• @rgpatrickoficial

Eles e Eu - Capitulo 20

~THEO CASTRO

Depois que os meninos foram embora, eu escovei os dentes, e fui para meu quarto, onde o Dylan estava deitado no seu colchão ao chão, brincando com Mr. George;

- (...) Para! Para seu barrigudo, vai dormir. – O cão mordia sua meia.

Rindo, deitei, respondendo a mensagem da Ashley dizendo ter chegado bem.

Dylan colocou o pequeno para fora e desligou a luz, voltando a deitar.

Uma pequena luz entrava pela janela, vinda do vizinho, eu virei na cama olhando e ele estava virado para o meu lado.

Estiquei minha mão, e ele pegou, ficamos um tempo, se olhando, com ele segurando minha mão.

Dylan pegou sei travesseiro, se levanta e joga sua coberta sobre a minha, e sobe na cama, se acomodando.

Ele deita ao meu lado, por ser uma cama de solteiro, ficamos corpo a corpo.

- Suas mãos estão frias. – Falo segurando ambas.

Cubro as duas com as minhas mãos, e fico soprando um ar quente com a boca, devagar e esquentando ele.

Não foi reflexo, e não vou algo sem “pensar”. Eu estava olhando dentro do olho dele, estávamos próximos e eu abaixo suas mãos beijando sua boca, foi um selinho, algo mais como um cumprimento.

Dylan correspondeu, eu abracei ele, para ficar mais acomodado e quentinho.

~DYLAN DUNCAN

Na manhã seguinte eu havia acordado mais cedo e peguei o Mr. George, para darmos umas voltas, ele estava sedentário, por eu só ficar dentro de casa, estava fazendo mal a ele, coisa que eu não queria.

Por causa do horário estava uma neblina densa, ao correr o rosto ficava molhado com as gotículas de água. Voltamos e passei na padaria e comprei um café para mim, e levei algumas coisas para casa, voltamos andando mesmo ao chegar, Theo e Gloria estavam na cozinha, ele sentado e ela ligando a cafeteira;

- Bom Dia. – Falo entrando.

- Foi comprar café Dylan?

- Não, acordei mais cedo, levar esse preguiçoso para dar uma volta.

Falei enquanto Mr. George ia tomar água, me sentei de frente para o Theo que solta0 um sorriso tímido e malicioso, e Gloria percebe;

- Que foi? Porque essas caras?

- Gloria, sabe jogar truco? – Mudo o rumo da conversa.

- Sim eu sei, aprendi com meus pais. – Ela rasga um pão enquanto falava. - Antigamente minha família passava noites, jogando, é como tradição, e temos a fama de não perder. – Ela fala toda orgulhosa.

Comecei a rir, não me segurei, Theo fez uma cara de deboche;

- Que foi? – Ela cutuca ele.

- Theo é adotado? – Entro na brincadeira.

- Haha’ que engraçado você hoje né. É que ensinei a Ashley e o Dylan ontem a jogar...

- E perdeu. – Interrompe ele.

- Ela roubou. – Aponta Theo.

- Mas meu filho, esse é o propósito do jogo.

- MÃE!

- O que?

Eu estava rindo demais, pois ele fica muito bravo quando perde, ainda mais em jogos. Theo não sabe perder;

- Nossa eu vou para o colégio, é melhor para mim.... Fica rindo ai... – Ele pega a mochila me olhando. – Mas perdeu também.

- Não me chamo Dylan Castro, Theo.

Até Gloria Ri, com ele saindo todo de cabeça erguida, ignorando. Sua mãe me contou sobre o novo trabalho, era algo temporário, mas que ajudaria por hora.

Por falar nisto, ela se arrumou, eu sai com ela, e levei o Mr. George no veterinário, até meu cão precisava de visitas ao seu médico, regulamente.

Não tenho mais uma rotina frenética, ou que seja interessante, claro que estava melhorando aos poucos, eu sentia isso.

Posso retratar como uma chama de fogo dentro de mim... A cada sorriso, a cada momento, e sentimento BOM, era como se jogasse um pedaço de lenha nessa fogueira.

“Só o exagerado do Theo que quando “joga” a lenha, vem com as mãos cheias...” É não sou dos melhores em metáforas, mas creio que entenderam que ele do seu jeito estava me fazendo bem.

Anotado na geladeira, ele deixou um aviso, que havia jogo essa noite, e não era para a gente esperar ele para o jantar.

Então eu comi, tomei meu banho e deitei mais cedo por causa do frio.

Acordei no meio da madrugada com Theo me chamando;

- Dylan! Dylan acorda. – Ele me sacudia.

- Que foi, que horas são? – Falo puxando o cobertor e me cobrindo melhor.

- Duas da madrugada eu acho. – Ele falava procurando algo no closet.

Voltei a dormir de automático, dois segundos;

- Mas gente acorda Dylan. Levanta. – Ele fala baixo para minimizar o barulho.

- Que foi? – Me sento na cama.

Theo joga um dos meus casacos mais quentes, praticamente na minha cara;

- Para que isso Theo.

- Veste que está muito frio lá fora. – Ele joga as luvas.

- Ok. – Respondo sem entender. – Porque vamos sair?

- Shiiiiiiiii! Fala baixo, minha mãe está dormindo, venha preciso de sua ajuda. – Ele fala sério.

Me vesti e já estava preocupado com o jeito que estávamos saindo, mas as coisas ficaram estranhas com ele pulando a janela.

Quando desci, ele passa ao lado direito, mais perto e escondido da cerca, e vejo a Ashley com o carro ligado.

Ela abre a porta, Theo entra na frente, e eu atrás, o Junior também estava, todos muito bem vestidos, por causa do frio, e o Theo todo apavorado;

- Vai! Vai. – Diz colocando o cinto.

- Gente para onde estamos indo? – Falo fazendo o mesmo.

- É segredo de estado. – Theo se vira para trás, eu e Junior de orelhas bem abertas para ouvi-lo. – Vamos fazer um roubo.

- Roubo... Theo? Co..Co...Como assim? – Junior gagueja.

- Relaxa. – Ele tenta acalmar.

Olhei para o Junior e ele diz;

- Eu não quero roubar.

- E eu não quero voltar para prisão. – Ashley ergue uma da mãos.

Nós olhamos uns para os outros e Junior tentou abrir a porta, acho que se ele conseguisse até eu iria pular para fora;

- Estou brincando seu medroso, se acalma. – Ela dá uma crise de risos.

Paramos na esquina de minha antiga casa, Theo desceu do carro;

- Venham desçam. – Ele olha para gente. - Ashley quando der o toque no seu celular, você estaciona de ré na garagem.

- Beleza, vou ficar com ele desligado aqui.

- Vocês venham comigo.

Seguimos andando devagar e com cuidado atrás do Theo, e em frente minha antiga casa entramos no jardim ao lado de trás, lembro de ver o jardim horrível, com plantas grandes e gramado em péssimo estado, a piscina vazia e suja. Theo forçou a porta para entrar;

- Ei espera. – Falo digitando a senha do alarme, e as portas se destravaram.

Entramos e Theo foi direto para o porão, as coisas por toda a casa estavam cobertas com lençóis e proteções, ao descermos ele estava com uma lanterna;

- Cara está armado também. – Já pergunto esperando uma resposta positiva, pois pensou em tudo.

- Vamos, Dylan desmonta a bateria, eu e Junior vamos ir carregando para fora. – Ele posiciona a lanterna sob um móvel antigo, deixando a luz mirando para a bateria.

Eu fui desmontando, e eles levando para fora, eu aproveitei subi e peguei umas coisas do Mr. George.

Ao sair o Theo mandou ativar o alarme, enquanto ele ligava para Ashley;

- Ativa aí que... Ashley pode vir, mas desliga o carro, pois é muita coisa, eu pensei que era melhor, rsrs.

Minha bateria era completa, então havia muito que levar, o Junior era o mais engraçado ele foi o mais rápido também, nos colocamos tudo no carro, foi tipo, muito rápido. Pois o medo de aparecer polícia ou algum vizinho.

A uma boa distância da casa, respiramos comemorando;

- Não acredito nisso. Ashley para no próximo banco aí, já estamos prontos. – Theo brinca.

- Nossa até meu frio passou. – Junior tira o casaco

Missão não foi tirar isso da casa, e sim, colocar sem fazer barulho, demoramos mais nisso do que no “roubo” em questão.

Deixamos tudo na sala, para arrumar no dia seguinte.


~THEO CASTRO

Deitei naquele dia tão feliz, mas tão feliz, era como se todo meu corpo fosse feito somente de felicidade.

Havia um sorriso em minha boca que não fechava de forma alguma. E nessa noite, eu deitei com o Dylan;

- Dylan? – Chamo baixo.

- Oi.

- Está dormindo?

- Sim, e respondendo você no sonho, rsrs.

Levantei-me e deitei na cama dele, me virando de lado, ele veio e me abraçou cobrindo com a coberta;

- Algum dia vou conseguir retribuir o que está fazendo?

- Sim, deixando esse sorriso permanecer mais no seu rosto. – Eu passo de leve o dedo sob seu lábio inferior.

Ele me abraça, bem forte mesmo.

No dia seguinte...

Acordei na manhã sozinho na cama dele, Dylan havia levantado mais cedo como de costume, ao lavar meu rosto e arrumar para o colégio, fui seguindo no corredor estava uma bagunça e eu ouvi umas conversas em uma porta aberta que não tinha percebido ainda nessa casa, Escutei os dois conversando e chamei;

- Mãe? Dylan. – Eu falo olhando para baixo.

- Theo não vem aqui. – Minha mãe fala rápido.

Eu já afasto da porta olhando ao redor;

- Tem aranha? – Grito eu.

- Um monte.


- Ah eu só chamei para dizer que estou saindo, se não chego atrasado ao TAG, Tchau. – Grito saindo daquela casa antes que esses bichos do demônio tomassem de conta de tudo.

24 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia