• @richardsongaarcia

Eles e Eu - Capitulo 2 - Segunda Temporada

#Dylan
Sabem aquela manhã depois de um sexo, pois é, acordei igual a um anjo, ao abrir os olhos tinha um cara sentado na cadeira me olhando, de perto;
- Puta que pariu!
Cara só não cai da cama por ter uma parede do meu lado.
-Quem é você?
-  Steve e você?
- Ah, Dylan, peguei minha roupa nos pés da cama e me vesti debaixo do cobertor, Theo já havia saído, o garoto era bem fortinho, ruivo, de olhos escuros.
- Deve meu colega de quarto?
- Sim, sou seu melhor amigo de agora em diante.
- Nossa que ótimo.
- Você usa lente de contato?
- Ah, não, são azuis naturais.
- São muito azuis, posso tocar?
- Ah! Não.
- Comprou onde?
- Eu vou...
Peguei uma camisa e sai do quarto, que ótimo o hospício liberou um doido pra morar comigo, bati no quarto de Theo e Óscar abre a porta;
- Fala Dylan!
- Não grita cara, minha cabeça está péssima.
- Eu vi ontem, se queria chamar a atenção conseguiu.
- Como assim?
- Não viu que estavam filmando você?
- Não.
- Boa Sorte. Theo foi no banheiro.
Eu já estava deitado em sua cama, estava muito cansado, estavam acordar daquele jeito ainda, pra piorar Óscar ficou em silêncio de pé no meio do quarto, Theo chega rapidamente abre a porta estavam adivinhem?
- Dylan? Porque está deitado na cama do Óscar?
Ótimo. Me levantei muito rápido arrumando a cama  e pedindo desculpas;
- Foi mal, não era minha intenção cara. E você porque saiu tão cedo em?
- Eu colega de quarto chegou, aproveitei que ele foi pegar as coisas no carro e sai.
- Sorte sua. Falta um parafuso na cabeça dele, é eu juro. Sorte sua ter ficado com um cara assim como Óscar.
-Assim como Dylan?
Ah! Theo estava com ciúmes, ele pisca o olho esquerdo, e pra piorar o Cara na outra cama.
- Assim de boa? E tranquilo.
- Ata, vamos tomar café.
Saímos e fomos pra praça de alimentação, eu mal comecei a comer o mala do Steve me encontra;
- Oi Dylan.
Ele meio que gritou galera, me enfiei debaixo da mesa e fui sair aos fundos, ah era só o que me faltava.
#Anderson
- Desde quarta feira gata. Sim, não, não fiquei com ninguém relaxa, você é única sabe disso... Ah tenho que desligar ok.
Ao desligar o telefone, Brandy passa por mim, sua mão desce até minha bunda e ela aperta levemente, beijei-a na boca e ela perguntou;
- Quem era?
- Rose, minha namorada.
Ela foi saindo e Luiz aparece no fim das escadas, eu estava no celular, ele coçou a garganta;
- Anderson, estão lhe esperando, vamos lá?
- Sim.
Desci as escadas, e entrei na sala de vídeo, era como um mini cinema, os meninos estavam todos sentados, e Luiz com uma prancheta, e levantei, peguei uma cerveja e disse a todos;
- Galera, vamos então a mais um ano levando o nome desta fraternidade até as estrelas, rsrsrs’, nossa festa de boas vinda foi maior do ano, e para manter esse espírito acesso, temos que dar a oportunidade para um destes idiotas se tornarem homens de verdade. Vamos fazer logo essa seleção!!! Luiz.
Ele ligou o retroprojetor, e se sentou;
- Primeiro, Oscar, ele esta a seis meses, e somente agora que quis se juntar a nos. Acadêmico de Direito. Veio do estado da Virginia, e não faz parte de nenhum clube da VU ainda.
- Que acham?
- Eu vi ele nas duas festas, desde o ano passado, não serve para KAT.
- Próximo.
Quando falei o Luiz retrucou;
- Vamos dar uma chance cara, ele pode...
- E que foi cara, apaixonou foi?
Disse os meninos no fundo jogando pipoca nele e gritando;
- Próximo! Rápido.
- Theo Castro, é gay, namora um cara chamado Dylan, está na lista, veio do Texas, mas é Brasileiro, está na turma do futebol, cursa Direito.
- Próximo.
- Dylan Duncan...
- Aprovado.
Falei tomando cerveja, os meninos me olharam, em silencio;
- Viram ele jogando na festa? Ele estava com o tal Theo, estavam disputando em Tequila, quero o cara. Próximo.
- Steve...
- Próximo.
Porra nisto de “Próximo”, escolhemos somente 5, todos acadêmicos de Medicina, ao terminar eu iria saindo e Luiz veio até mim;
- Mano não vou poder estar na cerimônia de hoje a noite...
- Luiz, você é o vice-presidente, meu irmão de fraternidade, porque não vai poder participar?
- Tenho um encontro com uma gata.
- Regra numero dois do tratado da irmandade. Nunca troque seu irmão por uma garota. Te vejo essa noite.
Fui até a praça de alimentação, olhei procurando meu primo e não encontrei, fui até seu quarto então, ao bater na porta.
#Dylan
Bateram na porta, jurava que era o Theo, estava só de cueca, peguei a toalha e ao abrir a porta, quase cai duro no chão, o cara com uma feição fechada, cara de mal, ele estava com um cigarro no ouvido, e apoiado ao lado da porta com o cotovelo;
- Steve está?
- Não, ele saiu tem alguns minutos.
O cara virou as costas e saiu, antes de dar um passo uma garota para ele;
- Oi Anderson, festa bacana.
- Valeu.
Ele saiu e eu e a garota ficamos olhando ele virar o corredor, Cara era o Anderson Wells, vocês tem ideia disso. Mano cheguei a tremer quando vi ele;
- Ei, é moda ficar assim no corredor ahn?
Disse Theo, descendo a escada;
- Entra, preciso te contar uma coisa.
- Fala.
- Adivinha quem veio aqui?
- Quem?
- O Anderson, em pessoa acredita.
Ele fez cara de idiota e falou, zombando de mim;
- Ah não, o que ele trouxe? Ovos da páscoa?
- Porque ovos? Estamos no fim do ano.
- Ai você me entendeu. Viu Oscar por ai?
- Não porque?
- Ele sumiu disse que iria encontrar uma pessoa.
- Poderia ficar fora o ano inteiro.
- Haha’ fala isso só porque. Ei porque o Anderson veio aqui mesmo?
- Bem ele veio procurar o Steve.
- Oi?
Disse Steve entrando no quarto, ele cumprimentou Theo com um aperto de mão demorado e disse;
- Prazer em conhecê-lo, sabia que ele é meu colega de quarto.
- É sei sim cara, e é meu namorado.
- Serio? Sabia que ele usa lentes?
- Mesmo Dylan?
- Não Theo, Steve eu não uso lente, são naturais cara.
- Meu primo usa.
- Seu Primo?
- Sim, Anderson, ele é presidente da Kappa Alpha Theta sabiam.
 Ta bem, fiquei boquiaberto, sem o que dizer;
- Você é Steve Wells?
- Sim. E ele me contou que essa noite os novos membros que irão concorrer a vaga anual serão sequestrados, para começar os rituais.
Theo saiu  rindo, zoando a gente, e eu sentei na cama do jeito que estava, tentando tirar o Maximo que conseguia de Steve;
- E ele te contou quem foram escolhidos?
- Não.
- E o que acontece nesse Ritual?
- São segredos tão bem escondidos que somente os membros sabem, é feito um juramento.
- Cara que demais.
Serio quase gozei. Rsrsrs’, no dia seguinte seria sábado, e na segunda já o inicio das aulas, como o Steve estava no quarto o Theo decidiu não dormir comigo, é que... é que acabei discutindo com ele por causa do anjinho. Puta merda eles não se desgrudavam, Ah eu posso estar errado, mas falei o que pensava sim.
Deitei e fiquei horas na cama, virando de uma lado para o outro, acabei mandando mensagens para ele pedindo desculpas, perguntei se poderia ir no quarto dele, mas Theo recusou, não estava bem comigo.
Peguei no sono bastante tempo depois. Sonhei que estava caindo de um prédio e no fim tinha uma piscina muito pequena, tão pequena que quando cai a água me afogou. L I T E R A L M E N T E.
Acordei dentro de uma piscina de água fria, ao voltar a superfície desesperado, estava aos fundos da mansão da KAT. Os irmão da fraternidade estavam abeira da piscina vestidos de bruxos eu não sei o que era, me lembro que era preta com um chapéu pontudo.
E pior eu não senti eles me levando, cara fiquei desesperado com isso.
- Sejam bem vindos a amostra grátis de inferno, ou céu. Depende do ponto de vista.
A água estava fria, e para piorar Anderson se levantou com uma garrafa dizendo;
- Tirem a roupa. Rápido.
Tiramos a roupa e jogamos na superfície, a piscina era funda, pelo menos onde estávamos, então tínhamos que ficar em movimento para não afundar;
- De uma universidade, de 14 mil alunos vocês 5 foram os privilegiados a concorrerem a uma vaga nesta mansão, ter a gloria de se juntar a nos, poder chamar a gente de irmãos, criar uma amizade que irá levar para o resto de suas vidas. Mas diz ai Luiz!
- Somente um de vocês será escolhido, caso não perceberam nossa tarefa é fazerem vocês desistirem. Mas não queremos isso, e sim um novo irmão. Bryan!
- Serão submetidos a tarefas, para nos divertir, para nos alegrar e satisfazer, irão provar sua lealdade, sua força de vontade de querer estar entre os melhores dos melhores.
- Para começarem, Luiz irá ditar o tratado para vocês, relaxem tem bastante cerveja aqui, o livro é pequeno. Ah só mais uma coisa, o que acontece a partir de agora se for  dito a alguma casa, algum aluno, namorado ou namorada estão expulsos da Vanderbilth!
Depois que eles falaram Luiz começou a leitura das regras deles, que levavam isso como a sua própria bíblia, eles seguiam isso, e a adoravam.
Uma fraternidade tinha o objetivo de testar um novo membro nas melhores e piores situações possíveis. Afinal um irmão de fraternidade além de ter a maioria das portas abertas do mercado, vai sair da universidade com uma lista de contatos imensa, algo que não se paga. Um irmão de fraternidade são como famílias, vivem todos esses anos juntos, passam por tudo juntos. Eu estava disposto a tudo, literalmente a tudo para conseguir e não desistiria por qualquer coisa.
Passamos exatos uma hora e quarenta e três minutos, quando um cara começou a afogar, ele teve câimbra, e tiraram ele da piscina, ele então desistiu, a regra era até o livro terminar. Galera minhas mãos estavam horríveis, eu estava exausto e foi mais exatamente duas horas ali, quando Luiz terminou, nos podemos sair da piscina, o frio não incomodava mais, e sim, a dor.
Bem eu estava feliz por ter conseguido passar da primeira fase, as tarefas chegariam até nos, tínhamos que aguardar.
Fui deitar ao amanhecer, tomei um banho quente e deitei, a única coisa que queria era dormir.
#Theo
Acordei cedo e vesti uma calça jeans, e blusa de frio, ao olhar de baixo de minha cama vi minha bola de futebol, não achei nada demais ir bater uma bolinha na quadra.
A quadra ficava a uma quadra dos alojamentos, era fim de semana e haviam universitários correndo e se exercitando por vários locais, ao chegar na quadra, como era aberta, eu fiquei jogando sozinho, mesmo, depois de algum tempo o Oscar apareceu;
- Bom dia!
- E ai, bom dia.
- Não te vi quando acordei, e nem a bola imaginei que estivesse aqui.
- É vim colocar as ideias em ordem.
Quando disse isso, Oscar se aproxima e tira a boa dos meus pés, eu driblei e tomei dele que tentou me toma-la novamente, ficamos brincando, mas em um momento ele pegou ela com a mão e correu, eu fui mais rápido, mas não medi minhas forças.
E agarrei ele forte demais, e caímos no chão, a boa se soltou da mão dele, eu engatinhei e peguei-a, ele veio me segurando, com isso me virei, Oscar veio com seu corpo para cima do meu. Pessoal, eu senti seu corpo no meu, o constrangimento foi tanto que seu cheiro invadiu minha mente.
Cocei a garganta e ele se levantou me ajudando, ficamos se limpando calado um de frente pro outro;
- Acho melhor e falar com o Dylan, discutimos ontem e ele está dormindo até agora.
- É vai lá.
Sai de cabeça baixa, cara como as vezes fazemos coisas sem pensar, como antes de sair do campo, olhei para trás ele estampa me olhando, seu pé passava pela grama e estava com dedo na boca.
Só poderia ter feito merda. Se Oscar começar a gostar de mim, estou literalmente ferrado.
Deixei a bola no meu quarto e bati no quarto de Dylan, ele não abriu eu liguei ele não atendeu, então abri a porta, ele estava deitado, a cama do Steve toda dobrada e organizada, entrei lentamente e fui beijar a boca de Dylan.
Estava muito quente, sua testa soava, coloquei a mão nele e assustei;
- Dylan, Dylan, acorda! Amor...
- Você me chamou de amor?
- Ai gente, você está queimando em febre, venha se levante.
- Ai que frio.
Disse ele ao tirar o cobertor, coloquei uma roupa nele e fomos a enfermaria, afinal era uma universidade especializada, ele ficou pouco tempo lá dentro, a enfermeira saiu abrindo a cortina e dizendo;
- Ele está resfriado, já apliquei a medicação, quando terminar esse soro ele pode ir, se ficar de repouso amanhã, segunda-feira estará ótimo.
- Obrigado.
Entrei me sentando ao lado dele, Dylan virou o rosto, pessoal ele estava alegre de tal forma;
- Que sorriso é esse?
- Por você estar aqui comigo.
Beijei ele e Dylan disse rindo;
- Estou dentro, estou concorrendo a vaga na KAT.
- Serio? Por isso o resfriado? O que aconteceu ontem Dylan?
- Não posso falar.
- Dylan?
- Amor.
Ah vai a merda, porque? PORQUE? Homens dentes são tão, tão fofos, ele disse tipo, com um sorriso, seu olho brilhava, ele estava sentindo dor mas não o bastante pra me elogiar;
- Vou buscar algo pra você comer, não saia daqui.
- Vou Theo, correr com esse Soro gritando.
#Oscar
Aproveitei que o colega de quarto do Dylan foi na KAT, e o acompanhei, assim que Steve entrou, ninguém nos recebeu, subimos as escadas e no fim do corredor em uma porta grande, se abriu rapidamente era o Anderson, ele nos olhou e disse;
- Demorou em Steve, estamos atrasados vou pegar a chave do carro.
- Tabom.
- Está entregue Steve, vou nessa.
Falei enquanto ele entrou no quarto, Quase morri, mas Anderson falou;
- Ei Oscar, valeu.
Disse ele piscando para mim, se referindo a Steve.
A duas portas eu sabia que era o quarto do Luiz, ao bater ele abriu estava com o celular na mão, Luiz quase teve um filho ao me ver dentro da casa;
- O que está?
Ele não terminou de falar e me puxou pra dentro, olhou em volta e fechou a porta. E ainda me puxando levou pra dentro do banheiro e trancou a porta;
- O que está fazendo aqui dentro? Alguém pode te ver, ou pior o Anderson pode te ver.
- Ele me viu, vim trazer o primo (...)
Nesse momento ouvimos a porta abrir, Anderson chamou Luiz, que quase pulou pela janela;
- Corre entre na banheira.
Entrei e me deitei, ele deu descarga e abriu a porta saindo;
- Fala brother.
- Steve, vai indo pro carro eu já desço. Escuta Luiz, estou pensando em recrutar o Oscar, que cursa direito, está lembrado dele?
- Sim, mas porque isso agora?
- Ele me...
Não deu pra ouvir eles saíram do quarto conversando, não demorou Luiz voltou, ele entrou no quarto me chamando;
- Pode sair, ele se foi.
Eu sai, meio desconfiado;
- Anderson Wells, disse aquilo que ouvi.
- Sim, não entendi o porque ele te quer, mas vai aceitar?
- Mas é claro.
Ao falar isso, ele me beijou, com uma pegada pouco forte demais;
- Porque fez isso?
- Porque estou com vontade.
- Luiz.
- Cala a boca.
Ele me deitou na cama beijando meu pescoço, e mordendo meu queixo, , suas mordidas deixavam meus lábios vermelhos, ele ficava louco com isso;
- Cara estava com saudade dessa sua boca.
- Só da boca Oscar?
Disse ele descendo minha mão até seu short, que estava sem cueca, senti os seus pentelhos neste movimento, ao mesmo tempo Luiz chupava minha língua.
Me virei de bruços, Luiz com as duas mãos grandes apalpava minhas nádegas, subindo das coxas, ele deu dois tapas e se deitou sobre mim e me sarrando beijando minhas costas, enquanto eu tirava a camisa, cara a sarrada daquele cara era surreal.
- Quero comer você!
Eu não precisava responder, acho que estava extasiado com o cheiro dele naqueles lençóis, algo que despertava o desejo mais submisso possível.
0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia