• @richardsongaarcia

Laços - Capitulo 12

#Artur

A noite quando cheguei no trabalho, parece que foi combinado com Marcos.

Parei meu carro a viatura parou atrás, ele desceu e o tal Matheus buzina para mim, sorrindo.

Marcos se aproximando, e eu correspondo;

- Rapariga de quinta. – Falo sorrindo.

- Ainda implicando com ele?

- Olha a cara.... Eu não me engano Marcos.

- Vem aqui. – Ele me abraça beijando.

Ao entrar os meninos estavam todos na sala, assistindo filme;

- Chegamos.... Que filme é esse? – Já pergunto.

- De terror. – Nicole responde.

- Wilker, seu irmão não vai dormir à noite. – Grito com ele.

- Eu vou pai. – Daniel responde.

Sem ver o Daniel eu me aproximo, ele estava deitado no colo do Wilker, com um travesseiro protegendo os olhos, de medo;

- Aham, sei que vai conseguir dormir.

- Amor não vou fazer janta, vamos pedir umas pizzas? - Marcos pergunta.

Eu nem respondi, o filme pausou e eles gritaram;

- CALABRESA.

Eu rindo vou subindo para tomar um banho, logo Marcos vem atrás;

- Deixou com os meninos o dinheiro?

- Sim, deixei o cartão com Wilker. Nicole vai pedir. Ela parece bem melhor né Artur?

- Sim, Marcos, ótima!

- Fico mais tranquilo. - Ele vai tirando a roupa para entrar no banho e comenta. - Enviou mensagem dizendo que queria conversar, que foi?

- Sim, hoje no grupo do condomínio, anunciaram o terreno aqui do lado, estão vendendo.

- Sério? Não vi placa alguma, quanto estão pedindo?

- R$ 95 mil.

- Reais?

- Sim, Marcos rsrs.

- Olha Artur é um excelente lugar, condomínio, mas não sei se precisamos.

- Marcos, é uma poupança.

- Eu sei, mas você quer abrir a clínica, e eu amor, ainda nem terminei de quitar o consórcio da faculdade da Nicole, isso porque nem conversamos sobre uma poupança para o Daniel.

- Marcos acho que a gente consegue.

- Artur por favor!

Já respiro fundo!

- Não consigo te ajudar, com salário de policial, e não aceito que compre sozinho.

- Certo Marcos, mas não é para mim e nem você é para os meninos, é isso que tem que pensar.

- Beleza Artur, vou pensar.

Cortamos o assunto, porque poderia resultar em briga.

Bem depois do banho, nós descemos e as pizzas haviam chegado, os meninos comeram de frente a TV, eu e Marcos ficamos na cozinha conversando.

Depois subimos para o quarto, e eles ainda na sala. Pelo dia cansativo de ambos, eu dei e peguei rápido no sono.

Sabe aquele momento que tu acorda logo depois de ter pegado no sono? Pois então, abro os olhos e vejo que Marcos se levanta nesse momento da cama.

Ele vai à porta do quarto e traz o Daniel, rsrs. O pequeno sobe na cama deitando ao meio e eu coloco o cobertor nele.

Acordei primeiro na manhã seguinte, me levanto, indo ao banheiro, escovei os dentes e me troquei, descendo para fazer o café. O corredor dos quartos tem uma cortina no final, que o deixa escuro, pois Daniel e Nicole na maioria da vezes dormem de porta aberta. Com essa escuridão vejo que a luz do quarto de Wilker estava acesa.

Abri a porta e ele dormindo, desliguei a luz e desci para a cozinha.

#Nicole

Eu não sei como, posso acordar duas horas antes que todo mundo, e sempre sou a última a descer.

- Nicole está na hora. – Meu pai grita.

Desço correndo, para comer algo, antes de sair;

- Preciso de um banheiro só para mim, Wilker demora muito no banho cedo. – Falo deixando minha mochila de lado.

- Nem te falo que fico fazendo lá dentro.

- Aí nojento.

- Ei, vocês dois. – Artur chama atenção.

- Conseguiu dormir essa noite Daniel? – Pergunto.

- Sim, dormi a noite toda.

- Na minha cama. – Artur diz rindo.

Assim como a gente dando umas risadas dele, e Artur fala;

- Rindo do que Wilker? Dormiu de luz acesa de medo!

Wilker olha bravo;

- Esqueci ligada.

- Aham sei.

O Daniel ria dele, de apontar o dedo.

Essa semana na escola passou bem rápida, é sempre assim, com o fim dos semestres, próximo as férias a semana de provas chega rápido, mas julho, de forma alguma.

Na manhã de sábado o colégio iria ter atividades extracurriculares, para as pessoas que não foram tão bem nos trabalhos e provas, era uma chance para ter umas notas a mais.

No meu caso, Educação física que fiquei meio que abaixo da média. Pelo meu caso o professor deu a oportunidade de vir nesse sábado para poder me ajudar.

A Viviane estava comigo, e claro, sem aula, sem supervisão em cima, significa sem uniforme. Fui de tênis por causa da aula, bermuda jeans e uma blusinha mais fresca.

- (...) Sorte a sua Nicole, tenho que ir para laboratório de Física.

- O psicólogo também pediu que eu praticasse esportes, meu pai deu a ideia de comprar uma bicicleta, assim posso sair com o Daniel.

- Tem aquele parque no seu condomínio, porque não corre?

- Só se você vier comigo né amiga.

- Nicole, ajuda a gente a achar o laboratório de informática. – Daniel aparece do nada com um amigo.

- Vem, eu te levo. – Falo indo para as escadas.

- Wilker veio hoje? – Viviane pergunta.

- Não ele está viajando com o pai.

- Mas tem jogo hoje, ele não vai participar?

- Amiga o Artur perguntou a mesma coisa, ele disse que Hugo fica como Capitão.

- Estranho.

- Eu também achei... Daniel aqui, a porta a direita.

- Obrigado.

- Quando sair vai para a quadra, vou estar lá.

- Certo. Tchau Viviane.

- Tchau lindo... – Ele entra na sala e ela comenta. – Acho ele um fofo.

- Sim. Que estava falando?

- Hugo e Wilker.

Estávamos indo para a quadra, e conversando, no corredor as pessoas, indo de um lado para o outro, para as várias atividades;

- Sim, olha ele não foi essa semana treinar com Wilker, o que nunca deixou de fazer, aqueles dois pareciam duas mulheres na garagem, e agora nada.

- Será que tem a ver com a briga da semana passada?

- Não sei.

- Fico aqui amiga. – Viviane aponta a sala.

- Certo, até mais tarde.

- Até.

- NICOLE. – Escuto o grito, era o João.

- Oi.

- Estava te procurando, vamos para a quadra?

- Sim, não sabia que também estava devendo notas em Educação Física.

- Não estou, mas sou responsável da turma, professor está com o Time de basquete então delegou para alguns alunos tomares conta dos treinos.

- Hum, tudo bem.

Chegamos na quadra, e ele diz;

- Precisa colocar o colete, está no banco no vestiário, é o vermelho. Vou começar aqui enquanto vai lá.

- Certo.

Eu entro no vestiário, e depois da entrada a esquerda, no final havia um banco cheio de sacolas, separadas por cores, quando peguei um vermelho, vi que ele tinha números, então peguei um com meu número da sorte “17”.

Ao sair encontro o Ícaro, quase nos trombamos;

- Aí desculpa... – Ele fala segurando meus braços.

- Desculpa eu.

- Como está Nicole?

- Bem, tenho aula agora.

- Já falei com o professor por você, João vai conduzir o treino, estarei na quadra do lado qualquer coisa.

- Obrigada.

Ele sai sorrindo, quando cheguei na porta frente as quadras, esqueci meu celular do lado das sacolas, aí já viu né, voltei correndo desesperada.

Como eu fiz uma bagunça com os coletes, encontrei meu aparelho dentro da sacola. Essas proezas só comigo mesmo.

Escuto vozes, familiares, olhei para fora da sala, do outro lado do corredor, ao lado de uma das portas, dois caras se beijando.

Reconheci de cara o Ícaro, o outro garoto empurrou ele;

- Está maluco, já falei aqui não.

Sangue de Jesus, era o Hugo.

Eu me escondo de novo, dessa vez com as pernas até mole. Eu olho e vejo o Ícaro saindo, então resolvo sair sem que ninguém pudesse me ver.

Tarde demais, Hugo vê eu saindo da sala.

Mano eu estava em pânico, ele olhou para mim e já entendeu tudo.

Não sei como ele chegou em mim tão rápido, atravessou o corredor, me colocando dentro da sala dos coletes;

- O que você viu? – Ele pergunta segurando a porta.

- Você e Ícaro.

- O que você viu Nicole?

- Meu irmão sabe?

Ele muda de cor, instantaneamente, fica branco.

- Não, e ninguém pode saber.

- Mas vocês brigaram...

- Nicole preciso que mantenha segredo, por favor.

- Hugo, não acha que o Wilker devia saber?

- Agora não é a hora. Por favor.

- Eu não vou falar nada, não é da minha conta. Só pensei que você fosse melhor amigo do Wilker.

- É complicado.

- Tenho que voltar para aula.

Ele abriu a porta e um dos meninos o Mauricio estava entrando;

- Capitão, vamos, estão esperando.

Voltei para a quadra de cabeça quente.

Hugo foi o meu primeiro crush, o primeiro cara que eu gostei, até porque era amigo do meu irmão, e obvio que não rolou nada, foi algo platônico de minha parte.

Eu não fiquei surpresa com o beijo, ou com ele ser gay. E sim por esconder do meu irmão isso. Wilker se gaba de que eles não têm segredos, e essas coisas.

Pronto tínhamos dois dos caras mais lindos do colégio ficando. Como disse Ícaro, Mister Goiás, e não é por acaso, mas Hugo, é diferente.

Cabelo curto, sempre com um topete discreto, sobrancelhas marcantes, com uns pelos no queixo, seu sorriso grande de covinhas, com tatuagens nos dois braços, e forte, tem pernão, bundão, peitão, rsrs. Ele não tem altura para jogar basquete, mas seu pouco tamanho faz diferença no time, tanto que é o segundo melhor na equipe.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia