• @rgpatrickoficial

Eles e Eu - Capitulo 3 - Segunda Temporada

#Theo
Logo ele foi liberado, o acompanhei até o meu quarto, ao entrar ele viu que o Oscar não estava;
- Cadê  ele?
- Não sei amor. Vamos.
- Onde?
- Não ouviu a enfermeira? Pra você tomar um banho e ficar de repouso. Pega essa roupa minha, vai lá.
- Ah não vamos comigo.
- Vamos Dylan, cara está cheio de manhã em, parece um bebê.
- Mas você gosta assim.
Disse ele me abraçando, fomos pro banheiro, como era a hora do almoço não havia ninguém, no reservado, entramos e adivinhem?
- Não vai ajudar?
- Fica quieto.
Tirei a roupa dele, isso mesmo, liguei o chuveiro ele me olhou;
- Que é?
- Não vai entrar comigo?
Tirei minha roupa e entramos, e não precisam ficar animadinhos, pois foi só um banho, a manhã dele era frescura e não tesão. Seus safados.
Tive que ensaboar, e enxaguar Dylan, ele me jogava água no rosto, me beijava, acho que;
- Já  está melhor né, mas gente. Para Dylan.
- Ei  sabe que eu te amo?
Olhei pra ele que riu e me beijou. Nos secamos e vestimos, pagamos no meu quarto pra ele secar o cabelo pois não poderia sair com ele molhado, e fomos pra praça de alimentação.
 Peguei dois pratos com frango, batata e uma salada, sim estávamos naquela de casal fitness. Comemos juntos e Óscar logo chega e senta conosco, ele estava com um sorriso;
- Que alegria é essa?
- Nada, só estou feliz. Dylan tudo bem? Esta pálido.
Dylan estava doente mas feliz, olhem o que ele respondeu;
- Entrei na Kappa Alpha Theta.
- Não brinca?
Já sabem né, começou a frescura. Fui pegar mais um suco e vi um cara com uma bola de futebol na mão;
- Oi, Sou Theo, beleza.
- Sim, me chamo Erick.
- Joga futebol?
- Sim, faço parte do time do Colégio.
- Não sabia que eles tinham um time.
- Sim. Você joga?
- Sim.
- Aparecer qualquer dia desses pra batermos uma bolinha.
- Fechado.
Quando voltei pra mesa Dylan estava levantando todo apressado;
- Que foi?
- A fraternidade, chamando.
- Como soube?
- Celular amor. Tenho que ir.
- Eu também.
Disse o Oscar. Tá olhamos pra ele meio que desconfiados.
- Você?
- Sim, olha recebo também.
- Você não participou do ritual ontem.
- Mas fui hoje, vamos?
- Sim, amor não se preocupe comigo.
- Aham sei, começar a achar um namorado pra ficar comigo quando você morrer com essa idiotice.
- Theo.
- Ah foi mal. Só pensei que ficaríamos mais juntos saka.
- Calma, logo isso acaba.
- Vai La.
#Dylan
Ao chegarmos na mansão descemos pro porão em fila indiana, como fui com Óscar acabei ficando do seu lado, neste dia Anderson não estava, e sim um outro membro estava fazendo a tarefa;
- Para o campus nossos trotes tem que ser, como eles falam, saudáveis, e colocar vocês interagindo entre si. Na segunda feira vão ser escritos em uma casa de apoio à idosos para prestação de serviços comunitário, e assim como na universidade não poderão ter faltas.
Mas para essa tarde vamos divertir e sacanear um pouco, vocês conhecem o famoso jogo do palito? Pois é temos 2 palitos aqui, o último que deixar ele cair bem... contamos depois.
Para que. Não sabe ou conhece, o palito vai passando de boca em boca, se cair ele é quebrado pela metade, e assim sucessivamente, esse não é o pior, Óscar estava do meu lado;
- Posso mudar de lugar?
A pior pergunta que fiz na vida, galera, olhem isso.
O cara se aproximou rindo e dizendo;
- Ele que trocar de lugar, ouhn não está confortável aí loirinho? Está com nojo dele é?
O cara se afastou pegando o palito e disse;
- Beija ele?
- Como?
-Beija ele, de língua. Ou pode ir saindo.
- Não Mike, deixa o cara?
- Que foi Luiz? Eu mando aqui, Anderson deixou eles por minha conta hoje, não corta minha onda. Que tá esperando Dylan? Beija o Oscar.
Pois é, tive que beijar ele, eu sou gay, ele também, não tinha como ser sem jeito sabem, beijamos normal, e pra piorar o tal Mike;
- Parecem um casal, olha isso. Começa com você playboy
Me entregou o palito, passei pra Óscar e assim se seguiu na segunda rodada ele caiu, Mike o quebrou ao meio, agora para passar sentia os lábios de Óscar na minha boca para conseguir pegar o palito. Ótimo caiu de novo, mas antes de chegar em mim eles trocaram, dessa vez foram 4 rodadas e quebraram 2 vezes, cara eu beijava o cara é pegava da língua dele, e Óscar tinha que chupar  milha língua pra conseguir pegar. Aí que humilhação.
 Graças ele caiu novamente;
- Pensei que iria durar mais, cumprido, agora todos vocês saiam, bem hoje como último dia de férias, a tarefa de vocês é simples, fornecer a bebida da festa de despedida das férias, uma festa muito importante. Diz aí Luiz o que aconteceu no aconteceu no passado.
- Os integrantes não conseguiram a quantidade necessária e todos foram expulsos da fraternidade só uma dica, falta 3 horas para as pessoas começarem a chegar.
#Dylan
Ao sermos liberados recebemos tipo de mensagem dizendo o que teríamos que conseguir, eu fui louco pro meu quarto, procurando dinheiro, afinal comprar seria bem mais fácil, Theo entra no quarto no momento com o Oscar;
- O que tem Dylan?
- Umas 100 pratas, e você Oscar?
- 70, o que vamos fazer.
- Ahn! Oi amor, como foi seu dia, o meu foi bem.
Poxa Theo estava chateado, cheguei abracei ele e o beijei, meu olhar se desviou a Oscar, puta merda me lembrei do ultimo trote;
- Ah o que precisam fazer para a casa de idiotas?
- Fornecer bebida, o outro grupo ficou com decoração, comidas, essas coisas.
- 170 pratas não é o suficiente?
Troquei olhar com o Oscar e respondi;
- Não Theo. Você tem algum que possa nos emprestar?
- Tenho mas nem vai fazer a diferença, porque não vai no banco?
- Já saquei meu limite de hoje.
- Ah não é querendo nos apressar mas a hora está passando.
- Tenho uma ideia.
Disse o Theo, me olhando;
- Vamos.
Nos saímos e pegamos meu carro, não foi longe e sim do outro lado do campus, em um bar, ele era pouco movimentado, poucas pessoas, até porque os universitários frequentavam outro bar, que fica no fim da rua.
- Ah Theo, quer roupar cerveja.
- Não sejam tolos, vamos.
Ao entrar todos nos olharam, chegamos no balcão e Theo disse ao balconista;
- Ei seu gerente por favor.
- Quem gostaria?
- Dylan Wells, irmão de Anderson Wells, pres...
- Sei que é.
Disse ele me puxando pela camisa e jogando perto do balcão, confesso que fiquei receoso. O cara nos levou ao lado do bar onde havia uma cortina, o cara estava sentado em uma mesa pequena e contando dinheiro;
- Esse aqui diz ser irmão do Wells, quer falar com o...
- Você não é um Wells. Fora os três.
- Escute senhor, somos calouros, estamos disputando vagas para entrar na fraternidade, e precisamos de sua ajuda.
Theo estava me surpreendendo, eu não estava estendendo porra alguma, só seguia o que ele falava, Oscar muito menos;
- Ajuda? Como ousa vir aqui e ainda pedir ajuda.
Theo contou o dinheiro e jogou na mesa;
- Preciso de 170 pratas da sua melhor cerveja. E de mais.
- Mais?
- Sim, que tal um trato com a fraternidade? O seu bar fornece a bebida para uma festa como patrocinador, e com isso atrais mais universitários para seu bar.
- Interessante, mas não.
- Que tal um trato.
-Trato?
- Trato Theo?
Agora fiquei assustado, segurei o braço dele perguntando;
- Você fornece a bebida e divulgamos seu bar para toda a universidade.
#Anderson
A pouco tempo havia chegado com o Steve, eu estava na sala com Luiz;
- Não vão conseguir, como puderam deixar eles por conta de nossa festa, tem ideia de quem eu convidei para tocar aqui essa noite.
- Mas Anderson, temos bebida, comida tudo caso eles pisem na bola.
- O que pretendem? Ano passado perdemos a seleção por essa tarefa.
Estávamos discutindo quando olhei para fora um caminhão estava encostando com vários entregadores;
- Mas que porra é essa.
Fomos para fora e era um fornecedor de cerveja, conhecido no campus;
- Por aqui, coloquem nos frízer nos fundos. Tarefa cumprida irmão.
Disse o Dylan, entrando com as bebidas, confesso que fiquei surpreso, mais ainda quando desceram os barris. Dylan, Oscar e Theo, eu havia recusado ele a disputar, mas estava ajudando. Até Steve no meio deles.
#Luiz
Não estava curtindo anda a ideia deste Dylan estar disputando a vaga, e ele era duro na queda, teria que focar para retira-lo do meu “caminho”.
Na festa, um sucesso como sempre eu estava ficando com uma caloura, no canto, a puta estava quase me fazendo gozar ali no meio de todos. Ela colocou a mão dentro de minha calça varias vezes, e estava sem calcinha, só não comi ela ali, pois Oscar passou por nos e derramou bebida na roupa dela.
Fiquei puto com ele, como havia bebido demais, perdi pra cima dele, e pior Anderson me separou;
- Ta maluco mano, relaxa, deixa o idiota. Vaza Luiz você bebeu demais. Ei levem ele para dentro.
#Theo
Alem de conseguir as bebidas os meninos tiveram que limpar toda a bagunça deixada, sim, estavam passando por lindos momentos de humilhação.
Eu estava grato que as aulas começaram, pois Dylan poderia usar elas para ter desculpas de não me ver. Poxa nos víamos menos ainda, com essa fraternidade ele dedicava cada tempo livre, não to reclamando, mas é que a gente sente a falta.
Eu estava descontando minha raiva no futebol, havia um time na universidade e eu queria fazer parte, a qualquer custo, foquei nisto. E sem contar as aulas, que eram extremamente mais complicadas e focadas.
Havia se passado um mês e uns dias, era a primeira visita de minha mãe a cidade, ela veio procurar um lugar e serviço, e claro nos ver. Foram horas de perguntas e beijos, e abraços, Dylan sofreu com isso.
 Na tarde de sábado, estava muito frio, com a chegada do inverno, eu me esquentava no campo. E neste dia não foi diferente, eu estava chutando a gol e ao ver, Dylan e  Oscar se aproxima pela lateral do campo;
- Vocês aqui? Saíram do purgatório?
- Theo precisamos falar com você.
Disse o Dylan, eu subi a bola segurando ela debaixo do braço;
- Fala.
Eles trocaram olhares e Dylan começou;
- Semanas atrás houve um trote na KAT, e eu, nós decidimos contar só agora.
- Ah está me assustando.
- Theo, no meio da tarefa eu desrespeitei eles e me mandaram beijar o Oscar.
- Ah beijar?
- Sim.
- Um selinho?
Outra troca de olhares;
- Beijaram de língua?
- Escuta Theo.
- Cala a boca Oscar, mas nada contra você. Mas eu percebo o jeito que olha pra mim e pro Dylan, se quer isso um dia para você, aja da forma certa.
- Ele não teve culpa Theo.
- Saia daqui Oscar.
- Theo me desculpe não contar.
- Vai logo.
- Ele realmente não teve culpa e foi...
- Só um beijo, é eu sei, isso não tem haver com o beijo, confio em você.
- Obrigado Theo, não tem ideia de como.
- Me solta Dylan. Olha pra mim.
Ele estava bravo, e com medo, fechou a feição, para segurar o choro e olhou nos meus olhos;
- Tem haver comigo e você. Porque não me disse no dia que aconteceu? Está perdendo a confiança é isso? Dylan tem ideia de quando se tornar o que quer um membro da fraternidade não vai ter eu do seu lado, não porque eu não queria, e sim por culpa sua. Estamos ficando distantes.
- Não esta fácil pra mim também Theo, você mesmo sempre disse pra correr atrás dos sonhos, e agora.
- Não está fácil pra você? Acha que foi fácil pra mim quando você estava em depressão? Acha que foi fácil quando o via daquele jeito? Tudo que eu fiz foi para não chegarmos neste ponto Dylan.
As lagrimas desceram de seu rosto, seus olhos estavam inchados, ele não me olhava mais, não me encarava.
Dylan passou a mão no rosto meio que limpando, e disse com uma voz rouca;
- Me desculpa.
Puxei a camisa dele e o abracei, sentindo aquele cheiro de pasta dental, kkkk,  Dylan sempre foi manhoso, ainda no meu abraço ele disse;
- Não vou mais voltar para a KAT.
- Não seja tolo, você quer isso, então corra atrás.
Eu sabia que ele queria isso, seria errado eu concordar com o que Dylan havia dito.

9 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia