• @richardsongaarcia

Ele usa Dólmã - Capitulo 28

Cumprimentamos e eles entraram, deixando as coisas na Sala, e a Maria a produtora já fala;

- Estou vendo um lindo Jardim ali fora, podemos montar as câmeras lá?

- Sim, claro, fiquem à vontade. – Respondo.

Mostrei o jardim, e ela direciona a eles onde mostrar o que, depois entramos, eu, ela e o Anderson, nos sentamos na cozinha mesmo;

- Percebe que está com seu advogado, se houver algo que não queira que falamos pode dizer Stefano. – Ela segura em minha mão.

- Ele está para não deixar eu falar besteira, temos um processo em andamento.

- Eu concordo e apoio plenamente, mas quero saber se algo te deixa desconfortável, pode dizer, ok.

- Tudo bem.

Ela ia falando e o Anderson fazendo anotações;

- Olha nós iremos abranger o máximo do assunto, e quanto quiser, peça para parar, quero que fique à vontade, estamos no seu tempo, tudo bem.

- Por mim ok.

- Ótimo, vamos a maquiagem, e começar então.

A moça me chamou para a sala onde era mais à vontade, e passou um pó de arroz, enquanto Lívia estava do meu lado;

- Stefano está sendo muito corajoso.

Eu somente aperto a mão dela. O rapaz vem colocando o microfone em mim.

Então saímos para o Jardim, eu me sentei diante aquela luz muito forte, havia uma câmera em mim e outra em Anderson que estava a minha frente, atrás dos equipamentos, Dr. Pedro, Felix, Livia, Silvia, a Maria e os outros caras da equipe;

(...)

- Estou na presença de Stefano Le’Bianco Dias, empresário, Chef de cozinha, Dono de um dos restaurantes mais respeitados da grande São Paulo, Filho do Desembargador Manoel Le’Bianco, se não o conhece, durante estas últimas semanas sua vida se transformou em um inferno desde a sua separação do seu ex o Empresário Dante Monserrano. E ele fala agora com Exclusividade ao Fantástico.

Ele para e olha para a tal Maria;

- Está ótimo, pode continuar. – Ela faz um joia com a mão.

- Stefano boa Noite.

- Boa Noite.

- Bem Stefano na sua opinião o que levou ele a fazer isso? Você o provocou?

- Anderson não sei se a palavra seja provocação. Mas o que levou ele a fazer isso foi eu. Por ter deixado meu relacionamento chegar a esse ponto, e não ter tido coragem de terminar antes.

- Como primeiro caso público de violência doméstica LGBTQIA+, o que você tem a dizer sobre isso?

- Acho que Violência domestica não tem gênero, sexo ou idade. Sofremos uma dor maior que a física por vir de alguém que a gente ama, ou achava que amava.

- Acha que agora as pessoas iram se espelhar em você para denunciar casos como o seu?

- Espero que sim, até porque sua casa é seu refúgio, é o lugar onde você pode e deve se sentir, bem, feliz e acima de tudo seguro.

- Possui um nome de respeito na culinária Brasileira e Italiana, como toda essa repercussão está afetando o Le’Bianco?

- Anderson eu tenho uma equipe dentro daquela cozinha, que eu chamo de família, eles estão do meu lado, para tudo. E depois da minha separação e tudo que sofri, estou percebendo que meus clientes também, fazem parte dessa família, estou recebendo uma grande avalanche de amor de pessoas desconhecidas, de todos os lugares, tipos e idades.

- Acha que com esse processo ele vai deixar você em paz agora?

- Ele não tem escolha, Dante tem muito a perder.

- É publico que seu casamento foi com divisão de bens, isso inclui o restaurante e a corretora, o que pode levar no que diz a lei, a venda de ambos, não está preocupado?

- Anderson essa tarde foi fechado um acordo de ambas as partes, assim como eu, ele também teve que ceder.

- Dante fez acusações na abertura de um processo surpresa. O que pegou todos foi o nome do jogador do Flamengo Adrian Raul, o que tem a dizer sobre a acusação de ter traído ele com o patrocinado de uma de suas empresas?

- Adrian é um querido amigo, de dentro de casa, ele é próximo, sim. Frequenta o restaurante, está em festas de família. Eu não sei te responder essa pergunta, o que posso falar é que Dante nunca gostou dele.

- Essa acusação pode atrapalhar a carreira de Adrian, e perante a justiça, acha que ele poderia mentir sobre tal forma?

Dr. Pedro coça a garganta e olhamos, ele então diz;

- Não responda essa pergunta.

- Tudo bem. – Falo a ele. – Pode ir para a próxima.

- Há testemunha da agressão Stefano?

- Bem isso não estava programado, mas sim, minha governanta e segunda mãe a Silvia.

A Produtora tira o fone e fala;

- Depois se ela poder podemos gravar com ela também... Anderson por mim está ótimo.

- Ok, vou finalizar então.

- Tudo bem.

Ele espera uns segundos e diz;

- Enquanto gravamos essa entrevista. Pessoas estão sofrendo violência doméstica. A algo que possa falar para alguém neste tipo de situação? Olhe para aquela câmera, fique à vontade. – Ele gesticula.

- Eu não posso tirar a coragem de mim e colocar em você, não posso pegar meu telefone e pedir ajuda por você. Eu senti o quão difícil é levar na própria pele da mão de quem você gosta ou admira. Mas o que é mais dolorido disto tudo, é que essa coragem tem que vir de você, não é de mim, de um amigo ou familiar. É de você seja corajoso, ou corajosa.

- Obrigado. – Ele fala pegando em minha mão.

- Ok, terminamos! Ficou excelente, Parabéns Stefano pela coragem. – Maria vem pegando em minha mão.

Bem eles comeram alguns petiscos que Silvia preparou, e ela aceitou a falar, eu autorizei a eles subirem e filmarem no meu quarto, que foi onde tudo ocorreu e ela contou.

Eles foram embora em seguida, dizendo avisar no dia seguinte a data de que a entrevista iria para o ar.

Eu dispensei o Felix, e o Dr. Pedro também foi para casa. Ficou eu, Silvia e Lívia na sala, bebendo e conversando. Eu estava respondendo o Adrian no Whatsapp, ele pediu para vir aqui em casa me ver, e eu deixei.

O Robson chega em seguida, isso por volta de dez e quarenta da noite;

- Ainda estão acordados. – Ele fecha a porta.

- Estamos bebendo um Chardonnay, e comendo queijo, aceita? – Lívia estende a mão com a taça.

- Não posso recusar um vinho desse. – Ele pega uma taça se sentando. – Como foi? Tudo bem? – Robson me olha.

- Sim, tudo ótimo.

- Até eu dei entrevista Robson.

- Haha Silvia, essa eu queria ver..... Então, acha que isso vai ajudar ou atrapalhar o Adrian?

- Espero que ajude. – Me sirvo de mais vinho.

- Está diferente Stefano, que foi em? O vinho?

- Não, eu fechei o acordo hoje, vou ficar sem minha casa, mas eu consegui falar sem problemas do que aconteceu para um estranho, e eu não tinha pensado por esse lado, isso pode ajudar outras pessoas.

- Sim, é muito importante Filho. – Silvia diz.

O interfone chama, Silvia se levanta e Lívia já questiona;

- Quem essas horas?

Ela com o telefone em mãos fala;

- Stefano é para o senhor.

- Pode liberar Silvia. – Grito da sala.

- Quem?

- É o Adrian, Lívia.

- É sério isso?

Eu só aponto para fora, com ele estacionando o carro. Me levanto para abrir para ele, que estava todo fofo de moletom rosa, calça também de moletom preta, todo simples.

Adrian sobe as escadas e olha pelo vidro ficando todo sem graça;

- Não me disse que tinha gente em casa, eu trocaria de roupa Stefano.

- Haha, relaxa, fica tranquilo. – Falo puxando ele pela mão.

Entramos e ele ficou bem sem jeito com os meninos, tentou ficar a vontade com Robson, se aproxima pegando em sua mão;

- E aí mano, beleza.

- Ótimo, senta aí Adrian. – Robson se ajeita.

- Silvia, Lívia, boa noite. – Ele não se aproxima delas.

- Boa noite. – Ambas respondem.

- Aqui, sei que gosta desse vinho. – Sirvo o Adrian.

Me sento do outro lado, onde estava, deixando ele ao lado de Robson;

- Por mim já deu por hoje, boa noite para vocês. – Lívia quase quebra a taça deixando na mesa de centro.

- Eu fiz alguma coisa? – Adrian pergunta.

- Não se preocupe. Ei, eu dei a entrevista hoje. - Pisco para ele.

Eu e Silvia contamos para eles como foi, as perguntas e tudo mais, isso foi meia noite a gente conversando.

- Bem deu para mim hoje, vou dormir, amanhã trabalho cedo. – Robson se levanta. – Com licença em Adrian.

- Também vou arrumar a cozinha e me deitar. – Silvia pega as taças. – Outro vinho Stefano?

- Para mim não, aceita Adrian?

- Não obrigado.

Ele se levanta e pega uma almofada deitando comigo no sofá;

- Então conseguiu o acordo?

- Sim.

Ele deita com a cabeça para cima;

- Que ele pediu?

- Que retirasse o processo de indenização.

Adrian se levanta puto;

- E vai deixar ele sair ileso?

- Não tenho escolha, abri mão disso e da casa, para ele não me forçar a vender o restaurante.

- Muito filho da puta.

- Sim, eu que o diga.

Eu bocejo de sono, e ele faz o mesmo;

- Acho que vou nessa, deixar você descansar, está precisando. – Adrian se senta.

- É estou precisando mesmo. – Outro bocejo.

Ele se levanta e coloca a taça na mesa;

- Olha eu vou, mas amanhã, almoço no Le’Bianco...

Ele estava falando e olha para minha mão, que segurava o tecido da sua calça;

- Que foi?

- Sua mãe deixa você dormir fora?

Adrian muda totalmente sua feição, se senta e passa a mão no cabelo me encarando;

- Até deixa, mas eu não durmo sozinho.

- Rsrs, podemos dar um jeito nisso. – Coloco meus pés em seu colo.

- Mas tem outra coisa. – Ele coloca a mão em minha perna.

- Está muito exigente para um convite viu!

- Me deixa buscar você amanhã depois que assinarem os papeis?

- No Fórum?

- Sim, no Fórum.

- Mas o Dante vai estar lá.

- Sim, com o Dante lá.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia