• @rgpatrickoficial

Laços - Capitulo 23

#Wilker

Sai do banho, e estava atravessando o corredor quando meu pai abre a porta para o Hugo;

- Boa noite senhor.

- Boa noite filho... Wilker está no banho lá em cima.

- Obrigado.

Entrei no meu quarto, peguei a cueca e a vesti e ele entra;

- Eita, pensei que estava no banheiro. – Hugo olha surpreso.

- Chegou cedo.

- Haha’ meu pai emprestou o carro. – Hugo mostra as chaves.

De cueca coloco a toalha procurando uma calça;

- Porque a toalha? Não vou atacar você.

- Você que ficou vermelho ao me ver pelado.

- Estava de cueca Wilker, e relaxa, as coisas não funcionam assim.

Faço uma careta, pegando minha roupa, coloquei uma calça normal, e camiseta branca, passei um perfume;

- Fala Hugo, tudo bem?

- Tudo Marcos, e contigo?

- Ótimo, precisar de algo só dizer ok.

- Ok.

Hugo entra fechando a porta do quarto;

- Porque estão todos aqui me olhando estranho?

- Todo mundo sabe.

- Oi?

- Foi a Nicole, não eu.

- Eu mato sua irmã.

- E aí? – Mostro a roupa a ele.

- Se eu dizer que está gato, vai ficar um clima chato? – Ele se aproxima.

- Não, vai fazer bem para minha autoestima.

Ele pega o celular e vem tirar uma foto nossa. Hugo estava de camiseta de manga longa da “Tommy Hilfiger” branca e calça bege, relógio preto, bem discreto.

Hugo passa a mão em meu ombro fazendo pose para a foto, e a voz da minha irmã vem na minha cabeça. “Formam um belo casal”.

Cheguei a arregalar os olhos na hora;

- Vamos apressar Nicole, se não, duas horas para sair.

- Ei, acabou com a foto, filho da mãe.

Peguei meu relógio, carteira e relógio;

- Vai apressar ela, vou falar com meu pai. – Falo ao Hugo.

- Falou.

Desci as escadas, e eles estavam na sala, vendo TV;

- Então decidiram, ela pode ir?

Artur pausa o filme e se vira no sofá;

- Vem aqui. – Ele aponta para frente do sofá.

- Não quero deixar ela ir, sabe muito bem o porquê. Mas seu pai me convenceu que será melhor para Nicole, estarei ao lado do telefone a noite inteira, qualquer coisa, qualquer coisa Wilker, me ligue.

- Beleza.

- Aqui, pega. E pelo amor de Deus, cuida da sua irmã.

- Haha’ quando a Nicole sai comigo ganha cem reais? Ou estão me subordinando? – Falo pegando o dinheiro.

- Me devolve então. – Artur tenta pegar.

- Haha’, relaxa, não estou levando ela para um baile funk, é uma festa de amiga do colégio, João, Hugo vão estar lá, Nicole não tem a idade do Daniel, ficam tranquilos.

- Não nos preocupamos com ela, e sim com você. – Meu pai fala.

Só viro os olhos, voltando a subir as escadas.

- Vamos?

Nicole aparece no corredor, de bermuda e camisa amarrada mostrando a barriga;

- Solta isso. – Falo puxando a camisa.

- Ai menino.

- Me dê isso Hugo. – Pego sua blusa e entrego para ela.

Descemos para despedir dos nossos pais;

- Nada de beber em Hugo, você está no volante. – Marcos fala.

- Pode deixar senhor.

- Wilker vai com esse relógio?

- Sim, qual problema?

- Meu filho, se perder esse relógio seu pai vai falar um mês na minha cabeça.

- Não vou perder.

- Nicole cuida do seu irmão. – Artur diz.

- Rsrs, pode deixar. Eu te ligo qualquer coisa Artur.

- Ótimo. Vão com Deus.

Peguei a chave do carro, para ir pilotando;

- Vamos comprar alguma coisa? – Hugo pergunta?

- Eu só refrigerante.

- Com certeza. – Concordo com Nicole. – Acho que uma vodka, o Mauricio vai?

- Sim, mano, já confirmou no grupo.

- Então vamos levar uma “51”, e limão, para ele fazer aquela caipirinha.

- Nossa é mesmo, é muito boa.

- Você anda bebendo escondido Wilker?

- Não Nicole, e você não sabe de nada.

- Onde o João vai esperar a gente? – Hugo pergunta ela.

- Ele vai direto para a casa da Lavínia amigo.

- - Beleza, então só passar no mercado Wilker.

- Mano já pensou que vai fazer... – Olho para ele.

- O que?

- Lavínia vai querer ficar com você, ainda mais na casa dela, já sabe né.

- Estou ficando com outra garota, e estou apaixonado, rsrs. – Ele fala rindo.

- Gente, vocês não prestam. – Nicole fala.

- Pode me arrumar ela.

- Isabela vai nessa festa, é a única que você vai conseguir pegar. – Nicole fala.

- Mas e o Marcelo? – Pergunto.

- Terminaram... Menino foi a fofoca da escola, depois é claro que você esmurrou o Ícaro.

- Aff.

- E por falar nele, também vai estar na festa. – Ela fala olhando no celular.

- Serio? – Hugo se vira para ela.

- Acabou de mandar foto no grupo. – Ela mostra o celular.

- Pelo amor de Deus... Mano não quero mais confusão não, serio. – Hugo já desanima.

- Se ele ficar com graça quebro a cara dele de novo mano, sem problema. Ele olhou para você e vai levar.

- É só ficarem juntos, ele não vai fazer nada, se entender que o Hugo está com você.

Eu olho para ele, mas assim como eu não entendemos nada;

- QUE?

- Wilker você não chega na Isabela por causa do Marcelo né? Ícaro não vai chegar em Hugo com você por perto.

- Nicole a gente não tem nada, ele é meu amigo.

- Ícaro não sabe disso, e assim o Hugo pode curtir sem problema.

- Acho melhor não. – Ele fala.

- Sem essa, não vai deixar de curtir a noite por causa de um filho da puta não. Você vai e vai fazer o que quiser.

- Ai essa festa vai ser melhor que eu já fui.

- Nicole nunca foi em uma festa sem o Marcos.

- Cala a boca Wilker.

- A ex do seu namorado também vai estar lá. – Hugo comenta.

- Problema dela.

- Que ele fez? Esse cara anda folgado né, vou ter uma conversa com esse João, a primeira deve que ele se esqueceu.

- Não, Wilker, deixa o garoto. – Ela diz.

- Vou deixar ele, fica tranquila. Deixar ele com medo, rsrs.

Chegamos na casa de Lavínia, e eu fiquei um bom tempo procurando estacionamento, a rua estava escura, mas movimentada de carros, e pessoas passando;

- Tem que ser aqui mano, meu pai me mata se acontecer alguma coisa com esse caro. – Hugo comenta.

Depois de 3 voltas deixamos ele frente à casa, rsrs, não perguntem como.

Para controlar a entrada, Lavínia fez uma lista, e as pessoas poderiam levar acompanhantes que informassem. Assim eu levei a Nicole e Hugo levou a Viviane e João, para a tal lista.

Ao dar os nomes e ser identificados na entrada, seguimos um caminho a direita até o local da festa, que era ao lado de fora da casa, em um jardim que foi todo coberto, com uma tenta enorme.

Ao entrar havia um pequeno palco a esquerda, mesas a direita e ao fundo, e frente elas uma mesa gigante de comes e bebes. No final a entrada para a piscina que estava aparentemente liberada, ao meio uma grande pista de dança.

- Acho que compramos bebida sem precisar mano. – Hugo comenta.

- É to vendo. – Falo ao passar garçons servindo a galera.

Pegamos uma mesa e sentamos, colocando as coisas separadas.

- Vou tirar umas fotos tudo bem Wilker? – Nicole fala saindo com o João e a amiga.

Acabou que o time de basquete se juntou, ficando em uma mesa somente.

O início da festa foi bem tranquilo, mais para comer, pois a família dela estava presente.

Por causa do Hugo, ela veio a mesa algumas vezes, nós estávamos conversando e comendo até então, digo a galera do time.

Em um dos momentos vejo a Nicole sozinha com a amiga, conversando de canto mesmo;

- Viu o João? – Cutuco o Hugo.

- Oi? Mano ele passou com os meninos do Futsal agora.

Olhei próximo a piscina e ele estava por lá;

- Chega aí... Mauricio, me ajuda aqui. – Chamo os meninos.

João estava rindo e bebendo com os amigos, bem tranquilos, então eu cheguei com os meninos;

- E ai cunhado. – Falo passando a mão pelo seu pescoço e abraçando.

- Vaza!

- Vai some cara.

Os meninos afastam os amigos dele;

- E aí Wilker, beleza? – Ele já fala gaguejando.

- Ótimo, vamos ter uma conversinha. – Puxo ele para fora.

De olhos arregalados ele fica todo nervoso. Havia umas cadeiras ao lado de fora e ao sair jogo ele em uma delas;

- Qual é mano? – Ele fala quase caindo.

- Qual é você! Que história é essa a Nicole com Rafaela em maluco? – Falo cruzando os braços.

- Não to sabendo de nada cara.

- Tá me tirando cara? Nicole já contou tudo, porque não fez algo? – Falo mais alto.

- Está querendo parecer o garanhão para seus amigos é? – Hugo intimida.

- Esse tipo no Olímpio não dura muito não. – Mauricio ameaça.

- Eu não faria nada assim com a Nicole, eu gosto dela mano.

- Então vai ter que provar. Se essa garota folgar de novo para cima da minha irmã com histórias suas mano, não tem mais namorada, te avisei irmão, se liga.

- Vou falar com ela Wilker, deixa comigo.

- Fala, então fala, para ela saber com quem está mexendo, e você está avisado, vai pisando na bola para ver onde vai parar.

- Aí achei vocês, Hugo dança comigo? – Lavínia aparece.

- Desaparece. – Mauricio fala a João.

- Dançar o que? – Ele fala todo engraçado.

- As meninas querem que o DJ toque uma valsa, e queria que você dançasse comigo. – Ela o puxa pelo braço.

Eu e Mauricio entramos rindo já, ela nem estava fazendo quinze anos para ter valsa, mas Hugo é presença, ele foi e dançou.

As luzes diminuíram e eles ficaram agarradinhos no meio da pista. Eu não sabia, mas ele dançava bem, eu rindo e o Mauricio rindo;

- Wilker dança comigo, não acho o João. – Nicole vem me puxando.

- Está maluca garota?

Quando ela me puxou saímos do meio da galera, e todo mundo me viu, fiquei vermelho;

- Você dançou comigo no meu aniversário, vem logo.

- WILKER.

- WILKER.

- WILKER.

O time de basquete gritando meu nome, que raiva. Entrei com a Nicole, e então demos dois passos e mais pessoas entraram na pista. Até os pais de Lavínia, a dança era a deixa para eles, que saíram deixando aquela quantidade de adolescentes sozinhos.

Puta merda.

Eu depois que entrei na pista com minha irmã, fiquei por um bom tempo, eu, Nicole e Viviane, de Axé, sertanejo, arrocha e quando iniciou funk eu fui pegar uma bebida.

Nos bebemos um pouco, tinha muitas batidas na festa, o foda é que você nunca sabe ao certo qual bebida alcoólica você está ingerindo.

Não encontrei um garçom no meu caminho, então fui ao bar, e me servi. Voltando para a Nicole, ela pega o copo experimentando;

- Esse é de que?

- Alguma coisa com morango. – Respondo em seu ouvido.

- Wilker, OLHA. – Ela me empurra.

Era o Ícaro com o Hugo.

Me aproximei, e mano a galera me viu já ficou ligada;

- Relaxa Wilker, não está acontecendo nada. – Mauricio fala pegando em minha cintura.

Eles estavam meio que na saída da tenda, eu cheguei junto a Hugo, perto mesmo;

- Estava te procurando. – Falo perto do seu ouvido.

Imediatamente Ícaro cruza os braços, mais dois caras do time se juntam, para qualquer coisa;

- Pelo amor de Deus meninos, aqui em casa não, por favor! – Lavínia vem rápido.

- Não estamos fazendo nada, relaxa. – Hugo responde.

- Só estamos conversando. – Ícaro diz.

- Vamos, beleza, deixa esse cara. – Falo pegando na cintura do Hugo.

- Ainda teremos essa conversa, não adianta fugir. Muito menos se esconder atrás do Wilker.

- A última vez que falou meu nome quebrei seu nariz, fica ligado. – Falo piscando para ele.

- O errado aqui é ele, e não eu. – Ícaro aponta.

- Vamos. – Saio com o Hugo.

Ele fica lá, de braços cruzados encarando, e me deixando com uma pulga atrás da orelha com seu comentário.

- Acho que quero vomitar. – Hugo comenta.

Levei ele para o banheiro, e deixei ele sentado em frente a privada, mas nada. Ele ficou ali, parado de costas para a parede olhando para ela;

- Quando quiser beleza. – Falo encostado na porta.

- Nossa está vindo a todo momento, mas nada. – Ele diz sobre a ânsia.

- Que papo foi esse do Ícaro?

- Ele acha que eu trai ele.

- Mano que porra é essa, o que vocês tiveram? – Falo me abaixando.

- Tivemos um lance Wilker. Não era só sexo, não tinha como ser....

- Para você não era só sexo, ou para ele?

- Para ele. – Hugo me olha. – Ícaro ficava de mensagem dia todo, queria se ver no colégio, em casa, na rua, ele ficou pirado.

- Você não é assim mano, sempre foi desapegado. – Comento.

- Foi diferente, de tudo, nunca senti o que senti por ele sabe.

- Como assim?

- Não é amor mano. Foi tesão, caralho o sexo era muito bom.

- Não precisa de detalhes.

- Se foi bom para ele igual foi para mim, deve estar arrependido do que fez, pois faz falta.

- Sente falta dele?

Ele não responde, fica em silencio, até achei que era outra ânsia de vomito;

- Hugo?

- Não sinto a falta dele.... – Hugo faz uma pausa. – Não sinto a falta dele quando estou com você.

- Como assim?

- Me sinto diferente quando a gente está junto mano, gosto de você, sabe disso.

- Também gosto de você cara.

- Não é assim Wilker. Eu realmente gosto de você, isso que me faz bem saca.

- Valeu mano. – Me aproximo.

Pego em sua mão e o abraço;

- É bom ter você também, viu, não se esqueça disso. – Falo segurando sua nuca.

Ele corresponde com uns tapinhas na cabeça, e beijando próximo a minha testa.

Vocês vomitaram? Porque ele não!

‌Saímos do banheiro, a Lavínia arrumou algo para ele beber, que melhorou e muito seu estado.

Os meninos do time estavam na piscina, final de festa, eu passando perto ainda quase me jogaram na água, mas voltei para dentro correndo dos meninos.

Foi quando encontrei a Isabela, na verdade ela veio me intimando, chegou junto dizendo;

- Saudades da gente Wilker.

- Não existe " a gente" mais Isa. Agora sou eu, e você.

- Não sente falta daquelas noites que eu dormia escondida em sua casa? - Ela fala com seu corpo no meu.

- Vai ficar na vontade garota, agora me deixe...

Eu desviei dela que ainda me puxou beijando, mesmo assim, afasto saindo de perto;

- Mano tu acabou de terminar namoro, sai fora.

Despistei dela que estava bêbada, peguei uma água para o Hugo e fui para o lado de fora, onde estava se concentrando a maior quantidade de pessoas.

Em umas almofadas o João estava com minha irmã, Hugo e Maurício deitados no chão;

- Demorou mano. - Ele pega a água.

- Isabela veio de papo lá dentro. - Falo me sentando.

- Que ela queria? - Nicole toda curiosa.

- Não é da sua conta, cadê sua amiga, para irmos embora.

- Foi no banheiro.

- Fica mais aí cara, está tão boa a festa. - Maurício se vira para mim.

- Está caindo de bêbado, e já está tarde, para estar com esses "de menores" na rua.

- Viviane já vem. - Nicole olha.

Ela passando entre as pessoas, Viviane esbarra derrubando a menina de uma das garotas, e vocês sabem de quem. Rafaela;

- Aí sua porca gorda, olha o que você fez!

- Aí desculpa, não foi por querer. Pelo menos agora tem uma desculpa para ir embora, e não ficar de castigo por chegar tarde né.

- Olha para você, quem te convidou garota? Veio de intrometida que é.

- Aff Viviane, estava te procurando, já quero ir para casa. - Hugo fala entrando no meio delas.

Eu nem tinha visto o cara se levantar. Ele ficou de costas para Rafaela e falou isso com as mãos no rosto de Viviane;

- Fui ao banheiro.

- Que eu faço agora? - Rafaela grita com ela.

- Deveria estar bebendo leite e não álcool com essa idade mano! - Hugo diz a ela.

E sai com a mão no pescoço de Viviane, como um casal. As pessoas perto, começam a rir do comentário dele.

- Vamos! - Chamo os meninos.

No Olímpio não existe isso de mais popular, mais isso, ou mais aquilo. As pessoas nos conhecem, o Hugo mais que eu. Ele é o cara feliz que ajuda todo mundo, e sempre que precisa está lá. Joga muito e representa nosso colégio muito bem nas quadras que jogamos. Sou suspeito para falar, ele para mim é FODA, um cara totalmente fora da curva.

Isso entre outras coisas deixam a gente conhecidos dentro no colégio, o que atrai muitos olhos, afinal não me perguntem o porquê mas falam muito da nossa vida, tudo, sempre foi assim, foco de fofocas.

Ele falar daquele jeito, com uma garota do primeiro ano era algo fora do normal, e pior na casa da ficante.

Hugo se afasta e diz algo no ouvido de Viviane, e simplesmente para beijando a garota, tipo na frente de todo mundo.

A amiga da Nicole estava mole, se soltasse iria para o chão, e Hugo também exagerou na pegada com a garota, parecia uma boneca.

- Não sabia que ele estava pegando ela também. - Maurício fala do meu lado.

- Nem eu. - Digo surpreso pelo beijo.

Seguimos para a saída, eu coloquei todos no carro, ainda tive que dar carona para o boy da Nicole.

21 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia