• @rgpatrickoficial

Love is Love - Capitulo 11 - Finalmente Heitor e Leonardo

#Thiago


Depois de uns dias estava em casa com Marcelo, estávamos jantando e conversando sobre minha nova ocupação;

- Como está a empresa agora com você colocando na linha?

- Amor por mais que esteja difícil, consegui fazer muito o pouco tempo que estou lá.

- Ontem quando cheguei Luan estava saindo do prédio.

- Hum sei.

- E Cauã, o que ele acha sobre isso?

- Ele está aliviado, agora estou preocupado com a Construtora e deixo ele em paz.

- Pois é, Thiago e os processos, não falei mais com Caio.

- Marcelo falta somente um, que será finalizado em breve eu espero.

- Vai demitir Caio?

- Não, ele não, ainda tem um serviço a fazer.


#Henrique


Eu estava muito feliz com o resultado de Thiago na empresa, bem ele fez um limpa, uma literal faxina eu só acompanhava, acho que estou até mais “firme” emocionalmente por ele que me ensinou algumas coisas. Eu acabava de receber algumas noticias ótimas sobre a empresa estava me explodindo de alegria, quando cheguei em casa, Beto estava no banho ele nem me viu, fui indo em direção ao quarto quando o celular dele avisou de uma mensagem, eu olhei e de um numero desconhecido estava escrito, “Te esperando S2”. Meu coração disparou na hora, peguei meu celular e liguei para o numero, uma voz masculina atendeu, eu sai do apartamento rapidamente desci para o estacionamento e entrei no meu carro, fiquei esperando Beto descer, pois como a mensagem dizia ele iria sair para encontrar a tal pessoa, e foi dito e feito, ele desceu entrou em seu carro e saiu, eu o segui, Beto foi para o rumo da casa de Heloísa e eu fiquei com uma breve esperava de não ser nada, mas ele desviou e passando pela orla de Copacabana parou o carro na areia e pegou um carinha, que me parecia bem mais novo que ele, ele prosseguiu dirigindo e parou em uma rua em frente a um hotel, eu manobrei meu carro e desci, quando estava vindo vi eles se beijando dentro do carro, eles desceram e antes de entrar pela porta, Beto olhou pra mim que arregalou os olhos, em um movimento eu dei um murro em seu rosto de direita que Beto caiu no chão, eu fui em cima dei mais dois socos nele, e o cara tentou me segurar eu me livrei empurrando ele que caiu longe, Beto se levantou, calado não dizia nada, só passava a mão no sangue que escorria na boca;

- Seu Filho da Puta, Infeliz, Como teve coragem? Eu vou te matar.

Quando disse isso fui novamente para cima dele e o derrubei novamente, as pessoas da rua me seguraram, e o carinha do lado de Beto os dois muito assustados, por dentro de mim parecia um vulcão em erupção, eu me tremia todo;

- Nunca mais venha até mim, e muito menos de minha filha, esquece que a gente existe, esqueça que um dia nos conhecemos, não quero que nem pense em mim.

Me virei me livrando das pessoas entrei no carro e sai daquele lugar, liguei para Heloísa eu estava chorando na hora, pedi ela pra não deixar Beto pegar Ayla, e ficar com ela até eu chegar, quando parei no semáforo olhei pára minhas mãos estavam machucadas, e havia muito sangue, com a dor decidi passar no hospital e fazer um curativo, antes de buscar Ayla. Quando cheguei e solicitei atendimento encontro Marcelo;

- Henrique o que foi, está bem?

- Não, preciso de um curativo Marcelo, pode me ajudar.

- É claro me acompanhe.

Eu o segui ele entramos em uma sala, fiz uma limpeza e ele estava fazendo o  curativo e eu contando a ele o que houve;

- Nunca imaginei Marcelo, não o Beto, acabou pra mim.

- Não fala assim você tem Ayla e ela precisa de você.

- Está certo.

- Pronto.

- Obrigado, pena que não pode curar aqui dentro não é mesmo.

Conversamos mais um pouco, eu fui para a casa de Heloísa pegar Ayla, conversamos um pouco somente pois eu saberia que ele iria direto pra lá;

- Heloísa quando puder, quero um favor seu.

- Sim, Henrique.

- Estou indo para um hotel, e vou arrumar outro apartamento e quero que pegue minhas coisas e de Ayla.

- Pode deixar Henrique, é só me falar.

Passei aquela noite em claro, Ayla também estranhou um pouco o local, e ficava perguntando do “Pai Beto”, eu desconversei, mas não foi fácil, no dia seguinte deixei ela no colégio e fui para o serviço, quando cheguei Thiago já estava lá, entrei e ele me viu, possivelmente Marcelo contou a ele, Thiago se levantou veio até mim e me abraçou, até então eu não tinha sentido o que precisava sentir, a dor veio toda de um vez, eu me desmanchei em lagrimas.


#Heitor


"- É isso ai galera e a frase de hoje é a seguinte, “Para todos adolescentes qualquer coisa é o fim do mundo”. Quem concorda, da like, se inscreve no canal, compartilha, valeu pessoal, fuui."

Assim que terminei de gravar o vídeo desta semana Breno me manda uma mensagem chamando para uma festa que ocorreria na casa de um amigo, eu disse que iria afinal estava precisando me diverti, fui ao shopping a tarde,  e Leonardo não saia de minha mente, a noite me arrumei, coloquei um tênis branco que comprei uma calça apertada cor beje, e uma camisa preta com umas pulseiras de couro, deixei o cabelo bem arrumadinho pouco alto, pra chamar a atenção, em pouco tempo eu cheguei e encontrei vários amigos que não via a tempo, eu não bebi muito assim, e em um lugar reservado da festa meus colegas prepararam um brincadeira da garrafa, se bem que a ultima vez que eu brinquei disso acabei beijando Leonardo, a lembrança já veio rapidamente em minha mente. Tinha só eu e Breno mais 3 garotas, eu rodei a primeira vez e beijei uma garota e tals foi seguindo e depois de um certo tempo eles me vendaram os olhos, e depois que rodei me conduziram para algum lugar, foi uma gritaria para que eu não olhasse, o som alto aquele tanto de gente, só ouvi o Breno dizer;

- Podem se beijar.

Juro a vocês quando as bocas se tocaram, algo em mim dizia, ou melhor, gritava “Leonardo”, meu coração acelerou, mas eu quis aproveitar a lembrança. Tirei a venda e Leonardo estava na minha frente olhei para o lado e Breno serio sem falar nada;

- A que merda.

Falei passando a mão no rosto, Leonardo tirou a venda rapidamente,

- Ah brincadeira, mano.

- Não, isso é serio, chamei os dois e bolamos isso para se reconciliarem.

Os meninos abriram a porta e entraram no quarto, eram nossos amigos do tempo de escola, que sempre saímos juntos.

- Não importa se você curte homem ou mulher, nos gostamos muito de você Heitor e de você Leonardo, mas os dois juntos seria bem melhor.

- É mesmo que seja um desperdício dois caras lindos assim com vocês, mas nos respeitamos.

Disse nossos amigos entre eles, eu olhei muito sem graça para Leonardo e ele estava até vermelho;

- Vamos sair e deixar vocês dois conversarem, já está na hora de colocar um ponto final nesta frescura.- Vamos sair e deixar vocês dois conversarem, já está na hora de colocar um ponto final nesta frescura.

Breno saiu e fechou a porta, eu não sabia o que fazer ou o que dizer, Leonardo se sentou na cama pegou seu celular;

- Desculpe, eu fui um idiota…

- Só porque está aqui trancado comigo não que dizer que tenha que puxar assunto.

- Só estou me desculpando Leonardo.

- Sabe de uma coisa engraçada Heitor, a poucos dias eu estava muito mal por cada coisa que ouvi de você e se me desse bola eu estaria arrastando atrás de você, hoje estamos aqui juntos, e eu sinto a mesma coisa, só que te um porem, já sofri demais por “nada”, por algo que não senti se quer um pingo de esperança, isso doí sabia, muito mesmo. Você gosta da pessoa e diz isso a ela, porem ela te ignora, ou pior te recrimina, mas você não perde a esperança, está ali, sempre, pra qualquer momento que ela ao menos te olhe, você com o coração espedaçado sorri. Na tentativa de ser retribuído.  E quando ela sorri pra você, quando ela percebe que sente a mesma coisa por você,  seu coração não quer mais, seu coração  é como os lados iguais de um imã, se retém.

- Desculpe, fui ignorante e imaturo, pensei somente em mim, não pensei em você.

- Eu te amo Heitor e lutar contra isso é lutar contra mim mesmo, e eu sou só um adolescente e pra mim tudo é o fim do mundo.

- Você assistiu o Vídeo.

- Sim assisti, Mesmo que não morremos um do lado do outro, não gostaria de estar velho em uma cadeira olhando para meus netos e pensar, "Eu poderia ter tentado mais um pouco".

Eu estava próximo a parede e ele sentado na cama, me disse isso tudo olhando para baixo com a voz no mesmo tom, se levantou lentamente o cabelo em seu olho rosto um charme peculiar, Boca até branca, ele estava nervoso, mas sua cara lerda não se desfez.

📷 (Imagem Meramente Ilustrativa, para melhor interpretação)

Se aproximou pegou em minhas mãos, ele estava com as mãos soando e tremendo tipo muito, sorriu me olhando no fundo daqueles olhos castanhos e disse;

- Você pode me dizer não de novo, e de novo, e de novo. Que vou sempre estar aqui Heitor, eu sei e já tenho certeza que o que eu sinto por você é amor.

Suas mãos aproximaram nossos corpos e nos beijamos, dessa vez um pouco diferente, meu coração estava acelerado, e minhas pernas tremendo, quando ele se afastou sua boca da minha sorrindo eu disse;

- Me desculpa.

Ele me beijou novamente e Breno entrou no quarto;

- Finalmente já estava na hora, não perde tempo mesmo em.

- Vai se fuder Cara.

Falou Leonardo jogando uma almofada, fiquei pouco sem graça, mas não se compara quando saímos do quarto de mãos dadas, como a festa ainda acontecia e tinha varias pessoas, e algumas não conhecíamos, fomos para a rodinha de amigos que estavam bebendo e jogando truco, esta noite foi especial, passei junto a Leonardo, e com pessoas de amizades verdadeiras.


#Thiago


Cheguei mais cedo que  o acostumado na empresa e liguei para que  Caio me encontrasse lá;

- Bom dia Thiago, mas porque a exigência de me encontrar aqui tão cedo?

- Caio me explica melhor os papeis que eu e Henrique assinou.

- Bem Henrique passa tudo pra você, os papeis são a prova que você é dono desta empresa, claro que tem o acordo firmado entre vocês, mas ele não tem valor perante o tribunal, mas porque a pergunta?

- Eu vou demitir Henrique.

- Isso é mais uma brincadeira ou jogada?

- É isso mesmo que ouviu.

- Você não pode fazer isso...

- Eu posso e vou fazer, prepare os papeis.

- Thiago.

- Eu estou mandando Caio, me obedeça.

Ele saiu da sala, calado, porem muito furioso, eu estava tremendo, foi quando Henrique entra na sala;

- Bom Dia Thiago, aconteceu algo com Caio, ele saiu furioso da sala!

- Com ele não, mas irá acontecer com você. Está demitido Henrique.

- Você não pode me demitir da minha própria empresa.

- Acho que não fui claro.

Neste momento Caio entra na sala com a folha na mão.

- Ele não só pode fazer isso Henrique como já fez.

- Caio como assim? Isso aqui é meu Thiago, da minha família.


#Luan


Eu estava no comando e fui chamado para uma reunião com meus superiores, quando entrei na sala era o que eu suspeitava;

- Coronel Borges, Foi designado junto a sua equipe a missão que está trabalhando a algum tempo, hoje será a vez de derrubar a Construtora e incorporadora Porto, vamos efetuar prisões de alguns de seus diretores e envolvidos.

- Senhor se me permite.

- Fale.

- Se eu tiver escolha não gostaria de estar a frente desta missa senhor.

- Como disse não tem opção, caso negue irá ficar retido por 3 meses Coronel.

- Sim senhor.

A base começou a se organizar eu sai de perto deles e liguei para Caio;

- Amor está onde?

- Luan estou na construtora, olha não dá pra falar agora.

- Caio me escuta se estiver perto de Thiago, não saia, fique ai.

- Porque?

- Eu te amo.

Desliguei o telefone e pegamos as armas, entramos nos carros e fomos seguindo para casas de alguns empresários e eu com minha equipe fomos direto para a sede da construtora, sem nos anunciar, sem falar com ninguém chegamos até a sala onde estava, Thiago, Henrique e Caio.

- Luan, que é isso? (Caio).

- Thiago Alves Monteleoni, o senhor está preso, por corrupção, lavagem de dinheiro, e fraudações de documentos federais, responderá legalmente a todas acusações em cárcere privado. (Luan).

- Luan, não pode fazer. (Henrique).

- Podem algemá-lo. (Luan).

Thiago calado, estendeu as mãos e sem dizer ou falar nada, se entregou. Caio estava soando, e passava a mão no rosto me olhando de um jeito muito diferente pegou seu celular pedindo apoio pois estava descendo para a delegacia, Henrique com a mão no meu ombro repetia meu nome olhando firmemente pra, e pedia para parar com aquilo;

- Capitão, você e seu pelotão colham tudo o que ajudar na investigação. (Luan).

Colocamos Thiago no carro e Caio pegou seu carro e veio seguindo o comboio, Henrique não sabia o que fazer ou o que falar;

- Marcelo estamos com ele. (Luan).

- Tudo bem, eu e Cauã estamos indo. (Marcelo).

12 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia