• @richardsongaarcia

Ele usa, Dólmã - Capitulo 9

Ele foi embora, e nós estávamos arrumando a cozinha quando, a Lorena volta;

- Eu gostei dele. – Indaga o Giovanni, olhando para ela.

- Ele pediu dinheiro para pegar o ônibus, gastou o que tinha para chegar até aqui. – Ela comenta olhando para gente.

Eu estava passando um pano em uma das praças e paro, fiquei meio emocionado;

- Você fez o certo Stefano, parabéns, o garoto merece. – Giovanni diz.

- Sim, ele é bem humilde, Robson foi como eu, quando cheguei aqui, não tinha dinheiro para comer Stefano.

- A gente reclama de coisas tão fúteis da vida, e tem gente que nem comer uma refeição decente pode. Agora aparece esse garoto da favela aqui, me faz um Filé Mignon melhor que eu que cozinho isso todo santo dia. E tem gente que nega trabalho a pessoas assim, pela cor da pele, por tatuagens no corpo.

- Por serem gays, lésbicas, trans. Sei bem o que está querendo dizer. – Lorena completa.

- Eu amo muito, vocês dois, e sou grato por ter pessoas tão extraordinárias comigo. – Giovanni fala mais emocionado que a gente.

Lorena abraça ele que estava feito manteiga derretida.

Mais um dia de trabalho, meninos chegaram, começamos o trabalho na cozinha, o salão estava sendo preparado.

Durante o serviço, pratos saindo, pedidos chegando, Danilo entra na cozinha.

Danilo é filho de Dante, o garoto é adolescente, nos últimos anos do Ensino Médio. Ele mora com a mãe, e visita o pai de quinze em quinze dias.

- Eu fiz meu pedido tem mais de meia hora. – Ele grita entrando.

Todo mundo olha e começa a rir. Danilo por conhecer bem, coloca uma touca e mascara, pois, ele tem uma barba, e como eu estava montando os pratos, temos que ter cuidado.

- Na correria de sempre Stefano? – Ele se aproxima. – Oi Giovanni, Ângelo... Jaime, Atila, oi galera.

Todos respondem, e ele começa a me ajudar, colocando o molho como eu estava fazendo;

- Sempre né Danilo, essa cozinha não para.

- Ei fiquei sabendo que estão contratando?

- Sim, contratei um rapaz essa manhã, porque?

- Não, nada, é que a Lorena fez uma boa propaganda, foi para até no grupo da escola.

- Não sabia disso... E como anda os preparativos para o vestibular?

- Aí, não faço nada o dia todo, só estudo! Meu pai está uma fera, porque diz que eu tenho que passar, para não...

- Menos molho.

- Desculpe... Ele não vai pagar a faculdade né, disse que tenho que conseguir uma federal.

- Eu já falei com o Dante, eu pago se precisar, sua mãe não consegue, está sem trabalho ainda?

- Sim.

- Pois é, mas ele é teimoso, fala que se pode fazer de graça não vai pagar.

- É o que me diz também.

- Esse é o pedido da mesa do Dante? – Lorena diz pegando os pratos.

- Não, sei, mesa 5? - Pergunto.

- Sim, são nossos. – Danilo responde.

- Não sabia que Dante estava no salão.... Me ajuda Lorena. – Falo pegando um dos pratos.

- Vou lavar minhas mãos. – Danilo vai ao lavabo.

Saímos para o salão, e ele estava teclando no celular, Lorena serve ele e eu coloco o prato de Danilo;

- Isso está errado. Stefano esta lá dentro e mesmo assim estão errando? – Ele fala para ela.

Como servi a sua esquerda, não estava no campo de visão, pois Lorena colocou primeiro o prato;

- Está certo, e se quiser vai comer isso, não está pagando. - Falo sorrindo.

- Se não consegue fazer um prato certo, pode fechar esse lugar.

- Também te amo Dante. – Me viro saindo... – Bom apetite Danilo. – Falo ao passar pelo garoto.

Hoje Dante estava com a macaca, nem quis me sentar. Giovanni comenta na cozinha, com os meninos, quando entro;

- Ângelo, se prepare, amanhã teremos o Evento, são trezentas pessoas a servir, e tem novato no pedaço. – Ele fala para Ângelo que estava do outro lado da cozinha.

Mas Giovanni só faz para me provocar;

- Porque ele tem que se preparar em Giovanni? – Questiono voltando a minha praça.

- É que temos um chef na cozinha no dia a dia, e outro quando o senhor tem que lidar com outras pessoas na cozinha.

- Ainda bem que sabem. Odeio contratar, porque tenho que treinar a pessoa, e o casamento de amanhã é extremamente importante, então se preparem.


#Adrian Raul


No carro, a Gabriela estava conversando com alguém ao telefone, e eu discutindo com Mariano;

- Assinamos o contrato, não é isso que você queria, agora para de me encher o saco Mariano.

- Não é isso, esse fim de temporada temos muito trabalho, com a venda do seu passe, vou trabalhar dobrado Adrian.

- Pelo menos vai valer o que recebe né.

- Está falando igual a sua mãe!

- (...) leva elas, e pode trazer os perfis que você tem disponível, mostramos ao Adrian e ele escolhe qual garota mais se identificar...

Gabriela dizia, quando percebo o assunto já cutuco rápido ela;

- Não precisa, já resolvi isso. - Seguro em seu ombro.

- Como já? Não falou nada, temos que conhecer ela.

- Beleza vamos para casa, vou ver se consigo que ela nos encontre lá.

Eu falei, mas estava com medo, afinal confiei em Cristian.

Liguei para ele que atendeu rápido como sempre;

- Alô.

- Cristian, tudo bem?

- Tudo, quer que eu... - Antes de ele terminar já o interrompo.

- Lembra do contato que iria me passar da garota?

- Sim, é minha amiga.

- Tem como levar ela na minha casa, tipo agora?

- Tem, tem sim. Estava indo encontrar ela.

- Ótimo, na minha casa ao meio dia.

- Mas não sei onde você mora Adrian.

- Mando a localização para você.

- Ok.

No caminho eu mandei mensagem para ele, dando instruções do que eles deviam falar, pois negociariam com o Mariano.

Quando chegamos eu dei uma olhada, conferindo minha mãe estar em casa, mas já havia saído. Margarida estava preparando o almoço.

Cristian chegou em seguida nós havíamos acabado de entrar e a campainha tocou. Margarida abriu para eles, eu estava na sala e quando entraram, me levanto indo recebê-los.

- E aí mano, fica à vontade. – Cumprimento Cristian.

- Casa linda Adrian.

- Valeu, rsrs. Prazer Adrian. - Digo beijando a garota.

- Natália, prazer todo meu.

Apresento os outros e nos sentamos. A moça Natalia era linda demais, sabem aquele mulherão da porra, mulher demais até para mim. Cristian não tinha me falado nada sobre ela, eu estava curioso na verdade.

- Bem apresentados, creio que você já deve estar ciente o porquê a chamamos aqui. - Mariano do início a conversa.

- Sim, nunca fiz isso, dessa forma. Mas Cristian conversou comigo e será o seguinte. – Natalia cruza as pernas, ficando de lado. - Sei que vão investigar a minha vida, e tudo bem, não tenho nada a esconder. Queria ver sobre como faremos isso? Viagens, pois, sou jornalista e estudo, e valores é claro.

- Vocês serão um casal. Perante todos são um casal, amigos, familiares e claro para a mídia. As viagens iremos lhe comunicar antes, temos uma agenda com todas marcadas. Afinal de contas por causa da profissão dele isso é normal. Eu estava pensando em doze mil por mês.... Que acha? – Mariano pergunta a Gabriela.

Que concorda, e a Natália que já havia mostrado se impõe perante todos;

- Sim, podemos começar com 12, mas depois não aceito menos que trinta. E não iremos transar. - Ela fala apontando o dedo para mim.

- Trinta com contrato de confidencialidade, e terá que aceitar as cláusulas sobre as polemicas e todos os detalhes.

- Feito. - Ela pega na mão de Mariano. - Quando começamos?

- Tem o casamento do meu treinador amanhã, seria um ótimo evento, pois terá muitos fotógrafos e registrar nossa saída juntos seria uma boa. - Comento.

- Consegue colocar ela no evento Gabriela?

Mariano pergunta.

- Consigo, tenho que fazer uma geral em redes sociais dela e vida social, para ter ideia de onde estamos pisando. Mas conseguimos sim. Tudo bem Natalia?

- Por mim, ok. Anotem meu telefone.

Os dois saíram, eu e Cristian nenhuma palavra, até porque não tinha necessidade. E tirar isso da cabeça, esse problema que Mariano e Gabriela queriam conduzir foi ótimo.

Os dois estavam saindo e a Gabriela comenta, chegando perto da porta;

- Ótima ideia usar o casamento do treinador. Sabia que o buffet é por conta do Stefano? Foi divulgado essa manhã que irão trabalhar no jantar. – Ela fala pegando as chaves do carro na bolsa.

- Não sabia, tem certeza disso? – Questiono.

- Sim, absoluta.

- Valeu.

Eles vão embora, e a Margarida começa a servir o almoço, eu pego meu celular ligando para o restaurante, o Le’Bianco, mas que ideia ótima ligar para um restaurante na hora do almoço;

- Le’Bianco, Lorena boa tarde!

- Lorena, boa tarde, Adrian Raul falando tudo bem?

- Adrian o jogador?

- Sim.

- Oi fofo, bem sim, em que posso ajudar?

- Está ciente do jantar de amanhã correto?

- Sim, eu estou responsável, junto ao chef.

- Que ótimo. O casamento é do meu treinador, e quero dar de presente, poderia me encaminhar a conta e não aos noivos?

- Adrian, a conta foi entregue para o Stefano conferir e assinar, vou falar com ele e te retornamos, tudo bem?

- Sim, fico aguardando.

- Obrigada.

- Eu que agradeço.

Vincular o jantar do restaurante, a minha imagem seria outra forma de ir vinculando mais e mais a marca a mim.

Margarida serviu o almoço, estávamos sentados comendo, quando minha mãe chega e casa, com centenas de sacolas;

- Amo essa cidade. – Ela fala vindo até nós.

- É dá para perceber. – Falo olhando.

Ela me beija na testa, e pega meu copo;

- Aí que cara mais linda, vou almoçar com vocês. – Ela dá um gole.

- Eu pego seu prato senhora.

- Não, Margarida, fica comendo aí, não se preocupe comigo, eu mobiliei essa casa, sei onde está tudo... – Minha mãe sai gritando.

Ela volta e conta as lojas que passou, que fez. Eu também conto sobre o contrato renovado;

- Aí minhas amigas falam muito daquele restaurante, está entre um dos melhores da cidade, tem que levar a gente qualquer dia desses né Margarida?

- Aí Dona Edite não gosto desses lugares chiques não.

- Mulher é comida, o Adrian que vai pagar, pode negar não.... Não esquece, tem que levar a gente qualquer dia.

- Vou levar.

- Fiz um pudim vou pegar gente. – Margarida se levanta.

- Gente essa mulher não para.

- Desse jeito o dia todo mãe.

Peguei o celular para olhar umas notificações e ela me chama a atenção;

- Adrian!

- Oi.

- Falei com a Margarida para conversar com você por causa da história das drogas. Até porque eu falando você não escuta, respeita mais a empregada do que a mãe! Adrian ela disse que não acredita que você fez isso. Margarida confia e gosta tanto de você que para ela, não aconteceu.

- Eu sei mãe, eu só tenho ela aqui e ela só tem a mim.

- Adrian você fez o que Mariano disse?

Deixo meu celular e viro para ela;

- Sim, mãe.

- Meu filho, não faz isso comigo não, eu te imploro, já basta seu irmão!

- Desculpe.

- Seu pai luto a vida inteira Adrian, para não deixar você seguir o mesmo caminho, o Mariano é um urubu como você sabe, mas está fazendo de tudo. Eu e Margarida também filho. Não faça isso com você.

- Foi somente aquela vez, me perdoe, não vai acontecer de novo.

Ela beija minha testa, e diz;

- Se não for por mim, que seja pela Margarida, que não tem ninguém para cuidar dela.

- Ah, a senhora também não tem ninguém para cuidar da senhora não.

- Eu sou independente garoto. – Pronto de volta a dona Edite.

- Com o dinheiro dele né Edite. – Margarida volta rindo.

- Complô contra mim agora é? Me passa um pedaço desse pudim, que está com uma cara divina mulher.

Mais tarde naquele dia, eu estava jogando vídeo game quando meu celular chama, um numero desconhecido;

- Oi.

- Adrian?

- Sim, quem fala?

- É o Stefano.

- Hum, me ligando uma hora dessas... – Falo descontraindo.

Ele sorri, e responde;

- Lorena pediu para ligar, sob o orçamento do casamento, posso saber o porquê?

- Irei dar o buffet de presente de casamento ao meu treinador, e quero que a conta seja destinada a mim, e não a eles.

- Entendo, o normal a essa altura é já termos recebido do cliente. Mas Lorena segurou, e eles estão cobrando o recibo. Irei te entregar amanhã, já que vai estar na festa, e você os presenteia.

- Ótimo, pode ser assim.

- Irei informar aos noivos que a conta foi paga por um convidado.

- Obrigado pela atenção.

- Eu que agradeço, boa noite.

- Boa noite Stefano.


0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia