• @rgpatrickoficial

crescendo - Capitulo 9

Ele estava apoiado nos braços, com seu corpo sobre o meu, sem nos encostar. Lembro daquele sorriso como se fosse hoje, não me contive e beijei ele, eu nem sei se o efeito da maconha havia passado, mas ele ficou tipo estatua. Senti parte de sua língua e lábios molhados.

Ele se afasta e passa a mão no rosto, Hugo anda alguns passos para trás, para sentar na cama dele e senta no chão;

- Ai, quer ajuda mano? – Pergunto me levantando.

- Não estou de boa.

Ele senta na cama, e olha no celular;

- Podemos ir jantar, estou com uma fome, sabe como é né. – Ele fala rindo.

Hugo estava nervoso e estranho, eu me levanto, pego meu casaco e falo;

- Hugo foi mal, me desculpa mano.

- Relaxa Lucas acontece.

- Fica entre a gente? – Falo segurando em seu braço.

- Sim, de boa.

Seguimos para o refeitório, conversando normal, como se nada estivesse acontecido.

Nos servimos e sentamos, eu e Hugo, o Thales chega com sua mochila deixando na mesa;

- Olha aí, vou pegar algo para comer. – Ele fala saindo.

- De boa.

- Oi meninos. – Fala Isis se sentando do meu lado. – Boa noite Lucas.

- Boa noite Isis. – Falo me ajeitando e afastado um pouco dela.

- Lucas acabei de falar com a Judith ela me mostrou a peça de Teatro da nossa turma, e vou fazer o teste para o papel principal, podemos ser os protagonistas. – Ela fala rindo e fazendo carinho no meu cabelo.

Eu olho para o Hugo que estava fingindo não ouvir, o Thales senta na mesa olhando todo estranho, eu então respondo ela;

- Legal Isis, mas não tenho certeza, me machuquei hoje treino. – Falo procurando desculpa.

- Ah é mesmo, meu irmão me contou... Mas você vai ficar bem. – Ela fala com o braço sob meu ombro.

- Irmão? – Pergunto.

- Vitor, ele me contou o que houve no treino de hoje.

- Ah entendi.

Ai, vou atender e já volto. – Ela diz mostrando o celular.

Ela sai da mesa e os meninos me olhando de olhos arregalados;

- Não acredito que ela é irmã do Vitor. – Hugo diz com os olhos brilhando.

- Mano, do céu. Alguém de vocês tem que pegar ela. – Eu falo apontando o dedo para os meninos.

- Obrigado, o Vitor já me odeia sem fazer nada com ele. – Thales diz bebendo algo.

- Hugo? – Pergunto olhando.

- Estou tentando ficar com a Samantha, nem vem.

- Me ajudam, eu não posso a Alana me mata.

- Você que teve a ideia, porque temos que entrar nessa?

- Porque somos amigos Thales, e é isso que fazemos, ele quase quebrou minha perna, e não vejo outra forma de vingar, mas isso é uma oportunidade de ouro.

- Lucas já estamos bem fodidos, fica na sua, até hoje tenho pessoas perguntando se eu vendo drogas, ou tenho um “verdinho”. – Thales fala sério.

Nós começamos a rir, e Hugo me ajudou a ficar no pé dele durante o jantar.

Quando terminamos e o Hugo levou nossos pratos e copos, o Alexandre chega em nossa mesa, havia poucas pessoas no refeitório e ele senta na mesa;

- Como está a perna?

- Está inchada e dolorida.

- Vai querer mesmo Lucas entrar naquele time?

- Eu não quero Alexandre, eu vou entrar.

Ele passa a mão na testa, e os dedos em meio aos poucos cabelos;

- Já sei que vou ter trabalho esse ano com vocês... Meninos a detenção da diretora Marcia começa hoje.

- Que temos que fazer? – Hugo pergunta.

- A limpeza do refeitório é de vocês essa noite.

Eu olho ao redor, aquilo parecia um estádio de tão grande, Hugo chega a gritar de raiva;

- Lucas está machucado não pode ajudar. – Thales fala.

- Então sobrou para vocês dois.

- Ah ele vai ajudar, nem que eu esfregue ele nesse chão. – Hugo diz me empurrando.

- Sai fora.

- O que precisarem peçam para a tia da cantina, ela está a cozinha.


#Alana



- Lucas machucou no futebol, mal está conseguindo andar.

- Aí amiga, que coisa em, logo hoje.

- Pois é Samantha, será que vou para o JK? – Pergunto desligando a chapinha de cabelo.

- Não Alana, vamos ter uma noite só nossa, fica tranquila, os meninos ajudam ele.

- Tá.

Estávamos na casa de Samantha, se arrumando em seu quarto, iriamos em uma boate, era aniversario de Samantha e ela marcou com amigos nesse lugar;

- Como assim relacionamento aberto Alana? – Ela diz no espelho.

- Significa que eu não importo se o Lucas ficar com alguém e ele também não.

- Quer dizer que ele pode ficar com qualquer garota, e você está tranquila?

- E garotos.

Quando eu falo ela me olha de olhos arregalados, deixa o lápis que estava passando e fala;

- Lucas é gay?

- Ele é Bissexual.

- Amiga parece que eu vivo no passado ainda, gente isso deve ser a melhor coisa do mundo.

- Para nós é super normal, nada demais.

- Você não tem ciúmes? Porque o Lucas é lindo, perfeito, muito de boa, deve ter garotas caindo a todo momento na dele.

- Não tenho não, porque ele também não tem de mim.

- E aquela Isis?

- O que tem ela? Está sabendo de alguma coisa?

- Não. Tem ciúmes dela?

- Não, mas odeio ela, garota oferecida do caralho. Amiga eu não gostei dela, e já avisei para o Lucas, qualquer uma, ela não.

- Haha, você é louca amiga... Ei o Kleber está ligando, acho que chegou, está pronta?

- Sim, fala o batom, mas passo no elevador. Vamos.

Pegamos as coisas rápido e descemos, o amigo dela estava aguardando no carro.

Eu coloquei um macacão de tecido bem leve e de cor clara, cabelo solto, nada demais, pois eu queria é dançar muito.

Eu só não esperava aquele AMIGO. Meu Deus, que homem, sabem aquela boca carnuda e sorriso de covinhas, uns braços fortes, e cara de safado, olha minha tentação segurando o volante.

Entramos no carro e a Samantha senta na frente, o cumprimenta e diz;

- Alana, esse é o Kleber, Kleber minha amiga a Alana.

- Oi gatinho, prazer. – Falo estendendo a mão.

- Prazer todo meu delicia. – Ele diz beijando meu rosto. – Nossa porque não me apresentou essa amiga sua antes. – Ele fala colocando o sinto.

- Haha, engraçadinho.

Seguimos para a boate, e no caminho ele piscou para mim umas vezes e vários elogios, nossa eu estava toda molhada, só de sentir aquele perfume forte dele dentro do carro.

Pessoal na boate, a Samantha resolveu aguardar o resto dos amigos lá dentro, para ir aproveitando o máximo.

Cara eu já cheguei e estava tocando funk, “melhor balada ever”.

- Amiga vou pegar uma cerveja quer uma?

- Não Samantha, vou pegar uma caipirinha. – Falo acompanhando ela.

Pedimos o garçom, enquanto ele fazia a minha bebida, eu estava vendo os Stories do Lucas, eles lavando o restaurante, mostrei para Samantha que estava rindo, quando sinto alguém atrás de mim;

- Pede uma agua por favor. – Era o tal do Kleber.

Ele chegou me encoxando, e vocês sabem né, não podemos deixar passar a oportunidade. Eu me virei um pouco falando perto dele;

- Vai ser só a agua?

Ele olha para baixo forçando seu corpo no meu confirmando.

- E você pode ser? – Ele fala rindo.

- Para de ser safado Kleber. – Samantha fala batendo nele.

Galera pegamos as bebidas e seguimos para o camarote onde os seus amigos estavam;

- Acho que ele está afim de você.

- Tadinho, se for para sexo, acho que rola. – Falo bebendo.

- Credo Alana.

- Que foi? A boceta é minha dou para quem eu quiser.

- Nossa amiga, está bêbada?

- Ainda não.



21 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia