• Richardson Garcia

Love is Love - Capitulo 4 - Trabalho em Equipe

#Matheus


Eu e Pedro havíamos acabado de organizar as coisas em um novo apartamento em Copacabana, ele já havia encontrado uma baba para ficar com Ágata e eu não estava passando muito tempo com eles, depois da reunião passei as duas ultimas semanas assinando contratos e formulários.

Quinta-feira assim que cheguei em casa tomei um banho e Pedro estava na sala com Ágata, eu fui e sentei com eles;

- Olha essa mudança e tudo me deixou exausto.

- Nossa Matheus estou gostando da ideia Danilo e Kened são tranquilos , e será bom para a loja que sua mãe te deixou esse contrato, só peço uma coisa.

- Sim.

- Não vamos distanciar da nossa pequena.

- Tudo bem meu amor, vamos comer algo?

Preparamos o Jantar e eu coloquei nossa filha pra dormir, quando voltei para nosso quarto Pedro estava lendo um livro, eu deitei em seus pés e fechei o livro puxando e beijando ele que caiu por cima de mim;

- Pela primeira vez senti falta de você, o mais estranho é dormimos juntos.

- Não é isso, agora temos Ágata e tenho que dividir a atenção sua com ela.

- Mas aquele anjinho está dormindo agora, e eu estou querendo sua atenção.

Rindo ele fechou a porta e desligou a luz deixando somente o abajur aceso.

Eu estava sentado encostado nos travesseiros e Pedro fez sinal para eu não me mexer e começou beijando meus pés logo estranhei, quando ele mordeu ao lado de minha canela abaixo do joelho e meu cassete subiu na hora, seguirei no lençol até fechei os olhos, sua boca quente passando pelas minhas coxas, puxou o short de futebol velho que eu estava e começou a me chupar, eu peguei de leve em seu cabelo e conduzia subindo e descendo por todo meu cassete, nossa estava muito gostoso, ele estava sem as mãos e vendo todo meu cassete entrar e sair naquela boca quente e molhada, eu tirava e o beijava e ele me olhava com um sorriso safado, eu levantei e pedi pra ele se levantar junto a mim, Pedro ficou na minha frente com um pé apoiado na cama e suas mãos no colchão, com a bundinha empinada eu passei meu cassete na sua portinha e Pedro deu uns sorrisos, sem me controlar enfiei de uma vez, ele se levantou me xingando e seus braços vieram ao encontro de meu corpo, suas mãos passando por minhas coxas e bunda enquanto eu enfiava tudo bem fundo nele, gemendo baixo e sentindo aquele cuzinho quente de forma que me deixava tão louco que meu corpo respondia por si, só. Me sentei a beira da cama, e segurei meu cassete para ele, sentar, Pedro de costas para mim se sentou e cavalgando em meu cassete, e gemendo eu deitei de tanto tesão, gemia baixo e minha mão dava uns tapas fortes em sua bunda, até eu dizer que iria gozar, e ele acelerou quando gozei e ele sentiu diminuiu o ritmo rebolando ainda com meu cassete em sua bunda. Se levantou devagar e foi para o banheiro e eu fiquei deitado até soado, fui para o banheiro e bati uma pra ele la dentro ficamos um pouco debaixo do chuveiro, depois eu sequei ele e fomos deitar, no dia seguinte Pedro acordou mais cedo e preparou o café e quando a Baba chegou ele foi para a revista, eu iria no cartório somente depois iria para a revista.


#Henrique


- Beto temos um almoço com os empresários daquela revista a Baldin, se lembra.

- Temos Henrique?

- Sim, pediram que fosse com nos dois juntos.

- Olha não me leve a mal mas não quero, não estou interessados, pensei que havia deixado claro para eles.

- Tudo bem, só pra avisar que será no Bistrô da Heloisa, e os dois são gays.

- Que horas?

- (risos) Ás 12 horas.

- Tudo bem vou estar lá. Dá tchau pro papai, dá tchau pro papai Ayla?

- Até mais meus amores.

- Até.

Sai para o trabalho e assim que cheguei na construtora meu tio veio com um projeto para assinar;

- Novamente obras do governo?

- Estamos fazendo ótimos contratos com o governo meu filho, temos que aproveitar.

- Mas e esse valor? Isso aqui está pouco alto não?

- Henrique pode assinar, não se preocupe.

Assinei, e logo recebo a ligação de Leonardo novamente confirmando o tal almoço, o Beto passou no escritório e fomos juntos, quando chegamos Heloísa nos mostrou a mesa, e logo chega dois caras bem vestidos, e muito bonitos;

- Olá bom dia, sou Thiago Monteleoni e este é meu advogado Caio Barreto.

- Bom Dia, Henrique Porto e Alberto Tavares.

Falei nos cumprimentado o tal advogado brilhou os olhos quando viu Ayla.

- E quem é essa moça linda?

- Ayla Cristina, nossa filha.

- Vocês são um casal?

Perguntou o Thiago, e Beto já ficou furioso.

- Algum problema?

Eles começaram a rir, eu sem entender, Thiago logo completa;

- Desculpe é que eu sou gay, e ele também mora com um cara.

Começamos a rir, todos.

- Bem vamos pedir?

Depois do almoço veio a proposta;

- Então perceberam que estamos muito afim de comprar a imagens de vocês, a minha revisa está com um projeto grandioso, estamos reformulando os desfiles e grifes brasileiras, e queremos rostos como o de vocês, para essa nova campanha (...).

Foi apresentado de forma pausada todas as proposta eu assinei com eles, e Beto se recusou, ele não quis e também não disse o porque. Mesmo trabalhando na construtora do meu pai, eu queria fazer algo diferente sabia que seria bom, e a proposta apresentada foi irrecusável.


Quando terminamos Thiago falou para o Beto;

- É desculpe se o ofendemos ou dissemos algo que não foi do seu agrado...

- Não tudo bem, não é nada com vocês e sim comigo, fico feliz por Henrique assinar com vocês. Obrigado.

Eles saíram e peguei a tarde de folga, Beto e Ayla foram embora e como iria iniciar rapidamente os trabalhos eu fui ao salão, e fazer um Check-up total, para estar preparado quando fosse fotografar.


#Cauã


Estava na minha sala com Leonardo estávamos trabalhando em uns locais para as fotos e conversando;

- E Amanda Cauã? Estão namorando?

- Não, estou ficando como meu pai, sabe Léo?

- Não eu conheço muito pouco seu pai Cauã, como assim igual a ele?

- Essa revista está se tornando tudo pra mim e estou esquecendo de viver La de fora.

Baterão na porta era Matheus;

- Posso entrar?

- Fique a vontade Matheus, bem eu e Leonardo começamos sem você.

- Cauã fique esperto pois Amanda é um bom partido e gosta de você, seria um desperdício perde-la.

- Acho que estou atrapalhando a conversa de vocês.

- Não que isso Matheus eu e Cauã estamos falando de mulher. Espero que não se importe?

- Olha Leonardo, se não fosse o Pedro eu ainda estava solteiro sem filhos só ficando com garotas.

- Eu e Léo pensando que você sempre foi gay, e você ai escondendo a verdade.

- Cauã já peguei até amigas da minha mãe, garotas em baladas, festas, rua, já transei ao ar livre, na escola, nossa eu aprontei muito na vida de hétero.

- Depois vou pegar umas aulas com você Matheus. (risos).

Com algumas risadas interrompidas por minha tia, que entrou na sala chamando Leonardo.


#Léo


Jade veio me chamar, pois iria auxiliar ela com o estúdio,

- Cauã da continuidade na ideia de Matheus sobre o Marketing que vou ajudar Jade, tudo bem.

- Vai lá.

Descemos para o estúdio que estava pouco abandonado, assim que ela entrou colocou as mãos na cintura dizendo;

- Nossa quanto tempo não entro aqui.

- É realmente parece estar abandonado.

Ela sorriu e organizamos algumas coisas, Jade iria fotografar vários modelos famosos que estariam ali e não poderia estar daquele jeito deplorável.

4 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia