• @richardsongaarcia

crescendo - Capitulo 22

#Lucas


Tentei sair cedo para a aula, e nada do Hugo no café, e nem na aula. Alana foi me dizer que ele estava no ginásio com a professora de natação, depois que eu rodei todo o JK.

Quando entro no ginásio ele estava andando para sair do local, ao me ver muda o semblante do rosto, eu fecho a porta com cuidado;

- Mano quero falar contigo.

- Que foi Lucas?

- Sobre o Time.

Ele para, cruza os braços, e fica me olhando com cara de desdenho;

- Vim te pedir desculpas mano. Da forma que falei com você, de como eu falei, e queria você de volta no time.

- Você foi muito filho da puta aquele dia Lucas.

- Eu sei Hugo. Eu sei, e mereço você estar bravo comigo, mas não consigo continuar no time sem você.

- Não sei não mano.

- Hugo, o futebol é sua vida cara, não me faça ficar pior que eu estou. Pensei que estava tendo algo com a Alana, sempre de segredo, você sumiu ainda, e acumulou tudo... Vitor colocando pilha.

Ele abre um sorriso e comenta;

- Acha que eu tenho calibre para pegar a Alana mano? Haha’ você é meio idiota Lucas.

- Cala a boca.

Peguei em sua mão e abracei ele;

- Me desculpa mesmo, de coração mano.

- Eu também fiz merda, atrasei e nem avisei o time, tenho culpa.

Mano eu não me lembrava a falta que o Hugo fazia, de andar junto, de conversar, jogar então, porra!

Na quinta à noite, a Edith mãe de Alana, envia mensagem dizendo fazer uma festa surpresa para ela, era seu niver. Ela pediu confirmação de minha presença, e claro que dei um OK.

Minutos depois, Anabela, sua irmã me envia mensagens, falando ser niver da Alana, e surpresa, para chamar a galera mais próximo a ela, e os dados da festa.

Cheguei a criar um grupo, meio que secreto da nossa turma, para a festa, surpresa.



#Hugo


Na sexta-feira por causa do grupo criado por Lucas, ninguém falou ou desejou Feliz Aniversário para a Alana, todos fomos bastante filhos da puta.

Como ela já havia marcado de sair do colégio e ir para sua casa a tarde, tudo estava organizado.

Somente Thales não havia confirmado presença no grupo.

Eu deixei minhas coisas arrumadas, somente para trocar de roupas. Quando sai do banho ela entra pegando a mala dela, e seu celular;

- Gatinho vou nessa, bom fim de semana. – Ela diz mandando beijo.

- Beijo Alana, até mais tarde. – Falo da boca para fora.

Ela para na porta, e eu de olhos arregalados;

- Eu sabia que estavam aprontando.... Vai desembucha. – Alana diz fechando a porta do quarto.

- O que? Eu quis dizer semana que vem.

- Olha para mim Hugo.... Olha nos meus olhos. – Ela diz segurando meu rosto.

E eu rindo, já tinha entregado;

- Tabom. Tabom! Vai ser hoje, só não vou dizer onde. – Digo segurando sua mão.

- Aí eu mato vocês, me aguardem. – Ela diz me abraçando.

Cara como eu estava de toalha, e senti mais seu corpo por causa do momento. Me subiu um calafrio, e bateu um climão na hora, ela ficou meio sem graça, se afastou com o olhar fixado no meu, pensei, “Pronto só falta ela me beijar aqui”.

É eu estava certo, só não contava que a iniciativa vinha de mim. Beijei Alana com gosto, dei uma pegada em sua cintura, e cara eu estava só de toalha, meio que sem graça na verdade. Ergui ela e deitei na minha cama, ficando com o corpo sobre o seu, foi meus quinze segundos de loucura.

Beijei sua boca, pescoço, segurei firme nos seus cabelos, até eu me tocar no que estava fazendo. Simplesmente parei, fiquei imóvel, pois no peito veio um arrependimento, e um nó na garganta;

- Isso é errado. – Falo meio que rouco.

- Não podemos. – Ela completa.

Alana se levanta ajeitando a roupa, e eu sento por causa do volume na toalha;

- Amiga está aí? – Samantha bate na porta.

- Sim, já vou.

Ela só abre um sorriso tímido para mim, saindo. Pronto, nem em festa eu queria ir mais. Como um belo de um hetero FDP, voltei ao banheiro para bater uma, necessitava colocar para fora um pouco da tensão.

Vamos ao que interessa, o Thales bateu na porta do meu quarto me chamando;

- Está pronto mano?

- Sim, ué você vai?

- Sim, Lucas me convenceu... Alana já foi?

- Sim. – Respondo fechando a porta.

Lucas havia descolado um carro para nós, Samantha, Alana e Anabela saíram, a irmã dela iria distrair ela um pouco, até todos chegarem na festa.

A casa de Alana assim como de todo mundo, muito linda, e grande. A reunião da festa estava na piscina, onde havia um DJ tocando no jardim e tals. Eu e os meninos fomos direto para o bar, pegar algo para molhar a garganta.

Anabela avisa Lucas que elas estavam chegando no condomínio, e todos correram para seus lugares, eu e Thales segurando uma faixa de feliz aniversário, e o Lucas o bolo, ao lado dos pais dela, e tinha bastante gente da família dela. Parece que aproveitaram a ocasião para se reunirem.

E sabem como é o padrão, ela chega, fazemos barulho, cantamos os parabéns, e cortamos o bolo.

Ela abraça todo mundo, e recebe os presentes, enquanto eu e Lucas estávamos comendo, o Thales conversando com a Samantha mais ao lado de fora.

Alana se aproxima de nós, agradece, e me abraça, porem coisa rápida, o Lucas chama ela e os dois saem subindo umas escadas.

Cara para mim, ele me olhar, era como se soubesse do que eu tinha feito, era uma coisa muito estranha.

A mãe de Alana, Edith chama todo mundo para a sala da casa, e sai procurando a filha.

Eu pego uma bebida e entro, logo o Lucas se aproxima;

- Sabe que ta acontecendo?

- Não mano, acho que fizeram um vídeo. – Digo atrás do sofá.

Anabela estava ligando a Tv, e a Edith começou a falar, Alana estava sentada em uma poltrona na frente da estante;

- Como todos sabem o Marcelo não pode estar conosco nessa noite, mas ele enviou um vídeo de aniversário... Pronto Ana? Vamos assistir! Silencio.

Um garoto muito parecido com a Alana aparece, ligando a câmera, e se sentando em uma mesa;

- Oi pessoal, sei que está a família toda reunida e que estão aí comemorando o aniversário da minha irmã mais querida... Anabela não fica com ciúmes, rsrs. Primeiro que queria dizer que estou com muitas saudades e que queria muito estar aí com todos vocês que amo tanto! Maninha sabe que essa distância não diminui nem altera o que sentimos um pelo outro, eu sinto falta de você brigar comigo, e fazer barracos na rua, é escandalosa como nossa mãe. Sinto falta de me acordar nos fins de semana para irmos à praia. Mas nada comparado a panqueca que você faz, rsrs... A mamãe nem a Ana conseguem reproduzir (...).

Nessa altura Alana estava aos prantos, e confesso que até eu estava meio querendo chorar, a família todo mundo de olhos lacrimejando.

Eu e Lucas estávamos ao lado esquerdo dela, e ele estava bem emocionado. De lagrimas escorrendo nos olhos, e tentando disfarçar, mas tudo muda de repente.

Eu estava olhando para ele nesse momento, Lucas fecha a cara e fica todo espantado, o cara ficou pálido. Aparentemente nem respirava, me assustei.

Ao olhar o irmão da Alana, Marcelo entrando na sala da casa, com um buque de flores.

Ela se ajoelha chorando, e todo mundo batendo palmas, ficando emocionado. Lucas se vira para sair e tromba com uma moça, derrubando um prato com guloseimas, e sujando algumas pessoas, foi uma bagunça.



#Lucas


Eu fui para o banheiro me limpar, lavar o rosto, me recompor. Fiquei por trinta minutos trancado lá dentro, pensando em como poderia ir embora sem ter que falar com o Marcelo, e queria ficar mais uma hora lá dentro se preciso.

- Lucas... Está aí mano? – Pergunta Hugo.

Eu abro a porta, e ele entra no banheiro;

- Tudo bem?

- Acho que não estou me sentindo bem.

- É por causa do tal Marcelo né cara? – Ele pergunta encostado na parede.

- Não conta para ninguém mano.

- Ei, relaxa, quer ir embora?

- Sim.

- Vamos, vou chamar o Thales e vazamos, beleza.

- E Alana?

- Depois inventamos uma desculpa, a gente coloca a culpa no Thales, ela nunca briga com ele. – Hugo diz sorrindo.

Eu acabo abrindo um sorriso, pelo comentário idiota. Nos dois saímos do banheiro e seguimos até o jardim, o Thales estava conversando com a Samanta ainda;

- Ou mano, vamos nessa! – Hugo diz puxando a blusa dele.

- Mas já? – Ele pergunta.

Ele não queria ir embora, mas Thales me olha, e meio que desconfia, pela minha cara;

- Samantha vamos nessa, depois a gente conversa tudo bem.

- Ta meninos.

- Quem diria, Thales Deummond na minha casa! – Escuto a voz de Marcelo.

Sinto um calafrio no corpo, ficando todo arrepiado, ele passa, cumprimenta o Thales, pegando em sua mão, e se vira olhando para mim.

Marcelo é de minha altura, mais forte, tem o braço direito completamente tatuado, usa um relógio dourado e simples no baço esquerdo. Eu era mais ou menos, hoje me cuidando posso dizer que fiquei bonito, depois de aparelho nos dentes e academia. Mas ele, é ridículo. A genética dessa família.

Marcelo tem as sobrancelhas fortes, olhar penetrante, um nariz desenhado junto a sua boca, carnuda e delicada, uma barba bem de leve, o cabelo alisado sempre com um estilo de topete, nesse dia estava de boné, preto, e uma camiseta preta, junto a uma calça jeans tradicional.

A presença dele na minha frente, consegui sentir seu perfume, antigo e forte.

Ele aproxima e me abraça com força;

- Saudades mano.... Saudades. – Ele diz pegando em meu cabelo.

- Também cara.

- Posso falar contigo rapidinho? – Marcelo diz segurando no meu braço, e olhando nos meus olhos.

Eu fico paralisado olhando os meninos;

- Lucas lembra que te falei, tenho que ir beleza. – Hugo diz.

- Podem indo para o carro, que eu já vou. – Digo saindo.

Marcelo passa pelas pessoas, sorrindo e cumprimentado, ainda meio que segurando meu braço, e eu com cara de paisagem.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia