• @rgpatrickoficial

INFAME - Capitulo 22

#Henry

Passei a tarde com o Gael, estava ensinando ele a surfar, tentando na verdade, eu também não sou dos melhores, e nessa terça o mar estava pouco calmo, então passei várias dicas para ele. Por causa disto da calmaria do mar, marcamos outro dia.

Eu estava próximo e sendo “amigo” dele, por dever isso a ele, depois da sacanagem que fiz, e que vocês acompanharam. Nesse dia após as três da tarde eu iria para o Somar Floripa, seria meu primeiro dia.

Bem no instituto quando cheguei, preparamos a quadra para os meninos, eu estava colocando as cadeiras de rodas fora do campo quando os meninos chegaram, e todo mundo caladinho e falando baixo.

Galera quando eu olhei, me jogaram um monte de bexigas de agua, todo mundo, e rindo e dizendo; - “Bem-Vindo Henry”.

Era o ritual de iniciação deles, caramba fiquei encharcado, e como iriamos jogar bola, eu tirei só a camisa, e ajudei pouco nesse dia.

Logo no final o Iago chega, ele estava todo vestido social e com uma pasta embaixo do braço, eu estava colocando uma das crianças na cadeira, tirando ela quadra;

- E aí Henry, vejo que te pegaram também. – Fala ele se sentando no banco fora da quadra.

- Pois é, e eu nem desconfiei de nada, rsrs. E aí como foi lá? – Pergunto saindo empurrando a cadeira.

- Fui contratado, bem vou passar pela experiência então em três meses tenho a certeza.

- Haha’ Parabéns mano, então, que achou?

- É serviço administrativo, coisa de boa, o cara disse que eu posso subir na empresa, sabe plano de carreira.

- Sei sim, parabéns mano.

- Valeu.

Pessoal por volta de cinco da tarde aquela minha “sombra” o segurança foi embora, no caso ele me deixou em casa, então estava de boa.

Mas quando cheguei, escutei o Henrique chorando, e conversas da Geralda, no corredor dos quartos subindo entro no quarto dele, ainda meio molhado;

- Tudo bem? – Falo empurrando a porta.

- Viu ele está bem, olha lá. – Diz Geralda de joelhos na cama dele.

- Que foi? – Pergunto assustado o Henrique veio correndo e me abraça.

- Ele teve um pesadelo. – Responde a Geralda.

- Que foi em pequeno?

- Sonhei que você estava no hospital, igual a mamãe, todo machucado. – Henrique fala ainda me apertando.

- Vem aqui, ei não aconteceu e nem vai acontecer nada comigo tudo bem, se lembra do que ela falou? Tenho que cuidar de você, porque vai deixar a Geralda louca da cabeça.

Ele solta um sorriso e se ameniza um pouco do choro. Eu fui para o banho e logo ele vem na porta novamente me chamar;

- Henry, Henry!

- Oi, to aqui no banheiro.

- Me ajuda a lavar o carro. – Fala ele com a mão na maçaneta.

- Eu? Para que vai lavar o carro?

- Papai disse que se eu lavar o carro vamos no Beto Carreiro no fim de semana. Me ajudaaaaaaa.

- Eu tenho jogo esse fim de semana Henrique não rola.

- Nãooooo Henry! To pedindo para ajudar a lavar o carro não precisa ir.

- Rsrsrs, para de ser safado garoto, quer só ajuda né.

- Sim.

- Vai levando as coisas, que já desço e tiro ele da garagem.

- Ok.

Aproveitando o horário de verão, que anoitece mais tarde, desci para ajudar meu irmão. Coloquei o carro para fora, e nem comecei a lavar o carro e já molhei ele todo.

A Geralda estava sentada na escadaria, esperando seu marido que o buscaria para ir embora, só gritando com a gente;

- Henry para vai afogar seu irmão.

Eu só rindo e o Henrique correndo no gramado na frente de casa.

- Não vai na rua não Henrique. – Falo parando de molhar ele.

- Então para seu cabeção. – Fala ele até sem ar de tanto correr.

Pessoal nesse momento eu estava olhando uma moto passar na rua, e adivinhem quem era? Aquele Luiz do colégio Santa Catarina, eu fiquei olhando ele passar e o cara olhando no fundo dos meus olhos;

- Conhece Henry? – Fala a Geralda.

Eu entro em casa correndo;

- Fica de olho no Henrique Geralda. – Falo passando igual o FLASH por ela.

Peguei o interfone e falei com a portaria;

- Portaria boa tarde.

- Messias é o Henry, da casa 9. Quem é o motoqueiro que está andando aqui?

- Não tem motoqueiro no condomínio Henry, ninguém entrou agora, somente uma moto entrou hoje e foi do pintor da reforma dos “Kishimoto”.

- Ele acabou de passar aqui na rua de casa.

- Rua 7?

- Sim, rua 7 casa 9.

- Henry estou olhando e não tem moto nenhuma circulando em nenhuma das ruas do condomínio.

Eu desliguei, pois, o cara era muito lento, a Geralda entra perguntando e assustada;

- Que foi Henry? Porque não quer me dizer?

- Eu não posso Geralda, se falar você vai ficar louca.

- Eu já estou louca Henry. Como vou embora agora, você me assustou.

- Vou falar com meu pai.

Eu peguei o celular ligando e contando para ele, foi questão de minutos ele aparecer, rápido mesmo, só assim a Geralda foi embora, e mais proibição, ele fez um escândalo com sindico pelo que eu falei.

E proibiu eu e meu irmão de mais um trilhão de coisas.

Galera eu esqueci, essa noite aconteceu algo muito massa, na verdade engraçada.

Fui dormir na casa do Iago, ele estava sozinho, eu e o Raul iriamos falar do time, essas coisas, mas eles ficaram fumando narguilé e nós estávamos jogando PUBG.

Para quem conhece é um jogo online, e como meu celular estava conectado nele, por causa das músicas, ao colocar no jogo o áudio estava sendo reproduzido no carro.

E os meninos pediram para deixar no carro mesmo. Galera era som de Tiros, granadas, e passos, como estava muito alto, acordamos os vizinhos tudo.

E por causa do baralho ninguém saiu de cara, afinal era tiro para todo lado, sem contar nos passos, não foi uma zoeira massa.

Resumo da noite: a polícia foi chamada é claro, tivemos que desligar o carro, e no caso ir dormir, pois ouvimos muito dos caras, rsrs.

Essa foi a história que estava contando para os meninos na quadra do dia seguinte, no Objetivo;

- (...) Cara os vizinhos tudo com as luzes ligadas e ninguém saia de casa, foi sacanagem.

Estava com eles no vestiário, e o pau no c* do Kaique chega com o Martin.

Eu estava sentado, ainda não havia me trocado;

- Qual é, porque parou o assunto? Quero rir também. – Fala o Kaique abrindo o armário.

Ninguém falou nada, então ele continua;

- Foi só o engraçadinho do Henry chegar que vocês se soltam né, se lembrem que ele vai jogar contra a gente no sábado.

- Não precisa ficar com medo Kaique é só não jogar, porque sabe que var perder. – Falo levantando e fechando meu armário.

- Não estou com medo daquele bando de favelado.

- Favelado que joga muito, mas muito melhor que você.

- Está precisando de uma lição né Montalvan? – Kaique fala chegando junto.

- Quer aqui ou lá fora? – Falo olhando para ele.

Todo mundo começa a rir e gritar;

- Bem que a Heloise falou que você não tem medo do perigo. – Fala ele se virando e saindo.

- Ela disse isso antes ou depois de me mandar mensagem em? – Falo provocando.

Ele partiu para cima, mas os meninos seguraram ele e a bagunça foi amenizada pelo professor que chegou e levou ele que estava querendo me ver morto.

- Henry não vai poder participar do treino, por causa do jogo de sábado, você está liberado das aulas dessa semana de educação física.

- Que maravilha professor, valeu. – Falo pegando minha mochila.

Assim eu chegaria antes para o treinamento com os meninos do Santa Catarina.

#Gael

Pessoal não treinamos nesse dia, na verdade fomos quase todo o time para o Burger King, almoçar, todos fizemos os pedidos, eu e a Milena sentamos juntos, Iago, Raul e Henry em uma mesa mais a frente, nosso time tomou conta de boa parte das mesas.

Sentado conversando com ela, depois de terminar meu sanduiche estava comendo batata, e ela comenta;

- Acho que está amigo, só fala dele agora.

- Milena você que fica me falando isso, eu não penso assim do Henry, e estou ficando com o ... Você sabe estou ficando com outro.

- É que vocês não se desgrudam, todo mundo comenta. Enquanto não aparecer com esse misterioso ai, eu vou ficar...

- Ta louca menina, Henry é o cara perfeito, deve ter milhares de meninas no pé dele. Olha o quanto ele é bonito, o que iria ver em mim. E outra, estou ficando, não sou desses.

- Ai meu Deus, sem essa Gael, você também é bonito, e para com esse drama adolescente, estamos em 2018. E eu iria adorar ver vocês juntos, formariam um belo casal.

- Amiga, qual parte do Henry é Hetero você não entendeu?

- Ei ele deu esperança? Ou já falou alguma coisa? Fala Gael, estou curiosa.

- Sabe na noite do filme?

- Ah vocês ficaram sozinhos, Gael você transou com o Henry naquele dia?

- Não Milena.

- Se beijaram?

- Não amiga.

- Você chupou ele?

- Aí sua nojenta, não, cala a boa.

- O que fizeram então?

- Ele estava com o pé no meu durante todo o filme.

Gente, ela riu tanto, mas tanto, que todo mundo ficou olhando a nossa mesa, eu joguei umas batatas nela de raiva;

- Para seu viado.

- Sua idiota.

- Quando saímos vamos passar na farmácia e comprar um teste de gravidez para você.

- Milena não tem graça. você perguntou, foi a única coisa que rolou entre a gente.

- Ai, meu Deus, rsrsrs. – Diz ela estufando o peito e pegando um folego pelo tanto que riu. – Olha, quer que eu faça algo?

- Não, esquece isso. Somos somente amigos.

- Aproveita que ele está solteiro, não está falando de garota nenhuma e fica perto, se ver uma brecha Gael você faz alguma coisa, se não pelo menos vai saber que não vale a pena.

- Porque está insistindo seu eu que sou quem deveria pensar nisso?

- Acho que você merece ser feliz, pelo menos depois não dizer e não se arrepender de não ter feito nada.

- Beleza então, vou chegar nele falar para a gente ir ficando até ele se acostumar com a ideia de ser gay, e depois a gente namora que acha?

- Está sendo irônico?

- O que acha Milena? Gente o que tem nesse seu lanche?

Henry me olha e pisca com aquele sorriso maravilhoso, Milena vendo a cena, diz;

- Viu, não custa nada tentar.

15 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia