• @rgpatrickoficial

Eles e Eu - Capitulo 14 - Faz um Gol pra Mim

Sexta feira, quatro e meia da tarde, o jogo começaria as cinco, e seria o primeiro que aconteceria na casa do adversário, se ganhássemos era o fim da temporada a taça era nossa.

Estava no vestiário com Joey e Pether, assim como eu eles estavam apreensivos. Entramos em campo com mais vaias do que gritos do nosso colégio, bem havia quase o TAG inteiro lá, mas o adversário estava em maioria na torcida.

 Ashley chegou atrasada junto com o Junior, eles subiram e se sentaram;

- Pessoal, não temos escolha a não ser, darmos a alma neste jogo. Escutem quando meu filho perguntar sobre a medalha que eu ganhar aqui, e será a de ouro, de campeão estadual, e quero compartilhar esse momento com vocês. Vou mostrar a nossa foto, de campeões! QUE SOMOS?

- TAG.

- QUEM SOMOS?

- TAG.

- Vamos mostrar quem manda porra.

No abraço, Susan olha para fora do campo;

- Meu Deus.

Ao me virar vejo o Dylan, de calça preta, camisa branca e jaqueta jeans, a cara dele, aquele sorriso de canto de boca, os olhos, me tremi mais ainda na hora que o vi, nossa torcida se levantou para olhar a beira do campo pois o time estava todo olhando para, a entrada do estadio de onde ele estava vindo;

 As meninas batendo em minhas costas repetidamente;

- Vai lá. Theo, anda logo. Vai!

- Tudo bem, tudo bem, eu vou.

Dei uma corridinha rápida até ele, o abracei, e estava com um cheiro diferente, seu abraço não foi forte e sim acalantador;

- Sentiu saudades?

- Ironia sua perguntar uma coisa dessa não acha?

- Rsrsrs’, Você está perfeito.

- E você como está?

- Estou bem, graças a você.  

- Theo, o jogo vai começar.

Gritou as meninas se posicionando no campo;

- Quero um gol em.

- Haha’ valeu, deixa comigo.

Me virei saindo, na minha posição de atacante olhei para fora do campo e ele estava entrando no gramado, veio andando em minha direção.

 Dylan se pegando em minha mão e me beijou, um selinho que envolveu nossos lábios, as meninas no campo gritaram, as torcidas ficaram sem reação. Me afastei de seu rosto seus olhos brilhavam quando o Juiz  se aproximou dizendo;

- Ei garoto, não pode ficar aqui!

Apito de inicio de jogo, minha concentração voltou para dentro do campo junto com a apreensão,  era nosso pior adversário, não poderíamos dar mole.

             Logo nos primeiro vinte minutos eles fizeram um gol, mas foi impedido pelo bandeirinha, o Joey gritava do gol para as meninas;

- Fecha essa defesa. Fecha essa defesa.

A torcida estava gritando e bem presente, empurrando o time, mas dentro do gramado a historia era outra, as faltas estavam em maior número em cima de nós, mesmo sendo garotas elas eram mais fracas que outros jogadores, então trombadas as levavam para o chão rapidamente. No fim do primeiro tempo, o atacante deles bateu de frente com uma garota da defesa, ela caiu e teve que ser substituída.

 No intervalo vi que minha mãe estava também na arquibancada,  gritando e com um daqueles dedos de espuma, até listras no rosto, Ashley estava rindo alto por ela estar me passando vergonha, estávamos tomando uma água e o treinador entra;

- Vocês estão muito bem, a nossa defesa está excelente, mas pode melhorar, Pether precisamos de um contra ataque rápido, o meio campo está com dificuldade e ainda perdemos uma jogadora...

- Eu posso voltar se quiser treinador.

- Não, vamos fazer esse ataque deles a nosso favor.

- Mas treinador, a defesa deles, quando estamos com a bola se fecha e eles são sincronizados, iguais a gente, como se soubessem como jogamos.

- Isso Theo, eles sabem como jogamos, então vamos treinar a jogada da Susan.

- Pela esquerda?

- Pether, e Lisa peguem o contra ataque, e lançam para Susan e Theo...

Reformulamos tudo ali no intervalo, mas já sabíamos que não seria fácil, as jogadas que o treinador passou foram tentadas inúmeras vezes, mas eles se ligaram e bloquearam, e marcaram pesado em cima do nosso meio de campo.

            Eu e Susan então pegamos o contra ataque, eu trouxe a bola, e cruzei o meio de campo pra ela, fui chegando à área deles, a defesa já toda posicionada, ela então lança pra mim, fui com a bola na área do goleiro driblei a marcação e chutei alto para o gol, a bola subiu em dois jogadores e o goleiro, Susan finalizou de cabeça.

- GOOOOOOOOOL!

Cara que golaço, acho que foi a melhor comemoração que já fizemos, nossa foi “UFA” gratificante. Agora ou nós manteríamos ou continuamos a atacar. E seguimos assim, com eles atacando freneticamente e nos seguramos até o apito final.

- Fim de jogo aqui em Dallas no Texas, e o time de futebol do TAG, é campeão estadual pela primeira vez na historia do colégio, que comanda o campeonato de basquete.

Ganhamos! Ganhamos! Cara eu abracei a Susan e só chorávamos, nossa vi minha mãe vindo no gramado abracei ela que chagamos a cair, Ashley veio louca, Junior, o Dylan, foi uma bagunça.

 Depois passamos pela cerimônia de receber a medalha e a foto com o troféu, como não era um estádio, a torcida foi liberada a descer e comemorar conosco.

Troquei-me no vestiário e saímos com o time, todos cantando, Ashley estava com Dylan e minha mãe em uma mesa debaixo de uma arvore em frente ao colégio;

- Então vamos?

- Está me devendo um gol.

Olhei pra o Dylan com cara de ironia sabe;

- Bem sei que vão sair para comemorar, eu vou para o trabalho, agora que meu filho tem uma medalha de ouro.

- Mãe, por favor.

- Que foi? Me senti em uma copa do mundo.

Rimos dela que foi saindo, Susan veio se aproximando;

- Então vamos?

- Sim.

- Eu te levo Theo.

- Huuuuum!

Fez meninas nos olhando;

- Me leva, você esta dirigindo de novo?

- Sim.

Quando concordei Susan se aproxima de Dylan, e tira um colar de dentro da camisa, era o crucifixo dele;

- Obrigada, foi muito útil.

Sim recebi a emancipação dos meus avós, para voltar ao colégio e a Dallas, e como a casa estava sob custodia do governo eu consegui uma licitação para “uso e fruto”. E me manteria com uma pensão também do governo pois os bens da minha família estavam bloqueados até eu completar meus 21 anos.

Conforme estava falando, depois de arrumar tudo, a tarde, ficamos na piscina, pedimos pizza e mais tarde as meninas foram embora;

- Cara acho que vou nessa também!

- Ah Theo, dorme aqui!

- Sabe que minha mãe vai encher o saco não é mesmo!

Ele estava saindo da piscina e se secando, estávamos de short, me aproximei beijando ele, passei os braços em volta de seu corpo;

- Que foi, está só eu e você aqui, sozinhos, nessa casa enorme, cheios de vontade...

- Vontade de que?

- Se fazer sexo.

Ele começou a rir, e me lembrei na noite de natal que ele ficou sem graça;

- Fala sexo com a mesma cara, você nem tem vergonha Dylan.

- O que, você faz sexo, mas tem vergonha de falar.

- Vou ligar pra minha mãe.

Peguei minhas coisas e entrei também, tranquei a porta da sala enquanto ele falava no telefone;

- Vou subir e tomar um banho.

Ele fez um “jóia” com a mão confirmando. Nossa a água estava puro cloro, meu cabelo estava péssimo. Ao lavar meu cabelo ouvi Theo passar pelo corredor, abri o boxe que era todo opaco, impedia a visão de fora, e fiz um barulho como se estivesse caído;

- THEO, me ajuda corre aqui.

Deixei a porta pouco aberta ele, coitado, veio desesperado. Ao se aproximar, segurei em seu braço trazendo ele para debaixo do chuveiro.

Ele ficou bravo, mas fui beijando sua boca, pegando em sua bunda que era durinha, passando a mão pelas suas costas;

- Sai.

- Oi?

- Sai Dylan, agora eu vou tomar banho.

- E não posso ficar aqui?

- Se ficar aqui não vou tirar essa água de piscina do corpo.

Sai me secando enquanto ele tomava seu banho. Fui para meu quarto e cai em minha cama ainda de toalha. Havia excluído meu facebook, intagram e snapchat, isso foi na época que estava em NY, eu então estava reativando as contas, deitado na cama, quando o Theo voltou, como eu estava concentrado ele veio calado, beijando minhas costas, passando a mão em minhas pernas tirou a toalha, ai eu tive que deixar o celular.

Me virei e ele veio deitando por cima me beijando, suas pernas nas minhas, seu corpo no meu, sua boca, molhada densa, o beijo dele me deixava de coração acelerado.

Theo parou de me beijar, abriu os olhos e um sorriso;

- Que foi?

- Nada.

- Porque esta me olhando?

- Só conferindo que esta mesmo acontecendo.

Rindo virei e deitado por cima dele voltei a beijá-lo;

- Eu poderia ficar aqui a noite toda, abraçado te beijando.

E ficamos muito e muito tempo, até o clima “esquentar” demais.

#Theo

Cara o corpo do Dylan estava igual a uma fogueira, kkkkk’ ele estava muito quente, como ele é branco seus rosto estava rosado, nossa o beijo, sem palavras para escrever aqui.

Dylan tem cócegas na altura da cintura, então quando fui beijando sua barriga ele começou a rir, se virou se protegendo, eu voltei a deitar sobre ele, dessa vez encoxando bem gostoso, me encaixando corpo a corpo, minhas mãos passeavam em seus braços, minha boca em seu cabelo na nuca e passando por todo seu pescoço, cara roçar naquela bunda branca daquele jeito estava me deixando louco.

Coloquei um braço sobre suas costas e passei saliva, e comecei a penetrar, bem acabou tudo a questão de tesão, ele reclamou um pouco mais não parei;

- Cara espera um pouco está doendo.

Deitei sobre ele, colocando meu rosto ao lado do dele e falando enquanto continuava a penetrar, esperando entrar todo meu cassete;

- Relaxa... Relaxa...

Quando senti que entrou tudo, ele estava soando;

- Parece que tive um filho.

Rachei de rir dele. Dylan mais relaxado eu falava em seu ouvido enquanto tirava e colocava meu cassete de dentro dele;

- Cara que bunda gostosa. Nossa Dylan você é uma delicia, ta me deixando louco. Huum’ se empinar assim se novo não respondo por mim.

Cara ele deu uma empinada na bunda que quase gozei. Não tinha como eu segurar muito já estava fodendo ele há um tempo, Dylan até tinha acostumado e estava gemendo, coloquei ele de quatro a beira da cama e coloquei meu cassete de novo com toda força e puxando seu cabelo.

            Sempre quis fazer isso, não demorou muito pra gozar, nossa cada estocada um jato de porra, tirei meu cassete daquela bunda branca que estava vermelha de eu judiar dele, meu cassete todo sujo, peguei uma toalha me limpando, e deitei do lado dele;

- E ai como foi?

- Tirando a dor do começo, eu gozei sem me tocar.

Dylan foi ao banheiro se limpar e fiquei deitado na cama, ele voltou deitou sobre mim veio para me beijar, eu segurei ele;

- Que foi?

Passei a mão no canto de sua boca, dizendo;

- Tem porra aqui.

Ele se sentou limpando, eu comecei a rir;

- É serio, não brinca?

- rsrsrs’ Zoando seu fresco.

Ele me jogou a toalha que eu havia me limpado e voltou a deitar sobre mim, ele estava me dando umas pegadas fortes, eu tentei escapar mas ele queria me comer de toda forma.

 Passei bastante saliva, e ele começou a me penetrar ele estava no meio das minhas pernas, e me beijava enquanto forçava, CARALHO, entendi o que ele dizia, a dor inicial era imensa, mas vem junto com o tesão, isso é muito estranho, mas estava gostoso. Gostoso ver a cara de desejo e tesão dele, ver seu corpo no meu, seus músculos aparentes seu olhar  fixado e me desejando, isso não tinha preço.

Dylan não esperou muito e já foi com movimentos frenéticos, ele beijava meu pescoço e mordia meus lábios e queixo, eu dei uns três a quatro tapas na bunda dele, minhas mãos, passaram nas coxas dele, na barriga que estava soada, seu peitoral, ao descer em sua cintura ele soltou um sorriso, mas ainda me fodendo e com força, Dylan, me beijando parou e veio me virando, ficando de lado, cara isso foi demais.

Sentir ele atrás de mim foi excelente, desta vez Dylan, não demorou para gozar, só que as estocadas dele eram muito fortes. Ele parou me olhou, Dylan estava soando, mas um sorriso no seu rosto, brilhava mais que seu olhar.

#Ashley

Cheguei ao colégio na semana seguinte e estava todo decorado para receber o time de futebol, que iria “desfilar” até a sala de troféus, e galera o Theo estava muito feliz, a Susan, poxa foi uma manhã mágica, realmente estávamos em festa.

O que deixava o time de basquete com mais pressão para ganharem o campeonato que era muito importante para o colégio. Sei que querem saber, Ryan estava louco, só essa manhã já dava para perceber sua sanidade quando soube do Dylan. Stella havia terminado com ele na semana que passou o clipe na TV. Será porque não é mesmo?

Pena dela que soube somente hoje que ele esta com o Theo.

Depois de todas as festas, as aulas preparativas para as provas finais estavam sendo iniciada, eu estava na aula de inglês, o professor explicando quando o Dylan entra na sala.

Era a única aula que fazíamos juntos, assim que ele entra a aula parou, cumprimentou todo mundo e acreditem! Sentou do meu lado. Estava de calça jeans e suéter;

- Ta gato em?

- Sou gato.

- Rsrsrs’ que sorriso é esse?

- Sorriso de que posso ser eu mesmo sem preocupar com ninguém!

- Nossa, porque isso só agora?

- Porque antes eu era quem os meus amigos queriam por perto.

- Vejo que o Senhor Duncan voltou com a língua afiada não é mesmo.

Disse o professor olhando pra gente, eu perguntei em voz baixa então;

- E o basquete?

- Já falei com o treinador.

Disse ele mostrando a jaqueta do time na mochila;

- Você não está pensando em???

- Sim.

- Dylan vai virar esse colégio de ponta cabeça, você sabe disso.

- Só estou sendo eu mesmo Ashley, só isso.

- Senhor Duncan quer vir a frente para falar a turma suas aventuras, ou posso continuar minha aula?

“Pé no saco”, ao sair da aula, estava pegando minhas coisas no armário e indo para o refeitório o Theo passa e me abraça no pescoço.

- Que felicidade é essa garoto?

- Ganhei uma bolsa para universidade.

- Não brinca?

- Sério!

- Parabéns Theo, fico muito feliz por você, ai meu amigo.

- Rsrsr’ para, que minha mãe já me fez chorar hoje. 

#Dylan

Theo olhou pra gente eu rindo respondi a ele;

- Que foi?

- E você pediu gol pra mim.

- Rsrsrs’ Vamos?

Acabou que almoçamos juntos e os meninos foram para minha casa me ajudar a dar um jeito naquela poeira.

Ele se sentou eu fui me servir, Theo estava na mesa do time de futebol, com as meninas eu me servi e assim que fui em direção a eles, Dylan entra no refeitório, com o colete do time, vai a mesa dos meninos e cumprimenta todos, menos Ryan, e se senta entre mim e Theo. Galera isso com todos em silencio só olhando, tipo parou o colégio.

#Dylan

- Não me contou que estaria hoje de volta.

- A Theo quer que eu volte depois?

- Fica quieto.

Ele me contou da bolsa e tudo mais, e depois do almoço, eu estava na sala do treinador;

- (...) Sim, o treino é por sua conta, vou estar fora essa semana, Dylan o jogo é  no fim do mês, o time tem que estar em 110%.

- Deixa comigo.

- Pode sair.

- Sim senhor.

- Ei Dylan, é bom tê-lo de volta.

- É bom estar de volta também senhor.

Me troquei e fui para a quadra, o time já estava se aquecendo, ao entrar o primeiro a me encarar foi Ryan;

- Galera, Galera, em formação aqui!

Fizeram uma fila indiana de frente para mim rapidamente;

- Estudo no TAG desde o Jardim de infância, e meu sonho aqui dentro sempre foi de carregar essa braçadeira de capitão do time. Ela está aqui no meu braço, agora eu tenho um sonho de ver nossos rostos e o nome do nosso colégio estampado nos jornais no primeiro dia das férias de verão, como sempre foi, mantendo o nome do time de basquete do  TAG,  e manter sua invencibilidade. Tivemos alguns contratempo e vocês sob péssima influencia perderam nas ultimas temporadas, "Falei Isso parando de frente a Ryan", Vamos reverter isso, vamos dar nosso sangue, todo o nosso potencial por esse time e essa escola.

Os auxiliares jogaram as bolas na quadra e eles foram, eu chamei o Ryan novamente;

- Ryan, chega ai.

- Sim?

- Você vai aquecer.

- Aquecer?

- Sim, está fora de forma, treine um pouco nas escadas.

- Até quando?

- Até encontrar Ética e vergonha nessa sua cara.

Ele me encarou, sua vontade era de partir pra cima, mas não poderia, afinal eu poderia expulsar ele do time, e ele perderia as bolsas que o colégio mantém para ele.

#Theo

Ao chegar em casa neste dia, minha mãe já havia chegado do trabalho, ela estava aos fundos colocando a roupa no varal, bem fui correndo até ela;

- Mãe! Adivinha quem voltou para o colégio hoje?

- Dylan, é eu sei, ele tomou café essa manhã comigo.

- Com a senhora?

- Sim, Theo, você saiu como um louco, estes dias chegando mais cedo no colégio.

- Ah, então tudo bem, né.

- Vai onde?

- Na casa do Dylan!

- Dá um espaço pra ele meu filho, depois que Dylan retornou você não...

- Tabom, vou voltar tarde.

- Theo vou trabalhar, leva sua chave.

- Já peguei!

Peguei uma maça na mesa e minha bike sai, ela meio que já desconfiava dessa minha vontade de estar com o Dylan, tipo “sempre”, era a tarde ao chegar eu já fui colocando a bike no jardim, onde ouvi a bola de basquete. Ele estava no fundo ainda com a roupa do colégio, treinando, sem parar;

- Oi!

- Ei não te vi, veio de bicicleta?

- Sim.

Falei beijando ele, passei a mão em seu rosto que estava soado;

- Poderia me ligar que eu lhe pegava em casa.

- Não precisa. Está limpa?

- Sim.

Perguntei tirando a camisa e deixando as coisas de lado, pulei na piscina, e ele ficou ainda treinando.

#Dylan

- Não cansa de ficar repetindo, esse movimento a todo momento?

- Você cansa de fazer gol?

- Ta já saquei.

Ouvi um carro buzinar, era o Ethan, logo que entrou e viu o Theo na piscina questionou;

- Então vocês dois?

- Sim.

Ele ficou meio sem graça, e continuou;

- Como nunca percebi.

- Não entendi Ethan?

- Como nunca percebi seu jeito, sabe, os gestos.

- Porque somos iguais, eu, você o Theo. Por isso não tem diferença.

- Já entendi, já entendi!

- Mas é serio, não pode ficar pensando assim cara! Vamos treinar?

- Se quiserem ajuda é só falar.

Disse o Theo de dentro da piscina, nos ficamos rindo, porque ele é muito ruim no basquete, rsrsrs’.

Bem treinamos um pouco e Theo trouxe um suco pra gente, ficamos a beira da piscina conversando;

- O que fez com o Ryan, foi bem feito, mas Dylan, vai deixar ele jogar não é mesmo?

- Não, Ele não vai entrar naquele jogo com a nossa camisa.

- Dylan, não temos Pivôs como ele.

- Por isso estamos treinando tão pesado. Ryan não vai entrar em quadra.

- Mas está fazendo ele pensar que sim?

- Isso mesmo.

- Rsrsrs’ Tenho que ir, até mais para vocês!

- Até.

O sol estava baixo, Theo estava deitado na espreguiçadeira, me deitei com ele. Ficamos juntos um ao lado do outro, olhando para o céu.

- O que colocou nesse suco?

- Porque?

- Está com um gosto diferente.

- Acho que Açafrão.

- É serio?

- Não.

- Idiota, vou tomar um banho você vem?

Falei me levantando e pegando a bola;

- Dylan, quem você vai convidar para o baile do colégio?

Ele perguntou sentado, e sério. Bem com o jogo eu havia esquecido e tudo mais, então resolvi provocar.

Me virei aproximando dele e me ajoelhei, coloquei a mão no bolso para pegar o anel;

- Não brinca!

Ele ficou com a cara pálida, acho que chegou a parar de respirar.

 Tirei a mão fechada e apontei o  “dedo” pra ele, que começou a rir;

- Filho da puta.

Falou me empurrando na piscina.

15 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia