, com garçons vinhos, champanhe, e uma mesa inteira posta, estavam presentes todo mundo. Heitor e Leonardo, Caio e Luan, Pedro e Matheus, Jade e Danilo, Henrique e Beto, Cauã e Amanda eu e Marcelo.

- Isso aqui está um Arco íris. (Thiago).

- Olha quem fala. (Luan).

- Que foi Luan, não vai começa cão de guarda. (Thiago).

- Tudo bem, tudo bem viadinho da revista. (Luan).

Risada total, estávamos sentados a sala nos sofás e eu e Caio e Matheus no chão. Luan contou a história do viadinho da revista que aconteceu comigo, para a alegria de todos.

- Caio como se chama a cachorra de vocês mesmo? (Beto).

- Boa Beto. (Thiago).

- Nina. (Caio).

- Quem deu esse nome pra coitada. ( Leonardo).

Caio se calou e todos riram mais ainda...

- Com licença, Senhor o Jantar está na mesa... (Garçom).

Sentamos em uma mesa farta, de amigos surpresas, sorrisos, gargalhadas, histórias tristes e felizes, foi uma noite de confraternização entre amigos.

- Vou tomar outro banho Thiago.

- Tudo bem amor.

Marcelo no chuveiro e eu estava escovando os dentes;

- Nossa estou exausto.

- Também pudera, até seus jantares são animados.

- Estou maravilhosamente bem, viu a alegria de cada um... ?

- Sim, foi como juntássemos o amor de cada casal em um lugar somente.

- Eu concordo Marcelo. Onde há amor Deus está presente.

- Thiago.

- Oi?

- Eu te amo.

Disse aquela boca linda regida por um sorriso esplendoroso, cabelos se secando a toalha, e o corpo desenhado, sem mais palavras somente o abracei, falando ao seu ouvido repetidamente.

- Eu também te amo, muito, muito, muito.

- Você é um anjo em minha vida Marcelo.

Disse eu beijando ele.

- Acho que anjo não.

- Porque não?

- Um anjo não pensaria oque estou pensando agora.

- Ah, Marcelo.

- O que? Sou homem de muita carne e osso.

- Hahaha', muita carne é? Está mais para músculos.

Ele me pegou no colo e caímos abraçados na cama, eu estava com um short velho de dormir e ele sem roupa, o peso daquele homem sobre mim, era o tesão que sentia na hora. Marcelo puxou meu short tirando ele rapidamente, e me virando de bruços, sua boca mordendo minhas coxas, e até minha bunda me fez gemer no travesseiro, sua língua molhada passando em meu cuzinho, seus dentes mordendo minhas nádegas. Eu segurava com força o lençol me revirando, com a bunda bem empinada, a mercê dele, que deixou bem molhada;

- Fica de quatro fica! Isso empina mais, vai...

Marcelo começou a me penetrar, e aquela dor principiante sempre estava presente, me fazendo recordar de nossa primeira vez, ele gostava o quanto mais fundo melhor, então, seu jeito de foder era com muita força, estralava o encontro de minha bunda em sua virilha, ele segurava era meus ombros com força, me abaixava a cabeça e mordia o lençol para gemer pouco mais baixo, só ouvindo o urro daquele homem atrás de mim, segurando minhas mãos nas costas, para ficar mais e mãos vulnerável. Nada paga a cara de um homem com tesão, seu rosto de satisfação, aquele sorrido ou até mesmo careta antes de gozar. Bastante jatos de porra, Marcelo me deixou até meio mole aquela noite.

- Ufaa...

- Nossa vamos transar assim sempre.

- Gostou foi?

- Nossa e como, preciso de um ar.

Falei indo em direção da janela.

- Foi aquele vinho, Haha.

- Não brinca? Vamos mudar para uma adega então.

- Hahaha' vem vamos tomar um banho juntos, que depois vou te fazer uma massagem.

- Igual a essa?

- Venha Thiago e pare de graça.


#Beto


Deixamos Ayla no colégio e fomos juntos para o trabalho, quando chegamos e tomamos o café os engenheiros chegaram com a papelada para construção dos prédios que eu havia aprovado;

- Bom dia, senhores eu assino onde mesmo? (Henrique).

- Bom dia senhor, aqui por favor, e embaixo de todas as páginas. (Engenheiro).

Eu estava conversando com o outro cara quando dois membros da direção entram na sala fazendo a maior bagunça.

- Você não pode autorizar essa construção Henrique. (Diretor).

- E porque não Cláudio? (Henrique).

- Não foi aprovada pela direção. Alberto que deu o aval. (Diretor).

- Mas não tem nada de errado nos papéis e na planta, porque não aprovar? (Henrique).

- Tem que passar pela aprovação da direção, caso contrário não será construído. (Diretor).

- Esse empreendimento é particular? (Henrique).

- Sim senhor. (Engenheiro).

- Cláudio, está bravo porque não é obra do governo não é mesmo? Porque não vai ganhar propina sobre isso? (Henrique).

-  Claro que não Henrique, só não pode passar pela direção assim. (Diretor).

- Fora daqui! Fora da minha empresa! ( Henrique).

- Não pode me demitir. (Diretor).

- Já demiti, fora não escultou? (Henrique).

- Você vai se arrepender... (Diretor).

- Você é surdo? FORA! ( THIAGO).

Disse Thiago entrando e colocando ele para fora, os engenheiros também saíram, e Henrique tomou um copo de água e Thiago perguntou;

- É disso que eu estava falando, tem que por autoridade Henrique. Mas quem era esse cara?

- Era um diretor.

- Henrique diretor? Haha' não pode ser assim também não, vai com calma.

- Mas você entrou gritando.

- O que eu posso fazer, ser mal está no meu sangue.

- Mas então, o que devo a honra?

- Vim trazer pessoalmente os convites da festa da Revista esse ano. Quero os três lá, vocês e Ayla.

- Com certeza, vamos comparecer.

- Bem tenho que ir, dia corrido hoje, se for demitir mais alguém não se esqueça de mim em.

Thiago saiu e fomos para uma reunião, e depois do almoço, como era feriado vários funcionários, trabalharam até ao meio dia,  a tarde ficou poucos da área administrativa.

- Está liberada, e tranque a porta quando sair, vamos fazer uma vídeo conferência sem interrupções.

- Sim senhor Alberto.

Falei para a secretária antes de entrar na sala, Henrique estava no notebook eu Fechei a tampa e ele ficou puto.

- Beto, eu estava finalizando uma planilha.

- Relaxa amor.

Falei fazendo uma massagem em suas costas por trás, virei a cadeira dele tirando meu paletó.

- Beto sabe que não podemos transar aqui, eu já disse nada de sexo.

Beijei sua boca interrompendo ele, enquanto abria minha camisa e tirando minha gravata,

- Beto, alguém pode entrar.

- Dispensei a secretária e ela trancou a porta.

Tirei meu sapato, e o cinto, desci a calça, que estava com um belo volume, empurrei a cadeira de Henrique para trás, me sentei em sua frente na mesa, ficando bem alto, passei a mão por trás de seu cabelo, trazendo até minha cueca box branca onde meu cassete a desenhava, passando sua boca lambuzando toda minha cueca deixando bem molhada, pela abertura de uma das penas deixei a mostra a cabeça de meu cassete, Henrique foi abocanhando e chupando ao a cabecinha, nessa hora me contorcido gemendo de prazer e mostrando a ele que estava gostando, tirei minha cueca deixando todo aqueles 19 cm a mostra, meu cassete é aquele típico brasileiro, moreno claro, com a glande cobrindo a cabeça, Henrique pirava nele. Empurrei sua cadeira, e fui beijando e mordendo sua boca;

- Beto você é maluco.

- Você não viu nada ainda.

Disse eu tirando sua roupa, fiquei em pé na sua frente enquanto ele me chupava também ainda sentado, eu segurava a base de meu cassete, só vendo ele se engasgar com meu membro, sua mão em meu tanquinho deslizando e ele babando.

- Levante.

Me sentei na cadeira ele voltou a chupar deixando bem molhado, eu ainda cuspi e ele de costas, apoiou com um pé na cadeira, sentando e gemendo em meu cassete, nossa era uma delícia sentir ele sentando em mim e gemendo com meu cassete introduzindo ele. Henrique fez meu cassete sumir quando entrou todo, ele deu uma olhadinha para trás me beijando;

- Agora é com você, vai...

Falei passando as mãos em suas costas, nossa nos primeiros movimentos dele subindo e descendo eu quase gozei, em pouco tempo não estava mais me segurando, fui forçando e forçando até ele se levantar, voltei ele de quatro na cadeira com sua bunda bem branca pró meu lado, e coloquei um dedo, depois mais um, e mais um e mais um, depois deixei dois dedos e estava comendo Henrique com meu cassete e massageando com os dedos, ele chegava a gritar, eu segurava seu cabelo puxando ele as vezes para beijar sua boca, sem aguentar eu tirei meu cassete gozando e sujando ele todo bem na entradinha de sua bunda, e colocava meu cassete cheio de porra de novo, e tirava, colocava e tirava enquanto eu gemia em êxtase.


#Heitor


"- Pessoal por hoje é só isso, nos vemos na semana que vem, onde irei cobrir a festa do ano, isso mesmo a festa da Revista de minha família acontecerá na semana que vem e vou filmar os bastidores de tudo para vocês, bem e não se esqueçam de correrem a livraria mais próxima e comprarem meu livro, " Heitor Monteleoni ", bem fico por aqui, até semana que vem, fuuuuui!".

Estava editando o vídeo quando Leonardo chegou em casa soando.

- Aí estava onde?

- Correndo amor.

- Não, sem beijo, vai tomar um banho primeiro.

- Vem comigo?

- Sim mas vai na frente, vou desligar os equipamentos aqui.

Eu me virei e ele me deu  tapa na bunda, desliguei as coisas e tomei um copo de aqua, no quarto a porta do banheiro aberta suas roupas no chão, eu tirei as minhas e coloquei tudo pra lavar, quando entrei no banheiro, atrás do boxe Léo estava excitado.

- Nossa mas já esta assim.

- Queria ficar pronto para quando vir.

- Hum acho que não quero tomar banho agora.

- Há vem aqui.

Ele saiu do banheiro todo molhado e me agarrou, ao som do chuveiro o nosso sorriso ecoou para um beijo, Leonardo era o tipo baixo bombadinho, cabelos grandes, e um belo dote. Passos trocados até o chuveiro, e com ele ligado, me abaixei para chupar ele, que se segurou nas paredes com uma mão e a outra na minha cabeça forçando contra seu cassete, me fazendo engasgar quando eu fazia o possível para engolir todo ele, mas a água atrapalhava um pouco, chupava suas bolas e passava a língua em sua virilha tirando suspiros dele,

- Nossa quero comer você aqui mesmo.

- Quer mesmo é?

Disse eu provocando, me virei e sem hesitar coloquei seu cassete, segurando na base, enquanto me penetrava, Leonardo me pressionou contra a parede, me podendo forte, tão forte que fazia barulho suas bolas em mim, me afastei um pouco da parede para contrair seu cassete em mim,

- Aí caralho, assim não consigo, vou gozar rápido demais Heitor.

- Se está gostoso então vai.

Me empinei mais e ainda contraindo, ele segurou meu cabelo puxando enquanto bombava em minha bunda. Foram vários jatos de porra, ele respirava fundo, eu me virei beijando ele, punhetando-o lentamente.


#Matheus


- Ágata dormiu?

- Sim, está dormindo como um anjo.

- Vem aqui vem, já que todos dessa história fizeram um sexo bem gostoso, chegou nossa vez.

Coloquei o livro de lado, tireo meu óculos, e o lençol, fui até Pedro que estava a beira da cama, fiquei de Joelhos no colchão beijando ele tirei sua camisa beijando seu peitoral, depois seu short e cueca deixando ele pelado na minha frente;

- Eu amo ver ser corpo nu.

- Eu amo quando me olha assim, com desejo.

Nos deitamos beijando, eu deitei sobre ele, Pedro já com a mão dentro de meu short massageando meu cassete;

- Faz isso com essa boquinha sua faz.

Falei mordendo seus lábios, e deitei tirei meu short ficando de cueca, Pedro passou a boca molhando minha cueca e deixando toda molhada, e depois deu uns cuspidos, eu com a cueca toda molhada, me levantei colocando ele de quatro, do jeito que minha cueca estava eu tinha que dar umas boas sarradas naquela bunda branca e empinada, Pedro gemia algo com isso pedindo pra ser penetrado, ei cuspia em seu cuzinho e ele rebolava em meu cassete por dentro da cueca;

- Nossa amor, estou enlouquecendo.

- Está é? Rebola na minha rola, vai rebola.

Ele rebolando e eu dando uns tapas bem fortes, tirei meu cassete e meti de uma vez nele tirando um grito.

- Aí Filho da puta.

- Puta? Sente aí então! Não era isso que queria...

Nossa abracei Pedro colado no meu corpo e fodendo ele com força, ele rebolava e no movimento do nosso corpo eu imobilizei ele metendo forte, ele gritava de tesão.

- Caralho Matheus.

Eu com a feição do rosto fechada mordendo meus lábios fodendo ele. Tirei meu cassete deixando ele cair na cama,

- Vira, quero você de frango assado agora, olhar enquanto você geme de tesão.

Ele sorriu eu beijei e dei um leve tapa em sua cara, coloquei meu cassete olhando para Pedro estávamos quase tirando a cama do ligar, ele gemendo e eu segurando em seu peitoral enquanto eu rebolava mexendo meu cassete dentro dele, Pedro passou a mão pela minha nica segurando meu cabelo enquanto eu fodia ele com mais e mais força,

- Aí seu viado, huuuuum... Matheus.

Acelerei gozando dentro dele  tirei meu cassete todo babado, me levantei e Pedro veio de quatro e chupou limpando meu cassete com sua língua, depois o viado me puxou e beijou, senti o gosto forte e salgado da minha própria porra.

- Filho da puta.

Uma semana depois...

"23 exatos anos se passaram desde a primeira edição desta festa que já é costume da alta sociedade do Rio de Janeiro, agora do exterior também, isso mesmo a Revista Baldin se expandiu para o exterior, agora com filiais na Austrália, Thiago Alves Monteleoni colocou o micro empresário da Lafit Modas, Matheus, para ser presidente das filiais internacionais,  por aqui o primeiro Presidente  da revista que não tem em seu sobrenome a marca da " Monteleoni" o Leonardo que também é namorado do Vloger Heitor Monteleoni, agora é sócio ao lado do príncipe do Império, Cauã Alves Monteleoni que já deu para sua família mais um herdeiro. Mas os imperadores Thiago e Jade não vão deixar o cargo tão cedo.

A festa conta com o filho da rede de advocacia e diretor Caio Barreto, junto a ele Luan Borges o coronel da polícia Federal do Brasil. O filho dos embaixadores Alberto Tavares também presente junto a ele Henrique Porto, que todos conhecem pela direção da Construtora e incorporada Porto. A cozinheira do famoso bistrô Heloísa e Gustavo Tavares também presentes.

Esse ano a o discurso do Presidente Thiago foi a união das empresas, e confraternização entre seus co-fundadores. Marta Ramos, aqui da "Baldin Party" voltamos logo mais com novidades, Boa Noite".


>>> Thiago <<<



Feche os olhos aí beleza! Se imagine em frente a um lago de águas verdes bem calmas, sem movimento algum, iluminadas com a luz do sol, ao fundo uma mata fechada, e um pequeno píer de madeira, onde você está sentado e tem alguém sentado do seu lado com a mão sobre a sua. Feche os olhos e imagine, essa pessoa sou eu Thiago Alves Monteleoni, Dizendo o seguinte...

Obrigado por acompanhar toda essa trajetória, obrigado por chorar, por imaginar, por rir, rir muito, por se emocionar, por acordar em seus dias difíceis pensando e imaginando, "Cara o que acontece hoje em Love is Love?". Pensando em mim, Marcelo, ou até mesmo de Cauã pequenininho, se lembra ?

Até mesmo na bicha do Luan, e no Carisma de Caio, estou aqui para além de agradecer te desejar...

Uma pessoa perfeita assim como Leonardo para Heitor, "perfeito" dentro do seu padrão de perfeição não se esqueça. Teimoso e carinhoso como Beto é com Henrique. Sexo gostoso e com desejo como Matheus faz com Pedro. Um sentimento puro, sincero e verdadeiro como é de Luan e Caio. E um Amor, verdadeiro como de mim por Marcelo. Deus tem o Melhor para cada um de nos, é só acreditar.

Ps. Love is Love

7 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia