Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia

  • Richardson Garcia

Ele usa Dólmã - Capitulo 33

Stefano volta rápido, por causa do clima nublado;

- Meu boné. – Entrego a ele.

Que pega a toalha se secando e ajoelhando na areia;

- Viu meus óculos? – Ele abre a mochila.

- Não, e também não precisa, o sol não quer aparecer hoje.

- Vou tirar uma foto... Aí, mas quem está me ligando.

Ele confere o celular, atendendo;

- Oi Lívia...

Eu já reviro os olhos. Gente ela falou tão alto que eu ouvi a conversa;

- Graças a Deus que consegui falar contigo.

- Avisei a Silvia que estaria fora.

- Não é isso, Stefano eu fiz uma merda.

- Que foi? – Ele já todo apreensivo.

- Você tem um mega compromisso agora e esqueci de te avisar.

- O que é?

- Foi convidado para participar do Masterchef.

- Lívia como me fala isso agora?

- Eu iria fazer uma surpresa, mas você brigou comigo aquele dia.

- E você me esquece algo assim! Quando é isso? – Ele já de pé.

- Agora são dez e meia, vai ser ao meio dia Stefano.

- Não dá tempo, ai não acredito nisso.

- Ei, vamos, te ajudo. – Eu me levanto pegando as coisas.

- Calma, Adrian vai tentar me ajudar. – Ele desliga o telefone.

Saímos da praia entrando no carro, e indo para o hotel;

- Liga aí para a Gabriela. – Falo desbloqueando o celular.

Ele coloca o telefone chamando e eu o seguro;

- Alô.

- Gabriela, preciso de você.

- Que foi?

- Tenta conseguir um helicóptero para mim, de Guarujá para São Paulo.... Ei, vamos, faz o check-out que vou pegar as coisas no quarto. – Falo ao Stefano.

Ele fica no balcão e eu no telefone;

- Guarujá é perto, porque não vem de carro.

- Você tem cinco minutos Gabriela, para me responder.

- Certo.

Entro pegando, carregador, minha roupa, conferindo se deixamos algo no banheiro e desci.

Ela me liga no elevador, e sem sinal não escuto nada que ela diz.

- Fala Gabriela.

- Tem um helicóptero aguardando vocês no Heliporto Municipal, é o mais próximo que consegui.

- É perto para a gente, obrigado.

- Por nada, vou ligar de novo e fazer o pagamento. E Adrian sobre aquilo que me pediu.

- Depois conversamos. – Desligo o telefone.

Chego no balcão, com ele assinando os papeis e Stefano pergunta;

- E então?

- Gabriela conseguiu. O heliporto é perto daqui.

- Quanto tempo até a Capital?

- De helicóptero uns 30 minutos. – Responde o recepcionista.

- Ótimo, aqui já está?

- Sim.

Vamos de correria para o heliporto que era perto de onde estávamos.

Ele ainda cheio de areia e todo desarrumado, mas preocupado em se arrumar para o que estava por vir, e putasso com a Lívia.

No pouso, o normal sempre é aguardar autorização e tals, mas ele deu a sorte de já chegarmos e ter um carro aguardando.

- E então, para casa ou para os estúdios em?

- Ela me passou a localização aqui, vou para lá, que já me apronto e fico por lá, não posso atrasar mais.

- Beleza.

Ele trocou de roupa dentro do carro mesmo, a cena até foi engraçada.

E sei que não passamos o tempo que eu queria juntos, até porque são coisas importantes para ele pessoal e profissional, eu não poderia pedir que ele fizesse o contrário.

Eu não poderia ficar nos estúdios, por várias questões que acho não é preciso explicar aqui.

Do caminho dos estúdios até em casa eu fiquei pensando nesse tempo que tive com o Stefano, e foi a primeira vez que me veio na cabeça, estar apaixonado por ele.

Quando cheguei, novamente aquele tanto de carro, já entro pensando, “minha mãe não está em casa”.

Entro com a mochila, de chinela de dedos, bermuda, e a mesa da copa cheia;

- Que é isso? – Falo me aproximando.

Está toda a equipe de Gabriela, o Mariano, e até o Alex, todo mundo me encarando estranho;

- Precisamos conversar Adrian. – Mariano puxa a cadeira.

- Que aconteceu? – Deixo a mochila no chão.

- Você me disse que qualquer valor acima de um milhão que seja movimentado nas suas contas, seja aberto ao seu empresário. Foi uma ordem sua Adrian. – Alex fala muito sem graça.

- Eu pensava que estava fazendo graça com minha cara, que estava me provocando. É sério isso Adrian? Deu ordens para comprar a casa daquele cozinheiro? – Mariano fala puto.

- Sim, eu dei a ordem a Gabriela.

- Escuta, não é porque está voltando para a mídia, com visibilidade em um clube grande que pode jogar tanto dinheiro fora assim. – Ele continua.

- Gabriela cumpriu o que eu disse? – Pergunto.

- Não, Mariano não deixou.

- De jeito nenhum.

- Mariano existe limites até onde você pode ir como meu empresário, e em relação ao Stefano você já ultrapassou a muito tempo essa linha.

- Não vou permitir que gaste toda essa grana com besteira Adrian, esse é o meu trabalho.

- NÃO É MAIS! – Grito com ele.

Nossa acho que estava guardado na garganta, pois todos se assustaram;

- Está demitido Mariano, quero você fora da minha casa. – Falo encarando ele.

- Tem certeza no que está falando? – Ele se aproxima.

- Eu tenho certeza!

Ele bate a mão em uns papeis na mesa, saindo batendo a porta. Até Margarida aproxima para conferir a gritaria, cheguei a colocar a mão na cabeça de tanta raiva;

- Gabriela, faça o que mandei imediatamente, antes que alguém faça uma oferta. – Olho para ela.

- Como seu amigo, eu indico que fale com o Mariano. – Alex se aproxima.

- Como meu amigo eu agradeço o comentário.

- Adrian ele detém parte do seu contrato.

- Alex, cuida disso, é o seu trabalho. Eu vou subir... Gabriela está parada ai porque, rápido!



#Stefano



Agora um dos melhores dias da minha vida foi atualizado com sucesso. Participei como convidado do Masterchef Brasil, eles iriam fazer uma prova para descendentes de italianos, e eu estava entre os convidados.

Sai das gravações, por volta de sete da noite, o Felix foi me buscar, pois eu tinha até o dia seguinte para deixar a casa e estava todo atrasado.

Cheguei em casa, pessoal, uns quarenta minutos depois, e tinhas três carros estacionados lá, e uma moto;

- Felix sabe que está acontecendo aqui? – Pergunto grudado no vidro.

Antes de ele falar, vejo as pessoas carregando coisas e empacotando;

- Pessoal do Le’Bianco terminou o expediente e vieram para te ajudar.

- Ai meu Deus, cada dia que passa eu amo mais ainda vocês. – Já falo quase chorando.

Gente todo mundo do restaurante, estavam lá, espalhados pela casa, a Silvia no meio, Lívia;

- Gente chegou a estrela da Band. – Grita a Lorena.

- Há engraçadinha... Ai gente não precisava. – Falo abraçando ela.

E assim fui fazendo agradecendo todo mundo, subi ao meu quarto, e ajudar o pessoal a organizar as coisas, e saberem cem por cento o que fazer, depois desci na cozinha, onde a Silvia estava arrumando as coisas;

- Mulher, faz uma janta para esse povo todo, por favor.

- Mas e as coisas da cozinha Stefano?

Eu sorri;

- Todo mundo aqui não sabe apertar um parafuso Silvia, acha que vou deixar eles cuidarem da minha cozinha? De jeito nenhum, amanhã vem um pessoal especializado.

- Ok, vou fazer janta para eles então. – Ela deixa as coisas.

- Amigo preciso de ajuda no closset. – Grita a Lorena da escada.

- Mas gente estão mexendo na minha gaveta de cuecas já? – Vou correndo pelas escadas. – Robson cuidado com esses quadros, são da minha mãe.

- Pode deixar chef.

Entro no meu quarto, e minha irmã junto a Lorena com todas as portas e gavetas abertas;

- Que fazemos? – Minha irmã pergunta.

- Cuidado com tudo, tenho malas aqui. – Falo mostrando.

Nós começamos a guardar as coisas e Lorena puxa assunto;

- Falei com os meninos hoje Stefano.

- Sobre?

Ela para, se vira para mim e diz;

- Sobre mim e o Robson.

- Fico feliz que resolveram isso.

- Ele já levou as coisas dele para minha casa.

Eu parei olhei para ela, até Lívia a encarou;

- Mas já? Tão rápido assim? – Falo.

- Não foi tão rápido, a quanto tempo ele está no restaurante? – Lorena me pergunta.

- Eu não sei, mas estão ficando deste aquela época?

- Sim. – Ela fala com cara de pena.

- Eu não falo mais nada, nada Lorena! Você é muito teimosa.

- Gente já que estávamos falando de homens aqui tenho que contar algo. – Lívia fecha a porta do closset.

Lorena fica de orelhas em pé, eu já sabia que era bomba;

- Eu fiquei com o Giovanni.

- QUEM? – Eu grito.

- Cala a boca, que ele está aqui. – Lívia pula em mim.

- Amiga não pode, ele vai trabalhar para você.

- Trabalhar Lorena? Lívia o cara é casado.

- Mas ele disse que está em uma fase mal e que vão largar. – Chego a colocar a mão na testa.

- Depois vocês falam que eu que arrumo problemas, Lívia não pode mais ficar com ele. – Seguro no ombro dela.

- Ele é bom de cama amiga?

- Lorena! Me ajuda.

- Aí amigo, é que é um cara que tenho crush.

- Eu não sei o que fazer. – Lívia senta no chão do closset.

- Não fica mais com ele. – Abaixo do seu lado.

- Você gosta dele amiga?

- Acho que sim.

- Lorena dá para parar de colocar pilha.

- Ele fala assim Lívia, porque já arrumou um macho para ele. – Lorena me encara.

- Que macho?

- Adrian pernas de jogador Raul.

- Não rolou nada entre a gente. – Falo sério.

- Mas nem transaram ainda?

- Não Lorena.

- Ainda não? Pensei que já estivesse assumindo já. – Lívia abre sua boca.

- Nós só beijamos, eu gosto de ficar com ele e ele comigo.

- Amigo, olha para mim.... Tudo bem que terminou um casamento eu te entendo, mas está cozinhando o boy.

- Ela está certa Stefano, realmente esse Adrian gosta de você, porque esperar e fazer o que ele faz, não tem explicação.

Pronto, agora eu fiquei triste, eu que me sentei no chão ao lado da minha irmã;

- Eu tentei sabe, nós tentamos, mas me deu um pânico e fiquei com medo, eu não sei explicar, me deu falta de ar e fiquei tremendo, acha que Dante tem a ver com eu não conseguir transar com Adrian? – Falo gesticulando com as mãos.

- Amigo, conversa com ele, serio. Se Adrian está sendo tão fofo assim com você, seja sincero com ele. – Ela pega em minha mão.

- Stefano fala o que está sentindo, e pede tempo para ele, é o que você precisa.

- Obrigado. E você não vai mais ficar com homem casado, se ele se separar é uma coisa.

- É amiga.

- É o que Lorena? Senta e conversa com o Robson, ele é muito mais novo que você e tem que entender, que estão em morando e trabalhando juntos. Poucas vezes isso da certo, e não quero problemas para o Le’Bianco.

- Tudo bem. – Ela se levanta brava.

- O jantar está pronto. – Silvia abre a porta do closset.

- Mas já? – Questiono.

- Eu fiz uma lasanha antes de todos chegarem, a sua irmã me avisou.

- Ah safadinha. Vamos descer gente.

Todos jantaram, e eu tive que aturar todo mundo elogiando a comida da Silvia. Os meninos ocupando todos os lugares da mesa, do balcão e até no Chão, Robson e Jaime.

Pessoal arrumamos tudo, eles me ajudaram para caralho. Por volta de nove e meia da noite eles foram embora, eu fiquei com a Lívia e a Silvia, despedindo de todos da escadaria principal, e o Felix manobrando o carro para eles saírem.

- Pronto para passar a última noite na casa da mamãe?

- Não, mas não tenho escolha.

Entramos, e eu vou subindo as escadas o Felix que ainda estava com a porta aberta fala;

- Senhor. – Ele fala sem me olhar.

Ouvimos um carro e a Lívia me assusta mais ainda;

- Sobe Stefano. – Ela fala alto.

Fiquei assustado, até ouvir o bater de portas e Felix grita;

- Parado aí.

Das escadas vejo o farol alto e um homem de mãos para cima;

- Só quero falar com seu chefe, pode me revistar. – Ele fala.

- Quer que eu chame a segurança do condomínio Stefano? – Silvia pergunta da sala.

- Aquele é o Mariano? – Lívia se abaixa.

Felix aparece na porta dizendo;

- Tem um Mariano querendo falar com o senhor.Stefano volta rápido, por causa do clima nublado;

- Meu boné. – Entrego a ele.

Que pega a toalha se secando e ajoelhando na areia;

- Viu meus óculos? – Ele abre a mochila.

- Não, e também não precisa, o sol não quer aparecer hoje.

- Vou tirar uma foto... Aí, mas quem está me ligando.

Ele confere o celular, atendendo;

- Oi Lívia...

Eu já reviro os olhos. Gente ela falou tão alto que eu ouvi a conversa;

- Graças a Deus que consegui falar contigo.

- Avisei a Silvia que estaria fora.

- Não é isso, Stefano eu fiz uma merda.

- Que foi? – Ele já todo apreensivo.

- Você tem um mega compromisso agora e esqueci de te avisar.

- O que é?

- Foi convidado para participar do Masterchef.

- Lívia como me fala isso agora?

- Eu iria fazer uma surpresa, mas você brigou comigo aquele dia.

- E você me esquece algo assim! Quando é isso? – Ele já de pé.

- Agora são dez e meia, vai ser ao meio dia Stefano.

- Não dá tempo, ai não acredito nisso.

- Ei, vamos, te ajudo. – Eu me levanto pegando as coisas.

- Calma, Adrian vai tentar me ajudar. – Ele desliga o telefone.

Saímos da praia entrando no carro, e indo para o hotel;

- Liga aí para a Gabriela. – Falo desbloqueando o celular.

Ele coloca o telefone chamando e eu o seguro;

- Alô.

- Gabriela, preciso de você.

- Que foi?

- Tenta conseguir um helicóptero para mim, de Guarujá para São Paulo.... Ei, vamos, faz o check-out que vou pegar as coisas no quarto. – Falo ao Stefano.

Ele fica no balcão e eu no telefone;

- Guarujá é perto, porque não vem de carro.

- Você tem cinco minutos Gabriela, para me responder.

- Certo.

Entro pegando, carregador, minha roupa, conferindo se deixamos algo no banheiro e desci.

Ela me liga no elevador, e sem sinal não escuto nada que ela diz.

- Fala Gabriela.

- Tem um helicóptero aguardando vocês no Heliporto Municipal, é o mais próximo que consegui.

- É perto para a gente, obrigado.

- Por nada, vou ligar de novo e fazer o pagamento. E Adrian sobre aquilo que me pediu.

- Depois conversamos. – Desligo o telefone.

Chego no balcão, com ele assinando os papeis e Stefano pergunta;

- E então?

- Gabriela conseguiu. O heliporto é perto daqui.

- Quanto tempo até a Capital?

- De helicóptero uns 30 minutos. – Responde o recepcionista.

- Ótimo, aqui já está?

- Sim.

Vamos de correria para o heliporto que era perto de onde estávamos.

Ele ainda cheio de areia e todo desarrumado, mas preocupado em se arrumar para o que estava por vir, e putasso com a Lívia.

No pouso, o normal sempre é aguardar autorização e tals, mas ele deu a sorte de já chegarmos e ter um carro aguardando.

- E então, para casa ou para os estúdios em?

- Ela me passou a localização aqui, vou para lá, que já me apronto e fico por lá, não posso atrasar mais.

- Beleza.

Ele trocou de roupa dentro do carro mesmo, a cena até foi engraçada.

E sei que não passamos o tempo que eu queria juntos, até porque são coisas importantes para ele pessoal e profissional, eu não poderia pedir que ele fizesse o contrário.

Eu não poderia ficar nos estúdios, por várias questões que acho não é preciso explicar aqui.

Do caminho dos estúdios até em casa eu fiquei pensando nesse tempo que tive com o Stefano, e foi a primeira vez que me veio na cabeça, estar apaixonado por ele.

Quando cheguei, novamente aquele tanto de carro, já entro pensando, “minha mãe não está em casa”.

Entro com a mochila, de chinela de dedos, bermuda, e a mesa da copa cheia;

- Que é isso? – Falo me aproximando.

Está toda a equipe de Gabriela, o Mariano, e até o Alex, todo mundo me encarando estranho;

- Precisamos conversar Adrian. – Mariano puxa a cadeira.

- Que aconteceu? – Deixo a mochila no chão.

- Você me disse que qualquer valor acima de um milhão que seja movimentado nas suas contas, seja aberto ao seu empresário. Foi uma ordem sua Adrian. – Alex fala muito sem graça.

- Eu pensava que estava fazendo graça com minha cara, que estava me provocando. É sério isso Adrian? Deu ordens para comprar a casa daquele cozinheiro? – Mariano fala puto.

- Sim, eu dei a ordem a Gabriela.

- Escuta, não é porque está voltando para a mídia, com visibilidade em um clube grande que pode jogar tanto dinheiro fora assim. – Ele continua.

- Gabriela cumpriu o que eu disse? – Pergunto.

- Não, Mariano não deixou.

- De jeito nenhum.

- Mariano existe limites até onde você pode ir como meu empresário, e em relação ao Stefano você já ultrapassou a muito tempo essa linha.

- Não vou permitir que gaste toda essa grana com besteira Adrian, esse é o meu trabalho.

- NÃO É MAIS! – Grito com ele.

Nossa acho que estava guardado na garganta, pois todos se assustaram;

- Está demitido Mariano, quero você fora da minha casa. – Falo encarando ele.

- Tem certeza no que está falando? – Ele se aproxima.

- Eu tenho certeza!

Ele bate a mão em uns papeis na mesa, saindo batendo a porta. Até Margarida aproxima para conferir a gritaria, cheguei a colocar a mão na cabeça de tanta raiva;

- Gabriela, faça o que mandei imediatamente, antes que alguém faça uma oferta. – Olho para ela.

- Como seu amigo, eu indico que fale com o Mariano. – Alex se aproxima.

- Como meu amigo eu agradeço o comentário.

- Adrian ele detém parte do seu contrato.

- Alex, cuida disso, é o seu trabalho. Eu vou subir... Gabriela está parada ai porque, rápido!



#Stefano



Agora um dos melhores dias da minha vida foi atualizado com sucesso. Participei como convidado do Masterchef Brasil, eles iriam fazer uma prova para descendentes de italianos, e eu estava entre os convidados.

Sai das gravações, por volta de sete da noite, o Felix foi me buscar, pois eu tinha até o dia seguinte para deixar a casa e estava todo atrasado.

Cheguei em casa, pessoal, uns quarenta minutos depois, e tinhas três carros estacionados lá, e uma moto;

- Felix sabe que está acontecendo aqui? – Pergunto grudado no vidro.

Antes de ele falar, vejo as pessoas carregando coisas e empacotando;

- Pessoal do Le’Bianco terminou o expediente e vieram para te ajudar.

- Ai meu Deus, cada dia que passa eu amo mais ainda vocês. – Já falo quase chorando.

Gente todo mundo do restaurante, estavam lá, espalhados pela casa, a Silvia no meio, Lívia;

- Gente chegou a estrela da Band. – Grita a Lorena.

- Há engraçadinha... Ai gente não precisava. – Falo abraçando ela.

E assim fui fazendo agradecendo todo mundo, subi ao meu quarto, e ajudar o pessoal a organizar as coisas, e saberem cem por cento o que fazer, depois desci na cozinha, onde a Silvia estava arrumando as coisas;

- Mulher, faz uma janta para esse povo todo, por favor.

- Mas e as coisas da cozinha Stefano?

Eu sorri;

- Todo mundo aqui não sabe apertar um parafuso Silvia, acha que vou deixar eles cuidarem da minha cozinha? De jeito nenhum, amanhã vem um pessoal especializado.

- Ok, vou fazer janta para eles então. – Ela deixa as coisas.

- Amigo preciso de ajuda no closset. – Grita a Lorena da escada.

- Mas gente estão mexendo na minha gaveta de cuecas já? – Vou correndo pelas escadas. – Robson cuidado com esses quadros, são da minha mãe.

- Pode deixar chef.

Entro no meu quarto, e minha irmã junto a Lorena com todas as portas e gavetas abertas;

- Que fazemos? – Minha irmã pergunta.

- Cuidado com tudo, tenho malas aqui. – Falo mostrando.

Nós começamos a guardar as coisas e Lorena puxa assunto;

- Falei com os meninos hoje Stefano.

- Sobre?

Ela para, se vira para mim e diz;

- Sobre mim e o Robson.

- Fico feliz que resolveram isso.

- Ele já levou as coisas dele para minha casa.

Eu parei olhei para ela, até Lívia a encarou;

- Mas já? Tão rápido assim? – Falo.

- Não foi tão rápido, a quanto tempo ele está no restaurante? – Lorena me pergunta.

- Eu não sei, mas estão ficando deste aquela época?

- Sim. – Ela fala com cara de pena.

- Eu não falo mais nada, nada Lorena! Você é muito teimosa.

- Gente já que estávamos falando de homens aqui tenho que contar algo. – Lívia fecha a porta do closset.

Lorena fica de orelhas em pé, eu já sabia que era bomba;

- Eu fiquei com o Giovanni.

- QUEM? – Eu grito.

- Cala a boca, que ele está aqui. – Lívia pula em mim.

- Amiga não pode, ele vai trabalhar para você.

- Trabalhar Lorena? Lívia o cara é casado.

- Mas ele disse que está em uma fase mal e que vão largar. – Chego a colocar a mão na testa.

- Depois vocês falam que eu que arrumo problemas, Lívia não pode mais ficar com ele. – Seguro no ombro dela.

- Ele é bom de cama amiga?

- Lorena! Me ajuda.

- Aí amigo, é que é um cara que tenho crush.

- Eu não sei o que fazer. – Lívia senta no chão do closset.

- Não fica mais com ele. – Abaixo do seu lado.

- Você gosta dele amiga?

- Acho que sim.

- Lorena dá para parar de colocar pilha.

- Ele fala assim Lívia, porque já arrumou um macho para ele. – Lorena me encara.

- Que macho?

- Adrian pernas de jogador Raul.

- Não rolou nada entre a gente. – Falo sério.

- Mas nem transaram ainda?

- Não Lorena.

- Ainda não? Pensei que já estivesse assumindo já. – Lívia abre sua boca.

- Nós só beijamos, eu gosto de ficar com ele e ele comigo.

- Amigo, olha para mim.... Tudo bem que terminou um casamento eu te entendo, mas está cozinhando o boy.

- Ela está certa Stefano, realmente esse Adrian gosta de você, porque esperar e fazer o que ele faz, não tem explicação.

Pronto, agora eu fiquei triste, eu que me sentei no chão ao lado da minha irmã;

- Eu tentei sabe, nós tentamos, mas me deu um pânico e fiquei com medo, eu não sei explicar, me deu falta de ar e fiquei tremendo, acha que Dante tem a ver com eu não conseguir transar com Adrian? – Falo gesticulando com as mãos.

- Amigo, conversa com ele, serio. Se Adrian está sendo tão fofo assim com você, seja sincero com ele. – Ela pega em minha mão.

- Stefano fala o que está sentindo, e pede tempo para ele, é o que você precisa.

- Obrigado. E você não vai mais ficar com homem casado, se ele se separar é uma coisa.

- É amiga.

- É o que Lorena? Senta e conversa com o Robson, ele é muito mais novo que você e tem que entender, que estão em morando e trabalhando juntos. Poucas vezes isso da certo, e não quero problemas para o Le’Bianco.

- Tudo bem. – Ela se levanta brava.

- O jantar está pronto. – Silvia abre a porta do closset.

- Mas já? – Questiono.

- Eu fiz uma lasanha antes de todos chegarem, a sua irmã me avisou.

- Ah safadinha. Vamos descer gente.

Todos jantaram, e eu tive que aturar todo mundo elogiando a comida da Silvia. Os meninos ocupando todos os lugares da mesa, do balcão e até no Chão, Robson e Jaime.

Pessoal arrumamos tudo, eles me ajudaram para caralho. Por volta de nove e meia da noite eles foram embora, eu fiquei com a Lívia e a Silvia, despedindo de todos da escadaria principal, e o Felix manobrando o carro para eles saírem.

- Pronto para passar a última noite na casa da mamãe?

- Não, mas não tenho escolha.

Entramos, e eu vou subindo as escadas o Felix que ainda estava com a porta aberta fala;

- Senhor. – Ele fala sem me olhar.

Ouvimos um carro e a Lívia me assusta mais ainda;

- Sobe Stefano. – Ela fala alto.

Fiquei assustado, até ouvir o bater de portas e Felix grita;

- Parado aí.

Das escadas vejo o farol alto e um homem de mãos para cima;

- Só quero falar com seu chefe, pode me revistar. – Ele fala.

- Quer que eu chame a segurança do condomínio Stefano? – Silvia pergunta da sala.

- Aquele é o Mariano? – Lívia se abaixa.

Felix aparece na porta dizendo;

- Tem um Mariano querendo falar com o senhor.

0 visualização