• @rgpatrickoficial

Love is Love - Capitulo 18 - Retomando o Que é Meu

- Que foi ah? Esta inspirado? - Precisa estar inspirado para o sexo? - Não sei você, mas eu me inspiro em você! Ele estava sentado em meu colo e estávamos nos beijando, ele dava leve reboladas em cima do meu cassete sobre o short. Ele saiu de cima e tirou meu short e eu ainda meio que deitado no sofá, Heitor segurou na base de meu cassete e começou a me chupar de um jeito que eu até assustei na hora; - Puta que pariu, Heitor... Ei...  Sua boca descia até onde conseguia e voltava com sua língua brincando com a cabeça de meu cassete, as vezes ele parava e mordiscava minha virilha pra provocar, eu tenho cócegas soltava varias risadas, ele deixou meu cassete todo babado e ainda cuspiu nele, eu já estava soado de tanto me segurar para não gozar nele. Coloquei Heitor de quatro no sofá, ele ficou com os joelhos no acento e se apoiou deixando aquela bunda branca a mercê, rapidamente com o cassete daquele jeito feito pedra, já fui colocando em sua entradinha que chegava a piscar, segurei firme em sua cintura e ele contorcia até meu membro entrar todo, com ele todo em Heitor, eu fui deitando  e beijando suas costas até seu pescoço ele se movimentava devagar, passei a língua por sua orelha e dei um beijo em sua boca finalizando com uma mordida, subi lentamente e tirei e coloquei novamente meu cassete e então mais rápido e mais rápido, fazendo com que ele gemesse de tesão, dava uns tapas em sua bunda que ficaram a marca, nunca havia pegado Heitor daquela forma, sempre foi mais romântico e tals, ele empinava bem a bunda e eu para retribuir ia mais fundo nele que conseguia com toda minha força, Heitor gemia e sua mão para traz passava por todo meu peitoral, descia até minha barriga e abria mais sua bunda enquanto eu fodia ele com força. Tirei meu cassete até vermelho dele, que estava até dolorido; - Deita ai... De frango assado coloquei o cassete nele novamente que iria mais fundo um pouco, me apoiei em meus braços olhando para Heitor, sem beijá-lo somente olhando, eu rebolava e olhava meu cassete todo entrar naquele cuzinho e sair, meu cabelo todo no rosto, Heitor pergunta; - Vou ter que pedir parar? - Quer que eu pare? - Claro que não. - Estou inspirado. Ele continuou rindo, eu deite e beijando sua boca, caramba estava muito gostoso, gozei dentro dele e ainda continuei como estava, pouco suado, mas não parava de beijá-lo, tirei o cassete ainda duro, fomo para o banho juntos, e ficamos um tempo debaixo do chuveiro nos beijando, com a água quente percorrendo nosso rosto e desenhando as curvas de nossos corpos. #Henrique - Bom Dia Thiago, Bom Dia Caio. (Henrique). - Nossa viu passarinho verde foi? (Caio). - Não ,não, é que tomei uma decisão e queria contar a vocês. (Henrique). - Adoro novidades, vai La diga! (Thiago). - Thiago vou mudar para o exterior, quero que fique com a construtora. (Henrique). Caio cuspiu o café, e Thiago que estava a vontade na cadeira quase caiu; - Eu não posso ficar com a empresa assim Henrique, é sua, seu patrimônio e de Ayla. (Thiago). - Compre ela. (Henrique). - Comprar sua empresa? (Thiago). - Sim me ajudaria, e eu poderia ir embora cuidar de Ayla. (Henrique). - Está fazendo isso por causa de Beto? (Thiago). - Acho que sim, preciso de algo novo na minha vida, tenho que cuidar de minha filha e acho que é uma boa ideia vender a empresa. (Henrique). - Você não pode vender a empresa. (Caio). - Como não? Ela é de Ayla, eu sou o responsável legalmente por ela até Ayla completar 18 anos. (Henrique). - Você se casou com Beto, Henrique. Tudo que você tem ele tem 50%. (Caio). - Não casamos com comunhão de bens Caio. (Henrique). - Se você mudar sem ele saber, umas das formas de te trazer de volta é indo atrás dos direitos que ele tem em matrimonio, sem contar o registro de Ayla Henrique, ela não sai do pais sem uma autorização judicial que Beto está ciente. Desculpe! (Caio). - Pode nos separar Caio? Separados consigo essa viagem? (Henrique). - Possivelmente sim.  (Caio). - Pode fazer isso? (Henrique). - Não é minha especialidade mas  vou ver o que consigo Henrique. (Caio). - Obrigado. (Henrique). #Cauã - Está reunião tem que ser perfeita, não podemos errar em nada, como estou? (Cauã). - Está ótimo, nossa essa gravata está me apertando, onde está Matheus? (Léo). - Estou aqui, prontos? Vamos ganhar o mundo? (Matheus). - Que confiança, fiz varias apresentações em minha vida e não me sinto assim, estou ansioso, bem vamos lá. (Cauã). Estava ocorrendo uma apresentação minha de Leonardo e Matheus, para uma empresa da Austrália, eles estavam interessados em investir na nossa marca, e queríamos essa expansão seria um salto para a empresa... 43 minutos e fim, tínhamos o outro lado do mundo, havíamos conseguido, depois do Happy Hour estávamos reunidos na minha sala; - Estão de parabéns, Matheus, você me surpreendeu muito... (Cauã). - Aprendi um pouco no colégio, não é muito diferente. (Matheus). - É bem diferente, conseguimos a primeira extradição da “Lafit”. (Leonardo). - Bem vou almoçar com meu pai e Henrique. Até mais tarde. (Cauã). - Vamos almoçar juntos Matheus? (Leonardo). - Sim Léo, vou chamar Pedro e vamos nessa. (Matheus). Liguei para meu pai e ele disse que estavam em um bistrô pouco longe da revista, acho que era de uma amiga de Henrique, não entendi muito bem, quando cheguei, olhei e próximo a uma janela eles estavam juntos sentados, me sentei e veio uma garota maravilhosa, acho que modelo, com um belo sorriso; - Então já vão querer pedir? (Heloísa). - Thiago, Cauã essa é Heloísa, uma amiga de longa data. (Henrique). - Prazer. (Thiago). - É um prazer conhecê-la sou Cauã Monteleoni filho de Thiago.  (Cauã). - É um prazer conhecer os amigos de Henrique, sejam muito bem vindos. (Heloísa). Fizemos os pedidos e meu pai me jogou um guardanapo; - Você é casado garoto. (Thiago). - Não resisti pai, viu ela. (Cauã). - Sim, vou tirar uma foto e mostrar para Amanda. (Thiago). - Porque não me apresentou ela antes Henrique. (Cauã). - Ela é casada com o irmão de Beto, Cauã. (Henrique). - Estou apaixonado cara. (Cauã). - É bom desapaixonar... Cauã... Ele está me ignorando Henrique. (Thiago). - Que foi pai? (Cauã). - Que foi? Olha como você fala comigo garoto, é senhor. (Thiago). - Sim senhor. (Cauã). #Heloísa - Quem são? - Amigos de Henrique, Gustavo. - Parecem estar brigando. - Eles são muito fofos, já vi o garoto na revista. - Fofos? - Sim, que foi? - Nada, só espero que meu irmão não apareça por aqui... Gustavo nem havia terminado e Beto aparece na porta entrando. - Falando nele... Beto chegou no balcão onde estávamos e cumprimentou seu irmão, quando ele olhou para mim, minha face já dizia tudo, Beto perguntou; - Tudo bem Heloísa? Antes de eu responder ele olha para sua esquerda e vê Henrique na mesa com os amigos, como Henrique estava de costas não viu ele, então tinha uma saída; - Beto, por favor não, vá embora. - Vou falar com ele Heloísa. - Alberto Tavares eu estou te pedindo, vá embora... Ele balançou a cabeça dizendo não, e foi em direção a mesa, eu sai do balcão acompanhando ele segurando muito forte em seu braço. #Thiago Eu estava brigando com Cauã, quando Beto se aproxima da mesa com Heloísa, ela estava suando, e por incrível que pareça Henrique recebeu Beto com um sorriso; - Com licença, Boa tarde a todos. (Beto). - Boa Tarde.(Thiago). - Boa tarde cara. (Cauã). - Boa Tarde Beto. (Henrique). - Gostaria de falar com você Henrique. (Beto). - Eu também quero falar com você Beto, mas estou almoçando agora, creio que não seja uma boa hora. (Henrique). - Podemos... (Beto). - Eu te ligo. (Henrique). - Tudo bem, desculpem atrapalhar. (Beto). - O que foi isso? (Thiago). - Vou falar para ele da separação. (Henrique). - Nossa que clima. (Cauã). - Quero te contar uma novidade. (Cauã e Thiago). Falamos ao mesmo tempo, eu e meu filho, Henrique deu uma risadinha; - Pode dizer pai. (Cauã). - Vou comprar a empresa de Henrique. (Thiago). - O QUE? (Cauã). - Isso mesmo que ouviu, vou comprar a empresa de Henrique. (Thiago). - Mas pai, tenho uma ótima oportunidade para o senhor. (Cauã). - Conseguimos o contrato com a multinacional, vamos expandir para Austrália, e eu aqui não consigo dar conta de tudo, preciso de alguém lá. (Cauã). - Você me quer na Austrália? (Thiago). - Sim, será uma... (Cauã). - Cala a boca. (Thiago). - O que? (Cauã). - Thiago. (Henrique). - Meu pai me deixou aquela revista se arrastando, eu coloquei onde ela está, e de entreguei de mão beijadas... (Thiago). - Mas pai. (Cauã). - Já mandei calar a boca Cauã. (Thiago). - Acha que vou deixar tudo assim para você e do nada ir para o outro lado do mundo? (Thiago). - Eu nunca pedi a revista, o senhor que me forçou a isso. (Cauã). - Não me responda Cauã. Nunca pensei em ouvir isso ainda mais de você. Pra mim já deu. (Thiago). #Henrique Thiago se levantou e saiu, deixando o guardanapo sobre o prato, meu olhar acompanhou ele até sair do restaurante, quando olhei para Cauã estava de cabeça baixa, fiquei sem reação mas quando Cauã me olhou seus olhos estavam cheios de lagrimas, me levantei sentando ao seu lado, ele encostou sua cabeça em meu peito como uma criança; - Henrique... Ele me entendeu errado, não era isso que eu queria, eu juro. (Cauã). - Agora Cauã, é dizer isso a ele, vai ter que ser forte garoto. (Henrique). Não terminamos o almoço, fui para o trabalho e ele saiu em seu carro, Thiago não estava na construtora, fiquei pouco chateado pelo ocorrido, porem não poderia fazer nada. Para completar minha vida tinha que encarar Beto a noite em casa.  Ayla ficou com Heloísa e eu estava em casa esperando por Beto, assim que o porteiro avisou minhas mãos soavam, a campainha logo chamou; - Entra! - Cadê Ayla? - Pedi que ficasse com seu irmão. - Fiquei muito feliz que resolveu me ouvir. - Entrei com o pedido de separação Beto. - Você o que? #Matheus - Estranho, Cauã não voltou a tarde, ele estava tão feliz com a promoção. Falou com ele Leonardo? - Não Matheus, celular desligado, espero estar tudo certo. - Até amanhã. - Até. Fui para o estacionamento e Pedro já me esperava,  - Vamos amor! - Você está mais charmoso hoje com essa barba por fazer. - Você gosta quando sente minha barba é? - Para Matheus. - Só de falar sobre isso com você olha como estou. Falei colocando sua mão sobre minha cueca, para ele sentir meu volume; - Tarado. - Não é assim que você me chama quando está de quatro não é mesmo? Ele somente riu, chegamos em casa pouco cansados, Agatha estava assistindo TV, e fui na cozinha e depois tomar um banho, e Pedro entra junto; - Vai tomar banho comigo? - Uma rapidinha e só Matheus. - Haha’, vem aqui, vou te ensinar o que é uma rapidinha comigo. Falei já pressionado ele na parede, acho que foi pouco forte, pois fizemos barulho, o beijo tirava nossos fôlegos, eu segurava seu rosto com um mão e a outra estava penetrando ele com os dedos. O que mais gostava era de olhar para aquela cara de tesão; - Hum... - Ta gostando é? - Tarado. - Hahahaha’ Ai Pedro. (risos). Segurando uma de suas pernas comecei a penetrar em Pedro ainda em pé, porem não entrou todo meu cassete, eu o virei e ele se empinou bem gostoso, caramba, a água do chuveiro percorria suas costas até sua bunda e eu vendo meu cassete todo enterrado dentro dele, Pedro abaixou a cabeça e ficou caladinho enquanto eu fazia os movimentos de vai e vem, bem frenéticos, eu mordia seu pescoço, e a temperatura do corpo com a do banheiro, não demorou muito para dar vontade de gozar, eu fiz mais e mais frenético, e Pedro gemeu pouco alto, coloquei minha mão e ele de leve mordia meus dedos, enquanto enchia seu cuzinho de porra. Ele se virou me beijando, logo saímos do banho e depois do jantar estava assistindo filme com Pedro e Agatha dormindo, o telefone chamou; - Matheus, boa noite desculpas ligar essas horas. - Boa Noite Leonardo, aconteceu alguma coisa, pra ligar essas horas? - Matheus, falei com Cauã, ele e Thiago discutiram, as coisas não estão bem. -Está brincando Léo, os dois, como assim? Porque? - Cauã propôs a nova promoção e Thiago disse não, foi quando Cauã discutiu com ele, disse que ficou de cabeça quente. - Não acredito nisso Léo. - Ele convocou uma reunião com a direção amanhã cedo. - O Cauã? - Não, o Thiago. - Thiago não manda mais na Revista, não é mesmo Leonardo? - É o que pensa Matheus, aquele homem tem tantas cartas na manga que nem imaginamos. - Espero não influenciar nos negócios. - Deus te ouça. #Marcelo Sai do plantão quando cheguei em casa, as chaves do carro de Thiago estava na mesa mas ele não estava em lugar nenhum, quando fui abrir o escritório a porta estava fechada, abri lentamente e a cadeira estava virada de costas; - Amor? Ele se virou e estava com orelhas como se estivesse chorado; - Thiago. Ele fez cara de choro eu assustei muito, ele ainda sentado me abraçou e começou a chorar, me abaixei, e ele me contou tudo o que aconteceu; - Vocês são adultos, e Thiago ensinou a cauã enfrentar seus erros, sabe que ele vai vir aqui não é mesmo! Ele fez que sim com a cabeça; - Amor espero que saiba o que dizer e que conversem como pai e filho. - Marquei uma reunião na revista amanhã. - Para que? - Vou assumir a construtora, mas não vou me desligar da revista. - Thiago e Cauã? - Ele vai entender. - Thiago você não vai interferir na revista. - Eu já fiz isso. - Já fez? Está me escondendo algo? - Caio não passou a revista para Cauã, eu mando lá, só que eles não sabem. - Só você e Caio? Thiago precisamos conversar, e serio. A campainha chamou, eu sai da sala e quando abri a porta era Cauã, ele não disse nada, só abracei ele e disse; - Ele está no escritório.

3 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia