• @richardsongaarcia

INFAME - Capitulo 15

#Gael

- Vai conseguir jogar ou não?

- Treinador, eu estou bom, mas é perigoso se eu me machucar nesse jogo, não vai ter o time completo para jogar contra o Objetivo.

- Você tem razão, fica no banco Gael. O resto vamos entrar, e quero que façam o que eu mandei, mais essa vitória vamos levar para o Santa Catarina. Juntem para uma oração.

Estávamos na concentração, o time entraria para jogar essa última eliminatória, o ganhador enfrenta o Colégio Objetivo na final.

Ao sair e ir para o banco o time entra em campo, e a Milena passa do meu lado;

- Não vai jogar mesmo? – Pergunta ela se abaixando do meu lado.

- É melhor guardar forças para o próximo jogo.

- Rsrsrs, amigo te conheço, está fazendo isso pro Henry entrar no time não é mesmo?

- Ele no time, todo mundo para de brigar.

- É você está certo, vou sentar com a Larissa viu.

- Vai la.

Nunca tinha assistido um jogo nosso, muito menos com o Henry e Iago no ataque, o que ficava muito ofensivo, eles são muito rápidos.

Galera os meninos trocavam ideias, e jogavam pelo o time, eu não sei qual a razão, mas Iago estava bem mais tranquilo com o Henry.

Então, primeiro tempo o Santa Catarina marcou um gol, mérito do Iago no caso. Raul estava uma “aranha’ segurando toda e qualquer bola que chegava perto daquele gol, ele assim como o técnico só gritava, pois, a defesa estava meio desfalcada.

Mas com os meninos no ataque, o time deles todo estava na defesa, para segurar as bolas.

Fim do primeiro tempo entramos para o vestiário, e o Henry não saia do celular;

- Pessoal estão perfeitos, cansando eles e é disso que precisamos, mas olhem, eles vão ir para o ataque, vai ter mudança no segundo tempo, assim como nós estão querendo a final. Iago deixe o ataque e fique pouco mais atrás, quero que segurem, porem forçando sempre que possível... Henry no celular agora? – Repreende o Treinador.

- Foi mal Cleiton, mas ouvi tudo.

Eu e os meninos do banco estávamos voltando para o banco quando o Henry chama;

- Gael, calma aí... – Diz ele correndo até a porta.

- Viu a mensagem lá no grupo da sala? – Pergunta ele me mostrando o celular.

- Vi sim Henry.

- É que não vi sua resposta, vai poder ir?

- Eu vou Henry, pode deixar, vai usar sua fantasia de Harry Potter?

Pergunto fazendo ele rir, meio sem graça;

- Eu não vou usar nada na festa, não leu festa na piscina?

- Sim, estou zoando.

- Valeu em. – Diz ele pegando em minha mão.

As meninas responderam que iriam na festa, e já enviando mensagens no particular, perguntando o que eu iria usar, porque ele frisou no Convite, “Festa na Piscina”.

Responde que iria de camisa branca social de manga longa, pois iria dobrar até os cotovelos e um short de banho, aqueles bem confortável e curtos, um sapatenis tranquilo.

Por incrível que pareça no dia estava um calor infernal em Floripa.

Galera segundo tempo, o Henry marcou um gol, ele saiu gritando que era o presente de aniversário dele, mandando beijo para a plateia, rsrs.

No final do jogo, dois a zero para o Santa Catarina. No vestiário todo mundo gritando e comemorando por estarmos na final o Henry sobe no banco e grita, rodando a camisa, para chamar a atenção;

- ESCUTA AQUI, a festa de comemoração é hoje na minha casa. – Ele grita fixando o convite para o time.

#Henry

Cheguei em casa correndo para ver se as coisas estavam finalizadas, Geralda próximo a piscina comandando as equipes;

- Oi, demorei, mas cheguei. – Falo a ela.

- Estão terminando de colocar a iluminação nos coqueiros.

- Ótimo, e a casa?

- JÁ foi tudo de caro e que possa quebrar retirado, os andares de cima seu pai já falou, quartos trancados e escritório também... Ah e o Martin esteve aqui, deixou algumas bebidas na geladeira da adega.

- Certo, comprei umas bermudas novas vou tomar um banho e me trocar, o DJ deve estar chegando.... Aquele na piscina é o Henrique? – Pergunto me aproximando.

- Ele amou aqueles balões Henry.

- Ei cuidado para não estourar eles em. – Falo para ele que estava igual peixe na agua. – Vou subir Geralda, obrigado em por enquanto.

- Por nada filho, vou ir também, levar o Henrique, voltamos amanhã, fechado.

- Fechado, tu sabe que te amo né.

Ela ri saindo.

Eu entrei para tomar um banho, me trocar, e decidir qual roupa usar, do meu quarto escuto o DJ testando o som.

A grande piscina de casa estava com alguns balões que na verdade eram bolas grandes vermelhas, foram colocados e feito decoração com uns tecidos vermelhos também, na casa no jardim, todos suspensos, e o que mais foi trabalhado o “Neon”, desde a iluminação a mesas, copos, decoração, tudo.

Convidei um dos meus vizinhos por causa do som, verifiquei e outros estavam viajando.

Bebidas? Haviam para quatro festas, a lista de convidados havia cinquenta e nove pessoas, liberado um acompanhante por nome na lista, então já devem saber o que estava esperando, e cinquenta confirmaram presença.

Marcada para sete horas, por causa do horário de verão e o clima quente, foi propenso.

Eu estava sem chinelas de cueca Calvin Klein branca, e uma bermuda “TeckTell” de tecido leve, como ela ficava pouco abaixo a cueca ficava a mostra, cabelo todo arrumado e relógio no pulso.

Vamos aos convidados, os mais importantes no caso. Só adianto que todos os caras estavam iguais, rsrs.

Iago, veio com uma bermuda com a bandeira dos Estados Unidos estampada, bem legal, uma camisa branca lisa cavada, pulseira e um tênis.

Gael, mais básico ainda, bermuda curta, camiseta cavada, aquelas mais largas, relógio no pulso, e bandana preta amarrada na cabeça.

Raul incrivelmente estiloso, uma bermudinha curta, de flamingos, rsrs, camiseta preta, óculos espelhado, com aquelas correntes que o sustentam, cabelo todo arrumado para o lado, estava muito massa.

Kaique de boné, eu não entendi, como ele é muito de casa, veio sem camiseta, de short azul Nike, e Chinelas de dedos, mostrando suas tatuagens sob o relógio de ouro.

Martin não ficou de fora da turma da bermuda estampada. Como ele é moreno, veio de bermuda mais clara, cueca a mostra, deixando seu tanquinho e peitoral a mostra, ele não possui tatuagens então ficou massa.

Das garotas que mais chamou a atenção foi Heloise, mesmo de “Acompanhante” de Martin, ela veio de sandálias, um macacão jeans curto, e um top do biquíni vermelho sangue, óculos bem estiloso e cabelão solto.

Gael e Milena me ajudou separar essas turmas, dos colégios, mas graças a Deus os ânimos estavam calmos.

O DJ que contratei, deu um show, o cara é foda, começou com eletrônicas, depois um pouco de sertanejo para as meninas, passou pelo Rap e ficou no Funk.

Depois da meia noite o serviço dos garçons seria interrompido, foram colocados postos de bebidas mais práticos para todo mundo.

Eu não ficava parado, e sim, andando falando com todo mundo, e trocando ideias, fazendo amizades com algumas pessoas.

Uma delas foi o Gabriel, um cara loiro de olhos claros, podem rir de mim, mas ele é bonito vu, todo vestido estiloso, estava na roda de umas amigas do Colégio Objetivo, na conversa escuto solto;

- Esquece ele é hetero. – Diz a Brenda.

Eu olho e ele fica vermelho;

- Qual é a fita? – Pergunto sem graça.

- O Gabriel perguntando se você é gay.

- Você é gay cara? – Pergunto apontando o dedo.

- Sim, tudo bem?

- Claro, relaxa... Escuta você namora? – Pergunto tirando risada das meninas.

- Não, solteiro, e você?

Ele pergunta pensando que eu estaria afim, mas pensei em outra coisa, então rindo eu respondo;

- Solteiro, mas escuta, se importa de eu apresentar você para um amigo?

- De jeito nenhum, se ele for bonito, rsrs.

- É sim, vem comigo.

Saímos no meio da galera, eu puxando o Gabriel, procurando o Gael igual a um louco.

Junto com Iago, Raul, Larissa e Milena, e a turma do time, eu chego meio que gritando;

- Cadê o Gael? Alguém viu ele.

Ele estava de costas então se levanta, e estava pouco alterado;

- Fica aqui Gabriel. Gael chega ai... – Falo puxando ele e falando em seu ouvido. – Tenho um amigo para te apresentar, se não curtir só jogar ele na piscina, rsrs. – Falo tirando um sorriso dele.

- Relaxa. É ele? – Fala Gael apontando o dedo para o Gabriel.

Que ficou vermelho na hora;

- Sim, Gabriel, este é o Gael, Gael este é o Gabriel. – Falo apresentando eles.

- Prazer. – Diz Gabriel pegando em sua mão.

- Prazer, ele disse que se eu não gostar de você posso jogar na piscina em. – Fala o Gael mostrando a agua.

Gente eu saio todo vermelho do meio, o Iago vem chamando;

- Henry, onde tem mais dessa bebida aqui mano... Qual o nome dela? – Fala Iago segurando em meu ombro.

- “Amarula” bem doce né mano?

- Sim, demais a Milena adorou, tem mais?

- Mano, vem aqui, acho que na adega.

- Onde?

- Adega.

- Que é isso?

- Rsrs, onde fica as bebidas.

- Ah, eu conheço por frízer.

- Rsrsrs, beleza.

Eu peguei a bebida para o Iago, servi ele, e coloquei um pouco em um copo para mim, então ele diz;

- Vou doar o dinheiro da indenização Henry.

Eu deixei o copo e olho para ele sem acreditar;

- Vai doar cem mil reais? Tudo?

- Sim.

- Escuta Iago eu não sei como é sua vida, mas cara, é muito dinheiro, você pode comprar, casa, carro, ficar tranquilo sem trabalhar por muito tempo se quiser, e tem sua faculdade mano....

- Quando sua mãe morreu, alguém tentou te comprar? – Ele pergunta segurando em meu braço.

Eu fiquei em choque, pois a resposta era positiva;

- Sim, meu pai comprou um carro depois do acidente, e falou que foi a seguradora.

- Você usa esse carro?

- As vezes.

- Eu não quero olhar para um carro, para uma casa, e dizer foi com o dinheiro da morte da minha mãe que eu comprei. Eu não tinha esse dinheiro antes e não quero ele agora.

- Mas vocês têm tão pouco Iago.

- Você não entende né Henry, “Nós somos acostumados com Pouco, e esse pouco é o suficiente para a gente”.

- Foi mal.

- Relaxa.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia