• @rgpatrickoficial

Eles e Eu - Capítulo 6 - Estou aqui por você

- É melhor se vestir, ou vai pegar um resfriado.

- Oi?

- Sua mão esta gelada.

- Ah, sim.

Guardamos as coisas, e saímos, Dylan insistiu em uma carona, mas eu estava com a bicicleta e decidi ir pedalando.

Ao chegar em casa minha mãe estava cortando uns legumes na cozinha;

- Como foi Theo?

- Limpamos a quadra de basquete.

- Eu estava com o Senhor Duncan, quando o diretor ligou, vamos na segunda feira explicar a eles o porque dos atrasos, para não precisarem pagar detenção toda semana.

- Não se preocupe, até que foi divertido.

Peguei um pedaço de tomate ela bateu em minha mão, rindo;

- Vai tomar um banho Theo.

Eu iria saindo da cozinha, mas retornei;

- Mãe sabe que o Dylan é capitão do time de basquete do colégio?

- Não, sei que ele joga, porque a pergunta meu filho.

- O colégio inteiro morre de inveja do cara, só porque ele tem um carro e joga no time. A senhora acha...

- Sim Theo, Dylan tem o coração bom. Ele às vezes se deixa levar pelas amizades e comete erros, mas quem nunca. Com uma família daquelas ele está ótimo se quer saber.

Subi para tomar meu banho e logo depois de jantar peguei no sono. O sábado fiquei em casa e arrumei o que consegui na casa, pois minha mãe estava no trabalho, a tarde, eu estava assistindo TV, quando a campainha tocou, ao me aproximar ouço risadas femininas, eu estava de short de futebol, peguei uma camisa vesti e ao abrir vejo 5 garotas do time do colégio;

- Oi Theo.

- Oi. Como sabem que moro aqui?

- Seu amigo, o Junior nos contou.

- E?

- Íamos jogar bola, está afim.

Galera isso para mim era demais, no Brasil homens me chamavam para jogar, e nem havia garotas para assistir.

No fim da rua onde eu estava morando havia uma praça com uma quadra de basquete e um parquinho para crianças menores, nos chegamos e pedimos, mas os caras não deixaram nós jogarmos.

Chamei as meninas e brincamos na rua mesmo, o fluxo de veículos era quase nenhum, fizemos 2 times de três cada, e jogamos na rua mesmo como no brasil, eu e 5 garotas, dois dos meus vizinhos até saíram para assistir com seus filhos.

Era sábado e estava para anoitecer quando estávamos terminando, o carro de Dylan dobra a esquina, tivemos que parar, pois ele estacionou bem onde estávamos, minha mãe desceu, tipo olhou para todas aquelas meninas, me deu um "oi" agradeceu o Dylan e entrou. Eu ache engraçada a cena.

Ele desceu do carro, me olhou por estar soado e sem camisa, as garotas também estavam soadas, com cabelos amarrados altos, elas não eram as mais gatas, a menos feia estava com a blusa amarrada na altura do umbigo, o que deixava sua barriga aparecendo, nos estávamos ofegantes, elas ficaram bem sem graça com a presença dele ali.

- E ai esta afim de jogar?

- Não, valeu, vou sair. Ola meninas.

- Então tira o carro que esta nos atrapalhando.

- Não to afim.

Disse ele com uma voz desafiadora, cruzando os braços, me intimidando, me aproximei indo em direção ao carro;

- Então eu vou ter que tirar, se lembre que eu não tenho habilitação.

- Haha' pode deixar.

Ele voltou para o carro, antes de entrar olhou novamente, seu olhar se desfez e ele saiu.

Só eu achei isto estranho? Não né?

Que bom.

A semana no TAG percorreu normalmente, Theo e Dylan não se virão no colégio durante a semana, nem se quer no refeitório. Na quinta-feira havia o primeiro jogo de basquete da temporada, não iria ter aula após o almoço, todos estavam na quadra, e os jogadores indo se preparar no vestiário.


#Dylan


Cheguei atrasado passando pelo vestiário indo em direção ao meu armário no ginásio, logo quando vejo Theo discutir com o treinador, ele para na porta por alguns segundos.

(...) podemos sim fazer algo, se me permitir eu ajudo o time das garotas.

- Theo os recursos do colégio é todo do time de basquete, não podemos bancar o que esta me propondo.

- Tudo bem, me deixa então ajudar o time das meninas? Por favor.

- Ah' se me permite treinador, ele joga muito, eu mesmo já vi. Theo não vai desapontá-lo.

- Tudo bem, mas vou estar de olho em você.

- Yes.

- Espero. Agora vamos temos um jogo esperando.

Ele sorriu e me cumprimentou com a mão desejando bom jogo. Depois de me vestir o time estava esperando para entrar em quadra, aguardando somente a apresentação das lideres de torcida.

- Está na hora.

Uns dos meus rituais alem de fazer o sinal da "Trindade" ao tocar o chão da quadra era procurar meus pais na arquibancada.

Eles nunca estavam, mas Gloria sempre marcava presença, desta vez ao lado de Theo.

Esse primeiro jogo foi tranquilo, ganhamos e saímos na frente nos campeonatos futuros, em um momento houve um desentendimento comigo e Tyler, mas nada alem do normal.

Ao fim do jogo estava no vestiário e os meninos marcando algo para comemorar;

- Você vai, né Dylan?

- Onde vai ser?

- Vamos fazer na casa do Ryan, as lideres de torcida e o time de baseball já marcaram presença.

- Vou sim, relaxa.

Estava indo embora, a Gloria estava no corredor do colégio indo em direção à saída;

- Gloria, Gloria me espera. Onde está o Theo?

- Meu filho, ele foi atrás de umas garotas de uniforme, tem algo haver com time de futebol.

- Ah, sim. Então o que achou?

- Eu não entendo nada você sabe. Mas confio no grito da torcida, você joga muito.

- Haha' vamos?

- Sim.

O sol ainda estava forte, ao chegarmos em casa, minha mãe estava no escritório, Gloria foi para a cozinha. Eu fui até onde ela estava;

- Dylan, já falei para não correr desse jeito pela casa.

- Onde está o papai?

- Fora da cidade. Como foi o jogo?

- Bem, ganhamos novamente.

Deixei minhas coisas no quarto, e da sacada olhei e a piscina estava cheia e limpa, peguei um short rosa que tenho e desci, para aproveitar o restante do sol.

Dei uns mergulhos, e vejo a Gloria se aproximar;

- Dylan, aceita um suco?

- Laranja?

- Sim.

- Por favor.

Estava nadando de costas quando respondi. O Mr. George veio se aproximando e pulou na piscina, me assustei, mesmo não sendo a primeira vez que faz isso, acho que nunca vi um cachorro assim, ele era meio perturbado só pode, peguei-o e veio brincando, como uma criança;


Ao subir o olhar vejo minha mãe e o Theo vindo em minha direção.

Ele estava sem camisa com a mochila do colégio nas costas, óculos escuros e boné de aba reta, e short azul de algodão, seu cabelo na testa pouco molhado pelo suor de vir pedalando;

- Dylan, já conhece o Theo filho da Gloria, ele esta estudando no TAG.

- Sim, mãe, nos conhecemos, se lembra que eu busquei ele no aeroporto.

- Ah minha cabeça.

- Afim de um mergulho cara?

- Não to de boa.

- Fique a vontade Theo, e vai fazer bem para o Dylan que vive sozinho.

- Valeu mãe.

Falei e tirei um sorriso dele, ele veio e eu ainda segurando o Mr. George La dentro, fechei a porta enquanto ele tirava a mochila e deixava em uma das espreguiçadeiras;

- Cara sua casa é muito massa.

- Haha' valeu. E ai Vamos entrar?

- Dylan não trouxe sunga.

- Qual o problema entra de short.

- Beleza então.

As coxas de Theo eram muito grosas, por causa do futebol. Entramos-nos e demos alguns mergulhos de leve, sua mãe trouxe o suco e deixou a beira da piscina falando para o Theo;

- Você me mata de vergonha.

- Ela que me fez entrar eu ia te aguardar do lado de fora.

- Relaxa Gloria, minha mãe foi mais simpática com ele do que comigo.

- Não fala assim Dylan, e você se comporte.

Nós ficamos rindo, eu me sentei e estava tomando o suco, ele ainda na piscina, bem de frente para mim;

- Dylan, posso te perguntar uma coisa?

- Manda.

- Porque é tão legal comigo? Mas no colégio é totalmente diferente?

Deixei o copo de lado, fiquei pouco sem graça com a pergunta, arrumei meu relógio no pulso e disse, eu respondi mas sem olhar nos olhos dele;

- Não sei você é legal. Mas no TAG... Theo... Eu sou o capitão do time e todos me respeitam por isso, eu não sei te responder.

- Poderia ser legal com todos, ai todos iriam te respeitar.

- Porque fala assim?

- Seus amigos, são um pé no saco cara.

- Eles são legais Theo. Depois que você os conhece melhor.

- Estão com você porque tem um carro, e é capitão do time, e não por você ser legal.

- E você porque está aqui?

- Por você.

Fiquei calado, e dei graças a Deus quando Gloria veio com o telefone nos interrompendo, e cortando o climão;

- Dylan, o Ethan na linha.

Levantei-me e sequei a mão para atender;

- Fala.

- A festa será as oito, não esquece.

- Mas meus pais vão estar em casa, tem que ser mais tarde, como vou fugir?

- Te ligo depois, minha mãe acha que estou doente para não ir à igreja. Falou.

Ao desligar o telefone, o Theo estava se secando e pegando sua mochila;

- Ei valeu, vou indo nessa.

Falou ele dando dois tapas de leve em meu peito, e saiu.

A noite depois de tomar um banho, meus pais estavam no quarto deles, eu me arrumei, coloquei uma calça jeans, camisa branca com um colar grande, e uma jaqueta de couro, peguei as chaves do meu carro, e desci pelo lado de fora da janela, como era o segundo andar, havia umas plantas em um jardim suspenso da minha janela.

Não liguei o carro, somente deixei em ponto morto para ele descer da garagem e tive que empurrar um pouco ao fim da rua. 

Tenho um Dodge charger RT, para quem conhece o motor tem um ronco pouco forte demais.

Ao empurrar um pouco liguei e passe na casa de Ethan, mas ele não estava onde marcamos, fui para a casa do Ryan, direto, na rua havia uns carros e motos, o som não estava tão alto, estacionei e fui entrando.

Todos me cumprimentando na entrada, falando e elogiando do jogo de mais cedo, e havia mais pessoas que eu imaginava, ao entrar na sala, mal dou dois passos e Ethan e Ryan vem correndo em minha direção me segurando;

- Dylan vem comigo.

- É cara vem por aqui.

- Passei na sua casa, mas não estava, mas que porra para que estão me segurando.

- Cara relaxa, vamos lá fora quero te contar uma coisa.

- Não Ethan, me solta vou beber alguma c...

Eu falei dando uns passos a frente os dois tentavam me segurar, até eu entender o porque.

Theo estava beijando o pescoço de Stella, ele falava ao ouvido dela e a cantava segurando em sua cintura, ela não o empurrava e nem o abraçava, estava meio que indecisa. Até ele segurar seu cabelo por trás.


#Theo


Stella não foi à garota mais gostosa que já beijei, e nem foi o melhor beijo, mas ela estava afim e eu só estava com moral com as meninas do futebol que cá pra nós, não eram bonitas.

Ficamos juntos por um tempo, e depois ela foi ao encontro das meninas, pois iriam fazer um tipo de ritual para os novatos do time de basquete e das lideres de torcida.

Como não havia bebida alcoólica por causa das idades eu bebi algo muito ruim que estava em uma tigela próximo a mim na cozinha, dei uma volta pela casa, ao subir as escadas, passando pelo corredor onde havias umas pessoas, em direção ao final vejo Dylan sair de um quarto com uma garota, mais velha, que até então não a tinha visto. No fim do corredor o time de basquete não deixou eu prosseguir, eles estavam se arrumando para o tal "ritual", voltei desci e fui para os fundos.

Aos fundos a piscina não havia ninguém, mas vários casais e a minha direita uma mesa onde jogavam poker, e vi o Júnior no meio, me aproximei puxando uma cadeira;

- Theo você por aqui.

- Eu que te pergunto.

- Ryan é meu vizinho, não sabe que estou aqui.

- Isso ai, pagando de penetra em.

- Olha nem sei como está vivo depois do que fez.

- O que eu fiz?

Junior se levantou e puxou minha camisa, sentamos juntos a beira da piscina, ele em voz baixa disse;

- Theo, Dylan é afim da Stella sei lá, desde que viu a pela primeira vez. Cara só Tyler se atreveu a cantar a mina.

- Eu não sabia. Acha que ele está bravo comigo?

Assim que perguntei, como se estivesse ouvido na janela do segundo andar Dylan me olhava, virou algo no copo e saiu, olhei para o Junior e ele completou;

- Se ele fosse fazer algo você já estava morto.

Quando ele disse todas as luzes da casa se apagaram, nós entramos, o tal "ritual" havia começado, eles estavam com vestimentas cobrindo todo o corpo, e a cabeça, Dylan segurava algo parecido com um Cedro.

- O treinador decide quem entra e quem sai do time de Basquete do TAG, mas essa jaqueta, esse manto, esta segunda pele, quem decide é nosso capitão, Dylan Duncan. É com você Capitão.

- Vocês só serão oficialmente parte do time depois que cumprir as 25 tarefas estipuladas pelos meus irmãos, a primeira é dar a volta no quarteirão em 7 minutos, sem roupa para deixar isso mais animado. O que estão esperando.

Disse para 4 caras novatos do time que saíram correndo arrancando suas roupas, foi estranho posso dizer.

Assim que saíram houve um silencio rápido e eu disse algo para o Junior que não era para todos ouvirem, mas sem a musica e o silêncio rápido todos me olharam ao dizer;

- Que bosta em.

Todos me olharam, por um momento pensei que seria lixado ali. Graças à lideres de torcida fui poupado, as novatas entraram com roupas mais curtas que estavam e subiram na mesa para fazer uma dança sensual, eu até queria ficar, mas decidi ir para casa, antes que as coisas piorem.

15 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia