• Richardson Garcia

INFAME - Capitulo 18

#Gael

Havíamos marcado de assistir um filme neste fim de semana, mas o convite para o incrível aniversario de Henry, adiantou as coisas.

Noite de sexta-feira, eu havia acabado de tomar um banho coloquei uma calça de moletom e uma blusa de moletom com capuz, por causa do clima, e não preocupei de arrumar o cabelo, iriamos assistir um filme, eu, Larissa e Milena.

Meus pais estavam em uma viagem de negócios, então estava mais tranquilo. As meninas chegaram na hora marcada, por volta de oito e meia.

Recebi elas que traziam bebidas e os filmes;

- Vamos deixar isso na cozinha. – Falo pegando as sacolas.

- Serio Gael, não me canso de vir nessa sua casa, é muito linda. – Larissa comenta deixando sua mochila.

- Seus pais não estão adotando, não é? – Pergunta Milena rindo.

- Não, eu já dou trabalho bastante.

Guardei as coisas, e elas sentadas no balcão, e eu de frente;

- (...) 987455Gael, é a senha, Gael com G maiúsculo. – Falo passando a senha da WIFI.

Pessoal deixamos o tempo passar, elas queriam tomar vinho, então peguei uma garrafa na adega e ficamos conversando;

- Essa taça é aquela que degustam o vinho né? – Pergunta Larissa girando o liquido lá dentro.

- Assim idiota. – Falo demostrando, primeiro sentindo o aroma.

- Haha’ eca seu porco, colocar esse nariz sujo no copo.

- Nariz sujo é esse seu Larissa.

- Ai gente, é assim que se toma, olha e aprenda. – Milena bebe com o dedo mindinho levantado.

- Seu crush quando vamos conhecer? – Pergunta a Larissa.

- Ai meu Deus, nunca, ele não é meu Crush, só ficamos. – Falo meio envergonhado.

- A gente conhece Gael? – Pergunta a Milena.

- Não.

- Qual é amigo, você sempre me conta todos os segredos.

- Não dessa vez.

Nas conversas bobas, e risadas falando da vida dos outros, recebo mensagens, assim como todos estavam falando no grupo da escola também;

- Vamos ver o filme então, está ficando tarde. – Fala Milena.

- Gente, o Henry está perguntando se pode vir? – Falo com a conversa aberta no celular.

- Ele, vir aqui, porque?

- Porque não saiu Milena, sua idiota. Aí pode Gael, falou que estamos só nós? – Pergunta Larissa.

- Sim, falei, ele está cuidando do irmão hoje.

- Ai gente, esse menino é pra casar.

- Por mim tudo bem. – Comenta a Milena. – Será que o Iago não vai achar ruim não?

- Não, eles estão de boa... Vou falar que pode vir então. – Falo respondendo positivamente

- Ai vou arrumar esse cabelo. – Fala Larissa correndo.

- Gente tem que dar um jeito nela Milena. – Falo apontando para a louca que saiu correndo.

Por um breve segundo até esquecemos de Henry, até ligamos o som, para a gente ir curtindo, enquanto aguardávamos. Ainda bebendo na cozinha, então a campainha toca.

- Ai meu Deus ele chegou. – Fala a Larissa olhando na câmera frontal como estava.

- Que isso garota. – Falo bagunçando seu cabelo.

- Ai sua poc rsrs. – Ela fala me empurrando.

Abri a porta, ele estava de regata, bermuda de moletom vermelha, e seu irmão com um moletom como eu;

- Não está com frio? – Pergunto.

- Eu sou quente. – Diz ele com um sorriso.

- Mentira, está tremendo. – Fala o Henrique.

- Estou mesmo olha. – Henry fala colocando a mão no meu pescoço.

- Meu Deus, sai fora. – Falo desviando.

Eles entraram, e eu falo;

- As meninas estão na cozinha, vou pegar uma blusa minha para você. – Falo subindo as escadas.

- Valeu.

Eu ouvi eles desligarem o som, acho que era para o Henrique, que estava assistindo algum vídeo no YouTube. Ao descer ele estava bebendo na minha taça, e as meninas no mesmo lugar;

- Pega essa, vai te servir. – Falo jogando a jaqueta.

- Hum, eu pensei que havia deixado no carro, e está chovendo, fraco mais está. – Ele diz se vestindo.

- Está chovendo? Ai não tem como ir embora Larissa na chuva. – Fala a Milena.

Elas vieram de “Biz”, então não rolava, no frio irem embora;

- Ei relaxa, nem assistimos o filme ainda, e se não parar vocês dormem aqui. – Falo pegando as pipocas.

- Mano que perfume foda, qual é? – Pergunta o Henry cheirando a blusa.

- Deixa eu ver... – Falo me aproximando e conferindo. - Invictus, é muito bom mesmo. – Larissa fez o mesmo, né gente, claro.

- Vamos assistir qual filme? – Pergunta o Henry.

- A Freira! – Milena fala deixando o celular e falando com a voz tremula.

- Que foda, queria ter assistido no cinema, mas não rolou... NÃO. – Gritou ele quando eu peguei a pipoca de micro-ondas para abrir.

- Que foi menino? – Pergunto assustado.

- Aqui tem leite em pó?

- Sim.

- Vamos fazer pipoca gourmet. Vocês gostam? – Pergunta ele para as meninas.

- Eu gosto de pipoca normal. – Fala a Larissa.

- É normal sua idiota, pode fazer, a gente gosta, você sabe a receita? – Fala a Milena.

- Sim, me ajuda? – Fala Henry.

- Sim.

Peguei os ingredientes e trouxe para ele, que estava dobrando a manga da blusa, enquanto ele preparava a pipoca, ficamos conversando vagamente;

- É como nos filmes, eu comprava meu almoço, tinha dois a três armários dependendo das suas atividades, e várias aulas durante o dia, uma escola normal. – Fala ele de frente o fogão.

- Uma escola normal, com MacBook para os alunos estudarem né. – Fala Milena.

- Tipo isso... Ei, o que a mãe do Iago fazia na Montalvan Milena? – Pergunta Henry secando as mãos.

- Ela entrou lá tinha pouco tempo, estava em experiência, a Carolina mãe dele, era professora no “Somar Floripa”, o centro da cidade, nossa ela trabalhou muito tempo lá. Porque?

- Vi ele nesse lugar mesmo, por isso perguntei.

Os papos tranquilos até a Larissa entrar e vir com;

- Está namorando Henry? – Ela pergunta girando a taça.

- Não.

- Está gostando de alguém? – Pergunta Milena.

- Sim.

- HUUUUM! – Veio de todos, até de Henrique.

- Está gostando de quem Henry? – Grita o irmão dele de pé no sofá.

- Não é da sua conta, e nem da de vocês. – Ele fala apontando o dedo.

Com a pipoca pronta e todo mundo elogiando o Henry, sentamos na sala;

- (...) Vamos Henrique, se assistir esse filme você não vai dormir. – Fala Henry.

- Vou colocar os jogos lá e você escolhe pode ser? – Falo indo com eles.

Subimos com o Henrique, pois o filme era muito pesado para a idade dele, levamos pipoca e um suco, entreguei os jogos, e deixei as luzes acesas para ele, quando descemos as meninas já tinham desligado as luzes e colocado o filme.

Deitamos da seguinte forma, eu, e Milena do meu lado esquerdo, abraçados e deitados, o Henry sentado do meu lado, e a Larissa a direita de mim e dele, eu e ele ao meio e elas nas extremidades.

Larissa assim como eu estava deitada, ficamos protegendo o rosto a todo momento com o cobertor.

Se vocês assistiram ao filme, vão me entender, se você não assistiu não assista, é a coisa mais horrível que vi na vida.

Henry estava protegendo o rosto com uma almofada de medo, caralho, a todo momento um susto da PORRA.

Passamos medo para a cassete, teve um momento com o filme se direcionando para o final, em uma cena que vai ficando, baixo, e mais baixo os efeitos sonoros, quase imperceptíveis. A mulher andando no corredor escuro e olhando para trás e não vendo nada, de repete a Freira aparece atrás ela olha e fica olhando quando alguém aparece pegando ela e o Henrique bate à porta do armário na escadaria, cara eu quase mijei na roupa de medo naquela hora.

Todo mundo gritou, eu abracei a Milena, Henry me abraçou e a Larissa abraçou ele;

- Filho da sua mãe. – Todo mundo gritando e xingando ele, jogando travesseiros.

Em um dos momentos no fim do filme que sente um dos pés no meu, fiquei na minha, na verdade estava tão tenso aquele final que não rolava prestar atenção em nada.

Larissa estava deitada sob o Henry, abraçada com ele, então seu corpo estava bem próximo, a Milena e eu comprimidos na coberta. Só então que percebi que o tal pé que estava no meu era de Henry, por ver a Larissa de meia, fiquei sem graça na hora, ele nem percebeu.

Como o filme terminou cedo, por volta de meia noite e meia, as meninas queriam ir embora, eu e Henry assistir outro filme, para passar um pouco do medo.

- Está chovendo Milena, não dá para ir, fica aí. – Falo a todo momento.

Ela colocou na cabeça, e ninguém tirava ela de ideia;

- Faz assim, eu levo vocês, e deixam a moto aqui, depois pegam, pode ser? – Fala o Henry pegando as chaves do carro.

Aceitaram, eles saíram e eu subi claro, para ficar com o Henrique, e liguei todas as luzes possíveis de onde estava passando.

Henrique havia deixado o vídeo game, e estava vendo algo no celular;

- Você tem fones de ouvido? – Pergunta ele ao me ver.

- Tem estes HeadFones, ou o normal, qual prefere?

- Esse. – Entrego para o pequeno,

Dei uma conferida para ver se estavam todas as janelas fechadas, rsrs. E o Henry demorou uns minutos, já havia pensado, “com certeza comeu a Larissa”.

Quando ele chegou eu fui de fora abrir a garagem, e ele já sai do carro comentando;

- A Larissa não tem jeito cara.

- Qual foi a dessa vez? – Pergunto.

- Pegou no meu pau, e queria, por tudo fazer algo, tentou me beijar.

- Porque ela bebeu Henry.

- Mas fico sem graça, o Raul é parceiro sabe.

- Acha melhor falar com ele? – Pergunto.

- Não, deixa eles resolverem a vida deles... Henrique dormiu? – Pergunta ele subindo as escadas.

- Não, eu estava aqui embaixo por agora.

Subimos, para chamar ele, pois iriamos assistir outro filme, como ele havia pegado no sono, eu arrumei um dos sofás para ele, o Henry carregou ele até embaixo.

Colocamos o outro filme e assistimos de boa, por causa da hora, eu não me lembro de terminar de assistir, eu dormi, assim como ele.

5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia