• Richardson Garcia

Ele usa Dólmã - Capitulo 26

Meus colegas passando e olhando aquela bagunça, o treinador parado atrás, e eu com uma cara de lua sem saber o que falar.

Vejo no túnel o Mariano correndo, e em minha direção;

- Eu sinceramente não sei sobre o que estão falando. – Falo com uma cara indiferente.

Os seguranças do clube chegaram e me ajudaram a entrar para o vestiário. Vou aproximando e as pessoas me olhando, o Mariano desesperado;

- Me explica isso Adrian? – Ele me para segurando meus ombros.

- Me explica você! Meu trabalho eu faço lá dentro do campo. – Falo nervoso.

- Pro vestiário Adrian. – O treinador me acompanha.

Entro com ele, e pego uma agua, enquanto o treinador parabenizava pelo segundo tempo, agradecia a todos;

- Adrian que aconteceu lá fora cara?

Um dos meninos questiona;

- Mano, na boa, nem eu sei agora! – Respondo pegando minha roupa.

- Se precisar de alguma coisa Adrian, somos uma família. – O Treinador fala.

Todos meio que concordam gesticulando com a cabeça e eu agradeço, indo tomar uma ducha, porra que estava acontecendo.

Depois de todos os jogos temos uma coletiva de imprensa, e eu estava escalado para ir falar com os jornalistas nesse dia. E tomei minha ducha, me arrumando para ir, o Treinador me para na porta e diz;

- Pode ir para casa, precisa esfriar a cabeça, nos vemos depois.

- Obrigado senhor.

- Vai lá garoto.

Liberado a Gabriela vem tremendo, ela em passos rápidos no corredor;

- Me perdoe, eu não sabia, também fomos pegos de surpresa.

- Isso não é bom, não é nada bom.... Onde está minha mãe e Stefano?

- Tiramos eles daqui em segurança.

- Dá para me contar que está acontecendo? – Digo seguindo.

No fim do corredor o Mariano esperava com uns seguranças.

- Dante abriu um processo contra o Stefano de Danos Morais, e no processo consta seu nome como pivô, ele citou detalhes de onde e quando se encontraram Adrian. Isso é péssimo, muito ruim mesmo.

- E acha que eu não sei?

- Não podemos sair por aqui, o clube disponibilizou um helicóptero, é a melhor forma de sair em segurança.

- Beleza Mariano.

Seguimos para a direita do estádio, saindo daquele lugar o mais rápido que conseguimos. No caminho os dois discutindo iguais loucos.

Seguimos para o meu condomínio e depois para casa, minha mãe estava com a Natalia na sala, quando cheguei.

Ela veio me abraçando, parabenizando pelo jogo e questionando;

- Como está em filho?

- Bem mãe, tentando ne.

Me sento na poltrona, do meu lado a Natalia, junto minha mãe, Gabriela ne poltrona da frente e Mariano no telefone;

- Lívia estava chegando em Santa Catarina, teve que voltar imediatamente...

- Cadê o Stefano? – Pergunto a ele.

- E eu quero saber daquele cara Adrian? A sua carreira inteira está em perigo e me pergunta do Stefano? – Ele grita jogando o celular na mesa de centro, que quase quebra com a força.

Mariano passa a mão no rosto, muito nervoso;

- Fala dele assim novamente que não vai ter mais carreira de ninguém para cuidar. - Falo encarando ele.

- Está defendendo ele?

- Adrian o que Dante falou, é verdade? – Gabriela pergunta.

- Para de ser idiota garota, sua imaginação está mais fértil do que a desse cara. – Mariano pega uma bebida.

Minha mãe me olhando, Natalia apertando minha mão, e Gabriela de sobrancelha em pé;

- É verdade. – A respondo.

Natalia abaixa a cabeça, minha mãe abre um sorriso, nem por eu meio que me “assumir”, mas por encarar os dois. Gabriela encosta na cadeira, ficando pálida.

- Está falando que você é gay Adrian? – Mariano questiona.

- Não sei gay, bissexual, sinceramente ainda não sei. Mas Dante quase pegou eu e Stefano nos beijando, na festa de ano novo. – Falo com Gabriela.

- Tudo bem, é melhor trabalhar com sua sinceridade.... Isso ajuda muito.

- Vou precisar de um advogado? – Questiono.

- Não, ele não está movendo nada contra você. o que ele quer fazer é te atacar, mas vamos responder de outra forma. – Gabriela pega o celular.

- Como assim?

- Stefano só ele pode se pronunciar referente a isso, vou falar com a Lívia, afinal ela também tem a perder com isso.

- Não acredito que estou passando por isso. E você vai ajudar? – Mariano questiona Gabriela.

- Se está achando ruim, pode sair querido, sabe que não é bem vindo nessa casa. – Minha mãe diz.

Ele só pega o copo com o Whisky e sai, sem falar nada.

- Preciso falar com o Stefano. – Falo me levantando. – Alguém viu meu celular.

- Comigo. – Natalia abre sua bolsa.

- Ei, filho. Vem aqui. – Minha mãe me abraça forte, e deixa uma marca de batom na minha bochecha. – Eu te amo tá, muito querido, sou muito orgulhosa de você.

- Ai, mãe, obrigado. – Aperto ela com força.

- Vai lá ligar para ele, também deve estar precisando de apoio.

Vou discando e subindo as escadas, ele demorou pouco para atender;

- Oi, Stefano? – Falo fechando a porta do meu quarto.

- Alô, nossa graças a Deus, como está Adrian?

- Estou bem e você?

- Adrian mil desculpas, eu não sabia que ele iria fazer isso, me desculpa mesmo...

- Stefano, como você está?

- Estou bem, meio assustado sabe, mas bem.

- Você precisa de alguma coisa?

- Não Adrian, obrigado.

- Que irá fazer agora?

- Bem, eu iria tentar retirar a acusação contra o Dante, mas acabo de ficar sabendo que não consigo nem se eu querer. Ótimo. Irei prosseguir com o acordo e se ele recusar de novo, vamos ao juiz, estou cansado dele.

- Se precisar de alguma coisa, estou aqui.

- Obrigado, e desculpa novamente.

- Relaxa Stefano.


#Stefano



Lívia pousou em Santa Catarina e voltou para São Paulo, ela realmente leva toda a parceria com o Adrian muito a sério, e isso era ruim, muito ruim.

Ela chegou a noite, eu estava fazendo o jantar;

- (...) Assim Stefano?

- Isso, cuidado com essa panela Robson.

- Beleza.

Silvia ajudando a gente e a Lívia chega, cheia de malas, com o cabeço uma bagunça, coitada toda soada;

- Você ainda vai me matar Stefano! Eu vou tomar um banho e.... Aí que cheiro bom, e venho jantar.... Me ajuda com essas malas Silvia?

- Sim, filha, claro.

- Oi Robson.

- Olá, boa noite.

Ela subiu e o Robson me ajuda a colocar a mesa;

- Vou jantar com a Silvia, para deixar vocês conversarem tranquilo. – Ele fala distribuindo os talheres.

- Haha’ Silvia come comigo na mesa Robson, não tem escolha.

- Se não for atrapalhar.

- Relaxa.

Terminamos de cozinhar e Livia desce toda relaxada, teclando no celular, ela se senta enquanto servimos;

- Como Adrian está? – Ela pergunta, bebendo vinho.

- Bem, falei com ele mais cedo.

- Virão você no jogo?

- Não, o advogado me avisou primeiro que todos, e consegui sair às escondidas.

Me sento com Robson e Silvia para jantar;

- Cancelei o comercial Stefano. – Ela deixa o celular.

- Porque?

- Temos que resolver isso, e rápido.

Respiro fundo, antes de falar algo;

- Tudo bem, você está certa.

- Giovanni me enviou mensagem hoje, por acaso marcou algo para amanhã?

- Ai meu Deus, olha minha cabeça, marquei sim, nem lembrei que estava fora da cidade.

- Ótimo, resolvemos aquele problema. Tem mais notícias do Dr. Pedro?

- Não, esse advogado é meio lento, desaparece sempre que precisamos.

-Stefano, quero te pedir algo. – Ela deixa os talheres. – Vamos conseguir uma entrevista, você precisa falar para a imprensa o que aconteceu.

- Não, de jeito nenhum Lívia. Não vou fazer isso, todo mundo já sabe da minha vida sem eu falar nada. Imagina isso na televisão.

- Stefano é pelo Adrian, não podemos deixar o Dante afetar ele assim, ele não tem nada a ver com nossos problemas.

Fico calado, olho para Robson e Silvia que comenta;

- Ela está certa filho.

- Eu sei... Lívia, preciso te dizer algo também. – Pego em sua mão.

- Hum.

- É verdade o que Dante falou, eu estava escondendo de você.

- Estava pegando o Adrian Raul, Stefano? – Ela até se afasta.

- Não é pegando Lívia, ele que me beijou duas vezes, estou dizendo que aconteceu.

Ela leva a mão na testa, pega a taça do vinho;

- Sabe o quão errado é isso Stefano? - Quem mais sabe disso? Além deles agora?

- Ninguém.

- Vai dar a entrevista, e eu vamos falar com Adrian, isso não pode continuar.

- Do que está dizendo?

- Você, ele, a Tropicale.

- Lívia porque está assim? Ei eu não tenho culpa, aconteceu.

- Stefano mamãe e papai me enchem desde o dia que começou com o Le’Bianco. Tem sua empresa e sua vida, e ainda por cima se casou. A Tropicale é o meu “Le’Bianco”, e preciso dela. Por favor, dê essa entrevista.

- Tudo bem, eu irei.

Era tanta coisa, tantos problemas de uma só vez que eu estava com péssimo sono nestes dias. Toda a pressão estava acabando comigo.

Eu havia marcado com o Giovanni bem cedo no restaurante, mesmo assim iria tomar café em casa. Desço as escadas ouvindo a conversa de Robson e Silvia na cozinha.

Me aproximo com ambos no fogão;

- Bom dia. – Eles dizem.

- Stefano o café está pronto, e estou preparando aquela omelete. – Ela fala olhando.

- Obrigado. – Me sirvo com o café.

- Nossa mas que cheiro... O que coloca ai? – Robson pergunta olhando.

Ela serve no prato e comento;

- Acha que me conta, já me ensinou a fazer o prato, mas não conta o segredo.... Experimenta ai. – Falo para ele.

- Gente tem que colocar ela na cozinha do restaurante Stefano, rsrs.

- Haha não, essa preciosidade é minha, rsrs.

- BOM DIA, Bom Dia.... Meninos estão prontos? – Lívia fala entrando na cozinha.

- Toma seu café e podemos ir. – Falo.

- Temos reunião com Giovanni e Lorena agora, Adrian chega por volta de nove horas, junto a Gabriela, para conversarmos sobre o comercial. E o Dr. Pedro vai ao restaurante daqui a pouco também. O papai deu uma ótima ideia, tratar desse acordo pelo telefone.

- Hum, ótima ideia.

- Também achei.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia