• Richardson Garcia

Love is Love - Capitulo 13 - Nascimento de Eduardo

Meses depois...


#Cauã


- Foi somente um susto, podem ficar tranquilos, mas a partir de hoje a qualquer momento Eduardo está chegando, quero você Amanda de plantão e Cauã digo o mesmo, qualquer coisa me liguem.

- Isso não me acalmou Marcelo estou mais nervoso agora, não é melhor ela ficar no hospital?

- Cauã eu estou grávida e não doente, quero ir pra casa.

- E AI? NASCEU? NASCEU? MEU NETO NASCEU?

- Não pai, alarme falso.

- Mas de novo? Isso está igual a noticia de paparazzi.

- Haha’ é mas a partir de agora, a qualquer momento Eduardo chegará.

- Esse médico também né. A ultima vez disse a mesma coisa.

- Engraçadinho Thiago, não era pra estar na empresa?

- Era mas... Vou nem falar nada.


#Henrique


- Pai? O pai?

- Oi minha flor.

- Não to conseguindo dormir.

- Vem aqui vem.

Ayla subiu na cama e coloquei ela do meu lado debaixo do cobertor e ela pegou na minha mão.

- Pai?

- Oi Ayla.

- Eu to com saudade do Pai Beto.

- Esse fim de semana você vai ficar com ele minha filha.

- Mas eu quero ficar com vocês dois.

- Ou meu Deus, ei dorme que amanhã vou te levar para trabalhar com o papai.

Ela fechou os olhos e eu peguei no sono, como não havia aula eu iria levar ela para o trabalho, acordamos bem cedinho, tomamos café e saímos quando cheguei no trabalho Thiago já estava lá;

- Bom Dia Thiago.

- Bom Dia Henrique, e essa menina linda em?

- Fala oi pro Thiago Ayla.

- Oi!

- Você é muito linda sabia!

Ela fez que sim com a cabeça e ele já foi pegando ela no colo, a nova secretaria veio trazer um café e levou Ayla para irem ao outro lado da rua;

- E você Henrique como está indo sem Beto?

- Durante o dia é normal, estou muito focado no trabalho, mas Thiago quando chega a noite não tem coisa pior. Pra completar isso está afetando até minha filha.

- Quando me separei da mãe de Cauã ele sofreu muito, até ela se adaptar isso vai ser doloroso. Acha que não tem chances de vocês voltarem?

- Espero que não.

- Você diz isso, mas quando fica frente a frente com ele se prepare Henrique.

- Que isso demore a acontecer. Vamos mudar de assunto? E Eduardo quando vai nascer?

- De acordo com meu médico a qualquer momento.

- Mas ele não disse isso semana passada.

- É acho que está perdendo o jeito.

- Haha’.

- Seu genro está chegando Henrique.

- Genro Thiago, minha filha vai namorar só com 21 anos e casar virgem. Eu sou gay mas conheço o tipo de hétero que vem por ai.

Thiago deu risadas altas e saímos conversando sobre até a sala de reuniões.


#Cauã


Deixei Amanda na casa dela e deixei meu carro com seu irmão.

- Arthur olha aqui estão as chaves e o documento do meu carro, pelo amor de Deus qualquer coisa me liga, a teimosa da sua irmã não quer ficar no hospital.

- De boa Cauã, eu aviso sim.

- Até mais amor, e qualquer coisa não me deixa sem noticias, tenho que ir.

O motorista da revista me pegou no morro e fui para a revista de cabeça quente, cheguei por volta de 10:00 da manhã;

- Cauã estão todos te esperando na sala de reuniões.

- Como eles estão Leonardo?

- Estão sem paciência, e que roupas são essas?

- Não deu tempo de me arrumar, me dê seu paletó.

- Ah eu mereço.

Entrei na sala de apresentação, onde iríamos começar uma negociação importante, eu iniciei e mesmo nervoso consegui desenrolar bem, conseguimos o contrato, saindo da sala cumprimentado os  executivos tirei o paletó e entreguei para Leonardo, fui para minha sala e preparando os papeis na minha mesa coloquei a mão no bolso e estava sem o celular, me desesperei voltei na sala procurei como um louco voltei na minha sala;

- Senhor o Leonardo está desesperado atrás do senhor.

Nossa eu parecia um louco sai correndo até a sala dele e voltei na sala de apresentação, quando dei de cara com Leonardo;

- Cauã Amanda está no hospital...

Disse ele ofegante e deixei ele falando sozinho e corri pro hospital, eu soava igual um louco, quando cheguei meu pai já estava lá;

- Pai? Chegou mais rápido que eu.

- Marcelo me ligou.

- E ela?

- Acabaram de entrar na sala de cirurgia.

- Pai se acalme, você está tremendo?

- É que Luan me trouxe, na viatura. Cauã ele dirige como um louco.

- Hahaha’ ai Thiago só o senhor pra me fazer rir em um momento destes.

A enfermeira saiu e veio até nos, perguntando se eu queria entrar, eu recusei é porque não posso ver sangue, e iria dar trabalho na sala de cirurgia. Eu e e meu pai estávamos nervosos, andando pra um lado e para o outro, Jade e Heitor chegaram em seguida e só havia se passado 5 minutos, ouvi um choro, agudo e fino, lagrimas escorreram pelo meu rosto abracei meu pai, meu coração estava como uma chama, meu peito quente, outra enfermeira veio e nos entramos em uma sala particular passamos por um vidro onde vimos Marcelo a equipe e Amanda, na sala ao lado estavam duas enfermeiras com Eduardo, eu me sentei e ela me entregou aquele pequeno ser, um anjo em minhas mãos, uma benção de Deus, meu filho.


#Thiago


O pouco que ficamos com meu neto, eu chorei como no nascimento de Cauã, logo tivemos que nos retirar e em alguns minutos Marcelo nos chama, e entramos no quarto onde estava Amanda, ela estava pouco dopada, mas conversava, Cauã estava com Eduardo nos braços ao lado de Amanda, e Marcelo conversando com eles;

- Eu nunca me senti tão velho quanto agora.

- É meu irmão, quem diria em, vovô.

- Ai Jade, tem coisa melhor que ver o nosso filho feliz?

- Não, realmente não.

Caio, Henrique, Luan e Leonardo vieram ver a criança, e também Pedro e Matheus.


#Heitor


- Mãe eu e Leonardo já vamos, ok.

Saímos do hospital e fomos para uma churrascaria encontrar uns amigos, eu o Léo e mais um casal de amigos nossos, depois de comermos pedimos um vinho branco e ficamos conversando, quando nossa amiga foi ao banheiro e Léo me olha e diz;

- Já está na hora de tirar esse cavanhaque não acha?

- Ai daqui uns dias não vai querer que eu saia de saia curta na rua.

Meu amigo começou a rir e um cara olhava do bar para nossa mesa, comentou Léo, eu olhei e ele veio até a mesa;

- Olá Boa Noite.

- Boa noite.

- Como se chama?

- Sai.

Respondeu Leonardo na minha frente, eu olhei pra ele;

- Sai?

- Sim sai fora, se não percebeu que ele está acompanhado.

- Ah foi mal mas falei com ele.

- Não tudo bem, se quiser falar com a minha mão ela está aqui também querendo bater um papo.

Falou Leonardo se levantando e encarando o cara, eu e meu amigo nos levantamos e o gerente viu e se aproximou;

- Algum problema?

- Não nenhum.

Respondi enquanto o cara saia de perto,

- Depois a gente conversa.

Falei olhando para Leonardo. Logo fomos embora e quando chegamos em casa ele já entrou perguntando;

- Que foi? Você veio calado do restaurante até aqui.

- Assim não dá.

- Assim o que?

- Esse seu ciúmes Leonardo, ou você se policia ou eu não quero isso pra mim.

- Acho que exagerei!

- Não você passou dos limites.

- Desculpa, eu não queria.

- Não faz mais isso, na boa.


#Henrique


Eu e Ayla saímos do hospital e fomos para casa, quando cheguei na portaria do prédio Beto nos aguardava, quando minha filha viu ele saiu correndo e pulou em seu colo;

- Olha Pai, é o pai Beto.

- Haha’ estava com saudade do pai Beto estava?

- Sim.

Me aproximei dele com a mochila dela nas costas, e disse;

- Vou subir, vocês não demoram.

- Espera, preciso falar com você.

Disse Beto segurando meu braço me impedindo de subir.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia