• @richardsongaarcia

Eles e Eu - Capítulo 9 - Não seja por isso

- Eu o convidei.

CARA DE LUA. Foi a que eu fiz olhando para o Theo, ele coçou a cabeça eu comecei a rir por não entender nada;

- Stella, porque convidou ele sendo que eu te convidei para um encontro?

- Encontro Dylan? Você me chamou para o cinema e eu chamei o Theo. Algum problema com ele?

- Não.

- E você Theo, algum problema com o Dylan?

- Não.

- Então pronto.

Cara não trocamos mais palavras durante a fila que andava entamente, compramos o ingresso e sentamos em uma mesa, os três sem assunto. Quando Stella foi ao banheiro, eu me virei para não ficar olhando para a cara lerda dele, como se nada estivesse acontecendo, Theo estava tranqüilo.

Ele estava de calça jeans branca, e uma blusa jeans azul clara, com capuz branco e boné para traz. Eu normal, calça jeans e suéter por causa do frio. Stella havia retornado compramos pipoca e uns chocolates, ao entrar na sala do cinema mais uma surpresa que "ótimo", meu lugar era no meio, tentei trocar mais o filme estava começando então teve jeito, Stella a minha direita e Theo a minha esquerda.

O filme era "Invocação do Mal", um terror com relação a espíritos e exorcismo, realmente um ótimo filme, para quem gosta de terror. Pois no primeiro susto Theo quase saiu da cadeira, eu não aguentei e comecei a rir, foi hilário, Stella também assustou, ele me deu um murro no ombro, eu estava quase dando gargalhadas.

"Em uma parte do filme a protagonista esta dormindo e com os pés descobertos, e algo dá um puxão em sua perna."

Com o efeito sonoro eu me assustei, nesse momento Theo segurou minha mão. Eu assustei mais ainda com a atitude dele, quando olhei Theo estava com o capuz cobrindo a metade do rosto. Para se "proteger".

Bem eu gostei e tudo mais fiquei com medo mas nada comparado aos dois, até gritos saíram da dupla e pior nem sei que quem foi, pelo menos vi Theo "sofrer".

Acreditem que quando sentamos na praça de alimentação ele teve a audácia de dizer;

- Quase assustei na primeira cena.

Caímos-nos na risada;

- Theo você segurou minha mão de tanto medo.

- Segurei porque você estava com medo.

- Para meninos, vocês dois, vamos já está tarde.

Bem, tive que levar ele também por causa do horário, Stella morava mais perto ela desceu e eu me deu um beijo na bochecha, assim como deu em Theo, ela entrou, olhei pra ele no banco de trás dizendo;

- Senta aqui na frente, estou de motorista, mas não exagera.

Ele se sentou colocou o cinto e fomos para casa dele, Theo ainda mexeu eu meu som, conectando em seu celular e colocou umas musicas brasileiras, bem estranhas. Ao chegar à frente de sua casa;

Theo ficou meio que preso com o cinto, briguei com ele tirando suas mãos e o soltando;

- Cara você não tem costume de andar de carro?

- Na maioria dos carros os Cintos são para salvar vidas, esse aqui torturou minha bexiga, preciso mijar.

- Você sempre fala tudo que pensa?

Perguntei enquanto ele desconectava o celular;

- Você vive sempre de mal humor.

- Não só quando eu chamo a garota dos meus sonhos pra sair, sento do seu lado no cinema, te dou carona e ganho um beijo no rosto.

- Não seja por isso.

Theo passou a mão trazendo meu rosto no dele, me deu um selinho, e saiu do carro meio que pulando...

- Cara não vai dar tempo de chegar no banheiro.

Falava ele enquanto corria pra casa, e eu no carro ainda naquela posição.

#Theo

Inverno. O halloween havia passado, junto com o dia de "ação de graças", essas datas era importante para os americanos. Estava ajudando minha mãe a retirar a decoração do dia das bruxas e ela já queria deixar a de natal pronta.

Eu estava em cima da escada colocando um cordão de luzes enquanto ela me entregava;

- Ei, Theo?

- Oi mãe. Esta reto agora viu.

- Agora está. Que carinha é essa?

- Nada.

- Está triste, ou bravo com alguma coisa em meu filho.

- Sei lá, só acordei triste mãe.

- Alguma coisa no colégio?

- Não.

- Alguma garota?

- Não.

- Meu filho assim me deixa preocupada, você não fica triste e de repente está assim.

- Não é nada mãe, me deixa.

Terminamos ali em silencio. Mas vou repetir não era nada, só acordei assim.

Na ultima semana de aulas antes do recesso do fim do ano, ao chegar e trancar minha bike, as mãos congelando, pequei um café em uma maquina nova no colégio, e Junior chega em seguida;

- Paga um pra mim ai Theo, fico te devendo.

- Escolhe aqui.

Ao me virar Dylan e Stella passam juntos;

- Estão namorando?

Perguntei a Junior, enquanto íamos para os armários;

- Sim, neste fim de semana o Dylan pediu a mão dela, postou até no Instagram. Estão falando que eles estavam ficando há muito tempo, mas só agora depois que o comercial dele saiu, eles começaram a namorar.

- Comercial?

- Sim, ele participou de uma propaganda daquele cereal, ai como é a musica...

- Não, não, esquece. Não quero ouvir. Oi Susan.

Disse a ela que chegou ao armário do meu lado;

- Oi meninos, aff.

Disse ela ao ver Dylan e Stella se beijando;

- Que foi?

- Aquela interesseira, está com o idiota do Dylan, só porque ele participou daquele comercial. Se bem que ele não tem nada na cabeça também. São o casal perfeito, idiota e perfeitos.

- Concordo.

Falei enquanto saiamos para a aula.

No campo neste dia fui treinar com o time una pênaltis e por incrível que pareça em 9 chutes eu não acertei nenhum, Joey chegou a gritar comigo;

- Porra Theo, hoje está difícil em?

- É Theo, o Joey tem razão, vai aquecer primeiro.

- Falou vou nessa.

Alonguei-me e dei cinco voltas ao redor do campo, no fim da quinta eu parei para tomar um ar, e pegar uma água, estava sentado no chão, cheguei a deitar no gramado, o tempo frio era ótimo para treino.


Ao abrir os olhos vejo Dylan do meu lado, meio que assustei;

- Não tem cereal aqui?

- Haha' Hilário. Onde estão os cones que usamos pro treino?

- Ao lado do meu armário.

De pé do meu lado olhando as garotas jogarem. Dylan olhou para baixo e disse;

- Treino pesado?

- É só dou descanso a elas depois que soamos. E você estava no salão?

Falei levantando e olhando para ele que estava normal, mesmo estando treinando.

- Não meu cabelo é limpo e cheiroso assim mesmo.

Ele saiu fazendo cara de "nojo". Mais seis voltas no campo pra mim e chuveiro.

Eu estava me trocando no vestiário masculino quando ele volta para pegar algo no seu armário.

Eu estava de toalha coloquei a cueca por baixo e me vesti sem olhar para ele, peguei minhas coisas e sai em seguida.

Na esquina do colégio minha mãe me ligou, fui então à casa de Dylan, deixei a bike ao lado de fora, ao chegar à cozinha tomei um copo com água enquanto ela estava na sala falando com a senhora Duncan.

Dylan entra falando no celular, só me viu quando abriu a geladeira, fez uma cara idiota de sempre e em seguida entra minha mãe acompanhada da mãe dele;

- Dylan falei com seu pai, e vamos passar o natal na casa de sua avó em Nova York. Ah Gloria vai conosco como todo ano, e o Theo também, bom que você não fica sozinho novamente querido.

Fiz uma cara "nada haver" pra minha mãe perguntando;

- A gente vai mãe?

- Sim querido.

A mãe de Dylan saiu e a minha foi pegar algo na lavanderia aos fundos. Ele me olhou e saiu gritando;

- MÃEEEEEE.

Meu Deus, o natal com eles, seria tortura demais, eu não estava acreditando, minha mãe então ficou brava quando eu disse que não queria ir, não tive escolha, fiquei na minha que era melhor. Porem fiz pirraça todos os dias até a tal viagem.

Ultima semana de aula do ano tranquila, por causa do futebol as notas com pontos extras estavam ótimas, a maioria B+, e algumas A. 

#Dylan

Da pra imaginar um fim de semana inteiro com o Theo? Cara era pior que passar o natal estudando.

E pior havia marcado passar o natal com a Stella e a família dela, falei com meu pai e nada, minha mãe como todo ano estava animada, com a questão "família reunida".

Na Quarta feira, dia 24 de dezembro de 2014, estávamos embarcando no aeroporto do Texas, no portão de embarque ao me entregar a passagens e para o Theo minha mãe, disse sorrindo;

- Consegui uma poltrona ao lado da outra pra vocês, não é ótimo?

- Hahaha' Que maravilha.

Theo me olhou dizendo.

- Prefiro que o avião caia.

Embarcamos e nos acomodamos, estava mandando mensagem para Stella junto com uma foto dizendo que estava embarcando, e o Theo sofrendo com o cinto do avião;

- Deixa, calma. Tira a mão.

Falei prendendo para ele. Foram cinco horas de vôo, assisti filme, dormi, comemos algo.

Ao desembarcar em Nova York, pegamos dois taxis até a casa da vovó, estava nevando e a cidade estava como todo ano, maravilhosa, porem muito frio, tipo exageradamente.

Ao chegar aquele aconchego de casa de avó vocês sabem do que estou falando.

- Venham vou levar vocês para os quartos.

Subimos a bagagem, eu entrei no meu quarto coloquei minhas coisas e no corredor já começou a briga;

- Você vai ficar no quarto com Dylan, até porque a cama dele é enorme.

Quando ouvi isso sai do quarto até pálido.

- Não vovó.

Todo mundo me olhou na hora, eu estava de meia, sai até a porta correndo pra interromper, mas fiquei com vergonha quando olharam;

- Como não meu filho, o quarto da Gloria a cama é pequena não cabe os dois. Para de ser folgado.

Theo não queria até eu abrir objeção, quando falei sua feição mudou, e como resposta ele entrou com a bagagem.

- É Dylan, não tem nada demais dividir sua cama comigo.

Na boa, na hora que ele entrou no quarto com sua mala, eu queria muito bater nele, deixei minhas coisas e fui para o Sóton, liguei para Stella e fiquei no celular com ela por horas.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia