• @rgpatrickoficial

Ele usa Dólmã - Capitulo 36

Não tenho medo de dizer que hoje foi uma das melhores noites que pude ter, com a melhor pessoa é claro.

Depois de tomarmos um banho assistimos um filme de romance na NetFlix, e dormimos, os dois no sofá.

Pela manhã com o sol invadindo o apartamento pelas janelas, eu meio que acordo, todo duro, olho para o lado e nada do Stefano.

Confiro as horas, seis da manhã, me levanto e vou até o quarto e o bonito estava deitado por lá. Deitei ao seu lado voltando a dormir.

Mas Stefano me acorda as sete, e ainda me chama;

- Ei, bom dia!

- Bom dia traíra. – Falo com a cara no travesseiro.

- Que foi?

- Me deixou dormindo no sofá e veio para a cama.

- Eu te chamei e tentei te puxar, você dizia que queria ficar lá.

- Eu falei com você?

- Sim, “Quero ficar aqui, aqui é minha caminha”.

Começo a rir e ele acompanha;

- Eu não falo assim.

- Não, é minha encenação.

- Hum, rola um sexo matinal? – Beijo ele.

- Não, vai rolar um café que você vai fazer, porque a Silvia não está.

- Nem um “boquetezinho”.

- Eu tenho que trabalhar, e você tem que me levar.

Eu me levanto colocando uma camiseta e falo;

- Eu só vim para te comer Stefano. – Coloco minha bermuda.

Ele me joga um sapato;

- Vai fazer meu café logo, e com pouco açúcar.

Eu saio rindo e falando;

- Vai tomar doce de café.

Liguei a cafeteira, para esquentar a agua, e procurei algumas coisas, tinhas uns pães com a etiqueta do restaurante então separei, junto a umas geleias que eu fui provando, e provando, nossa gostosas demais.

Separei uns cinco vidros, eu cortei o pão colocando na torradeira e fui passar o café.

Então escuto barulho de molho de chaves na porta principal, eu olho e era a Silvia, acompanhada de Lívia.

- Gente mas que cheiro bom é esse? – Silvia vem na cozinha, com algumas sacolas. – Ah é você, não sabia que cozinhava.

- Stefano não tem ideia do... – Lívia veio falando e fica mega sem graça quando me vê. – Bom dia.

- Bom dia. – Respondo seco para ela. – Ele está no banho, e Silvia estou tentando pegar seu lugar, mas está complicado, pois eu só achei pão. – Mostro a ela.

- Esse pão é maravilhoso com a pasta de avelã que o Stefano faz. – Ela come um pedaço.

- Estou colocando na torradeira, eu não achei essa pasta, só as geleias. – Mostro os vidros.

- Meu Deus Adrian, ele vai te matar. – Ela vai fechando os vidros.

- Porque?

- São geleias holandesas, eu não entendo muito bem, mas ele guarda elas a sete chaves, parece que só produzem uma vez no ano, algo do tipo.

- Que estão fazendo com minhas geleias? – Ele aparece.

- Foi o Adrian.

Eu olho com uma cara de deboche para ela, e tento me justificar;

- Estou fazendo torradas, e pensei em usar elas.

- Mas de jeito nenhum, gasto muito para conseguir esses vidros no ano. – Ele guarda.

Eu termino o café e Silvia vem junto a mim;

- Vou fazer panquecas.

- Ah, vai humilhar também? – Encaro ela.

- Não filho.... Seu café está com um cheiro muito bom.

Eu estava passando o café, e servindo as xicaras, escuto a Lívia falar com o irmão;

- Foi essa manhã, ele me deixou a mensagem.

- Lívia como já venderam a casa?

- Dr. João disse ter pessoas aguardando já.

- E agora?

Eu sirvo café para os dois, e volto para pegar as torradas;

- A transferência da sua parte vai demorar uns dias ainda...

- Não tudo bem.

- Agora é todo o tramite da documentação.

- Nem acredito que acabamos com isso.

- Sim.... Agora podemos focar na abertura do novo restaurante. – Ela pergunta empolgada.

- Sim, marque para a próxima semana com os arquitetos. Porque o Le’Bianco está pagando o aluguel mensal daquele terreno até hoje, e eu não acho isso certo.

Eles estavam conversando normalmente, e eu ouvi é obvio, me sento perguntando;

- Vão abrir outro restaurante? – Pergunto encarando ele.

- Sim, iremos criar um restaurante modelo para o Tropicale.

- Que ideia inteligente, ainda vai se manter a temática de comida saudável?

- Sim, é o registro da marca né Adrian. – Ela responde me olhando.

Lívia pensou que eu seria falso, e deixasse passar o que ela fez;

- Pensei que não falaria comigo depois de me demitir. – Falo encarando ela.

A menina ficou pálida, gélida;

- Não falou com Adrian? O que eu te disse Lívia? – Stefano fica de olhos arregalados.

- Eu iria falar.

- Pode falar. – Interrompo ela.

- Queria pedir desculpas pelo que eu fiz. Somente comuniquei meu irmão, e pensei que o lance que vocês estavam tendo atrapalharia o relacionamento da empresa.

Eu levanto o dedo para ela, e falo;

- O lance é sério, estou apaixonado pelo seu irmão, e ele sabe muito bem disso. – Seguro na mão dele, todo lerdo.

- Não acha cedo demais não? Acabou de se separar Stefano. – Ela encara ele.

- Eu quero isso para mim Lívia, preciso viver isso, eu mereço, e Adrian também, estou feliz assim.

- Quando se trata da empresa, você não foi nem um pouco profissional, foi calculista. Hoje eu não preciso mais daquela grana, mas se fosse na mesma época do ano passado, teria acabado com minha carreira.

- Me desculpe.

- Tudo bem, eu não fico chateado, estou te falando para que não faça isso novamente, até porque é sócia do seu irmão.

- Eu entendi Adrian.

Felix chega e fica sem graça de estarmos todos reunidos;

- Bom dia a todos. Com licença, Stefano estou te esperando la em baixo tudo bem?

- Não, já tomou café?

- Ainda não.

- Senta aí.

- É chega aí mano. – Falo puxando a cadeira do meu lado.

- Obrigado.

Ele se senta e eu me levanto para pegar uma xicara para ele;

- Gente... Dante esteve aqui em casa ontem. – Stefano fala.

- O QUE? – Ambas questionaram.

- Serio? – Felix fica assustado.

- Sim, mas o Adrian estava comigo. – Ele fala ao segurança.

- Ué e você Felix estava onde? – Lívia pergunta.

- O Stefano havia me liberado.

- Quantas vezes falei para não deixar ele sozinho...  Que o Dante queria Stefano?

- Calma Lívia, não é para tanto. Liberei o Felix quando o Adrian chegou, queria ficar a sós com ele.

Stefano contou a eles o que ele veio fazer, e tals, tomamos um café meio rápido, pois ele ficou no meu pé para me acordar, mas se atrasou conversando na copa.

Stefano foi com Felix para o trabalho e eu fui para casa, foi chegando e vejo que Gabriela estava por lá.

Eu entro e escuto a conversa de mulheres, sigo até a copa e todas estavam tomando café.

Margarida, minha mãe, Gabriela e Natalia.

PORRA a Natalia.

Esqueci geral da menina.

- Bom dia garotas, como estão? – Beijo minha mãe.

Todas respondem, e eu me sento ao lado da Gabriela;

- Vou pegar uma louça para você se servir Adrian. – Margarida se levanta.

- Não precisa, eu tomei café com o Stefano. – Gabriela e Natalia me encaram.

E minha mãe como sempre coloca a cereja no bolo;

- Esses dois não se desgrudam mais, outro dia Adrian trouxe ele aqui, gente um amor de pessoa, parece um anjinho.

- Anjinho da cozinha né Edite? – Margarida diz.

- Sim, perfeito, eu iria adorar ter ele de genro.... Nada contra viu filha. – Ela toca em Natalia.

- Todo bem senhora.

- Vamos mudar de assunto, pelo amor de Deus. – Falo pegando café.

- Ah, sim, aqui está. – Gabriela me entrega a chave.

- É o que estou pensando?

- Sim.

- Nem sei como agradecer... E você Natalia, como vai?

- Bem, e você? Não tenho mais notícias. – Ela cruza as mãos frente ao rosto.

- Eita que a chapa vai esquentar Margarida, vamos que aproveitamos o mercado abrindo. – Minha mãe se levanta com o prato na mão.

- Me desculpe. Sei que errei. – Falo a ela.

- Tudo bem, mas e agora?

- Vamos comunicar o termino de vocês. – Gabriela fala.

- Termino? – Pergunto.

- Adrian, é melhor, para imagem de vocês.

- Sim, eu iria preferir, pois já assinei umas ótimas parcerias.

- Fico feliz em ouvir isso.

- Sim, nosso namoro rendeu, rsrs.

- Vou cuidar disso. – Gabriela se levanta. – Ah e depois tem que me contar sobre o Stefano, como faremos, pois já percebo que é coisa séria.

- Tudo bem.

Ela vai para o escritório, e a Natalia comenta;

- Você gosta dele?

- Sim.

- Mas do que de Cristian?

Mano essa pergunta dela, me faz engolir seco, mas a resposta se manteve;

- Eu gosto do Stefano porque ele pode gostar de mim, sem esconder de ninguém.

Ela deixa a xicara, passa a mão no cabelo e diz;

- Olha eu poderia ficar calada e não dizer nada, mas eu meio que gosto de você, é um cara massa... Cristian está solteiro. E provavelmente ele virá atrás de você.

- Solteiro?

- Sim, algo de família, não sei muito bem. E ontem ele veio perguntar de você.

- O que disse?

- Que estávamos afastados, e você viajando, nem nos falando. Falei a verdade.

- Cristian é passado Natalia.

- Eu só quis falar, pois ele pode vir atrás de você. Só para estar preparado.

- Obrigado.

6 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia