• @richardsongaarcia

Eles e Eu - Capitulo Final - Segunda Temporada

Como estava masturbando ele, e o chupando, Theo segurava meu cabelo com força, e gemendo baixo, havia uns dias que não fazíamos sexo, não demorou pra ele gozar. É foi na minha boca, tive que ir me limpar, ele veio atrás, entrou no banheiro me beijando e se despediu; 

- Tenho que ir, o treino começou. 

#Theo 

Chegando no estádio, pra variar, Álvaro chega em mim; 

-  Como está sua tese Theo? 

- Vai ser de boa, esperou me sair bem. 

- Tem sorte, depois que fiquei com o Oscar, acabei deixando matérias para pagar. 

- Já te avisei pra viver a sua vida e ir com cuidado Álvaro. 

- Eu sei, mas sabe quando você curte a pessoa. 

- Ah... A perna. 

Estávamos aquecendo juntos, eu com pensamento nas nuvens e ele falando do Oscar isso, Oscar aquilo. 

Logo que terminamos e entramos pra valer no campo, cheguei a respirar, o treinador no meio do jogo, me chamou a atenção com o apito; 

- Theo, chega ai! 

- Sim, treinador. 

- Senta aqui. 

- Mas e o jogo? 

- Você joga neste time a 4 anos, senta ai. 

- Sim. 

- Sua tese será na semana que vem, já pensou em seu substituto? 

- Não treinador, peço que deixe eu defender ela primeiro, e depois pense nisto. 

- Relaxe, quando quiser, só estou cobrando pois seu conselheiro me disse que irá retornar para o Brasil? 

- Sim, mas resolvo isso antes. 

- Tudo bem, se quiser ir não precisa terminar o treino. 

- Valeu. 

Fui para o chuveiro, fiquei um bom tempo lá, não queria que a noticia de estar viajando se espalhasse com tanta rapidez. 

Meu curso terminava um ano antes de Dylan, e para piorar seria na minha formatura, a posse dele, como Presidente da KAT, é eles usam os eventos alheios, onde possui bastante visibilidade para fazerem suas frescuras, Dylan fica um ano como presidente, e depois passa o cargo para outro, assim que terminar seu curso. 

A apresentação de minha tese seria em uma sexta feira, e a universidade já estava entrando de férias, minha passagem foi comprada para seis dias depois, em uma quinta feira. 

- Mãe tem que ir arrumando, quando chegar no dia, vai esquecer tudo. 

- Theo eu vou levar tudo como vou esquecer meu filho. 

- Só estou avisando, eu mesmo, deixei a mala aberta no meu quarto, quando lembro, vou colocando as coisas. 

- E quantas já tem? 

- Duas, rsrsrs. Deixa eu ir, como estou? 

- As poucas vezes que te vi de terno e sempre lhe acho parecido com seu pai. 

- Ta chega, vamos que vou suar e acabar com toda essa formalidade. 

#Oscar 

- Theo, e Peter, hoje serão eles. 

- Boa sorte, pois a academia da Vanderbilt são barra pesada. 

- Já pensou Dylan na sua? 

- A fraternidade me dá varias regalias, quero ver com o Luiz como funciona, pois ele não vai defender tese alguma. 

Estava deitado em seu peito, e sim havíamos acabado de transar, estávamos no chão  com os pés na cama, olhando para o teto e comendo um doce que não me lembro o nome. 

- Que pensa em fazer depois de se formar? 

- Oscar, pensei em Nova York, ou até fazer uma viajem para a Europa antes de abrir meu consultório, mas vou deixar para planejar no ano que vem. E você? 

- Vou ficar em Nashville mesmo, minha família acabou se mudando depois que eu entrei na universidade, vou querer ficar mais perto deles. Fará discurso na sua posse? 

- Sim, infelizmente, vou tentar burlar isso, mas Luiz é cheio de cerimonias, o concelho pede a formalidade. 

- Está pronto para apertar a mão de Theo na entrega do canudo? 

- Tenho que estar! 

#Christian 

Formatura do Theo, eu e sua mãe estava com ele atrás do palco, onde se estava vestido, tirando algumas fotos, e ele estava muito nervoso; 

- Ei acabou, acabou tudo relaxe. 

- É meu filho, o pior já passou. 

- Vocês dizem isso porque não estão no meu lugar, né. Rsrsrs. 

Para completar, Dylan passa e vê a mãe de Theo, não havia como não conversar com ela; 

- Boa Noite, Gloria, quanto tempo... 

Eles se abraçaram e ela puxou um saco dele, enquanto Theo ficou do meu lado; 

- Meu filho, você não está tomando aqueles remédios pra crescer não? Né? 

- Não, é alimentação regrada, e estou treinando mais, com mais tempo, e você não para de ficar linda? 

- Ah para Dylan, vai se apresentar hoje? 

Dylan então subiu o olhar, me cumprimentou primeiro, pegando em minha mão e apertando, e ainda falando parabenizou Theo, sem apertar sua mão; 

- Olá Christian, tudo bem... 

- Sim, Ótimo. 

- Gloria, irei discursar na formatura de Theo, e por falar em formatura, meus parabéns, de coração. 

Theo somente sorriu, e Dylan continuou; 

- E agora Theo? Volta para o Texas? 

- Não, para o Brasil Dylan. 

Falou Gloria! 

#Theo 

As palavras saíram da boca de minha mãe e Dylan ficou pálido, eu sabia que ele iria fazer cena, em choque ele sem falar nada, as palavras pararam em sua boca; 

- Dylan. 

Falei estalando os dedos, ele piscou e tentou falar; 

- Desculpem pensei ter ouvido chamar meu nome no microfone. Theo posso conversar com você? É sobre algo que quero fazer na cerimonia? 

Eu sabia que boa coisa não era; 

- Mãe a senhora e Christian, vão pegando os lugares, e fica com esse celular nas mãos, depois não reclamar que não tem  fotos. 

- Tudo bem, vamos Chris. 

Christian saiu olhando para trás, Dylan passou a mão em minha cintura, me direcionando e andando ele diz; 

- Brasil Theo? 

- Sim, vou voltar para meu pais Dylan. 

Ele achou uma porta entrou e me puxou, fechou e trancou a porta, com a mão na testa ele ainda olhava para a porta; 

- O que tenho que fazer para não viajar? 

Abri minha gravata, não acreditava no que eu ouvi; 

- Não temos nada, porque me quer aqui ainda? 

- Que não temos mais nada Theo, para de fingir – Ele se virou e se aproximou falando e olhando nos meus olhos – Demos um tempo, não terminamos, aquilo não foi o fim, eu... Eu.... 

- Você o que Dylan... Acho melhor não dizer. 

- Eu ainda te amo Theo. 

Com uma mão na cintura, por dentro do terno e a outra fechada na altura da boca tentando segurar o choro que descia em seu rosto; 

- Me ama? Não se humilhe Dylan, pense no que está dizendo. 

- Estou dizendo o que estou sentindo. 

- Está ficando com o Oscar. 

- E você com o Christian. 

- Ele é solteiro, e não tem compromisso com ninguém, é uma pessoa verdadeira, e não merece o que você e Oscar faz com Álvaro. Nunca pensou que você um dia vai pagar por isso Dylan! Como pode errar tanto cara? Olhe para você! Parece até que não apreendeu com a vida. 

Sai de mim, ou melhor as palavras que estavam presas, saíram de mim, e ele se sentou em uma cadeira, chorando; 

- Dylan, chega não precisa tanto cara. 

Em minha garganta havia um nó de um tamanho; 

- Sempre te amei, você sabe disso, se eu errei foi para tentar chamar sua atenção, tudo que faço na minha vida é pensando em você, tudo. 

- Esse papo não cola mais. Tenho que ir, tenho minha vida ora seguir. 

Dei três passos até a porta, ele se levantou, segurou em minha mão e puxou me beijando, não pude impedir, a forma que ele segurou, torceu meu braço, sim senti seu beijo, se eu estava abalado, agora então. 

Me afastei e dei um tapa em sua cara, ele me olhou, com o rosto vermelho e beijou novamente, desta vez, pressionando contra a mesa; 

- Assim, você nunca irá conseguir nada. 

- Olhe no meu olho e diz que não sentiu nada? 

Sai da sala, fechei a porta e respirei fundo, só depois continuei indo para a cerimonia. 

 Bem houve todos os discursos e o Reitor estava falando, quando percebi que Luiz estava puto, ele então subiu até o púlpito; 

- Boa Noite, damas e cavaleiros, nesta noite importante aos acadêmicos de Direito da Vanderbilt, venho para (...). 

Ele continuou o discurso e eu me levantei, Peter meu amigo segurou no meu braço dizendo; 

- Já vão nos chamar Theo, onde vai? 

- Ao banheiro, e não se preocupe, Luiz vai demorar. 

Sai abaixado, minha mãe e Christian ficaram olhando eu passar, fui direto para a tal sala Dylan não estava lá, em nenhum lugar do BackStage; 

- VIADO, EU TE MATO. 

Ouvi ao passar pelo banheiro, a voz de Álvaro, entrei desesperado pensando ser o Dylan, Álvaro estava em cima de Oscar, socando seu rosto; 

- Ei, Ei, vai matar ele, Álvaro. 

Falei tirando ele de cima, me apavorei também, afinal; 

- Você sabia? 

- De que Álvaro? 

- Oscar e Dylan? 

Fiquei meio sem graça e balancei a cabeça confirmando; 

- Como pode Theo, não me contar? Todos sabiam menos eu, menos eu, é sempre assim. Como pude ser tão idiota e me apaixonar por esse lixo. 

Falou apontando pro Oscar no chão, para completar, entra no banheiro Dylan com os olhos vermelhos de lagrimas. Para minha surpresa Álvaro, virou um murro de esquerda, acertando em cheio o Dylan, que caiu batendo em um dos mictórios. Fez isso e saiu se virando pra mim; 

- Não fale mais comigo. 

A porta bateu e Oscar teve a audácia de estender a mão para eu ajudar ele, virei as costas dizendo; 

- Vocês dois se merecem. 

Quando sai, ouvi o que começaram a chamar os nomes, entrei no grande salão bem na hora; 

- Theodoro Castro da Silva. 

Pronto, com meu canudo na mão, estava feito, um ciclo de minha vida havia se fechado, anos longe de casa e acabariam assim, com um simples Diploma. 

Dias Depois... 

#Dylan 

- Quando? 

- Em algumas horas é o voo dele. 

- Ok. 

- Espero algum dia você gostar de mim, assim como gosta dele Dylan. 

- Acredito que encontramos o amor de nossas vidas uma vez, o segredo da felicidade é manter ele. Eu não consegui, então bola pra frente. 

- Eu estou aqui relaxe. 

- É pode ser. Bem vou nessa, Luiz está entregando a papelada. 

Sai do quarto deixando o Oscar na mesa onde estava estudando, desci até o escritório da Fraternidade, para assinar a papelada da "Posse". Os conselheiros estavam por lá, todos sentados ao redor da mesa, assim que entrei se calaram. Me sentei, e disse; 

- A Papelada é essa? 

- Dylan, de acordo com o regimento criado por nós você assume a presidência da casa. Mas podemos decidir juntos caso isso atrapalhe a angariação de bens. 

- Desculpe, mas estão em ameaçando? 

- Não só deixando claro o que podemos fazer, sua assinatura no livro de Presidentes não te faz intocável.  

- Estamos dizendo isso Dylan, por suas ultimas atitudes. Não importamos, se você é Gay, Hetero, ou bissexual, mas nada explica sua atitude na formatura da turma de direito, e se for real, o que comentaram sobre a traição, será repreendido de acordo com o livro. 

Ainda fiquei ouvindo, mais e mais dos conselheiros, me deram uma bela lição de moral.

Depois dos sermões, documentos assinados, os novos calouros, estavam fazendo a mudança de minhas coisas para o quarto do presidente. Bem este ano seriam dois escolhidos, e eu comandaria todo o ritual, que começaria na semana que vem, por sorte de minha parte, pois tinha muita coisa ainda para resolver. 

Com o que os conselheiros haviam me dito tomei uma decisão, logo após a mudança, fui até a fraternidade do Time de futebol, ao tocar a campainha, pedi para falar com Álvaro! Que não demorou muito e pareceu na porta; 

- Você aqui! O que quer? 

- Vim, me desculpar, o que fiz não foi certo. 

- Você não fez sozinho não é mesmo! 

- Sim, mas tenho culpa e quero que aceite minhas sinceras desculpas. 

- Tudo bem. 

Falou ele estendendo a mão, apertei e me despedi; 

- Tenho que ir, tenho uma seleção complicada esse ano. 

- Até. 

Na mesma calçada, fui andando e lembrei de Theo, a este momento estaria voando para o Brasil. Puta que me pariu, deu um no na garganta, que as lagrimas ameaçaram a sair,  com esse andar cheguei na lanchonete onde o Chris trabalhava, entrei e me sentei, claro que ele veio me atender, logo que chegou passou um pano na mesa dizendo; 

- Quer fazer seu pedido agora? Hoje é o dia da torta, e(...) 

- Tem um tempo? 

- Para? 

- Gostaria de conversar com você. 

Chris olhou para trás, e falou com um homem, tirou o avental e se sentou; 

- Cinco minutos. O que quer? 

- E ele? 

- Embarcou a pouco, acho que aguardou você ir se despedir. 

- Como ele estava? 

- Bem, na medida do possível, não há como estar 100%. 

- Oi? 

- Sem essa de se fazer de idiota Dylan. A culpa é sua. 

- Minha? 

- Sim, e ele ainda te ama, não entendo, sinceramente... No embarque eu disse que amava ele, sabe qual foi sua resposta. "Desculpe mas não posso te dizer o mesmo, acredito que amamos uma pessoa durante a vida, e eu amo o Dylan". Mesmo depois de trair ele, esquecer, deixar o Theo depois de ele ter vivido por você, desde que se conheceram, ele não fez outra coisa, a não ser, viver para você Dylan Duncan. Parabéns se queria ele longe, conseguiu!  

- Nunca desejei isso. Sabe que não. 

- Mas aconteceu. Tenho que ir trabalhar, me de licença, se não for consumir, tenho que pedir que se retire. 

Eita volta pra casa péssima, e ainda os meninos estavam em cima, sobre a próxima semana, meio que me isolei dentro do meu quarto. 

 Em poucos dias seria a noite de natal, e não se se lembram, essa é a data de nosso primeiro beijo, a viagem para Nova York em que fizemos em família, para casa de meus avos, lá foi onde tudo começou,, e acho que aqui foi onde eu havia acabado com tudo não é mesmo. 

#Oscar 

Dylan estava afastado, acho que por causa da seleção que estava fazendo no colégio, isso realmente o esgotava, e também não ficávamos mais igual antes, era uma vez na semana, por ai. Bem de qualquer jeito sem namorar com ele, ou ter um compromisso eu sabia que os calouros do campus ficavam me vigiando, sabem olhando de longe, mandando mensagens, digo isso por ver um deles falar isso pro Dylan. 

 Para me completar havia cada carinha novo, mais lindo que outro. Um deles era porto-riquenho estava fazendo intercambio, e "Jesus", que boca, e quis braços, ele cursava Direito, então eu não o via muito. Mas sempre tento puxar papo, mas nunca é conveniente. 

Começo de Janeiro, eu e Dylan havíamos passado o natal e ano novo juntos, isso pra mim era um progresso, mas para minha má sorte, no ultimo dia do mês quando cheguei na Fraternidade, lá estava ele, lindo, bronzeado perfeito; 

- Luiz? 

- Eu mesmo, em que posso ajudar? 

- Está morando aqui de novo? 

- Não precisa ficar feliz, estou na reunião do conselho, o que quer? 

- Falar com o Dylan. 

- Qual parte de "Reunião de Conselho", você não entendeu? 

Entrei passando por de baixo do braço, dele, e pedindo licença, ele não gritou até porque o conselho estava todo na sala de estar. Nunca entendi o porque de tanto segredo, bem fui a cozinha, peguei umas frutas e subi até o quarto de Dylan, liguei seu computador e fiquei sentado em sua cama, logo em seguida ele chega; 

- Eu odeio esse conselho, se soubesse que teria que passar por isso toda semana, renunciaria. 

- Qual tema da reunião dessa vez? 

- Decidimos as provas para o calouros, eles querem acompanhar de perto este ano, pois a seleção que Luiz fez, deu aquela polemica, acho que lembra. 

- Sim, todo mundo só falava nisso. 

Ele tirou a camisa e entrou no banheiro, ouvi um barulho de roupas e ele sai vestindo um short, sentou na cama, puxando o computador e olhando o que eu estava fazendo; 

- Vendo pornô? 

- Não, estou no site da turma, vendo os novos calouros, parece que os seus candidatos já foram excluídos daqui. 

- Sim, eles só entram  no registro da Vanderbilt depois que assinarem os termos que realmente querem fazer isso. 

- É verdade que vão dar uma bolsa de estudos para quem entrar esse ano? 

- Sim disponibilizada pelo pai do Anderson...  

Ele estava do meu lado, deitado olhando para o teto eu deitei meio que apoiando no braço e beijei sua boca, um selinho só; 

- Dylan porque a gente não namora? 

Ele só me olhou, abriu um sorriso meio que sem graça e disse; 

- Não curte a gente só ficando? 

- Demais, só que já faz um tempo, e depois disso tudo, você já esqueceu o Theo, eu já esqueci o Álvaro... 

Quando eu estava falando ele se levantou, abriu a porta e disse; 

- Não fale do Theo, Oscar... Nunca mais... É tenho que descansar, pode me deixar sozinho? 

Ele nunca havia falado assim, comigo, meio que estranhei, calado me levantei e sai. 

#Christian 

Bem pessoal, eu, o Dylan e Oscar formamos este ano, e Álvaro também, pegou seu diploma junto conosco. 

Ainda moro em Nashville, já Dylan se mudou com Oscar para Nova York, pois é, acho que se casaram ou algo do tipo, com a presidência e membro da Fraternidade, trouxe muitos pontos ao seu curriculum, e muitas parcerias, ele agora é medico em um hospital do governo em NY. Oscar eu não sei ao certo o que faz, Álvaro é treinador do time da universidade nas horas vagas e está de estagiário em um hospital da cidade. Bem as ultimas noticias que tive de Theo é que ele está de advogado em um escritório no Rio de Janeiro, uma rede de advocacia conhecida no Brasil por trabalharem para um magnata do ramo de moda.  

Continua...

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia