• @rgpatrickoficial

Laços - Capitulo 57

#Artur

Havia marcado com os pais de Luigi para pegar o Daniel essa manhã, logo que eu terminasse meu plantão.

Porem foi bem cedo, quando cheguei ele estava até meio tonto de sono, acho que o coitado demorou uns minutos para entender que estava no carro;

- Já estamos chegando, em casa você deita e dorme. – Faço carinho em seu cabelo.

- Não eu to bem. – Ele diz babando.

- Aham, foi deitar que horas ontem Daniel?

Esse momento ele me olha, abre um sorriso;

- Tarde.

- Ah mesmo? Deveria colocar você para cumprir suas obrigações do dia isso sim.

Com tanta preguiça que nem respondeu. Eu passei em uma padaria caminho de casa, pois estava cansado e só um café mesmo iria fazer para essas crianças.

Quando cheguei levei o Daniel para o quarto, pois pegou no sono novamente no carro.

Desci fazendo café, pois Nicole mandou mensagem dizendo estarem na estrada e chegariam em minutos.

Coloquei a agua para esquentar, arrumei um pão, e estava respondendo a Alexia quando Wilker aparece na cozinha;

- Já chegou pai? – Ele estava com o cabelo todo bagunçado.

Sem camisa e bermuda, só tinha escovado os dentes;

- Bom dia filho, bom te ver também.

Ele vai na geladeira, e então a surpresa, ou não!

- Bom dia Artur. – Hugo aparece usando uma camiseta do Wilker e de bermuda e chinela.

Eu olhei para Wilker, e só os olhos voltaram para Hugo;

- Bom dia!

Eu voltei, peguei a agua e passei o café, como se nada tivesse acontecendo.

- Wilker café? – Pergunto servindo as xicaras.

- Não.

Entrego uma para o Hugo;

- Não preciso perguntar ne.

- Não senhor. – Ele sorri.

Hugo senta na minha frente na bancada e Wilker coloca os pães na mesa, e pega queijo na geladeira. Eu morrendo com aquele silencio;

- Ai chega! Quem vai falar? – Digo alto.

Hugo caiu na risada, tipo muito, já meu filho. Fecha a porá da geladeira todo sério, como sempre;

- Hugo dormiu aqui em casa pai, foi o que aconteceu, como nos últimos anos.

- Só dormiu é? – Digo rindo.

Hugo novamente começa a rir e Wilker pega um pão e seu leite;

- Vou comer lá em cima tenho que me arrumar e não to afim de ouvir vocês fofocarem.

- Você não deveria estar de mal humor garoto, rsrs. Cota tudo garoto, vai. – Empurro o Hugo.

- Nada Artur, eu só dormi aqui.

- Dormiu Hugo! Eu dormi no meu trabalho e isso que estava de plantão.

- Rsrs, ai o senhor não existe. Ficamos Artur. – Ele diz com um sorriso no rosto. – Foi nossa primeira vez.

- Como assim? Pensei que já tinham ficado antes.

- Não.

- Meu Deus, pensei que eram mais rápidos hoje em dia.

- Rsrs, não Senhor, foi a primeira vez do Wilker também.

- Como pode! Vocês são muito devagar. É muito drama, isso parece uma novela do Manuel Carlos.

- Rsrs, tipo isso.

- Mas estão namorando?

- Não sei.

- Aham sei.... E seus pais filho, falou com eles?

- Não. – Hugo muda seu semblante. – Ainda não tive coragem.

- Pois crie, é tudo a seu momento, mas filho, quando se liberta disso, é como renascer.

- Vou fazer, acho que precisava de alguém comigo sabe.

- Escuta. Independente do Wilker, se precisar, o que precisar, eu e o Marcos estamos aqui, sempre. Você foi um anjo com o Daniel, e com a gente é claro, se precisar, vamos ajudar.

- Posso te dar um abraço?

- Claro menino.

Ele vem, e me aperta, todo emocionado;

- Obrigado.

- Não há de que.

A porta se abre, os meninos chegaram.

Beijo meu marido que fica abraçado comigo, e Bento deixa a mochila de lado, Nicole que ajudava ele também vem para a cozinha;

- Ai que fome, meu pai fez a gente vir direto para casa, para chegar mais rápido. – Ela serve de café.

- Torturando os meninos Marcos? – Cutuco suas costelas.

- Ela concordou está falando porque não tem assunto.

- Como foi o jogo Bento. – Pergunto.

- Foi ótimo tio.

- Se não fosse ele, não tinham ganhado. – Nicole completa.

Marcos senta com os dois para comer, e o Hugo comenta;

- Nicole tem um amigo meu afim de você.

Todo mundo olha;

- Sai de mim Hugo, sai! Quero saber de homem não, pior raça que existe.

Eu e Marcos coçamos a garganta, ela olha, Bento e Hugo rindo, e ela se corrige;

- Heteros.

- Ótimo, assim que eu gosto. Essa é minha filha. – Marcos fala rindo.

- É o Mauricio. – Hugo diz.

- Ah, sério? Não brinca. – Ela deixa o pão na mesa.

Todo mundo cai na risada, e o Marcos diz;

- Sabe que eu sei onde você mora Hugo. – Ele fala ameaçando.

- Senhor pode confiar, esse não é filho da mãe como o Jo... O Outro lá.

Termino de comer e vou passando;

- Agora eu vou dormir, porque trabalhei a noite toda, e bom dia para vocês. – Beijei o pescoço de Marcos.

Wilker desce as escadas sem nem me olhar, eu cheguei lá em cima e me lembrei;

- Wilker vocês usaram camisinha né? – Gritei.

17 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia