• @rgpatrickoficial

Laços - Capitulo 48

Mano como assim, Bento morando na minha casa, ainda mais depois que tudo que havíamos passado, sei lá, era estranho, soava estranho para mim.

Sei que ele foi tomar banho, e arrumar suas coisas, meu pai iria para o trabalho logo mais, Daniel e Marcos também saíram, ficou Nicole conosco.

Eu no meu quarto, tirei um cochilo depois do almoço, e acordo com meu pai batendo na porta;

- Wilker, meu filho.

- Oi. – Olho para sua direção.

- Seu pai está aí embaixo, acorda, vai.

Respiro fundo, me contorcendo na cama, com a cabeça pesada e a cara inchada, desci as escadas, apoiando no corrimão, e ele estava na sala;

- Benção. – Pego em sua mão.

- Deus te abençoe. Que vida boa em rapaz! – Ele me abraça.

- Não estava acostumado com as aulas de manhã, e acordando tarde, como foi a viagem? – Nos sentamos juntos.

- Ótima, fiz vários contatos e visitas em alojamentos na Califórnia, você terá o melhor ensino possível, no melhor lugar que se pode pagar. – Ele diz todo empolgado.

- Não disse se era gelada ou natural, eu então misturei, Dimitri. – Artur entrega um copo de agua para ele.

- Obrigado. Então que me diz? – Ele agradece, olhando no fundo dos olhos do meu pai, e depois me encara, com aquele mesmo sorriso que falou de Califórnia.

- De que? – Falo sem prestar atenção.

- De Califórnia? Prefere esse campus ou de Nova York como tínhamos olhado antes?

É foda, Artur já olhou para mim, e ficou no sofá de frente, só observando;

- Pai, não sei.

- Que não sabe?

- Qual escolher.

- É fácil, com essas férias não pode visitar, mas no fim do ano, iremos fazer uma viagem, bom que você já conhece tudo, e assim, não tem dúvidas de qual escolher.

- Pai, não sei se quero mudar de pais, não sei se quero deixar meu pai aqui, ainda não decidi qual curso fazer.

Os dois se calam, Dimitri mais espantado e assustado que Artur;

- Como assim? – Ele me encara.

- Só não sei.

- Tem dedo seu aqui né? – Dimitri olha para Artur.

- Não, ele nem sabia, é escolha minha, ainda não sei o que fazer. – Eu interrompo, antes que as brigas se iniciem.

- Como não?

- Pai eu tenho alguns meses para decidir que vou fazer pelo resto da vida, não acha pouco de pressão demais não?

- Dois meses ao certo.

- Ele tem razão, passamos por muitas coisas, e sim, há preocupações mais importantes que isso agora. – Artur entra na conversa.

- É culpa sua, é o tratamento que estão dando para ele nessa casa, você e seu marido. O garoto faz o que quer.

- Eu não vou para Estados Unidos, porque eu não quero, ninguém me influenciou nisso porra. – Me levanto saindo.

- Olha a boca Wilker. – Artur fala.

- Parabéns, é isso que está criando, está feliz... – Escuto eles começarem a discutir.

Entro no meu quarto trancando a porta, e já pelo meus fones de ouvido, colocando o mais alto possível, pois sabia que iriam subir atrás de mim.

Nem eu sei como, mas peguei novamente no sono, dessa vez com vontade pois acordei já com tudo escuro.

Desci com todo mundo jantando, meu pai que é demais, já tinha reservado o meu prato, e com Bento a mesa estava cheia;

- Deixei no micro-ondas para você. – Ele aponta.

Eu pego e o Bento diz;

- Senta aqui, eu vou para o balcão.

- Relaxa, pode ficar à vontade, ele gosta de comer assistindo TV, né filho? – Artur me olha.

- Sim, fica aí mano.

- Eu posso também? – Daniel pergunta.

- Não, você vê TV e esquece de comer, quando terminar pode ir. – Marcos fala.

Eu jantei e como a Nicole que estava de castigo, ela quem lavou a louça.

Todas as noites que meu pai está em casa ele estuda depois do jantar, o Marcos joga com o Daniel, ou ajuda com a lição, eu e Nicole ficamos responsáveis pelo lixo e louça suja, é sempre eu ou ela de castigo.

Bento naquela de primeiro dia ajudou ela e os dois vieram para a cozinha;

- Que está vendo? – Nicole senta no mesmo sofá que eu.

Me empurrando;

- Mas gente, senta no chão garota.

- Me deixa, já lavei a sua louça hoje... – Ela se acomoda. – Ai acabei com minha unha do primeiro dia.

- Estava feia mesmo. – Comento.

Bento sorri e pergunta;

- Que está vendo?

- Lúcifer.

- Hum por falar em Lúcifer, Hugo veio aqui a tarde. – Ela me olha rindo. – Sorte sua que eu atendi e despachei ele.

- Não acredito que amanhã vou ter que ver aquele cara.

- Amanhã e o resto do ano né.

- Sim.

E lá foi eu e Nicole explicar para o Bento sobre Lúcifer, gente ele era muito lerdo com tecnologia, serio mesmo.

Tivemos que assistir com ele os dois primeiros episódios novamente, rsrs para concluir as explicações.

Bem a Nicole subiu primeiro, e depois eu, mas ele me seguiu.

Depois de escovar os dentes ele passa frente a porta do meu quarto, logo quando entro;

- Não me mostrou ele ainda.

Bento como sempre invasivo e “folgado”, entra no quarto;

- Nada demais, minha TV, sofá de bagunças, guarda roupas, e minha cama.

- Tem jogos aqui, o vídeo game...

- Está com o Daniel, ele jogava aqui, então achei melhor deixar no quarto dele.

- Grande mano.

- Sim.

Ele olha a vista, sentindo a brisa da janela, se vira, e comenta;

- Ouvi você com seus pais hoje. É foda ne mano.

- Sim, muito.

- Não é por causa da colheita, nem minha mãe, nem meu avô. Vim pelo meu tio, não quero ficar muito tempo aqui, para não atrapalhar, mas depois que foram na fazenda fiquei pensando, todas as noites na verdade.

Bento estava com as mãos atrás do quadril, apoiadas na janela;

- Porque o Marcos?

- Ele conseguiu sair de lá, assim como minha avó, eu também vou conseguir. Sou novo, tenho muita coisa ainda pela frente.

- Ele falou algo?

- Meu avô? Que estou seguindo os passos do meu tio.

- Que foda cara.

- Sim... Bem eu vou dormir. – Ele então se levanta, direcionando para o corredor. – E sobre o que aconteceu na fazenda, relaxa, não vai acontecer de novo, não me lembro o que ocorreu na verdade. – Ele diz com um sorriso, e as mãos na parede.

- Tudo bem, talvez eu não tenha esquecido. – Olho no fundo de seus olhos, aguardando alguma atitude.

Ele não é idiota, e sim, pegou a deixa, logo de cara, um tímido e discreto sorriso apareceu em sua boca.

Bento se vira e sai, empurro a porta fechando e literalmente cai na cama.

Na manhã seguinte, nem sei como acordei mais cedo que a casa na verdade, desci e somente o Marcos estava na cozinha;

- Bom dia. – Ele fala frente ao fogão.

- Bom dia.

Silencio, é normal entre a gente, cumprimentos e depois o tal silencio, o que já soava normal;

- Artur me contou sobre ontem. – Ele diz, quando me sento na mesa.

- Se não falei com ele sobre isso, não irei falar com você. – Falo de costas para Marcos.

- Não estou pedindo para falar comigo, estou querendo dizer que te entendo, passei exatamente pela mesma coisa quando tinha sua idade. – Ele aparece ao meu lado com uma xicara de café.

- Obrigado. – Pego de sua mão.

Marcos senta na minha frente na mesa, e junta as mãos, olhando em meus olhos diz;

- Eles podem falar, pressionar e reclamar. Mas Wilker só faça o que você realmente gosta. Medico, engenheiro, piloto de avião, que seja, é sonho de seus pais, talvez não é o seu. Eles já viveram a vida deles, agora é sua vez, faça você suas escolhas.

Escuto olhando as bolhas da xicara se estourarem, ao Marcos se calar, eu olho e respondo que sim com a cabeça.

- Bom dia... – Daniel entra gritando na cozinha.

- Bom dia... Que isso na sua testa?

Ele estava com um risco na altura do olho direito;

- Assistiu uns quatro filmes do Harry Potter ontem. – Marcos se levanta comentando.

- Wilker se eu for um bruxo sabia que você seria um trouxa né. – Daniel diz se sentando na minha frente.

Eu fico olhando para ele que cai na risada;

- Pelo que eu saiba bruxo vai voando para escola na sua vassoura e não de carona com o irmão.

- Eu vou com Bento, rsrs.

- Como assim?

- Vou matricular ele no Olímpio hoje, não pode perder mais aulas, porque pode perder o ano. – Marcos fala atrás.

Mano do céu.

- Eu preciso de um banheiro só meu, morar com cinco homens é a pior coisa para uma garota. – Nicole penteando o cabelo nas escadas.

- Fica ai com esses cabelos, os meninos estão comendo. – Marcos fala.

- Bom dia. – Meu pai chega.

- Poderia ficar com o quarto de voces dois né, já que tem banheiro privado, eu tenho que dividir com os dois, agora tres. – Ela continua reclamando.

- Bom dia primeiro, e você pode usar nosso banheiro pela manhã sim, de nada. Eu e seu pai acordamos mais cedo que todos mesmo. – Artur pega uma torrada.

20 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia