• @richardsongaarcia

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 57

Os convidados são direcionados para o salão, os noivos, seguem para um anexo separado.

Todos em seus lugares, uns de pé, alguns garçons servindo bebida, a orquestra se acomodando no palco, junto a banda que era cortesia do Resort.

Luan sobe ao palco, e se prontifica perante o microfone;

- Senhoras e senhores, por favor queiram se levantar para recebermos essa tarde os noivos. Helena e Guto. Heitor e Kleber.

O Piano inicia notas de introdução, com gritos e aplausos dos convidados.

Kleber e Heitor entram de mãos dadas, Helena e Guto logo em seguida.

Os quatro param na pista de dança, e então a ao som de violino, violão e piano, a orquestra ministra “Photograph – Ed Sheeran”.

As estrelas daquele entardecer iniciam sua primeira dança como casais. Abrindo a pista de dança;

- Obrigada amor por esse dia. – Helena fala baixo.

- Obrigado você, é o dia mais feliz da minha vida, te amo. – Ele a beija.

Caio puxa a mão de Julia entrando na pista, e assim é a deixa para mais casais entrarem curtindo o instrumental da música, sem voz qualquer, somente o violino invadindo os ouvidos.

Depois de alguns minutos, eles se retiram novamente para se trocarem, Kleber e Helena entram primeiros, pois os três a auxiliava com o vestido;

- Amiga a gente ta casado. – Kleber mostra a aliança.

- CHUPA Sociedade, eu casei, PORRA! - Ela grita abraçando ele.

Os casais se abraçam e Guto segurando na cintura da esposa;

- Você está muito linda.

- Você também amor, Guto quero usar ele para o resto da minha vida, olha isso gente. – Helena olha no espelho.

- Estou quase tirando ele a força aqui na frente deles, rsrs. – Guto morde os lábios.

Seu irmão ri, e ela brinca;

- Lua de mel mais tarde Augusto, deixa eu aproveitar meu momento.

- Seu? – Ele indaga.

- Nosso amor, nosso.

Os rapazes se trocam, tirando as gravatas, trocando sapatos, para ficarem mais confortáveis. E Helena sai do provador, com os três boquiabertos.

De vestido branco, tecido extremamente leve, de alça e transparente na altura da barriga, com fendas nas duas pernas, e uma sandália de alto prata. O decote grande, com detalhes como se fosse um Espartilho. Ela soltou o cabelo do penteado e trocou os brincos;

- Puta merda, vocês podem sair, vou começar minha lua de mel aqui. – Guto abraça ela.

- Mas gente, rsrs. – Helena fica rindo.

- Está perfeita amiga.

- Obrigado gente... Amor segura um minuto, deixa eu retocar minha maquiagem, não dá para tirar mais fotos assim.

- Tudo bem.

No retorno bem mais tranquilo, com o jantar sendo servido a todos, muita conversa, muitas risadas, era um dia, um entardecer abençoado.

- Meu Deus eu não tinha visto, você é uma vaca. – Kleber briga com Helena.

- O que menino.

- Dois bolos, Helena, vocês pensaram em tudo.... Todo mundo sabia né, só eu que não? – Ele fala olhando.

- Sabíamos até da sua resposta Kleber, relaxa. – Caio diz rindo.

A sobremesa, ficou por conta do bolo, depois das fotos, a equipe da cozinha tratou de preparar e servir para os convidados.

Enquanto, Helena e Guto, e Heitor e Kleber cumprimentavam as mesas, agradecendo a presença, brincando e conversando, com seus convidados, e familiares.

E ali em meios a mesas, e conversas, pessoas andando e sentadas, ouvimos um “atenção” no microfone.

O palco estava vazio, e Caio estava com o microfone, na mesa dos noivos;

- Gostaria da atenção de todos por favor, eu gostaria de falar umas palavras e também uma pessoa muito especial aqui do meu lado.

Nice Petrini se levanta na mesa, ao lado de Caio;

- Obrigada querido. – Ela segura o microfone.

Nice olha para a direita, onde os noivos estavam na mesa a frente.

Eles voltam se sentando em seus lugares, que era em frente a Nice e Caio, os quatros, junto a todos no salão, se calam para ouvir;

- Boa noite é uma honra estar na presença de todos nesta tarde.... Acho que já noite né! – Ela olha para trás onde havia a vista do mar. - Estou extremamente emocionada em poder expressar mais uma vez o meu carinho pelos meus filhos, meu genro e minha nora, hoje estamos celebrando a união destes dois jovens casais e o amor que os unem, o sentimento mais puro que podemos demonstrar pelo outro. – Ela sai do seu lugar, andando até os filhos. - Um dia um sábio me disse que amar é colocar a necessidade do outro sobre a nossa, mas vejo um erro nesta frase, amar é pegar na mão de quem se ama e passar pelas necessidades juntos, amar é como a criação de uma roupa, você precisa desenhar bons momentos, tirar do papel os sonhos, criar boas memorias e lembranças, cortar a dor e costurar os momentos ruins e juntando todos esses pedacinhos teremos o sucesso do que realmente é amar. Por muitos anos pensei que vivia o meu amor junto a Machado, simplesmente me dedicava em ser uma boa esposa, gerenciar a casa, os filhos, e eu vivi esse amor, mas percebi que não via mais o fogo do começo, por isso meus amores lembrem-se que o amor é construído todos os dias em diversas demonstrações. – Nice passa a mão no rosto de Augusto. - Hoje minhas lembranças não são as mesmas, esqueço nomes, lugares, pessoas e alguns dias esqueço até quem sou, fiquei imaginando momentos para esse discurso e lembro de poucos, aos meus filhos, Augusto quando vi sua primeira criação meu coração se encheu de alegria naquele momento sabia que seguiria meus passos e o legado que deixei para vocês, já Heitor! Ah Heitor sempre seguiu os passos de Machado, mas sempre muito sensível com os sentimentos dos outros e conheço o coração bondoso de ambos pois sei que foram minha maior criação, Heitor e Augusto eu amo vocês e tenho certeza Helena e Kleber que estou entregando meus filhos a duas pessoas incríveis, dois anjos, que lutaram, e sempre vão lutar ao lado deles. Bem-vindos a nossa família meus amores.

Palmas de todos, todos que não estavam limpando lagrimas ou aos prantos.

Os dois irmãos se levantam abraçando a mãe, ela estava emocionada, mas eles estavam se derramando em lagrimas e um choro de felicidade.

Helena limpando as lagrimas comenta com Julia;

- Lá se foi mais uma maquiagem.

Nice entrega o microfone para Caio;

- Agora é com você filho o brinde dos noivos. – Ela coloca o microfone nas mãos dele.

- Ai depois dessa fiquei com vergonha de falar Dona Nice. – Ele limpa as lagrimas.

Alguns sorrisos, e palmas, e logo um silencio, Caio respira fundo, olha para os amigos e desce algumas lagrimas de seus olhos;

- Bem, quando... – Ele tenta falar e o choro vem, atrapalhando sua voz.

O amigo coloca ambas mãos na mesa emocionado, algumas pessoas batem palmas, e ele respira se concentrando;

- Estou muito emocionado, me desculpem. "Quando te vi, meu mundo mudou." – Caio olha na tela do celular, uma cola da frase destacada. - Ouvi isso em uma música esses tempos, e ao pensar nesse discurso, creio que essa frase diga muito sobre essa história. Nós, em volta sabíamos que tinha algo a mais em todo aquele ódio, que tentava sem sucesso esconder uma preocupação, um desejo de estar juntos, mas quanto têm maturidade de entender e reconhecer isso aos 17 anos de idade? Para os confusos estou falando de Augusto o Guto e de Helena que para mim era Samuel. Os caminhos de Helena e Guto se cruzaram de uma maneira a nunca mais se separar, mesmo com tentativas de "fuga" de toda espécie. Não adiantou ir embora do Brasil, a vida de trouxe para cá de novo. – Caio aponta para Guto. - Não adiantou ir tentar em outros braços, a vida te trouxe para cá de novo. – Ele aponta para Helena. - A vida se encarregou de deixar vocês trilharem caminhos, a princípio, sem a interferência do outro, apenas para que se desse conta, que não é essa a função de vocês no mundo. Vocês não nasceram para estarem separados, vocês nasceram para um ajudar o outro a evoluir, para ensinar, para aprender, para somar. E eu (e acredito que posso falar por todos), sou muito grato por ter feito, e estar fazendo parte de tudo isso. – Lagrimas desciam de seu rosto, mas sua voz não sessava. - Muito obrigado, sejam felizes e vivam o mais pleno amor que a vida tem reservado para vocês, vocês merecem. Um brinde aos noivos. – Caio levanta sua taça.

Um brinde de todos presentes é feito, em gritos, e palmas, e claro, lagrimas.

A lua de mel escolhida por Augusto foi levar a amada para a Tailândia, escolha veio pela cultura, praias e lugares para visitar.

Já Heitor fez algo também bem excêntrico, levando Kleber a Cabo Verde, um dos destinos mais românticos procurados pelos recém-casados.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia